Palavra Mágica

23,556 views

Published on

2 Comments
6 Likes
Statistics
Notes
  • @ines-e-mariana
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • será que nos poderia dizer qual a delimitação da estrutura do texto, e o porque?!
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
23,556
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4,282
Actions
Shares
0
Downloads
431
Comments
2
Likes
6
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Palavra Mágica

  1. 1. “A Palavra Mágica”, de Vergílio Ferreira
  2. 2. Síntese Apresentação de Silvestre: - viúvo, sem filhos, dono de algumas terras, partilha o que tem, dá dinheiro sem sepreocupar com a utilização que lhe podem dar. Momento de avanço: Silvestre arranjou uma discussão com o Ramos da Loja; Silvestre disse, sem intenção de ofender, que o trabalho do campo não era bempago o que levou o Ramos a chatear-se. O Ramos chama “Inócuo” ao Silvestre com a intenção de o ofender, mas semconhecer o verdadeiro significado da palavra. ( “inócuo” – que não é ofensivo; inofensivo.) Silvestre não quer ser tomado por pouco esperto e ofende-se, sem saber o realsignificado da palavra. Dois homens, que assistem à discussão, espalham o acontecido, atribuindo à palavraum sentido ofensivo.
  3. 3.  Apresentação de vários casos, em que a palavra é utilizada e o seu sentidoampliado.- Caso do Paulino que chega a casa bêbado e a mulher o ofende com o termo.- passa a significar vadio e bêbado.- Caso do sujeito de gabardina a vender drogas, cujo efeito não era oanunciado e é ofendido com a palavra.- passa a significar trampolineiro, ladrão.- Caso do Rainha que dá um tiro no homem da amante.- passa a significar devasso e assassino.- Caso do Perdigão dos Cabritos que numa troca de produtos é tambémofendido com a palavra.- Sem que nenhum dos envolvidos saiba verdadeiramente o significado dapalavra.- Este homem leva o termo da aldeia e passado algum tempo ele voltouainda mais ofensivo do que saíra.- O termo regressa pela boca de um Caldeireiro e durante um pagamento o termovolta a ser utilizado como ofensivo.- significa agora homossexual e parricida.
  4. 4.  Momento de Balanço: - O Ramos faz o balanço do significado que a apalavra já tinha assumido.- Todos temiam se ofendidos com tamanha ofensa. Momento de tentativa de viragem: - O filho do Gomes, que tinha alguma instrução quis saber qual o verdadeiro significadoda palavra e procurou no dicionário, mas a oralidade tinha alterado a palavra e não sabiaao certo como se escrevia, pelo que não a encontrou.- A sua mãe não quer que ele procure o significado e tudo fica como antes. Momento de avanço: - começaram a aparecer queixas no tribunal. O Juiz pedia a intenção com que a palavrafora aplicada e em função disso, organizava o processo. Caso do Bernardino Soares que tentou influenciar o juiz, para obteruma pena pesada num processo. - o Juiz percebe que o termo usado é “inócuo” e esclarece overdadeiro significado do termo. - o juiz mostra o significado no dicionário, o que não convenceBernardino. - o advogado, apesar de saber o significado ainda acrescenta aimportância da intenção.
  5. 5.  Desfecho:- Muitos desejavam que o significado do dicionário fosse aplicado à vida.- Muitos consideravam que o dicionário não era capaz de alterar o significado que avida/ as vivências das pessoas lhe tinham atribuído. Desfecho:- A vida de facto emendara o dicionário. Apresentação do caso do filho do Gomes, que se mostra determinado a assumir adefinição real do dicionário, porém ao ser “ofendido” com o termo, acaba por desejarvingar-se.
  6. 6. AnáliseExplicação de expressões:“ Não havia que emendar-se a vida pelo dicionário. Havia que forçar-se o dicionário a meter avida na pele.”“ A vida de facto emendara o dicionário.”“…o furor era sempre mais forte do que um simples livro impresso.” 1 – Relaciona estas frases com as várias fases da evolução do termo “inócuo”.“ Não havia que emendar-se a vida pelo dicionário, pois durante muito tempo osignificado não foi o que estava escrito no dicionário, estava sim relacionado com aintenção com que era dito. Havia que forçar-se o dicionário a meter a vida na pele, pois, quando passaram aconhecer o real significado, as pessoas continuaram a querer manter o significadoofensivo que lhe tinham criado através das suas vivências.“ A vida de facto emendara o dicionário”, pois no final, apesar de haver pessoasdeterminadas na correcção do significado, acabam por continuar a considerar a palavraofensiva, pois “…o furor era sempre mais forte do que um simples livro impresso.” Esta éa conclusão de toda a história: A emoção vence a razão.
  7. 7. Identificação de figuras de estilo e sua intencionalidade:a) “… ferido de espora…”b) “… aquele sabor redondo a moca grossa de ferro, cravada de puas.”c) “ Longos meses a palavra maldita andou por lá descarregando o ódio das gentes.(…) Vinha em farrapos…”d) “ Era possível apanhar com o palavrão na cara e ficar cheio de peste.”e) “…simples livro impresso.”
  8. 8. Figuras de estilo:Comparação: Associação de duas realidades através da conjunção comparativa“como” ou dos verbos parecer, lembrar, assemelhar, etc.Metáfora: Associação/aproximação de duas realidades sem a utilização daconjunção comparativa “como” com o objectivo de realçar qualquer característica.Hipérbole: Exagero da realidade com o objectivo de realçar características oureforçar a importância de algo.Perífrase: Dizer de uma forma extenso, algo que poderia ser dito de forma breve.Tem , por vezes, o objectivo de pôr em destaque a caracterização.Personificação: Consiste na atribuição de características humanas a seresinanimados e irracionais com o objectivo de realçar a importância e relevância dealgo.

×