Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

ApresentaçãO1

5,928 views

Published on

Trabalho de Literatura

Published in: Travel, Education
  • Be the first to comment

ApresentaçãO1

  1. 1. JOSÉ DE ALENCAR
  2. 2. <ul><li>José Martiniano de Alencar ( Messejana , 1 de maio de 1829 — Rio de Janeiro , 12 de dezembro de 1877 ) foi um jornalista , político , orador , romancista , crítico , cronista , polemista e dramaturgo brasileiro . Filho de um influente senador, José de Alencar formou-se em Direito , iniciando-se na atividade literária através dos jornais Correio Mercantil e Diário do Rio de Janeiro . Foi casado com Ana Cochrane. Era irmão do diplomata Leonel Martiniano de Alencar , barão de Alencar </li></ul>VIDA
  3. 3. Nascido em Messejana, bairro da capital cearense , a família transfere-se para a capital do Império e José de Alencar, então com onze anos, foi matriculado no Colégio de Instrução Elementar. Em 1844, matriculou-se nos cursos preparatórios à Faculdade de Direito de São Paulo , começando o curso em 1846. Fundou, nessa época, a revista Ensaios Literários , onde publicou o artigo Questões de estilo . Formou-se em Direito, em 1850, e, em 1854, estreou como folhetinista no Correio Mercantil . Em 1856, sob o pseudônimo de Ig, criticou o poema A Confederação dos Tamoios , de Gonçalves de Magalhães
  4. 4. José de Alencar é o grande nome da prosa romântica brasileira, tendo escrito obras representativas para todos os tipos de ficção românticos: passadista e colonial (O Guarani, 1857), indianista (Iracema, 1865), sertaneja (O Sertanejo, 1875).
  5. 5. <ul><li>LIVROS INDIANISTAS </li></ul><ul><li>O Guarani , 1857 </li></ul><ul><li>Iracema , 1865 </li></ul><ul><li>Ubirajara , 1874 </li></ul><ul><li>Lucíola , 1862 </li></ul><ul><li>Diva , 1864 </li></ul><ul><li>Senhora , 1875 </li></ul><ul><li>O Gaúcho , 1870 </li></ul><ul><li>O Sertanejo </li></ul><ul><li>LIVROS HISTÓRICOS </li></ul><ul><li>Guerra dos Mascates (primeiro volume) , 1873. </li></ul>OBRAS
  6. 6. <ul><li>Cinco minutos , 1856 </li></ul><ul><li>A viuvinha , 1857 </li></ul><ul><li>O guarani , 1857 </li></ul><ul><li>Lucíola , 1862 </li></ul><ul><li>Diva , 1864 </li></ul><ul><li>Iracema , 1865 </li></ul><ul><li>As minas de prata - 1.º vol. , 1865 </li></ul><ul><li>As minas de prata - 2.º vol. , 1866 </li></ul><ul><li>O gaúcho , 1870 </li></ul><ul><li>A pata da gazela , 1870 </li></ul><ul><li>O tronco do ipê , 1871 </li></ul><ul><li>Guerra dos mascates - 1.º vol. , 1871 </li></ul><ul><li>Til , 1871 </li></ul><ul><li>Sonhos d' ouro , 1872 </li></ul><ul><li>Alfarrábios , 1873 </li></ul><ul><li>Guerra dos mascates - 2.º vol. , 1873 </li></ul><ul><li>Ubirajara , 1874 </li></ul><ul><li>O sertanejo , 1875 </li></ul><ul><li>Senhora , 1875 </li></ul><ul><li>Encarnação , 1893 </li></ul>ROMANCES
  7. 7. <ul><li>O crédito , 1857 </li></ul><ul><li>Verso e reverso , 1857 </li></ul><ul><li>Demônio familiar , 1857 </li></ul><ul><li>As asas de um anjo , 1858 </li></ul><ul><li>Mãe , 1860 </li></ul><ul><li>A expiação , 1867 </li></ul><ul><li>O jesuíta , 1875 </li></ul>TEATRO
  8. 8. <ul><li>Ao correr da pena , 1874 </li></ul>CRÔNICA
  9. 9. <ul><li>Grande expoente da literatura brasileira do século XIX , Alencar entretanto não alcançou a fundação do Silogeu Brasileiro. Coube-lhe, entretanto, a homenagem de ser Patrono da Cadeira 23 da Academia, onde veio depois a ter assento talentos como Jorge Amado .Nas discussões que antecederam a fundação da Academia, seu nome foi defendido por Machado de Assis para ser o primeiro Patrono, ou seja, nominar a Cadeira Um. Mas não poderia haver hierarquia nessa escolha, e resultou que Adelino Fontoura , um autor quase desconhecido, veio a ser-lhe o patrono efetivo. Sobre esta escolha, registrou Afrânio Peixoto : &quot;Novidade de nossa Academia foi, em falta de antecedentes, criarem-nos, espiritualmente, nos patronos. Machado de Assis, o primeiro da companhia, por vários títulos, quis dar a José de Alencar a primazia que tem, e deve ter, na literatura nacional. A justiça não guiou a vários dos seus companheiros. Luís Murat, por sentimento exclusivamente, entendeu honrar um amigo morto, infeliz poeta, menos poeta que infeliz, Adelino Fontoura.&quot; </li></ul>ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS
  10. 10. COLÉGIO : SÃO JOSÉ ALUNA : ANA CAROLINA C. SOARES SÉRIE : 1° EM : A

×