Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Cultura de Massa e Indústria Cultural <ul><li>ProªMaria Cristina Bortolozo </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul>
Teoria Crítica Escola de Frankfurt <ul><li>Década de 30: Max Horkheimer e o economista Friedrich Pollock fundam o Institut...
<ul><li>A sede de estudos do Instituto transferiu-se para a Universidade de Columbia/EUA, que cedeu um prédio aos pesquisa...
<ul><li>Lazarsfeld convida Adorno para integrar suas pesquisas com o objetivo de “desenvolver uma convergência entre a teo...
<ul><li>Adorno justifica: “quando fui submetido à exigência de medir a cultura, vi que a cultura deveria precisamente ser ...
O conceito de Indústria Cultural <ul><li>Na década de 40, Adorno e Horkheimer criam o conceito de indústria cultural; </li...
<ul><li>Como consequência ocorre a serialização e padronização da cultura; </li></ul><ul><li>A Escola de Frankfurt aponta ...
<ul><li>Os produtos culturais são entendidos como produtos feitos para impedir a atividade mental do espectador, portanto,...
<ul><li>Indústria Cultural, ao criar a padronização, anula toda a individualidade e qualquer idéia de resistência por part...
<ul><li>Walter Benjamin, Marcuse e Habermas são outros expoentes da Teoria; </li></ul><ul><li>Walter Benjamin: não diferen...
SÍNTESE DA TEORIA:  - critica um mundo onde a instrumentalização das coisas torna-se a instrumentalização dos indivíduos.
Influências da Escola de Frankfurt <ul><li>concepção da mídia como indústria que manipula, aliena e engana; </li></ul><ul>...
<ul><li>Entretanto  </li></ul><ul><li>A mídia não representa apenas uma ideologia dominante (veja programações como da TV ...
ex: grupos que fazem a verdadeira música sertaneja resistem aos imperativos da indústria musical, que impõem padrões ameri...
<ul><li>Outro exemplo são os movimentos culturais alternativos – contracultura. </li></ul><ul><li>Mas é interessante notar...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Teoria Critica e Escola de Frankfurt

64,762 views

Published on

material produzido exclurivamente para síntese das aulas de Sociologia.

Published in: Education, Travel
  • Be the first to comment

Teoria Critica e Escola de Frankfurt

  1. 1. Cultura de Massa e Indústria Cultural <ul><li>ProªMaria Cristina Bortolozo </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul>
  2. 2. Teoria Crítica Escola de Frankfurt <ul><li>Década de 30: Max Horkheimer e o economista Friedrich Pollock fundam o Instituto de Pesquisa Social (Universidade de Frankfurt, na Alemanha); </li></ul><ul><li>Em 1933 Hitler ascende ao poder pela via eleitoral e pouco tempo depois Horkheimer é destituído do cargo de diretor do Instituto, assim como todos os membros judeus da instituição; </li></ul><ul><li>Empresários judeus financiavam o Instituto e para garantir sua independência transferem seus fundos para outros países. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>A sede de estudos do Instituto transferiu-se para a Universidade de Columbia/EUA, que cedeu um prédio aos pesquisadores exilados; </li></ul><ul><li>Theodor Adorno, musicólogo e filósofo, junta-se à Max Horkheimer, e Leo Löwenthal em1938, </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Lazarsfeld convida Adorno para integrar suas pesquisas com o objetivo de “desenvolver uma convergência entre a teoria européia e o empirismo americano” e, a partir da pesquisa crítica, revitalizar a pesquisa administrativa; </li></ul><ul><li>Adorno recusa dobrar-se à interferência do financiador da pesquisa, a Fundação Rockefeller, que prima pela pesquisa da rádio comercial. </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Adorno justifica: “quando fui submetido à exigência de medir a cultura, vi que a cultura deveria precisamente ser essa condição que exclui uma mentalidade capaz de medi-la”; </li></ul><ul><li>Horkheimer concorda com Adorno. </li></ul>
  6. 6. O conceito de Indústria Cultural <ul><li>Na década de 40, Adorno e Horkheimer criam o conceito de indústria cultural; </li></ul><ul><li>Indústria Cultural: produção da cultura como mercadoria; </li></ul><ul><li>O mercado das massas impõe o mesmo esquema de organização e planejamento administrativo das fabricações em série aos produtos imateriais da cultura (simbólicos); </li></ul><ul><li>Revistas, programas radiofônicos, filmes, música são produzidos pela “indústria cultural” como os demais produtos fabricados em série (automóveis, por exemplo); </li></ul>
  7. 7. <ul><li>Como consequência ocorre a serialização e padronização da cultura; </li></ul><ul><li>A Escola de Frankfurt aponta que a racionalidade técnica encontrada na produção em série significa racionalidade da dominação. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Os produtos culturais são entendidos como produtos feitos para impedir a atividade mental do espectador, portanto, são produtos alienantes, geram uma cultura da alienação; </li></ul><ul><li>Os produtos da Indústria Cultural prescrevem reações; </li></ul><ul><li>A mídia produz dominação através de mensagens ideológicas. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Indústria Cultural, ao criar a padronização, anula toda a individualidade e qualquer idéia de resistência por parte da audiência; </li></ul><ul><li>impõe padrões estéticos com objetivo de garantir público para seus produtos culturais, garantindo o lucro para suas empresas. </li></ul>
  10. 10. <ul><li>Walter Benjamin, Marcuse e Habermas são outros expoentes da Teoria; </li></ul><ul><li>Walter Benjamin: não diferenciava a arte erudita como boa e a popular como ruim. Via na arte diferentes possibilidades; </li></ul><ul><li>Nunca saiu da Europa - permaneceu em Paris durante seu exílio. </li></ul>
  11. 11. SÍNTESE DA TEORIA: - critica um mundo onde a instrumentalização das coisas torna-se a instrumentalização dos indivíduos.
  12. 12. Influências da Escola de Frankfurt <ul><li>concepção da mídia como indústria que manipula, aliena e engana; </li></ul><ul><li>Os meios de comunicação de massa (m.c.m.) são instrumentos de controle e manipulação do pensamento coletivo. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>Entretanto </li></ul><ul><li>A mídia não representa apenas uma ideologia dominante (veja programações como da TV Cultura, TV E, alguns canais de TV a cabo); </li></ul><ul><li>Existem espectadores que não absorve a mensagem de forma passiva, existe alguma resistência. </li></ul>
  14. 14. ex: grupos que fazem a verdadeira música sertaneja resistem aos imperativos da indústria musical, que impõem padrões americanizados, ou escolas que na festa junina se recusam da dançar música norte-americana porque a festa junina celebra a cultura e, portanto, a identidade brasileira.
  15. 15. <ul><li>Outro exemplo são os movimentos culturais alternativos – contracultura. </li></ul><ul><li>Mas é interessante notar que mesmo esses movimentos podem sofrer ataques da indústria cultural: contracultura = underground = vangard = vanguarda = alternativo, e, agora, estão chamando de “indie”. </li></ul>

×