Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Autoridade do fruto do espirito

4,439 views

Published on

  • Be the first to comment

Autoridade do fruto do espirito

  1. 1. Sl 1.1-3Gl 5.16,22-25
  2. 2.  Frutificar é papel de todo o cristão, porque é um resultado natural de uma vida que está unida a Cristo Jo 15.5 Lembramo-nos de que, sem Cristo e o Espirito Santo (Gl 4.6) nada podemos fazer. Jesus é a videira, que é cuidada por Deus- Pai que é o lavrador, seus discípulos são as varas limpas As varas que não produzem frutos dignos de arrependimento (Mt 3.8), porque não o fazem por Deus, nem para Ele, mas para si mesmo (Mt 7.15-21)
  3. 3.  Vem do Espirito SantoO processo de frutificação depende de uma vida emplenitude com o Espirito Santo. Andando com Ele( Gl5.16) e sendo guiado por Ele (5.18) Tais atitudes retratam o comportamento esperado por Deus, pois estão vivendo sob suas orientações, alcançando a santificação (I Pe 4.2)
  4. 4.  Gl 5. 16-18, retratam um contraste entre a obra da carne e a obra do Espirito (Aqui não há uma certeza de que se trata do Espirito Santo ou espirito humano) na vida do cristão. A carne é a propensão que tem o ser humano de se inclinar para a prática pecaminosa, devido a investida de Satanás no Éden e que faz hodiernamente. É uma luta constante entre a carne e o Espirito. Contudo, somos impulsionados pelo Espirito Santo a frutificar. (Fp 1. 11)
  5. 5.  “Fruto está no singular (embora existam frutos do Espirito), provavelmente por causa das qualidades morais alistadas aqui, e que se espera que o Espirito Santo implante no crente, como se tudo fosse uma única notável virtude, implantada de uma vez só. Todos os seus aspectos são apenas partes integrantes de um único desenvolvimento espiritual. Perfazem o fruto do Espirito – por serem encarados como produção sua, como procedentes de sua pessoa, como algo divinamente produzido, e não apenas como qualidades morais”. (R.N. Champlim)
  6. 6. trazer a palavra fruto no singular, Apesar de Gl 5ss temos em outros trechos da Bíblia a mesma palavra no plural : Os frutos do arrependimento (Mt. 3.8) Os frutos bons são as boas obras (Fp 1.11) Os frutos do evangelho são os próprios homens quando se convertem ao Senhor ( Cl 1.6, Rm 1.13) Os santos são frutos recolhidos ( Jo 4.36) e produzem frutos de justiça (Mt 7.18)
  7. 7.  Então qual a diferença de fruto para frutos? Ao lermos fruto Gl 5ss , entende-se como uma única ação do Espirito Santo na vida do cristão, e nós em cooperação com Ele. Já os frutos, seria uma reação do cristão, por ter sido enxertado na videira, ter recebido o fruto do Espirito, à um ato de reação, gratidão e obediência a palavra, decide produzir frutos (obras), trabalhar para Deus, frutificar Mt 7.18.
  8. 8.  Os dons do Espirito são doados por Deus , ao cristão para o uso da igreja. O fruto é produzido, gerado pelo Espirito com a cooperação do cristão, quando esse se entrega à sua vontade. Esse processo é lento, gradual e progressivo. Talento é aptidão, habilidade, dotes que alguém possui.
  9. 9.  Decisão pela vida santa (Hb 12.14.)A santificação é imprescindível para a frutificação.No Antigo Testamento Deus exigia santidade do povo(Lv 20.7). Hoje demanda-a de nós (I Pe 1.2)
  10. 10.  Vida devocional ativa Jejum – No AT o povo jejuava por várias razões:a) Para honrar ocasiões especiais (Jl 2.15; Jr 36.9b) Pedir livramento de Deus (Zc 8.19)c) Demostrar o lamento e o arrependimento pela desobediência contra o Senhor ((JZ 20.26; I Sm 7.6)d) Expressar humildade diante de Deus (Lv 16.29; Sl 69.10)e) Buscar a direção do Senhor ( Ex 34. 28; II Cr 20.3,4)
  11. 11.  Jejum no NT, acerca da devoção pessoal, Jesus disse que em determinadas situações, havendo problemas e dificuldades, só poderiam ser eliminadas com jejum e oração (Mt 6.16-18).
  12. 12.  OraçãoOrar é falar com Deus, na oração o cristão deve exportudo o que está sentindo, tudo o que está em seucoração, de forma sincera e verdadeira para Deus (Ef6.18; Mc 11.25)Lembrando que a oração não um monólogo e sim umdiálogo, então além de nos expressarmos perante Deus,precisamos ouvi-lo. Como exemplo temos Jesus. ( Mc1.41; 6.34; Lc 22.42)
  13. 13.  Estudo BíblicoUm dos requisitos para uma vida devocional ativa é ameditação na palavra, pois é imprescindível àfrutificação.(Sl 1.2), implica em pensar profundamentesobre o texto, estudar (Pv 15.28).A palavra de Deus é o único remédio que combate aanemia espiritual. Todos que tem uma aliança com Deusprecisa meditar em sua lei divina (Js 1.8) e suas obras (Sl143.5)
  14. 14.  Obediência aos apelos do Espirito SantoPara o cristão frutificar e ter uma vida plena daautoridade espiritual, precisa entregar o controle de suavida a Jesus e permitir que o Espirito Santo assenhore-see governe o seu ser ( II Cr 15.15 ;Sl 40.8; 143.10). Ao agirassim imprimirá a marca de Cristo onde quer que estiver.(II Cr 15.7; Ef 5.19)
  15. 15.  O fruto do Espirito é a manifestação do poder e da autoridade em Seus filhos por meio da identificação de traços de Seu caráter virtuoso. Com isso cada cristão deve buscar intensamente a produção desse fruto, em sua várias manifestações, a saber:
  16. 16.  Amor (ou caridade)O amor é o solo onde são cultivadas todas as virtudesespirituais.É a principal virtude no fruto do Espirito (I Co 13.13). Para serverdadeira a espiritualidade, o cristão precisa ter esse amoraltruísta e inabalável que o Senhor tem pela humanidade. ( Jo3.16; 15.13) Esse amor autossacrificial, expresso por Deus através de Seu Filho, pode ser produzido pelo Espirito Santo em nosso interior. Este sentimento está na base de todos os outros frutos.
  17. 17.  Deus ama de maneira justa e santa. O amor do Pai é generoso, soberano e eterno. Esse amor tem a definição no grego de amor ágape, o qual se tornou palavra suprema para falar do amor de Deus. A princípio esse amor foi revelado para os judeus e depois a todos os gentios.
  18. 18.  Alegria ou gozo (Gr chara)Trata-se de felicidade no Espirito.Significa regozijo e satisfação, os quais são motivadospela presença viva de Jesus. O cristão não pode perdertempo com infinitas reclamações, queixas. Aqueles queestão alicerçados na palavra demonstra prazer em tercomunhão com Deus. Tem satisfação em cumprir suavontade (Fp 4.4 ; At 13.50-52). A alegria está ligado a certeza do perdão dos pecados (At8.7,8)
  19. 19.  A comunhão que se estabelece com Deus (Jo 15.4,11) A permanência concreta de Cristo dentro de nós (Jo 15.10,11) A esperança do retorno do nosso Senhor (I Pe 1.8,9)
  20. 20.  Paz (Gr eirene)significa concórdia, harmonia, reconciliação (Jo 14.25-27;16.32; Rm 15.13). Este gomo do fruto denota a paz nãoterrena, em meio as situações de conflito, o cristãoconsegue estar em paz.Além de ter esta paz precisamos promove-la (Mt 5.9; I Ts5.13). Somos um povo reconciliados com Deus epacificadores. Pois foi por meio da instrumentalidade dacruz que Deus estabeleceu a paz ( Cl 2.10)
  21. 21.  Quando a igreja cumpre sua missão evangelizadora, a mesma promove a paz a este mundo, pois em Cristo Deus reconcilia o mundo para consigo. (I Co 5.17; Cl 1.20). Perdoando seus pecados (Rm 12.18)
  22. 22.  Longanimidade (Gr makrothymia)“Significa a capacidade de manter o ânimo, ser paciente.Nisso se manifesta o amor de Deus, como também a suabondade e gentileza. Os homens cometem pecados,falhas, provocam desordens, mas Deus se mostralongânimo entre tais coisas, aplicando sua misericórdia”.(R.N. Champlim)
  23. 23.  E nós? Em relação as promessas divinas, é necessária a fé que o cristão tem em Deus (I Tm 4.7; Hb 11.1) Em relação aos irmãos e as demais pessoas disposição para perdoar (Cl 1.11; Rm 5.3; Tg 1.3,4)
  24. 24.  Benignidade (Gr crestotês)Traz a ideia de gentileza, amorosidade, carinho. Essetermo no grego também indica excelência de caráter,honestidade. Os cristãos precisam ser graciosos,desejosos em ajudar, nunca rudes ou grosseiros para comseu semelhante, não se mostrando inflexíveis eexigentes. Doçura de temperamento principalmente para com os inferiores.
  25. 25.  Bondade ( Gr aghathosune)O uso que Paulo faz desse termo nos trechos de Rm 15.14e II Ts 1.11, mostra-nos que o sentido geral por ele dado àpalavra, é bondade em ação, motivado pelo amor (Ef 5.9)
  26. 26.  Fé ou fidelidade (Gr pistis)Significa também confiança, ambas procedem doEspirito de Deus (Mt 10.28-30). Sem fé o testemunhocristão carece de eficácia (Mt 8.26; 17. 19,20). Nasescrituras Deus deixa claro que Nele nós podemosconfiar plenamente, em resposta seu povo deve ter féabsoluta nas promessas divinas ( Nm 23.19; Is 55.11)
  27. 27.  Mansidão (Gr prautes)Significa placidez, modéstia, cortesia, é a capacidade dese comportar com tranquilidade à uma situação deviolência, agressão, afronta, não retribuindo com amesma violência, mas tendo uma resposta mansa(Gn 6. 1; I Pe 3.15)
  28. 28.  Domínio próprio (Gregkrateia)Significa autocontrole. Na passagem de I Co 7.9 essapalavra é usada em relação ao controle do impulsosexual, mas em I Co 9.25, refere-se a toda forma deautocontrole e autodisciplina que um atleta precisaexercer para ser bem sucedido em suas tentativas deobter a coroa da vitória.
  29. 29. À medida em que as virtudes do fruto do Espirito sãomanifestadas em nós, através do fruto ou da ação doEspirito Santo, Deus nos concede o poder de reagirrealizando a sua obra com honra (II Co 1.12; Rm 11.36;16.27).O fruto do Espirito representa um ideal para o crenteseguir, uma proposta perfeita de como devemos andar.Frutificar espiritualmente é em resumo comportar-sesegundo a diretriz do Espirito Santo. Por isso quando avida do cristão está de acordo com os desígnios deDeus, o mesmo está pronto para frutificar.

×