Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Rio Tejo
Créditos: Poesia: Eugênio de Sá (“Rio Amigo... Rio Algoz -  Meu Tejo Ribatejano”). Frases e outros textos: pesquisas inter...
Rio Amigo... Rio Algoz!
Os rios, que Deus também criou, não são só mágoa, frustração, desolação e morte. São ritmos de vida, incansáveis fecundado...
Meu Tejo Ribatejano
Ó MEU RIO, MINHA ÁGUA AMIGA QUE FARTAS O RIBATEJO EM SILÊNCIO, A DESLIZA VAIS MOLDANDO AS TUAS MARGENS P’RA TE PODERES ESP...
TEJO INTEIRO, AFICIONADO, DE AMPLAS E VERDES LEZÍRIAS E TOIROS DE TOUREAR ONDE CORCÉIS LUSITANOS  FENDEM A ERVA MACIA  A G...
DA CHAMUSCA HERDAS RECORTES DE CASARIO A BRILHAR, DA LABUTA DOS CAMPINOS, DOS ODORES DE TORRICADO  E D’ALMA RIBATEJANA  CO...
ÉS ÁGUA MANSA, TRANQUILA, EM SANTARÉM A PASSAR CAPRICHAS EM RODOPIOS , DEIXAS TONTO QUEM TE VÊ, COMO CRIANÇA A BRINCAR.
AO AVISTARES VILA FRANCA CONVIDAS OS AVIEIROS P’RA NO TEU LEITO OS DEITAR ELES VÃO E SONHAM COM PEIXE,  LANÇAM A ESPERANÇA...
PASSAS AO MOUCHÃO DE ALHANDRA, VÊS LINDAS AVES VOAR ENVOLVES-TE NA RESERVA, PARAÍSO À FLÔR DA ÁGUA, QUE TÃO BEM SABES AMAR.
DEPOIS, COM LISBOA  À VISTA, EMBRIAGADO DE ESPAÇO, VAIDOSO, QUERES-TE MOSTRAR ONDULAS, CHEIRAS O VENTO  E DEITAS-TE MANSAM...
As gaivotas do Rio Tejo
" Navegar é preciso;  viver não é preciso".    Fernando Pessoa
O Rio Tejo embala o castelo
Os avieiros do Rio Tejo
“ ... Atirei pedras ao Tejo / com raiva das minhas mágoas /  *eram ciúme e vingança /  mas as pedras de criança / são o so...
“ ...Rio Tejo, não chores por rios mais famosos Tampouco por outros mais formosos Teu curso é de terras majestosas Teu lei...
“ O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia.”  Fernando Pessoa
Cegonha negra à beira do Tejo
“ ... Pelo Tejo vai-se para o Mundo Para além do Tejo há a América E a fortuna daqueles que a encontram. Ninguém nunca pen...
Fernando Pessoa nos conta do famosíssimo rio de sua aldeia, e, na Ode Marítima retrata alguns aflitos sentados nas pedras ...
“ ...Eu não tenho filosofia; tenho sentidos... Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é, Mas porque a amo, e amo...
“ ...Eu gostava muito de chegar à aldeia, tirar os sapatos e entrar no rio, pisar o lodo e os resíduos duros... É o que to...
São estas as famosas camarinhas que deram o nome a Marinhais
“ ...Ah, que prazer, ver o rio correr sem pressa, Sentir do azul do céu a liberdade que espreita, Em todo o seu esplendor,...
"O Rio Tejo é lindo visto assim, ao longe, e a gritar: Adeus, não afastem os vossos olhos de mim!"
“ ...De Yemanjá serás somado brio Correrás para o mar sempre escoltado Dos Zéfiros d’Eolo comandados...” (Eugênio de Sá)
“ Amigo, maior que o pensamento por essa estrada , amigo vem, por essa estrada amigo vem. Não percas tempo que o vento,  T...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Portugal rio tejo

3,229 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Portugal rio tejo

  1. 1. Rio Tejo
  2. 2. Créditos: Poesia: Eugênio de Sá (“Rio Amigo... Rio Algoz - Meu Tejo Ribatejano”). Frases e outros textos: pesquisas internet e autorias citadas nos respectivos slides. Música: Guitarra portuguesa, Canção do Tejo, Fco. Gouveia. Formatação, imagens e pesquisa: Michèle Christine
  3. 3. Rio Amigo... Rio Algoz!
  4. 4. Os rios, que Deus também criou, não são só mágoa, frustração, desolação e morte. São ritmos de vida, incansáveis fecundadores de chãos produtivos, autêntica e abençoada riqueza. São cheiros de terra molhada, suaves caudais que a terra encaminha e que a terra agradece. São alegria, são peixe, são vida, são beleza, testemunhas silenciosas das gestas e do labor dos povos. Pena que continuem, também eles, vítimas de tantas agressões. É pois tempo de lhes prestar preito. Aqui fica o meu, aquele que me é mais chegado: o nosso Tejo.
  5. 5. Meu Tejo Ribatejano
  6. 6. Ó MEU RIO, MINHA ÁGUA AMIGA QUE FARTAS O RIBATEJO EM SILÊNCIO, A DESLIZA VAIS MOLDANDO AS TUAS MARGENS P’RA TE PODERES ESPREGUIÇAR.
  7. 7. TEJO INTEIRO, AFICIONADO, DE AMPLAS E VERDES LEZÍRIAS E TOIROS DE TOUREAR ONDE CORCÉIS LUSITANOS FENDEM A ERVA MACIA A GOLPES DE GALOPAR.
  8. 8. DA CHAMUSCA HERDAS RECORTES DE CASARIO A BRILHAR, DA LABUTA DOS CAMPINOS, DOS ODORES DE TORRICADO E D’ALMA RIBATEJANA COM FANDANGOS A VIBRAR.
  9. 9. ÉS ÁGUA MANSA, TRANQUILA, EM SANTARÉM A PASSAR CAPRICHAS EM RODOPIOS , DEIXAS TONTO QUEM TE VÊ, COMO CRIANÇA A BRINCAR.
  10. 10. AO AVISTARES VILA FRANCA CONVIDAS OS AVIEIROS P’RA NO TEU LEITO OS DEITAR ELES VÃO E SONHAM COM PEIXE, LANÇAM A ESPERANÇA A PESCAR.
  11. 11. PASSAS AO MOUCHÃO DE ALHANDRA, VÊS LINDAS AVES VOAR ENVOLVES-TE NA RESERVA, PARAÍSO À FLÔR DA ÁGUA, QUE TÃO BEM SABES AMAR.
  12. 12. DEPOIS, COM LISBOA À VISTA, EMBRIAGADO DE ESPAÇO, VAIDOSO, QUERES-TE MOSTRAR ONDULAS, CHEIRAS O VENTO E DEITAS-TE MANSAMENTE VAIS ADORMECER NO MAR. (ABRIL DE 2001) Publicado no Jornal Vida Ribatejana
  13. 13. As gaivotas do Rio Tejo
  14. 14. " Navegar é preciso;  viver não é preciso".   Fernando Pessoa
  15. 15. O Rio Tejo embala o castelo
  16. 16. Os avieiros do Rio Tejo
  17. 17. “ ... Atirei pedras ao Tejo / com raiva das minhas mágoas / *eram ciúme e vingança / mas as pedras de criança / são o sorriso das águas* *letra de João Monge
  18. 18. “ ...Rio Tejo, não chores por rios mais famosos Tampouco por outros mais formosos Teu curso é de terras majestosas Teu leito é de águas corajosas...” (Marcelo Andrade -nov.2002)
  19. 19. “ O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia.” Fernando Pessoa
  20. 20. Cegonha negra à beira do Tejo
  21. 21. “ ... Pelo Tejo vai-se para o Mundo Para além do Tejo há a América E a fortuna daqueles que a encontram. Ninguém nunca pensou no que há para além Do rio da minha aldeia...” Do poema XX, O Guardador de Rebanhos
  22. 22. Fernando Pessoa nos conta do famosíssimo rio de sua aldeia, e, na Ode Marítima retrata alguns aflitos sentados nas pedras do cais — um cais sobre o Tejo — e suas angústias. Ainda na Ode Marítima este registro: “ Era na velha casa sossegada ao pé do rio.  (As janelas do meu quarto, e as da casa-de-jantar também,   davam, por sobre umas casas baixas, para o rio próximo,   para o Tejo, este mesmo Tejo, mas noutro ponto, mais abaixo.  Se eu agora chegasse às mesmas janelas não chegava às mesmas janelas.  Aquele tempo passou como o fumo dum vapor no mar alto...)
  23. 23. “ ...Eu não tenho filosofia; tenho sentidos... Se falo na Natureza não é porque saiba o que ela é, Mas porque a amo, e amo-a por isso Porque quem ama nunca sabe o que ama Nem sabe por que ama, nem o que é amar... Amar é a eterna inocência, E a única inocência não pensar...” (Alberto Caeiro em o Guardador de Rebanhos)
  24. 24. “ ...Eu gostava muito de chegar à aldeia, tirar os sapatos e entrar no rio, pisar o lodo e os resíduos duros... É o que todo mundo fazia, todos vivíamos assim então...” (José Saramago)
  25. 25. São estas as famosas camarinhas que deram o nome a Marinhais
  26. 26. “ ...Ah, que prazer, ver o rio correr sem pressa, Sentir do azul do céu a liberdade que espreita, Em todo o seu esplendor, com que arremessa O azul cristalino e subtil, que na água se deita...” (Jorge Humberto 17/08/07)
  27. 27. "O Rio Tejo é lindo visto assim, ao longe, e a gritar: Adeus, não afastem os vossos olhos de mim!"
  28. 28. “ ...De Yemanjá serás somado brio Correrás para o mar sempre escoltado Dos Zéfiros d’Eolo comandados...” (Eugênio de Sá)
  29. 29. “ Amigo, maior que o pensamento por essa estrada , amigo vem, por essa estrada amigo vem. Não percas tempo que o vento, Trás outro amigo, também . . . Até sempre!” (Zeca Afonso – cantor e compositor português (fev.1987-fev2007) F i m

×