Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Método Aberto: Apresentação #1

10,556 views

Published on

Introdução ao Método Aberto - MD3E - que trata a metodologia projetual do design com uma visão multidisciplinar. Apresentada por Flávio Anthero Nunes Vianna dos Santos em sua tese de doutorado: "MD3E (MÉTODO DE DESDOBRAMENTO EM 3 ETAPAS): UMA
PROPOSTA DE MÉTODO ABERTO DE PROJETO PARA USO NO
ENSINO DE DESIGN INDUSTRIAL".

Published in: Education, Technology, Business

Método Aberto: Apresentação #1

  1. 1. Computa ção Gráfica III Metodologias: compara ção Prof. Márcio A. Fernandes Duarte Design Gráfico - UNIVEM / 2010
  2. 2. Texto base <ul><li>SANTOS, Flávio Anthero Nunes Vianna dos. MD3E (Método de Desdobramento em 3 Etapas): Uma Proposta de Método Aberto de Projeto para Uso no Ensino de Design Industrial. Tese de doutorado – PPGEP-UFSC. Florianópolis, SC, 2005. </li></ul>
  3. 3. Metodologia <ul><li>Conceitua-se como método fechado aquele método de projeto que apresenta uma estrutura pré-determinada de atividades a serem executadas, com início, meio e final pré-estabelecidos. </li></ul><ul><li>Esses métodos fechados podem sofrer alterações, mas também podem ser aplicados exatamente como se apresentam, configurando-se em um modelo pronto para ser utilizado. </li></ul>
  4. 4. Metodologia: Baxter (1998) <ul><li>visão de negócio, inovação, investimento, gestão e planejamento estratégico do design; </li></ul><ul><li>Pontos positivos: </li></ul><ul><ul><li>Abordagem estrat ég i ca; </li></ul></ul><ul><ul><li>Rela çã o com investimento; </li></ul></ul><ul><ul><li>Baseado em experi ên c ias de mercado; </li></ul></ul><ul><ul><li>Destaque para as tomadas de deci são . </li></ul></ul><ul><li>Pontos negativos: </li></ul><ul><ul><li>Maior dificuldade para iniciantes; </li></ul></ul><ul><ul><li>Etapa de concep çã o pouco detalhada; </li></ul></ul><ul><ul><li>N ão aborda a ergonomia; </li></ul></ul><ul><ul><li>M ét odo fechado. </li></ul></ul>
  5. 5. Metodologia: Baxter (1998)
  6. 6. Metodologia: Munari (2002) <ul><li>visão mais voltada ao processo criativo; </li></ul><ul><li>Pontos positivos: </li></ul><ul><ul><li>Adequado para iniciantes; </li></ul></ul><ul><ul><li>Linguagem de fácil entendimento. </li></ul></ul><ul><li>Pontos negativos: </li></ul><ul><ul><li>Estrutura superficial e incompleta; </li></ul></ul><ul><ul><li>Não aborda mercado, gestão, ergonomia e estratégia; </li></ul></ul><ul><ul><li>Representação gráfica inadequada; </li></ul></ul><ul><ul><li>Método fechado. </li></ul></ul>
  7. 7. Metodologia: Munari (2002)
  8. 8. Metodologia: Pugh (2002) <ul><li>visão de mercado, projeto integrado e interdisciplinar; </li></ul><ul><li>Pontos positivos: </li></ul><ul><ul><li>Valorização do mercado; </li></ul></ul><ul><ul><li>Relação entre as etapas. </li></ul></ul><ul><li>Pontos negativos: </li></ul><ul><ul><li>Etapa de concepção pouco detalhada; </li></ul></ul><ul><ul><li>Não aborda a ergonomia; </li></ul></ul><ul><ul><li>Pouco detalhado; </li></ul></ul><ul><ul><li>Método fechado. </li></ul></ul>
  9. 9. Metodologia: Pugh (2002)
  10. 10. Metodologia: Bonsipe (1984) <ul><li>enfoque mais científico (sistêmico), com ênfase na problematização e pesquisa; </li></ul><ul><li>Ponto positivo: </li></ul><ul><ul><li>Valorização da análise e problematização; </li></ul></ul><ul><li>Pontos negativos: </li></ul><ul><ul><li>Deve ser usado apenas como método auxiliar; </li></ul></ul><ul><ul><li>Não aborda mercado, ergonomia, gestão e estratégia; </li></ul></ul><ul><ul><li>Exclui várias etapas do projeto; </li></ul></ul><ul><ul><li>Pouco detalhado; </li></ul></ul><ul><ul><li>Método fechado. </li></ul></ul>
  11. 11. Metodologia: Bonsipe (1984)
  12. 12. Metodologia: Moraes e Mont´Alvão (1998) <ul><li>enfoque ergonômico e cognitivo do processo de design; </li></ul><ul><li>Ponto positivo: </li></ul><ul><ul><li>Detalhamento da questão ergonômica. </li></ul></ul><ul><li>Pontos negativos: </li></ul><ul><ul><li>Não aborda questões de mercado, gestão, estratégia; </li></ul></ul><ul><ul><li>Método fechado. </li></ul></ul>
  13. 13. Metodologia: Moraes e Mont´Alvão (1998)
  14. 14. Metodologia: Pahl e Beitz (1996) <ul><li>abordagem mais técnica, vinculada às características de projeto de produtos na área de engenharia; </li></ul><ul><li>Pontos positivos: </li></ul><ul><ul><li>Detalhamento da fase de concepção; </li></ul></ul><ul><ul><li>Representação dos fluxos de projeto. </li></ul></ul><ul><li>Pontos negativos: </li></ul><ul><ul><li>Não aborda mercado, gestão e estratégia; </li></ul></ul><ul><ul><li>Método fechado. </li></ul></ul>
  15. 15. Metodologia: Pahl e Beitz (1996)
  16. 16. Metodologia: Meister (1985) <ul><li>abordagem mais abrangente, envolvendo o projeto do sistema. </li></ul><ul><li>Ponto positivo: </li></ul><ul><ul><li>Enfoque ampliado do produto para o sistema; </li></ul></ul><ul><li>Pontos negativos: </li></ul><ul><ul><li>Não aborda mercado, gestão e estratégia; </li></ul></ul><ul><ul><li>Pouco detalhamento do processo; </li></ul></ul><ul><ul><li>Método fechado. </li></ul></ul>
  17. 17. Metodologia: Meister (1985)
  18. 18. M étodo Aberto <ul><li>Incentivar a interferência do aluno na estrutura do método como forma de desenvolver as competências e habilidades definidas nas Diretrizes Curriculares Nacionais; </li></ul><ul><li>Fornecer uma base sobre a qual o aluno poderá construir o conhecimento com o acompanhamento do professor orientador ao invés de ser um modelo pronto, pré-estabelecido, de como um projeto de produto ocorre; </li></ul><ul><li>Incentivar no aluno uma postura pro ativa, crítica e reflexiva com relação à atividade de projeto; </li></ul><ul><li>Permitir o uso conjunto com outros métodos que tragam ênfases específicas facilitando a atividade interdisciplinar de projeto; </li></ul><ul><li>Utilizar uma representação gráfica mais adequada do que os fluxogramas e que permita uma percepção global do projeto e dos seus variados fluxos de atividades. </li></ul>
  19. 19. M é todo Aberto <ul><li>Ao contrário do método fechado, a proposta de método aberto precisa da interação constante do aluno e do professor para poder ser aplicada. Ou seja, o método é planejado para sofrer interferências em sua estrutura e apenas funcionará a contento se isso acontecer. </li></ul>
  20. 20. M étodo MD3E <ul><li>O importante é que o projeto siga uma seqüência lógica e coerente, não necessariamente linear e seqüencial. Ou seja, algumas atividades devem ser feitas antes de outras e uma eventual inversão dessa seqüência pode gerar resultados indesejados. </li></ul>
  21. 21. Estrutura radial do M étodo Aberto
  22. 22. Etapa central
  23. 23. Tr ês etapas básicas
  24. 24. Gerenciamento e Documenta ção do Projeto
  25. 25. Desdobramentos m ínimos obrigatórios
  26. 26. Desdobramento auxiliares

×