Aula 1 - Soc Ecn 2009

59,134 views

Published on

1 Comment
3 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
59,134
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
54,386
Actions
Shares
0
Downloads
148
Comments
1
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aula 1 - Soc Ecn 2009

  1. 1. Sociologia Econômica: Ontem e hoje Curso de Mestrado Profissional em Administração – ESAG/UDESC Profs. Caroline Andion e Mauricio C. Serafim
  2. 2. Definições <ul><li>Estudo de fatos econômicos concebendo-os como fatos sociais (Steiner, 2006). </li></ul><ul><li>Aplicação da abordagem conceitual e metodológica da sociologia na investigação de fenômenos econômicos – mercados, empresas, sindicatos etc. (Swedberg, 2004; Smelser e Swedberg, 2005) </li></ul>
  3. 3. Definições <ul><li>Não é apenas o tratamento sociológico de variáveis econômicas. </li></ul><ul><li>É uma abordagem, ou uma perspectiva de análise. </li></ul><ul><li>“ Aplicação de estruturas de referência, variáveis, e modelos explicativos da sociologia a um complexo de atividades relacionadas à produção, distribuição, troca, e consumo de bens e serviços escassos (Smelser e Swedberg) </li></ul>
  4. 4. Fonte: Steiner (2006)
  5. 5. Objeto de pesquisa <ul><li>Fenômenos econômicos: dimensões da produção, distribuição, troca e consumo de bens e serviços escassos. </li></ul><ul><li>Podem ser de três tipos (Weber): </li></ul><ul><ul><li>fenômenos econômicos propriamente dito; </li></ul></ul><ul><ul><li>fenômenos economicamente condicionados; </li></ul></ul><ul><ul><li>fenômenos economicamente relevantes. </li></ul></ul>
  6. 6. Fenômenos econômicos <ul><li>fenômenos econômicos propriamente dito : setor econômico na sociedade. </li></ul><ul><li>fenômenos economicamente condicionados : como esses fenômenos influenciam a sociedade. </li></ul><ul><li>fenômenos economicamente relevantes : como fenômenos não econômicos podem influenciar algum fenômeno econômico. </li></ul>
  7. 7. Entre ontem e hoje <ul><li>Séc. XVIII: surge a economia como campo científico e institucionalização do mercado como sistema ordenador da sociedade. </li></ul><ul><li>Final do séc. XIX: crise da Economia Política e crescente institucionalização da teoria econômica marginalista (Carl Menger, Willian Jevons e Léon Walras). </li></ul>Adam Smith (1723-1790): publicou A Riqueza das Nações em 1776.
  8. 8. Entre ontem e hoje <ul><li>A Sociologia Econômica pode ser dividida em três fases: </li></ul><ul><ul><li>sociologia econômica clássica </li></ul></ul><ul><ul><li>sociologia econômica intermediária </li></ul></ul><ul><ul><li>nova sociologia econômica </li></ul></ul>
  9. 9. Sociologia econômica clássica <ul><li>Abrange as décadas 1890-1920. </li></ul><ul><li>Surge principalmente como reação aos pressupostos e à metodologia da teoria econômica marginalista, que utilizava um modelo de ciência abstrato formal (fundado na matemática). </li></ul><ul><li>Principais autores: </li></ul><ul><ul><li>Escola alemã: Max Weber (1864-1920), Georg Simmel (1858-1918), Werner Sombart (1863-1941), </li></ul></ul><ul><ul><li>Escola francesa: Émile Durkheim (1858-1917) </li></ul></ul><ul><ul><li>Itália: Vilfredo Pareto (1848-1923). </li></ul></ul><ul><ul><li>Estados Unidos: Thorstein Veblen (1857-1927). </li></ul></ul>
  10. 10. Sociologia econômica clássica <ul><li>Principal veio dessa tradição: a combinação da análise dos interesses econômicos com a análise das relações sociais. </li></ul><ul><li>Características dos pioneiros: </li></ul><ul><ul><li>Eram cientes de que estavam contribuindo para um novo campo de pesquisa e construindo um novo tipo de análise. </li></ul></ul><ul><ul><li>Enfoque foi sobre as questões fundamentais do campo: o papel da economia na sociedade, a análise e metodologia acerca da economia diferentemente daquela realizada pelos economistas, o que é uma ação econômica, e a preocupação em entender o capitalismo e seu impacto na sociedade . (Smelser e Swedberg). </li></ul></ul>
  11. 11. Sociologia econômica intermediária <ul><li>Abrange as décadas 1930-70. </li></ul><ul><li>Cisão entre Sociologia e Economia. </li></ul><ul><li>Surgimento da escola norte-americana de SE. </li></ul><ul><li>Principais autores: Joseph Schumpeter (1883-1950), Marcel Mauss (1872-1950), Karl Polanyi (1886-1964), Talcot Parsons (1902-79) e Neil J. Smelser (1930-). </li></ul>
  12. 12. Sociologia econômica intermediária <ul><li>Tais autores contribuíram com o desenvolvimento de temas fundamentais: </li></ul><ul><ul><li>Destruição criativa </li></ul></ul><ul><ul><li>Empreendedorismo </li></ul></ul><ul><ul><li>Imersão social ( embeddedness ) </li></ul></ul><ul><ul><li>Teses de abordagem funcionalistas como a que sociologia e economia podem ser entendidas como subsistemas de uma teoria geral dos sistemas sociais </li></ul></ul>
  13. 13. Sociologia econômica intermediária <ul><li>Teoria econômica: estudo do comportamento individual racional, do mercado e da moeda. </li></ul><ul><li>Sociologia: análise dos demais comportamentos (ex. formação de preferências) e compreensão dos motivos orientadores do comportamento econômico. </li></ul><ul><li>Exceção da cisão economia/sociologia: economia de inspiração marxista. </li></ul>
  14. 14. Sociologia econômica intermediária <ul><li>A sociologia se torna mais especializada: </li></ul><ul><ul><li>Sociologia do trabalho </li></ul></ul><ul><ul><li>Sociologia organizacional </li></ul></ul><ul><ul><li>Sociologia industrial </li></ul></ul><ul><ul><li>Sociologia do desenvolvimento </li></ul></ul>
  15. 15. Nova Sociologia Econômica <ul><li>Inicia-se a partir dos anos 1980. </li></ul><ul><li>Procura se diferenciar da SE intermediária (cisão soc/ecn, paradigma parsoniano e especialização da sociologia) e se aproxima dos clássicos. </li></ul><ul><li>Marco: ensaio teórico de Mark Granovetter, “Economic Action and Social Structure: The Problem of Embeddedness” (1985) </li></ul>
  16. 16. Nova Sociologia Econômica <ul><li>Critica a economia a partir do seu pressuposto de atores atomizados. </li></ul><ul><li>Considera as relações econômicas como um caso particular de relações sociais, que são socialmente construídas. </li></ul><ul><li>Retoma a idéia de imersão: natureza contingente da ação social em relação à cognição, cultura, estrutura social e instituições políticas </li></ul><ul><li>Análise de redes sociais como método principal. </li></ul><ul><li>Atores econômicos fazem parte de estruturas de interações e seus comportamentos econômicos estão imersos em redes de relações interpessoais. </li></ul>
  17. 17. Nova Sociologia Econômica <ul><li>Ambição da NSE: </li></ul><ul><ul><li>“ Na contramão do movimento que leva as ciências sociais a dividir o trabalho intelectual, a especializar as pesquisas, a sociologia econômica sugere que é necessário e útil incentivar o confronto entre as teorias econômicas e sociológicas, de maneira a fornecer melhores explicações dos fatos econômicos” (Steiner, 2006). </li></ul></ul>
  18. 19. Fato Social <ul><li>Segundo Durkheim, fato social é toda a maneira de fazer, pensar e de sentir externas ao indivíduo e que é suscetível de exercer sobre ele uma coação. </li></ul>

×