Successfully reported this slideshow.

Museologia - Marcos Referenciais

1,781 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

Museologia - Marcos Referenciais

  1. 1. MARCOS REFERENCIAISBruna Clarice Daniel Danielle Elis Lisiane Rodrigo Taliana
  2. 2. Apresentar alguns referenciaishistóricos da formação da disciplinaMuseologia através de CINCO marcos, nocontexto internacional e nacional: ICOFOM – Comitê Internacional de Museologia do ICOM; Momentos referenciais do ICOM e do ICOFOM; Documentos referenciais do ICOM; Nova Museologia; Museologia Brasileira e a pesquisa.
  3. 3. Segundo Peter van Mensch, temosalgumas tendências para objeto deestudo da Museologia:1) Quem é ele?Professor do Departamento deMuseologia da Reinwardt Academy,Amsterdã, Holanda;Ex-Presidente do Comitê Internacionalde Museologia (ICOFOM) e do ConselhoInternacional de Museus (ICOM), daUnesco.
  4. 4. Algumas definições deobjeto da museologia: “[...] uma abordagem específica do homem frente à realidade cuja expressão é o fato de que ele seleciona alguns objtos originais da realidade, insere-o numa nova realidade para que seja preservados, a despeito do caráter mutáel inerente a todoobjeto e da usa inevtável decadência, e faz uso deles de uma nova maneira, de acordo com suas próprias necessidades.” Z. Z. Stránsky
  5. 5. Algumas definições deobjeto da museologia: “a relação profunda entre o homem, sujeito que conhece, e o objeto, parte da realidade àqual o homem pertence e sobre a qual tem poder de agir”. Waldisa Russio
  6. 6. Criação do ICOMConselho Internacional de Museus
  7. 7. Criação oficial do ICOFOM/ICOM
  8. 8. Instalação do ICOFOM
  9. 9. 1984 Oaxaca e Quebec Declarações de Oaxaca e Quebec 1992 CaracasDeclaração de Caracas 1958 Rio de Janeiro Seminário Internacional de 1972 Museus Regionais Santiago do Chile Mesa Redonda de Santiago do Chile
  10. 10. Teóricos desse movimento museológico no BrasilHeloisa Barbuy: Especializada em Museologia pela FundaçãoEscola de Sociologia e Política com estágios em museusfranceses.Heloísa Costa: Pesquisadora nas áreas de História,Museologia, Gestão de Cidades Históricas e Estratégias dePreservação do Patrimônio Cultural.Maria Célia Teixeira Moura Santos: Tem experiência na áreade Museologia, com ênfase em Gestão e Organização de Museu.Maria Cristina Oliveira Bruno: experiência na área deMuseologia, com ênfase para Projetos de ComunicaçãoMuseológica; arqueologia.Maria de Lourdes Parreiras Horta: Graduada em Museologiapela atual Escola de Museologia da UNIRIO.
  11. 11. Teóricos desse movimento museológico no BrasilMaurício Segall: ex-preso político. Museólogo, dirige oMuseu Lasar Segall.Odalice Priost: Museóloga voluntária e de atuação importanteno Ecomuseu do Quarteirão Cultural do Matadouro de SantaCruz.Tereza Scheiner: Tem experiência na área de Museologia, comênfase em Teoria da Museologia.Ulpiano Toledo Bezerra de Meneses: Dirigiu o MuseuPaulista/USP, organizou o Museu de Arqueologia eEtnologia/USP e o dirigiu.Manuelina Maria Duarte Cândido: Historiadora e Especialistaem Museologia
  12. 12. Destaque: Waldisa RussioCamargo Guarnieri Três definições do fato museal: A. relação o Homem e o Objeto (1980); B. relação Homem e o Objeto à qual o Homem pertence e tem poder de agir (1981); C. e a sua relação com o museu.(1987/1989/1990)
  13. 13. HOMEM OBJETO Há interação de sentidos, emissor e receptor sujeitos produtores de significados e imersos em (re)significações.. CENÁRIO Segundo a autora, museu é o registro datrajetória do Homem sobre a Terra onde se tem objetos utilitários usados com a preocupação funcional e não estética.
  14. 14. Fato Museológico e a NovaMuseologia Fato Museológico: seu significado está na sociedade, consiste em uma rede de informações em que se tem um valor simbólico sobre usos e trocas. Nova museologia: apropriação do patrimônio cultural; mudou-se o foco que agora é a análise do museu para o cotidiano. Pessoas que são mediadoras para a significação do patrimônio.
  15. 15. “A pesquisa em museologia é a produção de conhecimento museológico a partir do fato museal”. (Cury, 2005)
  16. 16. Por meio de uma realidadeempíricaConhecer os diversos usos que opúblico faz do museu;Entender como ocorre o encontroentre o público e opatrimônio musealizado;Como o museu pode aproximar ouafastar as pessoas da vidacultural a partir da culturamaterial.
  17. 17. Aspectos relevantes da pesquisateórica em museologia com basesempíricasDiferenciação de pesquisar na e pesquisar a;Necessidade de relacionar as diversasáreas que envolvem o conhecimentomuseológico de forma conjunta. “O processo de investigação amplia as possibilidades de comunicação do bem cultural e dá sentido á preservação.” (Chagas, 2001 apud Cury, 2005)
  18. 18. MARÍLIA Museóloga. Possui graduação em Licenciatura em Educação Artística pela Faculdade deXAVIER Belas Artes de São Paulo (1982), especialização em MuseologiaCURY (1985), mestrado (1999) e doutorado (2005) em Ciências da Comunicação pela Universidade de São Paulo. Tem experiência na área de Museologia, com ênfase nos seguintes temas: comunicação museológica, expografia, estudos receptivos e avaliação museológica, educação patrimonial e em museus e público de museu.CURY, Marília Xavier . Museologia : MarcosReferenciais. Cadernos do CEOM (UNOESC), Chapecó,n. 21, p. 45-73, 2005.

×