Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Trabalho de análise e projeto 2

918 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Trabalho de análise e projeto 2

  1. 1. COLÉGIO ESTADUAL ANDRÉ SEUGLING ENSINO FUNDAMENTAL MÉDIO E PROFISSIONAL CURSO TÉCNICO EM INFORMÁTICA MEIRE DOS SANTOS AGUIAR DIAGRAMAS DA ANÁLISE DE PROJETO CORNÉLIO PROCÓPIO 2012
  2. 2. MEIRE DOS SANTOS AGUIARDIAGRAMAS DA ANÁLISE DE PROJETO Trabalho apresentado no Curso Profissionalizante do Colégio Estadual André Seugling, Curso de Técnico em Informática, como requisito parcial para a aprovação na disciplina Análise e Projeto, sob orientação da Professora Érica Costa. CORNÉLIO PROCÓPIO 2012
  3. 3. INTRODUÇÃO Este trabalho reúne algumas definições, características e funcionalidades dosdiagramas de fluxo de dados, caso de uso, de classe, de pacotes, de interação queengloba os diagramas de sequência e colaboração, de estado e de atividade.
  4. 4. DiagramasDiagrama de fluxo de Dados O DFD é uma ferramenta que nos permite imaginar um sistema como umarede de processos funcionais, interligados por “dutos” e “tanques dearmazenamento” de dados. Também pode ser chamado de:• Diagrama de bolhas;• DFD (abreviatura que utilizaremos);• Modelo de Processo;• Diagrama de fluxo e trabalho;• Modelo funcional;• “uma representação do que está acontecendo por aqui”.Características dos DFD: Gráficos Particionados Multidimensionais Realçam fluxos de dados Não realçam fluxos de controloElementos do DFD: Fluxos de dados Processos Arquivos Fontes e destinos de dadosObjetivo da Diagramação de fluxos de dados: Configurar quais são os primitivos funcionais do nosso sistema e como seInter-relacionam.
  5. 5. Funcionalidades Cadastro de Produto;Cadastro de Movimento;Cadastro de TipoMovimento;Relatórios de Produtos por Ordem Alfabética;Relatório de Tipo de Movimentos por OrdemAlfabética; Relatório de Movimento agrupado por data por Ordem Crescente;Relatório deMovimentoagrupado por Tipo de Movimento;Relatório de Produtos que estão abaixo doEstoque Mínimo.Exemplo:
  6. 6. Diagrama de Caso de Uso É uma forma do engenheiro de especificar requisitos dos limites e dasfuncionalidades do sistema.• Permite:– Que clientes e usuários validem o sistema;– Que os desenvolvedores construam o que é esperado.• Componentes:– Atores;– Casos de Uso.• Atores são papéis de elementos externos ao sistema e que interagem diretamentecom o sistema.• Exemplo de atores:– Cliente;– Secretária;– Sistema de Vendas (desde que não seja o sistema em desenvolvimento);– Glicosímetro (conectado ao computador por um cabo).• Casos de Uso são funcionalidades que o sistema realiza e que fornece umbenefício a um ator específico;• Características:– Sempre iniciados por um ator;– Sempre retornam um resultado ao ator;– Especifica uma funcionalidade completa.
  7. 7. Exemplo:Diagrama de Classes É uma estrutura lógica estática em uma superfície de duas dimensõesmostrando uma coleção de elementos declarativos de modelo, como classes, tipos eseus respectivos conteúdos e relações. [Furlan, 1998] O diagrama de classes representa a estrutura do sistema, recorrendo aoconceito de classe e suas relações. O modelo de classes resulta de um processo deabstração onde são identificados os objetos relevantes do sistema em estudo. Umobjeto é uma ocorrência que tem interesse para o sistema em estudo e que sepretende descrever no seu ambiente, contendo identidade e comportamento. Ocomportamento de um objeto define o modo como ele age e reage a estímulosexternos e a identidade de um objeto é um atributo que o distingue de todos osdemais, sendo preservada quando o seu estado muda. Um objeto não é mais doque uma instância da classe. Os objetos de modelação contemplados por este diagrama são:Classe: é a representação de um conjunto de objetos que partilham os mesmosatributos e comportamentos;Relação: representa a ligação entre classes.Objetivo dos diagramas de classes:
  8. 8. •Um diagrama de classes serve para modelar o vocabulário de um sistema, doponto de vista do utilizador/problema ou do implementador/solução. - Ponto de vista do utilizador/problema – na fase de captura e análise derequisitos, em paralelo com a identificação dos casos de utilização. - Vocabulário do implementador/solução – na fase de projeto (design).• Construído e refinado ao longo das várias fases do desenvolvimento do software,por analistas, projetistas (designers) e implementadores.•Também serve para: - Especificar colaborações (no âmbito de um caso de utilização ou mecanismo). - Especificar esquemas lógicos de bases de dados. - Especificar vistas (estrutura de dados de formulários, relatórios, etc.).•Modelos de objectos de domínio, negócio, análise e desig.Exemplo:
  9. 9. Diagrama de PacotesPacotes•São utilizados para agrupar elementos e fornecer denominações para essesgrupos.•Um pacote pode representar um sistema, um subsistema, uma biblioteca, entreoutras alternativas.•Pode conter outros pacotes.Pacotes normalmente contém dependência entre si. Um relacionamento de dependência informa que o elemento dependentenecessita de alguma forma do elemento do qual depende.Visibilidade do Pacote:* Privado - Só o pacote que define determinadas classes tem acesso a elas.* Protegido - Só os pacotes gerados a partir do pacote podem acessar suas classes.* Público - O conteúdo do pacote pode ser acessado por outros elementos.* Implementação - Idêntico a definição do pacote privado com algumas restrições. Sua finalidade é tratar a modelagem estrutural do sistema dividindo o modeloem divisõeslógicas e descrevendo as interações entre ele em alto nível. São usados para agrupar classes. Os pacotes são descritos como uma forma de agrupar casos de uso. Noentanto, essa mesma seção deixa claro que um pacote é um mecanismo deagrupamento geral que pode ser utilizado para agrupar vários artefatos de ummodelo(não só casos de uso). Descreve como os elementos do modelo estão organizados em pacotes edemonstra as dependências entre eles.
  10. 10. Pode ser utilizado ainda para representar um conjunto de subsistemasintegrados (representados por pacotes) ou ainda os módulos englobados por umsistema.Quando usar:„ - Ao término da análise do subsistema de caso de uso.„ - Ao término de um módulo.„ - Para sistemas grandes, talvezgrandes áreas, ou talvez você tenha optado porsubdividir um grande módulo em outros pequenos.Exemplo:Diagrama de Interação Diagramas de Interação são modelos que descrevem como grupo de objetoscolaboram em um determinado comportamento. Um diagrama de interação captura o comportamento entre objetos dentro deum único use case. Utiliza-se o diagrama de atividade para representar o comportamento deobjetos entre vários use cases.Tipos:Diagrama de Sequência e Diagrama de Colaboração.
  11. 11. Diagrama de Sequência Consiste em um diagrama que tem o objetivo de mostrar como as mensagensentre os objetos são trocadas no decorrer do tempo para a realização de umaoperação.Em um diagrama de sequência, os seguintes elementos podem ser encontrados: Linhas verticais representando o tempo de vida de um objeto (lifeline); Estas linhas verticais são preenchidas por barras verticais que indicam exatamente quando um objeto passou a existir. Quando um objeto desaparece, existe um "X" na parte inferior da barra; Linhas horizontais ou diagonais representando mensagens trocadas entre objetos. Estas linhas são acompanhadas de um rótulo que contém o nome da mensagem e, opcionalmente, os parâmetros da mesma. Observe que também podem existir mensagens enviadas para o mesmo objeto, representando uma iteração; Uma condição é representada por uma mensagem cujo rótulo é envolvido por colchetes; Mensagens de retorno são representadas por linhas horizontais tracejadas. Este tipo de mensagem não é frequentemente representada nos diagramas, muitas vezes porque sua utilização leva a um grande número de setas no diagrama, atrapalhando o entendimento do mesmo. Este tipo de mensagem só deve ser mostrada quando for fundamental para a clareza do diagrama.Exemplo:
  12. 12. Diagrama de Colaboração A grande diferença entre um diagrama de colaboração e um de sequênciaconsiste no fato de que o tempo não é mais representado por linhas verticais, massim através de uma numeração, que pode ser de duas formas: simples (1,2,3,...) composta (1.1, 1.2, 1.2.1, ...) Um objeto é representado como um retângulo, contendo no seu interior umrótulo, que informa o nome do objeto e o nome da classe, separados por doispontos. Detalhe: ambos podem ser omitidos. A troca de mensagens entre os objetos segue o mesmo padrão que oapresentado nos diagramas de sequência.Exemplo:
  13. 13. Diagrama de EstadoDefinição Trata-se de um complemento para a descrição das classes, documentando osestados possíveis que objetos de uma certa classe podem assumir, além demostrar ainda os eventos do sistema que geram tais mudanças. Os diagramas de estado não são escritos para todas as classes de umsistema, mas apenas para aquelas que possuem um número definidode estadosconhecidos e onde o comportamento das classes é afetado e modificado pelosdiferentes estados. Através da análise da mudança de estados dos tipos de objetos de umsistema, podemosprever todos os possíveis comportamentos de um objeto deacordo com os eventos que o mesmo possa sofrer. Diagramas de estado capturam o ciclo de vida dos objetos, subsistemas esistemas. Eles mostram os estados que um objeto pode possuir e como os eventos(mensagens recebidas, timer, erros, e condições sendo satisfeitas) afetam estesestados ao passar do tempo.
  14. 14. Todos os objetos possuemum estado que significa o resultado de atividadesexecutadas pelo objeto, e é normalmente determinada pelos valores de seusatributos e ligações com outros objetos. Um objeto muda de estado quando acontece algo, o fato de acontecer algumacoisa com o objeto é chamado de evento. Os objetos de uma classehabitualmente possuem um ciclo de vida: sãogerados, assumem posições durante a sua vida, dão origem a outros objetos emclasses relacionadas e deixam de existir no momento de sua destruição. Um diagrama de estado não capta – e não deve captar – todas as facetas ealgoritmos possíveis da classe. Se o diagrama de estado está se tornando uma “miscelânea” de estadosecondições, então muito provavelmente é necessário repensar sua classe. Devemos usar esse diagrama quando tivermos uma classe com mais de umatributo, que reflitam o estado de seus objetos em um determinado tempo, e queesses atributos mereçam ser modelados visando simplificar sua complexidade. Se o relacionamento de classes não está claro o suficiente em função doestado dos objetos, isso será uma pista de que deve usar este diagrama. Essapercepção é pessoal.Exemplo:
  15. 15. Diagrama de Atividades O diagramade atividades é um diagrama UML utilizado para modelar oaspectocomportamental de processos. É um dos diagramas que mais sofreumudanças em seu meta-modelo, desde seu surgimento no UML 1.0. Neste diagrama, uma atividade é modelada como uma sequência estruturadade ações, controladas potencialmente por nós de decisão e sincronismo. Em seuaspecto mais simples, um diagrama de atividades pode ser confundido com umfluxograma. Entretanto, ao contrário de fluxogramas, os diagramas de atividades UMLsuportam diversos Outros recursos, tais como as partições e os nós do tipo fork e merge, alémda definição de regiões de interrupção, que permitem uma modelagem bem maisrica do que simplesmente um fluxograma. O objetivo do diagrama de atividades é mostrar o fluxo de atividades em umúnico processo. O diagrama mostra como uma atividade depende uma da outra. Um diagrama de atividade pode ser regiões denominadasswimlanes. Estasregiões e são associadas a um objeto do modelo. Desta forma, dentro de cadaregião, encontram-se as atividades relativas ao objeto da região.As atividades são conectadas através de arcos (transições), que mostram asdependências entre elas.Exemplo:
  16. 16. CONCLUSÃO O tema diagramas da análise de projeto é muito extenso e envolve inúmerasinformações. A intenção do trabalho é dar uma visão geral ou talvez até superficialdo mesmo.
  17. 17. REFERÊNCIAShttp://www.apibrasil.com.br/esof/aula6.pdfhttp://www.reocities.comhttp://www.si.lopesgazzani.com.br/TFC/monografias/TRABALHO_FINAL_CURSO-final1.pdfhttp://www.macoratti.net/vb_dfd1.htmhttp://www.dmo.fee.unicamp.br/~henrique/cursoc++/diagrama.pdfhttp://celodemelo.wordpress.com/category/uml/http://julianoribeiro.com.br/blog/tag/diagrama-de-classes/http://joaomorais.com.br/jm/uploads/Links/uml.pdfhttp://twiki.fe.up.pt/pub/ASI1LCI0506/Asi1Documentos0506/UML-classes-redux.pdfhttp://www.dai.ifma.edu.brhttp://techblog.desenvolvedores.net/2011/06/29/diagrama-de-pacote-uml/http://www.deinf.ufma.brhttp://subversion.assembla.comhttp://www.dsc.ufcg.edu.brhttp://www.deinf.ufma.brhttp://www.wthreex.comhttp://www.dca.fee.unicamp.brhttp://www.selectgame.com.br

×