Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Julgar I - Assembléia Arquiocesana de Niterói 2014

738 views

Published on

Julgar I - Assembléia Arquiocesana de Niterói 2014

Formação do discípulo para um novo PENTECOSTES

Published in: Spiritual
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Julgar I - Assembléia Arquiocesana de Niterói 2014

  1. 1. JULGAR - ILUMINAR Julgar no sentido de analisar para discernir o que está certo e o que está errado e depois partir para uma ação transformadora. •Julgar é perceber o que está ajudando ou impedindo os homens de se libertarem e se tornarem irmãos. •Temos um elemento a mais para chegar à verdade: a Revelação de Deus através da Bíblia ou da Igreja.
  2. 2. •JULGAR •A Revelação vem dar o sentido profundo e último ao problema que é levantado e aprofundado no VER.
  3. 3. FORMAR O HOMEM • Somos eternos aprendizes, estamos em permanente processo de formação “a catequese entendida como ‘processo permanente de educação na fé’, deve ser uma ação constante e progressiva que possibilite ao catequizando fazer uma profunda experiência de fé que o leve a transformar o próprio agir, ao longo de sua vida, dando testemunho do amor cristão em todas as circunstâncias e lugares. A catequese deve ser um processo transformador que atinge todas as dimensões da vida humana (física, emocional, intelectual e Espiritual), durante toda a existência.”
  4. 4. FORMAR O HOMEM • Somos eternos aprendizes, estamos em permanente processo de formação - SOMENTE A FORMAÇÃO É CAPAZ DE TRANSFORMAR SEU PRÓPRIO AGIR, DURANTE TODA A SUA VIDA. A FORMAÇÃO É PERMANENTE. ASSIM, PERMITE QUE VEJAMOS A REALIDADE A SER TRANSFORMADA E NOS PREPARA PARA QUE ESTA TRANSFORMAÇÃO SE REALIZE DE ACORDO COM A PALAVRA DE DEUS E A DOUTRINA DA IGREJA.
  5. 5. LUGARES DE FORMAÇÃO • FAMÍLIA • A IGREJA • A SAGRADA ESCRITURA • OS SACRAMENTOS • COMUNIDADE • A VIDA DE MARIA • SINAIS DOS TEMPOS • (DAp 246,247,251,254 a 257)
  6. 6. CRITÉRIOS DE FORMAÇÃO I. DIMENSÃO HUMANA E COMUNITÁRIA - (integração – de gente pra gente) II. DIMENSÃO INTELECTUAL (Formação doutrinária) III. DIMENSÃO ESPIRITUAL (vida em Espírito) IV. DIMENSÃO PASTORAL E MISSIONÁRIA (cuidar da Missão, ir até a missão, “pastor com cheiro de ovelha” – vida em ação)
  7. 7. Através da formação buscamos a capacitação necessária para atuar como discípulos missionários, dentro e fora do MCC e da Igreja.
  8. 8. “O MCC é um movimento ‘de Igreja’, Povo de Deus e Corpo Místico de Cristo, no qual os leigos e leigas, religiosas e sacerdotes, cada um de acordo com sua própria vocação, contribuem em comunhão para sua única missão: EVANGELIZAR.” “o Movimento, é resposta a um desejo de Cristo (Jo 17,21) e os une para uma missão comum, para um Novo Pentecostes.” (Pe. Valtuir Bolzan – Assessor Eclesiástico do GER.)
  9. 9. “Não é suficiente uma vaga prioridade da Formação nem documentos ou encontros. Faz falta a sabedoria prática de levantar estruturas duradouras de preparação em âmbito local, regional, nacional... sem poupar forças, solicitude e assistência. A situação atual exige uma formação qualificada em todos os níveis”.
  10. 10. “A Missão é um estímulo constante para não nos acomodarmos na mediocridade, mas continuarmos a crescer na Fé.” (EG n.121) - UM MOVIMENTO QUE TENHA COMO BASE A FORMAÇÃO, JAMAIS ESTARÁ ULTRAPASSADO, O ESPÍRITO SANTO CUIDA DE ATUALIZAR SUA IGREJA, SEUS MOVIMENTOS E PASTORAIS.
  11. 11. O testemunho de Fé a que todo cristão é chamado a oferecer implica dizer como São Paulo: “Não que eu já tenha conquistado o prêmio ou que já tenha chegado à perfeição; apenas continuo correndo para conquistá-lo, porque eu também fui conquistado por Jesus Cristo.” (Fl. 3,12-13)
  12. 12. “Necessitamos que cada comunidade cristã se transforme num poderoso centro de irradiação da vida em Cristo. Esperamos um que nos livre do cansaço, da desilusão, da acomodação ao ambiente; esperamos uma vinda do Espírito que renove nossa alegria e nossa esperança. Por isso, é imperioso assegurar calorosos espaços de oração comunitária que alimentem o fogo de um ardor incontido e tornem possível um atrativo testemunho de unidade “para que o mundo creia”(Jo 17,21).” (DA 362)
  13. 13. Vale lembrar: “ O verdadeiro missionário, que nunca deixa de ser discípulo, sabe que Jesus caminha com ele, fala com ele, respira com ele, trabalha com ele. Sente Jesus vivo com ele, no meio da tarefa missionária. Se uma pessoa não O descobre presente no coração mesmo da entrega missionária, depressa perde o entusiasmo e deixa de estar seguro do que transmite, faltam-lhe força e paixão. E uma pessoa que não está convencida, entusiasmada, segura, enamorada, não convence ninguém”. (EG, 266).
  14. 14. JULGAR - ILUMINAR Este julgar exige: a) um conhecimento cada vez mais profundo da mensagem cristã, através de estudos, cursos, etc.; b) um clima de oração; c) um diálogo profundo com Cristo; d) uma purificação cada vez maior do nosso egoísmo pessoal.
  15. 15. AMADOS E AMADAS CURSILHISTAS: “Hoje fixamos em Maria o olhar, para que nos ajude a anunciar a todos a mensagem de salvação e para que os novos discípulos se tornem operosos evangelizadores.” (EG 287) Como “Discípulos para um Novo Pentecostes, cheios do Espírito Santo, sejamos testemunhas... até os confins da terra” (cf. At 1,8).

×