Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Pulsologia Ayurvédica - Teresa Osório

4,896 views

Published on

Published in: Health & Medicine

Pulsologia Ayurvédica - Teresa Osório

  1. 1. Nadi Pariksha O Diagnóstico através do pulso I.M.T. – Instituto de Medicina Tradicional Cadeira de Medicina Ayurvédica
  2. 2. <ul><li>A Medicina Tradicional Indiana é um dos mais antigos recursos de diagnóstico de todos os tempos. O pulso ayurvédico é uma técnica que exige grande sensibilidade na sua tomada e na sua interpretação. Para a medicina, segundo o Ayurveda, são necessários, vários anos de aperfeiçoamento dos métodos de interpretação do pulso. </li></ul><ul><li>O pulso ayurvédico é capaz de revelar as condições da distribuição da energia vital ou energia prânica pelo corpo, e a situação dos tridoshas; ou seja, os humores biológicos, vata, pitta e kapha, que são os três humores ou a constituição física que regem o equilíbrio do corpo, mente e espírito, de todos os seres humanos. </li></ul><ul><li>De um modo geral, porém, é possível realizar um autodiagnóstico que, embora superficial, pode ser bastante útil. O dedo indicador deve ficar sobre o pulso Vata , o médio sobre o Pitta e o anelar sobre o pulso Kapha , pressionando três pontos diferentes da artéria radial. </li></ul>
  3. 3. Pulsologia <ul><li>A pulsologia mostra a evolução da energia vital em andamento no corpo físico humano. </li></ul><ul><li>Através da tomada do pulso, o terapeuta vai detectar o estado de saúde do paciente, a profundidade do desequilíbrio e a capacidade de recuperação do dosha avaliado. O pulso está intimamente ligado ao tipo de corpo. </li></ul><ul><li>Aprender a interpretar a doença através da pulsologia, é uma grande habilidade, mas qualquer pessoa pode familiarizar-se com o seu próprio pulso e ir captando ensinamentos fascinantes sobre as variações dos doshas . </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Quando procedemos ao exame do pulso, é necessário levar em conta um certo número de factores que, negligenciados, levam a erros no diagnóstico. </li></ul><ul><li>Além do seu pulso básico, cada pessoa pode apresentar variações, devido a factores tais como: as condições físicas e emocionais, o sexo, a idade, a prática, ou não, de exercício físico, condições ambientais, etc. Neste sentido é ainda importante referir que n ão se deve efectuar o diagnóstico através d o pulso, nas seguintes alturas: imediatament e após refeições, prática de exercício fí sico, ao acordar , em jejum, bem como após qual quer técnica que induza ao relaxamento ou ao ex citamento do organismo. </li></ul>
  5. 5. Os 5 elementos e os 3 pulsos A tomada dos 3 pulsos
  6. 6. Método <ul><li>Inicialmente localiza-se a artéria radial, com o dedo indicador, esta encontra-se na saliência óssea, da zona externa, do pulso, na posição anatómica, abaixo do dedo polegar. De seguida alinham-se o dedo indicador, o dedo médio e o anelar, pressionando cada um alternadamente até se sentir as três diferentes pulsações; nessa altura, a pressão aplicada ao pulso Vata deve ser suave, a do pulso Pitta moderada, e a do pulso Kapha deve ser aplicada de uma forma mais forte. Nas mulheres, o diagnóstico é feito através do braço esquerdo, e no caso dos homens é feito no direito. </li></ul><ul><li>Ambos, terapeuta e paciente, devem estar calmos e tranquilos, sentados, com os braços apoiados confortavelmente. O prakruti revela-se pela localização, pela velocidade, pela qualidade e pela profundidade do pulso, e pela parte do dedo sobre a qual ele incide. O Vrikriti revela-se pela localização, pela velocidade, pela qualidade e pela profundidade. </li></ul>
  7. 7. Pulso Vata Pulso Pitta Pulso Kapha
  8. 8. <ul><li>Características: </li></ul><ul><li>Pulso Vata </li></ul><ul><li>É medido com o dedo indicador, com um toque leve, na zona mais próxima do punho, e mais superficial. É um pulso irregular, mais rápido do que os outros e ondulante, fazendo lembrar o serpentear de uma cobra. </li></ul><ul><li>Pulso Pitta </li></ul><ul><li>É medido com o dedo médio, com um toque firme, na zona intermédia e no nível médio, o dedo deve ser posicionado logo abaixo do estilete radial. O pulso é rápido, vibrante, e vigoroso, assemelha-se ao pular de uma rã. </li></ul><ul><li>Pulso Kapha </li></ul><ul><li>É medido com o dedo anelar, com um toque profundo, na zona mais distal do punho e no nível profundo. O dedo anelar deve ser posicionado ao lado do dedo médio , como a artéria radial se aprofunda ao afastar-se do pulso, isso pode dificultar o seu sentir; pode senti-lo tocando um pouco mais fundo. É um pulso lento, forte e deslizante, semelhante a um cisne. </li></ul>
  9. 9. Representação das características das ondas:
  10. 10. Mais regular regular irregular Regularidade Profunda, mais constante média superficial, com baixa energia Profundidade Dedo anelar Dedo médio Dedo indicador Local Muita Média pouca Força < 65 b.p.m.(3 bat. p/ 1 resp.) entre 65 e 80 b.p.m.(4 bat. p/ 1 resp.) > 80 b.p.m.(5 bat. p/ 1 resp.) Frequência demora a subir e descer, de forma regular e espaçada sobe e desce de forma constante e homogénea oscila vertical e lateralmente de forma irregular, rápida e arrítmica Qualidade da onda kapha Pitta Vata
  11. 11. <ul><li>Prakruti é determinado através da velocidade do pulso: </li></ul><ul><li>Vata é rápido </li></ul><ul><li>Pitta é médio </li></ul><ul><li>kapha é lento </li></ul><ul><li>Por fim sente-se em que zona, da ponta do dedo, o pulso bate. </li></ul><ul><li>Vata – na zona mais próximal da unha </li></ul><ul><li>Pitta - na zona central </li></ul><ul><li>Kapha – na zona mais distal da unha. </li></ul><ul><li>No caso de existir qualquer tipo de diferença entre a localização e a profundidade, ou a localização e a zona da ponta do dedo, onde o pulso é sentido, significa que temos um indício de Vrikruti (desequilíbrio). </li></ul><ul><li>Verifica-se a mesma situação, para uma diferença entre a velocidade e qualquer um dos outros factores. </li></ul><ul><li>Através do conhecimento dos sete níveis da pulsologia, o terapeuta pode ser capaz de ler se, a origem do Vrikruti, se encontra no Prana ou no Apana , e pode ainda verificar se é o Prana na mente (stress), ou os nadis que estão a perturbar o corpo. Sendo que, quanto mais cedo se diagnosticar a situação dos nadis , mais rapidamente se pode aplicar a terapia correcta a utilizar. </li></ul>
  12. 12. Curiosidades <ul><li>Exame dos órgãos através do pulso </li></ul><ul><li>A palpação do pulso permite obter indicações muito mais significativas. Para essa operação, o terapeuta utiliza três dedos de cada mão: o indicador, o médio e o anelar. Cada dedo possui dois pontos de palpação, a parte superior em relação aos órgãos cheios e a parte inferior em relação aos órgãos ocos. Portanto, temos um total de doze pontos de palpação — sobre a artéria radial — correspondendo a doze órgãos. </li></ul><ul><li>Inicialmente, sente-se o pulso direito do paciente, com a mão esquerda, para obter informações sobre os seguintes órgãos: </li></ul><ul><li>Indicador </li></ul><ul><ul><li>Superior: pulmões </li></ul></ul><ul><ul><li>Inferior: intestino grosso </li></ul></ul><ul><li>Médio </li></ul><ul><ul><li>Superior: fígado </li></ul></ul><ul><ul><li>Inferior: vesícula biliar </li></ul></ul><ul><li>Anelar </li></ul><ul><ul><li>Superior: rim direito </li></ul></ul><ul><ul><li>Inferior: bexiga </li></ul></ul>
  13. 13. <ul><li>Depois, com a mão direita no pulso esquerdo, examina-se o funcionamento dos órgãos restantes: </li></ul><ul><li>Indicador </li></ul><ul><ul><li>Superior: coração </li></ul></ul><ul><ul><li>Inferior: intestino delgado </li></ul></ul><ul><li>Médio </li></ul><ul><ul><li>Superior: baço </li></ul></ul><ul><ul><li>Inferior: estômago </li></ul></ul><ul><li>Anelar </li></ul><ul><ul><li>Superior: rim esquerdo </li></ul></ul><ul><ul><li>Inferior: pâncreas </li></ul></ul>
  14. 14. Diagnóstico do Pulso e os Chitta Nadi <ul><li>O Diagnóstico do pulso consiste na leitura dos sete níveis do pulso. A razão pela qual nós podemos compreender as doenças psicossomáticas baseia-se na principal nadi (canal) da mente. </li></ul><ul><li>A mente tem o seu próprio nadi, chamado de chitta nadi ou canal de consciência. O Ayurveda refere-se à sua constituição física como manovaha strotas , o canal que transporta o pensamento. Todos nós já experienciamos o fluxo da mente, o fluxo do pensamento ou o fluxo da consciência. Este é o fluxo através do chitta nadi. </li></ul><ul><li>Chitta nadi é o fluxo das nossas samskaras (impressões armazenadas ou memória corporal) do coração para o mundo externo. Ela move-se para cima, inicialmente para a garganta, de onde sai a nossa expressão e, em seguida, para a cabeça, onde se conecta com os sentidos e os objectos externos. Em seguida, flui de volta para baixo, da cabeça para a garganta e de volta para o coração. Este é o duplo fluxo de chitta nadi. </li></ul>
  15. 15. <ul><li>Inicialmente, tem um movimento para fora, em direcção ao mundo externo, que parte do coração até a cabeça e para fora através dos sentidos. Em seguida, tem o movimento contrário, do mundo externo dos sentidos para o mundo interno do psiquismo, que desce da cabeça ao coração. </li></ul><ul><li>O Ego ocasiona diversas toxinas, impurezas ou matérias pesadas (malas) para acumular no chitta nadi e inibir o seu fluxo. Estas toxinas derivam de alimentos mal digeridos, impressões e associações, a partir de dietas erróneas, má utilização dos sentidos, e relacionamentos conturbados. Por essa razão o fluxo através do chitta nadi é afectado pelo estado do corpo, Prana e Mente. </li></ul><ul><li>Chitta nadi está ligado a todos os sistemas de canais dos corpos físico e psíquico. </li></ul><ul><li>&quot;Entre o corpo astral e o corpo físico, existe um nadi chamado chitta nadi , expresso aqui no quinto nível do pulso. </li></ul><ul><li>O pulso gandakala indica um tempo vulnerável durante o qual alguma doença grave ou um sério evento pode acontecer. Ele indica a necessidade de alterar a dieta alimentar e o estilo de vida, a necessidade de descansar, ler e relaxar. É muito importante conhecer este pulso. </li></ul>
  16. 16. <ul><li>Podemos dar um sinal de advertência à pessoa. Pode não haver qualquer patologia agora. Ele pode ser conectado ao corpo astral karmicamente e pode manifestar-se posteriormente como doença ou acidente, mas algo irá acontecer. Estes eventos são a origem das doenças psicossomáticas. Assim é como memórias passadas (vasansas) que se transformam em samskaras (manifestações de memória corporal). Como podemos ver, o Pulso é vital para diagnosticar a origem de doenças psicossomáticas. </li></ul><ul><li>Pontos Marma são como pequenos chakras que mantém o fluxo de energia entre o corpo físico e o psíquico. Também se encontram onde as samskaras tendem a acumular-se, no nadis, que interagem com eles. </li></ul><ul><li>Praticantes mais experientes podem então regular a qualidade do prana para ir de encontro às necessidades do paciente. Isso significa estimular, acalmar, penetrar, dispersar, unir, ou outras acções necessárias para tratar o marma. Isto deve ser feito em todas as fases da massagem, mas, especialmente, enquanto se trabalha os marmas. Estes métodos são também aplicados enquanto se toma o pulso. </li></ul><ul><li>Esta é a razão pela qual a massagem é uma parte tão importante da grande desintoxicação geral de Ayurveda chamada Pancha Karma. Este tratamento é uma desintoxicação das energias vitais, Vata, Pitta e Kapha, bem como das emoções armazenadas no corpo e na mente. </li></ul>
  17. 17. <ul><li>Quando nós consideramos o nível mais profundo de desintoxicação, chegamos às toxinas espirituais que nos fazem sofrer a todos... o Karma. </li></ul>
  18. 18. Bibliografia: http://www.dharmanet.com.br/kalu/medicina.htm http://espacoalges.blogspot.com/ http://www.holopedia.com.br  http://www.centroreichiano.com.br  http://www.terapiadecaminhos.com.br   http://www.babajiayurveda.info/PT-Diagnostico.htm   http://www.ciefato.com.br/download/arquivos/01_11/IV%20simposio-%20Reginaldo.pdf   http://www.geocities.com/quackwatch/altmini.html   http://www.brasilescola.com/biologia/fibras.htm
  19. 19. Trabalho Realizado por: Teresa Osório, nº9, 3ºA Naturopatia

×