Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Silogismo e subjetividade - breve definição

21 views

Published on

Breve definição de silogismo e subjetividade proposta pela profa Mirna, à turma BM de Eng. da Computação.

Bons estudos. Deus te abençoe!

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Silogismo e subjetividade - breve definição

  1. 1. Universidade de Pernambuco – UPE Escola Politécnica de Pernambuco – POLI Aluno: Matheus Phelipe Alves Pinto Curso: Eng. Computação Turma: BM Período: 1°2017.2 Disciplina: Soc. Meio Ambiente Professor(a): Mirna Data de entrega: 01.09.17 Silogismo Para haver a expressão eficiente e precisa de nossas ideias ao mundo externo, devemos saber organizar nossos pensamentos de modo que possamos chegar a um raciocínio sólido e que mantenha a continuidade do tema por tratado. Um dos modos de organizar um pensamentoraciocínio de modo a chegar em uma conclusão final é através da construção de silogismos – que em grego significa “conexão de ideias”. O silogismo é um conceito estudado pela lógica e se refere a construção de um raciocínio lógico e coerente, salvas exceções. Baseando-se em argumentos (juízos) anteriores, o silogismo chega a um desfecho final, chamado conclusão, que é inferido pela correlação entre as duas últimas premissas propostas, resultando em uma terceira. Vale ressaltar que, para se chegar a uma conclusão, as chamadas premissas devem gerar uma conexão precisa e que evite deduções falhas ou até mesmo a dubiedade do raciocínio elaborado. Como podemos ver abaixo, o silogismo (a) está correto enquanto o (b) apresenta-se num estado de falácia uma vez que nem todos os animas com olhos são mamíferos. Subjetividade O conceito de subjetividade refere-se ao juízo elaborado de forma individual por cada um, o qual fomenta as bases de suas opiniões, sendo estritamente particular. Partindo desse ponto, embora seja uma avaliação intima de cada ser, existe o envolvimento da esfera social, uma vez que o indivíduo se encontra inserido em sociedade – tendo vivencias em comum com os demais. O fator “comum” não atua como padronizador de opiniões e sim como uma situação e (ou) contexto analisada por emoções e impressões distintos. Estar em sociedade não impede a formação de opiniões diferentes daqueles que nos rodeiam, uma vez que não existem experiências exatamente iguais. Tais opiniões construídas tendem a formar o caráter do indivíduo, bem como a maneira como irá lidar com suas relações nas instituições sociais. “Todos os animais que tem olhos são mamíferos” “O salmão tem olhos” “Logo, o salmão é um mamífero” Silogismo b “Os elétrons se deslocam com facilidade nos condutores” “O cobre é um condutor” “Logo, o cobre conduz corrente elétrica facilmente” Silogismo a

×