“Abre as portas do espírito à luz doamor para que o amor te auxilie aentender a linguagem da vida”
SÓCRATES E PLATÃO,PRECURSORES DA IDÉIA CRISTÃ E DOESPIRITISMOEvangelho Segundo oEspiritismoIntrodução – Item IV
Ciência Indagar, conhecer.Filosofia Compreensão e apreensão darealidade.Razão, sabedoria.Religião Ética, moral, EvangelhoB...
CAMINHO do conhecimentoCaminho, Verdade e VidaAspecto Tríplice da Doutrina EspíritaBusca da VERDADEIluminação,amor,consolo...
A separação dos “pilares” da Doutrina Espíritaem três segmentos é mais didática do queprática, pois seus fundamentos seint...
CAP.X- A GRÉCIA E A MISSÃO DE SÓCRATES•NAS VÉSPERAS DA MAIORIDADE TERRESTRE
•Examinando a maioridade espiritual das criaturashumanas, enviou-lhes o Cristo, antes de sua vinda aomundo, numerosa coort...
•A maioria desses pensadores, que eram os enviados doCristo às coletividades terrestres, trazem, do círculoretraído e isol...
•É por essa razão que observamos, nos cinco séculosanteriores à vinda do Cordeiro, uma aglomeração deinúmeras escolas polí...
•Lá começou o verdadeiro regime de consulta àvontade do povo, que decidia, em assembléiasnumerosas, todos os problemas da ...
•Ao influxo do coração misericordioso do Cristo, todaa Grécia se povoa de artistas e pensadores eminentes,no quadro das fi...
O planeta terrestre aproximava-se da sua maioridadeespiritual quando, então, poderia Ele nutrir o coraçãohumano com a seme...
•Envia,então, às sociedades do globo o esforço deauxiliares valorosos, nas figuras de Ésquilo,Eurípedes,Heródoto e Tucídid...
•As grandes idéias jamais irrompem de súbito. As que assentamsobre a verdade sempre têm precursores que lhes preparamparci...
•Filósofo grego, atenienseNasceu em 470 a.C.Desencarnou em 399 a.C.•filho de uma parteira chamadaFenarete, e de um esculto...
•Sócrates Conhecia opensamento anterior econtemporâneo dosfilósofos gregos einteressava-se pelaconversa em locaispúblicos....
•Sócrates usava nassuas conversas com oscidadãos um métodochamado maiêutica,que consiste emforçar o interlocutora desenvol...
"Só sei que nada sei". Frase famosa de Sócrates.O verdadeiro filósofo sabe que sabe muito pouco, eele se autodenominava as...
•Para Sócrates a sabedoria dependia do conhecimento e docontrole dos seus próprios limites, o reconhecimento de suaprópria...
•Sócrates é o grande filósofo do auto-conhecimento.A frase "Conhece-te a ti mesmo", apesar de muitasvezes a ele atribuída,...
Sócrates não se preocupava com os costumes ecultura de cada povo. Apontava a importância que hádentro dos homens, a sua al...
Aos setenta e tantos anos foi Sócrates condenado à morte,embora inocente.Enquanto aguardava no cárcere o dia da execução, ...
Na véspera da execução, conseguiram seus amigos subornar ocarcereiro (desde daquela época já existia essa prática...), que...
- Meu caro amigo Críton - respondeu o condenado - que maufilósofo és tu! Pensar que um pouco de veneno possa dar cabode mi...
E ficou sentado na cadeia aberta, enquanto Críton se retirava,chorando, sem compreender o que ele considerava teimosia oue...
Ao que o filósofo, semiconsciente, murmurou:- Já te disse, amigo, ninguém pode enterrar Sócrates ...Quanto a esse invólucr...
E assim expirou esse homem, que tinha descoberto osegredo da FELICIDADE, que nem a morte lhe pôde roubar.CONHECIA-SE A SI ...
•A filosofia de Sócrates mostra que Kardec tinha absolutarazão quando o enquadrou na condição de precursor, da idéiaCristã...
SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITADEUS : Inteligente, onipresente,DEUS : Inteligente, onipresente,onisciente, invisível a...
SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITAA alma se extravia e se perturba, porquese liga as coisas que estão sujeitas amudanças;...
SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITAApós a nossa morte, o gênio (daimon,demônio), que nos fora designado durantea vida, lev...
SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITAA preocupação constante desses filósofosé, a do cuidado com a alma, menos peloque respe...
SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITANunca se deve retribuir com outra umainjustiça, nem fazer mal a ninguém, sejaqual for o...
SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITAÉ disposição natural em todos nós a denos apercebermos muito menos dosnossos defeitos, ...
Foi por haver professadoesses princípios que Sócratesse viu ridicularizado, depoisacusado de impiedade econdenado a beber ...
Filósofo grego, atenienseFilósofo grego, atenienseNasceu entre 427 e 428Nasceu entre 427 e 428a.C.a.C.Desencarnou em 347 a...
Assim como Jesus, Sócrates não deixou nadaescrito. Platão seu discípulo, foi quem documentoutodo o seu pensamento. Mostrou...
O MITO DA CAVERNA se encontra no LivroVII de A República. Possui a forma de umdiálogo imaginário,do qual participam o filó...
O Mito da Caverna de Platão
Atitude crítica, o reconhecimento da ignorância,através da Filosofia, do saber racional ( auto-conhecimento), nos possibil...
Recorda-te de que a vida é curta;esforça-te, pois, por conquistar,enquanto o podes, aquilo que viesteaqui realizar: o verd...
Referências Bibliográficas:•O Evangelho Segundo O Espiritismo – Allan Kardec• A Caminho da Luz – Emmanuel – Francisco C. X...
MUITA PAZ E LUZ À TODOSVera Lúcia de Souza Apolináriovera.apolinario@hotmail.com.br
Scrateseplatoprec espiritismo-110613211512-phpapp01
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Scrateseplatoprec espiritismo-110613211512-phpapp01

638 views

Published on

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
638
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
22
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • As vezes temos a tendência de ficarmos presos as diferenças das pessoas e não procuramos nelas as semelhanças. Muitas vezes ficamos divididos, ou seja, eu sou de tal crença, acredito em tal coisa.E na essência mais profunda, o conhecimento e a verdade é uma só. Ela pode até se modificar pela roupagem que veste, pleos caminhos que se trilha, mas a ess~encia é uma só.
  • Scrateseplatoprec espiritismo-110613211512-phpapp01

    1. 1. “Abre as portas do espírito à luz doamor para que o amor te auxilie aentender a linguagem da vida”
    2. 2. SÓCRATES E PLATÃO,PRECURSORES DA IDÉIA CRISTÃ E DOESPIRITISMOEvangelho Segundo oEspiritismoIntrodução – Item IV
    3. 3. Ciência Indagar, conhecer.Filosofia Compreensão e apreensão darealidade.Razão, sabedoria.Religião Ética, moral, EvangelhoBASE DE SUSTENTAÇÃO DO ESPIRITISMOBASE DE SUSTENTAÇÃO DO ESPIRITISMOO Espiritismo é apoiado em uma base deconhecimento, sustentação teórica eexperimentação constituída de três “pilares” :
    4. 4. CAMINHO do conhecimentoCaminho, Verdade e VidaAspecto Tríplice da Doutrina EspíritaBusca da VERDADEIluminação,amor,consolo VIDACiênciaFilosofiaReligião
    5. 5. A separação dos “pilares” da Doutrina Espíritaem três segmentos é mais didática do queprática, pois seus fundamentos seinterpenetram e interagem entre si.
    6. 6. CAP.X- A GRÉCIA E A MISSÃO DE SÓCRATES•NAS VÉSPERAS DA MAIORIDADE TERRESTRE
    7. 7. •Examinando a maioridade espiritual das criaturashumanas, enviou-lhes o Cristo, antes de sua vinda aomundo, numerosa coorte de Espíritos sábios ebenevolentes, aptos a consolidar, de modo definitivo,essa maturação do pensamento terrestre.•As cidades populosas do globo enchem-se, então, dehomens cultos e generosos, de filósofos e deartistas, que renovam, para melhor, todas astendências da Humanidade.Grandes mestres docérebro e do coração formam escolas numerosas naGrécia que assumia a direção intelectual do orbeinteiro.
    8. 8. •A maioria desses pensadores, que eram os enviados doCristo às coletividades terrestres, trazem, do círculoretraído e isolado dos templos,os ensinamentos dosgrandes iniciados para as praças públicas, pregando averdade às multidões.•Assim como a organização do homem físico exigira asmais amplas experiências da natureza, antes de sefixarem os seus caracteres biológicos definitivos, alição de Jesus, que representa o roteiro seguro para aedificação do homem espiritual, deveria ser precedidapelas experiências mais vastas no campo social.
    9. 9. •É por essa razão que observamos, nos cinco séculosanteriores à vinda do Cordeiro, uma aglomeração deinúmeras escolas políticas,religiosas e filosóficas dosmais diversos matizes,em todos os ambientes domundo.•Muitas teorias científicas,que provocam osensacionalismo dos vossos dias como inovaçõesultramodernas, foram conhecidas da Grécia,em cujosmestres têm o legítimos fundamentos.
    10. 10. •Lá começou o verdadeiro regime de consulta àvontade do povo, que decidia, em assembléiasnumerosas, todos os problemas da cidade venerável. Eé fácil reconhecer aí o início das democraciasmodernas, que agora se organizam, nas transições doséculo XX, para a repressão de todas as doutrinasnefastas da força e da violência.•Semelhantes experiências,no campo sociológico,foramincentivadas e acompanhadas de perto pelos prepostosde Jesus,respeitadas as grandes leis da liberdadeindividual e coletiva.
    11. 11. •Ao influxo do coração misericordioso do Cristo, todaa Grécia se povoa de artistas e pensadores eminentes,no quadro das filosofias e das ciências.•O Salvador contempla,das Alturas, essa época deelevadas conquistas morais, cheio de amor e deesperança.
    12. 12. O planeta terrestre aproximava-se da sua maioridadeespiritual quando, então, poderia Ele nutrir o coraçãohumano com a sementeira bendita da sua palavra.
    13. 13. •Envia,então, às sociedades do globo o esforço deauxiliares valorosos, nas figuras de Ésquilo,Eurípedes,Heródoto e Tucídides, e por fim a extraordináriapersonalidade de Sócrates, no intuito de realizar ocoroamento do esforço decidido de tantosmensageiros.•É por isso que, de todas as grandes figuras daquelestempos longínquos, somos compelidos a destacar agrandiosa figura de Sócrates,na Atenas antiga.
    14. 14. •As grandes idéias jamais irrompem de súbito. As que assentamsobre a verdade sempre têm precursores que lhes preparamparcialmente os caminhos. Depois, em chegando o tempo, enviaDeus um homem com a missão de resumir, coordenar ecompletar os elementos esparsos, de reuni-los em corpo dedoutrina.• Desse modo, não surgindo bruscamente, a idéia, ao aparecer,encontra espíritos dispostos a aceitá-la. Tal o que se deu com aidéia cristã, que foi pressentida muitos séculos antes de Jesuse dos essênios, tendo por principais precursores SÓCRATES EPLATÃO.- Evang. Seg. Espiritismo -
    15. 15. •Filósofo grego, atenienseNasceu em 470 a.C.Desencarnou em 399 a.C.•filho de uma parteira chamadaFenarete, e de um escultor,chamado Sofronisco.•Foi casado com Xantipa, Tevetrês filhos.
    16. 16. •Sócrates Conhecia opensamento anterior econtemporâneo dosfilósofos gregos einteressava-se pelaconversa em locaispúblicos. Fazia muitasandanças conversandonas praças e mercados.Participou domovimento derenovação da cultura efoi um educadorpopular.
    17. 17. •Sócrates usava nassuas conversas com oscidadãos um métodochamado maiêutica,que consiste emforçar o interlocutora desenvolver seupensamento sobreuma questão que elepensa conhecer, e po-lo em contradição.
    18. 18. "Só sei que nada sei". Frase famosa de Sócrates.O verdadeiro filósofo sabe que sabe muito pouco, eele se autodenominava assim.
    19. 19. •Para Sócrates a sabedoria dependia do conhecimento e docontrole dos seus próprios limites, o reconhecimento de suaprópria ignorância,• Defendia que existem valores e virtudes permanentes e queprecisavam ser conhecidos para serem seguidos em defesa dobem de todos.
    20. 20. •Sócrates é o grande filósofo do auto-conhecimento.A frase "Conhece-te a ti mesmo", apesar de muitasvezes a ele atribuída, era um dos pilares da sabedoriagrega, sendo por isso inscrita no pórtico do Oráculode Delfos.
    21. 21. Sócrates não se preocupava com os costumes ecultura de cada povo. Apontava a importância que hádentro dos homens, a sua alma.
    22. 22. Aos setenta e tantos anos foi Sócrates condenado à morte,embora inocente.Enquanto aguardava no cárcere o dia da execução, seus amigose discípulos moviam céus e terra para o preservar da morte.O filósofo, porém não moveu um dedo para esse fim; comperfeita tranqüilidade e paz de espírito aguardou o dia em queia beber o veneno mortífero. Prisão de Sócrates
    23. 23. Na véspera da execução, conseguiram seus amigos subornar ocarcereiro (desde daquela época já existia essa prática...), queabriu a porta da prisão.Críton, o mais ardente dos discípulos de Sócrates, entrou nacadeia e disse ao mestre:- Foge depressa, Sócrates!- Fugir, por que? - perguntou o preso.- Ora, não sabes que amanhã te vão matar?- Matar-me? A mim? Ninguém me pode matar!- Sim, amanhã terás de beber a taça de cicuta mortal -insistiu Críton.- Vamos, mestre, foge depressa para escapares à morte!
    24. 24. - Meu caro amigo Críton - respondeu o condenado - que maufilósofo és tu! Pensar que um pouco de veneno possa dar cabode mim ... Depois puxando com os dedos a pele da mão, Sócratesperguntou: Críton, achas que isto aqui é Sócrates?E, batendo com o punho no osso do crânio, acrescentou:- Achas que isto aqui é Sócrates? ... Pois é isto que eles vãomatar, este invólucro material; mas não a mim. EU SOU AMINHA ALMA. Ninguém pode matar Sócrates! ...
    25. 25. E ficou sentado na cadeia aberta, enquanto Críton se retirava,chorando, sem compreender o que ele considerava teimosia ouestranho idealismo do mestre.No dia seguinte, quando o sentenciado já bebera o venenomortal e seu corpo ia perdendo aos poucos a sensibilidade,Críton perguntou-lhe, entre soluços: - Sócrates, onde queres que te enterremos?
    26. 26. Ao que o filósofo, semiconsciente, murmurou:- Já te disse, amigo, ninguém pode enterrar Sócrates ...Quanto a esse invólucro, enterrai-o onde quiserdes. Não soueu... EU SOU MINHA ALMA...
    27. 27. E assim expirou esse homem, que tinha descoberto osegredo da FELICIDADE, que nem a morte lhe pôde roubar.CONHECIA-SE A SI MESMO, O SEU VERDADEIRO EUDIVINO. ETERNO. IMORTAL..."
    28. 28. •A filosofia de Sócrates mostra que Kardec tinha absolutarazão quando o enquadrou na condição de precursor, da idéiaCristã e do Espiritismo.•Kardec diz que a base da Doutrina Espírita não é amanifestação mediúnica. Ele coloca que a base, a força daDoutrina espírita é justamente a força da sua filosofia. Aforça do seu apelo é a razão. E faz com que cada pessoaatravés dessa filosofia encontre a Deus.
    29. 29. SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITADEUS : Inteligente, onipresente,DEUS : Inteligente, onipresente,onisciente, invisível ao homem e aonisciente, invisível ao homem e aexistência do mundo é a prova de suaexistência do mundo é a prova de suaexistência.existência.Inteligência suprema, causa primária deInteligência suprema, causa primária detodas as coisas Eterno, imutável, imaterialtodas as coisas Eterno, imutável, imateriale outros atributos.e outros atributos.ALMA: Participa da natureza Divina, édada por Deus ao homem e a vida nãodepende do corpo, mas da alma.O homem é a união da alma e do corpo;é a essência do Corpo; é imortal.É o espírito encarnado;une-se ao corpo;é a sede da inteligência;é imortalO homem é a alma encarnada, antes dasua encarnação, ela existia.É a doutrina da preexistência da alma, desua saída do mundo espiritual para seencarnar, e de sua reentrada no mesmomundo depois da morte.RESUMO DA DOUTRINA DE SÓCRATES E DE PLATÃO
    30. 30. SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITAA alma se extravia e se perturba, porquese liga as coisas que estão sujeitas amudanças; ao passo que, quandocontempla sua essência, ela se dirige parao que é puro, eterno, imortal.Assim se ilude o homem que considera ascoisas do ponto de vista apenas material;para apreciá-las com justeza, é preciso vê-las de cima, ou seja, do ponto de vistaespiritual.Enquanto a alma se encontre mergulhadano corpo físico, jamais possuiremos oobjeto dos nossos desejos: a verdade. Ocorpo suscita em nós os cuidados diários,ele nos enche de desejos, apetites etemores, com ele é impossível ser sábioum instante.Livres do corpoconheceremosa essência das coisas.Eis aí o princípio das faculdaes da almaobscurecidas por intermédio dos órgãocorporais, e da expansão dessasfaculdades depois da morte.As almas impuras que são as almas dosmaus erram ao redor dos mausoléus e dostúmulos(...) são conduzidas de novo a umnovo corpo, no mundo visível. E então elasretornam aos mesmos costumes que,durante a primeira vida.O princípio da reencarnação , claramenteexposto. O estado das almas ainda sob oimpério da matéria, está descrito tal comono espiritismo .
    31. 31. SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITAApós a nossa morte, o gênio (daimon,demônio), que nos fora designado durantea vida, leva-nos a um lugar onde sereúnem todos os que têm de serconduzidas ao Hades, para seremjulgados. As almas,depois de haveremestado no Hades o tempo necessário, sãoreconduzidas a esta vida em múltiplos elongos períodosÉ a doutrina dos Anjos guardiães, ouEspíritos protetores, e das reencarnaçõessucessivas, em seguida a intervalos maisou menos longos de erraticidade.Os demônios ocupam o espaço quesepara o céu da Terra; constituem o laçoque une o Grande Todo a si mesmo. Nãoentrando nunca a divindade emcomunicação direta com o homem, é porintermédio dos demônios que os deusesentram em comércio e se entretêm comele, quer durante a vigília,quer durante o sonoA palavra daimon, da qual fizeram o termodemônio, não era, na antigüidade, tomadaà má parte, como nos tempos modernos.Não designava exclusivamente seresmalfazejos, mas todos os Espíritos, dentreos quais os Espíritos superiores,chamados deuses, e os menos elevados,ou demônios propriamente ditos, quecomunicavam com os homens. Também oEspiritismo diz que os Espíritos povoam oespaço; que Deus só se comunica com oshomens por intermédio dos Espíritospuros.
    32. 32. SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITAA preocupação constante desses filósofosé, a do cuidado com a alma, menos peloque respeita a esta vida, que não duramais que um instante, do que tendo emvista a eternidade. Desde que a alma é,imortal, não será prudente viver visando aeternidade?O Cristianismo e o Espiritismo ensinam amesma coisa.O corpo conserva bem os vestígios doscuidados de que foi objeto e dos acidentesque sofreu. Dá-se o mesmo com a alma.Quando despida do corpo, ela guarda,evidentes, os traços do seu caráter, desuas afeições e as marcas que lhedeixaram todos os atos de sua visa. Assim,a maior desgraça que pode acontecer aohomem é ir para o outro mundo com aalma carregado de crimes.A alma não depurada conserva as idéias,as tendências, o caráter e as paixões queteve na Terra.A morte é apenas uma mudança demorada, a passagem para o lugar onde osmortos se têm de reunir, que felicidade ade encontrarmos lá aqueles a quemMostra o Espiritismo que continuam asrelações que entre eles se estabeleceram,de tal maneira que a morte não é nem umainterrupção, nem a cessação da vida, masuma transformação, sem solução de
    33. 33. SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITANunca se deve retribuir com outra umainjustiça, nem fazer mal a ninguém, sejaqual for o dano que nos hajam causado.Está aí o princípio de caridade, queprescreve não s retribuir o mal com o mal esim o perdão aos inimigos.É pelos frutos que se conhece a árvore.Toda ação deve ser qualificada pelo queproduz: qualificá-la de má, quando delaprovenha mal; de boa, quando dê origemao bem.Esta máxima: "Pelos frutos é que seconhece a árvore", se encontra muitasvezes repetida textualmente no Evangelho.A riqueza é um grande perigo. Todohomem que ama a riqueza não ama a simesmo, nem ao que é seu; ama a umacoisa que lhe é ainda mais estranha doque o que lhe pertence.Cap. XVI – ESSE ( Não se pode servir aDeus e a Mamon
    34. 34. SÓCRATES / PLATÃO DOUTRINA ESPÍRITAÉ disposição natural em todos nós a denos apercebermos muito menos dosnossos defeitos, do que dos de outrem.Diz o Evangelho: "Vedes a palha que estáno olho do vosso próximo e não vedes atrave que está no vosso." (Cap. X, nº 9 e nº10.)Se os médicos são malsucedidos,tratando da maior parte das moléstias, éque tratam do corpo,sem tratarem daalma. Ora, não se achando o todo embom estado, impossível é que uma partedele passe bem.O Espiritismo fornece a chave das relaçõesexistentes entre a alma e o corpo e provaque um reage incessantemente sobre ooutro. Abre, assim, nova senda para aCiência.
    35. 35. Foi por haver professadoesses princípios que Sócratesse viu ridicularizado, depoisacusado de impiedade econdenado a beber cicuta.Tão certo é que, levantandocontra si os interesses e ospreconceitos que elas ferem,as grandes verdades novasnão se podem firmar sem lutae sem fazer mártires.
    36. 36. Filósofo grego, atenienseFilósofo grego, atenienseNasceu entre 427 e 428Nasceu entre 427 e 428a.C.a.C.Desencarnou em 347 a.C.Desencarnou em 347 a.C.Discípulo de SócratesDiscípulo de Sócrates
    37. 37. Assim como Jesus, Sócrates não deixou nadaescrito. Platão seu discípulo, foi quem documentoutodo o seu pensamento. Mostrou sua semelhançaao buscar o conhecimento verdadeiro, comocaminho para solução da vida humana. Mastambém, Platão acredita que para esse auto-conhecimento, era preciso um trabalho árduo dohomem.
    38. 38. O MITO DA CAVERNA se encontra no LivroVII de A República. Possui a forma de umdiálogo imaginário,do qual participam o filósofoSócrates e os irmãos de Platão, Glauco eAdimanto. No livro VII Sócrates conta a Glaucoo famoso mito da caverna como um retrato daignorância humana.
    39. 39. O Mito da Caverna de Platão
    40. 40. Atitude crítica, o reconhecimento da ignorância,através da Filosofia, do saber racional ( auto-conhecimento), nos possibilita tirar o véu da cegueiraespiritual, libertando-nos das nossas prisões.
    41. 41. Recorda-te de que a vida é curta;esforça-te, pois, por conquistar,enquanto o podes, aquilo que viesteaqui realizar: o verdadeiroaperfeiçoamento. Possa teu espíritopartir desta Terra mais puro do quequando nela entrou! Pensa que a Terraé um campo de batalha, onde amatéria e os sentidos assediamcontinuamente a alma; corrige teusdefeitos, modifica teu caráter,reforça a tua vontade; eleva-te pelopensamento, acima das vulgaridadesda Terra e contempla o espetáculoluminoso do céu..”Léon Denis - livro Depois da Morte.
    42. 42. Referências Bibliográficas:•O Evangelho Segundo O Espiritismo – Allan Kardec• A Caminho da Luz – Emmanuel – Francisco C. Xavier•Imagens e vídeos: Internet
    43. 43. MUITA PAZ E LUZ À TODOSVera Lúcia de Souza Apolináriovera.apolinario@hotmail.com.br

    ×