Texto Tradicional

5,974 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,974
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
279
Actions
Shares
0
Downloads
77
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Texto Tradicional

  1. 1. Literatura da tradiçãooral e tradicional Viva! Professora: Lurdes Augusto
  2. 2. O que significa?... Património Literário Tradici onal Popular Literatura CulturaA literatura tradicional pode ser considerada…Património popular, porque não se conhece o seu autor, já que foi sendocontada, recontada e alterada oralmente de geração em geração. Diz-se aindaque é popular, pois terá sido a classe do povo a criar estas histórias, tendo porbase as suas vivências e os seus sonhos.Património cultural, pois contém referências à cultura do povo que a criou, isto éexistem referências às maneiras de ser, pensar e agir de determinados grupo ede determinados tempos históricos.Património tradicional, porque esta literatura foi sendo passada de geração emgeração, por isso pertence à nossa tradição.
  3. 3. Formas de literatura tradicionalCONTO - Narrativa breve, com poucas personagens, tempo e espaçoconcentrados. Por vezes contém um fim ou lição moral.LENDA - Narrativa breve, com as mesmas características do conto, masonde existem personagens e acontecimentos fantásticos e misteriosos.FÁBULA - Narrativa breve, com as mesmas características do conto, masonde as personagens são animais ou seres inanimados. Geralmente contémum fim ou lição moral.PROVÉRBIO OU DITADO POPULAR - Pensamento, ensinamento ou liçãomoral expressa em poucas palavras.Existem ainda outras formas, tais como: parábolas, adivinhas, romancespopulares, anedotas, etc.
  4. 4. Características do conto- Revela aspectos da cultura de um povo;-Revela marcas de oralidade - variações linguísticas e regionais (saber +) - diálogo - a repetição da expressão “ Era uma vez...” - expressões de oralidade;- Não se conhece o seu autor, ou seja, é fruto do reconto e da recolha de alguém;- Por vezes conhecem-se variações e/ou versões;- São textos geralmente pequenos, memorizáveis;- Tem como finalidade ensinar, divertir ou reflectir; Viva!-Tem, muitas vezes, um fim moral;- Os registos de língua predominantes são: familiar, popular, calão, gíria, regionalismo. (saber +)- Os contos tradicionais obedecem quase sempre à mesma estrutura: . Um herói parte à aventura . Surgem obstáculos . Há algo que se lhe opõe . Há algo que o ajuda . No final os obstáculos são superados, os “ bons “ são premiados e os “maus “ são castigados.
  5. 5. Exercício de escrita criativa: Os contos hoje!Se eu fosse… … a carochinha… … um dos porquinhos… … a capuchinho vermelho…Eu nunca teria… Continua o texto, criando uma perspectiva nova e actualizada dos antigos contos. Fim
  6. 6. Exercício de escrita criativa: Os contos hoje!Salada de contosCria uma nova aventura para os heróis tradicionais!Cria uma nova história onde se cruzem pelo menos três personagemconhecidas.Escolhe a partir das sugestões:Não te esqueças de que não podes alterar o seu perfil… apenas a aventuraserá nova!!
  7. 7. Exercício de observação: Os contos hoje!Visiona os dois excertos do filme Pinóquio e aponta as diferenças…www.arquivodeletras.blogspot.comMês de Janeiro Fim
  8. 8. Variações linguísticas e regionais: Versão em MindericoAntes de gambiar a do pinto lopes sobre o engenho emanado até esteplaneta e piar sobre como o Ninhou e todos os charales põem as gâmbias aeste engenho e estão aguenta com aguenta connosco, seria antónio fornode neste moinho da fonte do famoso jordar terrantezmente aos mirantesas patentes deste engenho que é um terraiozinho do engenho ancho quejorda moinhos da fonte anchos das do badalo a escadeiradar (DOBES) daclasse maria-bogalheira da Volkswagen. Português padrãoAntes de tecer algumas considerações acerca do trabalho até agoradesenvolvido e da aceitação e empenho da comunidade minderica, gostaria deaproveitar esta oportunidade para mais uma vez realçar os objectivos centraisdeste projecto que está inserido no Programa de Documentação de LínguasAmeaçadas (DOBES) da Fundação Volkswagen. voltar
  9. 9. Registos de Língua:Registo médio ou corrente – corresponde a um padrão, uma norma linguística,utilizada, por exemplo, na comunicação social.Ex: Que autoridade tem o senhor para falar disso?Registo familiar – corresponde à comunicação oral e está relacionada com o graude afinidade com o interlocutor, isto é, ocorre entre amigos ou em família. Ovocabulário e as construções são simples, mas muito expressivas.Ex: Quem te encomendou o sermão?Registo culto ou cuidado – corresponde à comunicação escrita formal. Utiliza umvocabulário mais escolhido e uma estrutura frásica mais cuidada. Está muitasvezes presente em textos de opinião, textos críticos… é usada emcolóquios, conferências, etc.Ex: Venho por este meio solicitar a V. Ex ª que me sejaapresentada a argumentação que fundamentou a vossaposição…Registo literário - corresponde à utilização da língua com um sentido estético. Estãopresentes recursos estilísticos que atribuem uma dimensão simbólica e estética àescrita.Ex: Não leio no vento as tuas razões, não encontrorespostas nas esquinas das tuas palavras.
  10. 10. Registos de Língua ( continuação):Registo popular – corresponde às marcas de grupo social ou actividadeprofissional relacionada com a ausência de uma cultura linguística e/ou com umbaixo nível de instrução. Regionalismos – expressões próprias de determinadas zonas do país. (“…ele deu uma pincha-carneira que ficou com uma bouba…”) Gíria – expressões próprias de certos grupos sociais. ( “tive um furo na segunda-feira”, “ o guarda- redes é um frangueiro”.) Calão – expressões consideradas grosseiras. ( “dá o baza! “,”pira-te! “, “Curto-te bué!”) voltar

×