Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Comércio Social
50a FENINJER / 8.mar.2010   Martha Gabriel
Martha Gabriel
        www.martha.com.br / Twitter: marthagabriel / martha@martha.com.br

                  Graduação em E...
Agradecimento pelo Patrocínio “Intelecto Digital”
   concedido a Martha Gabriel pela Locaweb




                         ...
Agenda

 – Mudança de Contexto do Marketing

 – Comércio Social

 – Redes Sociais

 – Comércio Eletrônico

 – Cases de Com...
Inversão do Vetor de Marketing


 Tudo começou
 com o controle
 remoto…




                                 UM DEDO
Inversão do Vetor de Marketing



… chegamos
na
Era do Cloud
Computing,
da
Participação,
da
Web 2.0…
Inversão do Vetor de Marketing




… e vamos para a Internet das Coisas
Inversão do Vetor de Marketing

Evolução da Web  Mudança de comportamento do
  consumidor

 Web 1.0 – Era read-only, sit...
Inversão do Vetor de Marketing
    de Mídia de Massa…


                           das MARCAS
                           p...
Inversão do Vetor de Marketing

   Mídias e propaganda tradicionais  empresas
    buscavam os consumidores.

   Mídias ...
O Fim da Propaganda como Conhecemos

   Relatório da IBM “The End of Advertising as We
    Know It” (nov.2007)
      Os ...
Os Teleinterativos


    Éramos TELEspectadores, espectadores da televisão:
       Éramos MONOtela


    Hoje, somos MU...
Video




Nokia: The 4th Screen
Controle e Métricas



                      Era digital  rastros

                      Rastros  Métricas

            ...
Plataformas, Tecnologias e Estratégias Digitais
                                          • Social Media
 Presença On-lin...
Agenda

 – Mudança de Contexto do Marketing

 – Comércio Social

 – Redes Sociais

 – Comércio Eletrônico

 – Cases de Com...
Comércio
Social
Comércio Social - definição



 Comércio Social (s-commerce) é um sub-conjunto do
  comércio eletrônico (e-commerce) que ...
Agenda

 – Mudança de Contexto do Marketing

 – Comércio Social

 – Redes Sociais

 – Comércio Eletrônico

 – Cases de Com...
Redes Sociais
Redes Sociais

Redes sociais existem pelo menos desde 3000 AC…




                                                  21
Redes Sociais


 … as principais diferenças
 entre a antiguidade e
 hoje:

 COLAPSO
 do
 tempo
 e do
 espaço
             ...
Redes Sociais

  A evolução das redes sociais acompanha a evolução das
  tecnologias de comunicação interativas:

     • E...
Redes Sociais & Mídias Sociais

 Redes Sociais - indivíduos (ou empresas) conectados por um mais
        tipos específicos...
Quem usa Redes Sociais?




                          25
Laços Importantes nas Redes Sociais


Tipos de laços nas redes sociais:
• fortes quando se caracterizam pela intimidade e ...
Capital Social & Whuffies

 Capital social:
 - Conexão entre indivíduos : redes sociais e normas de reciprocidade e
   con...
Tipos de Plataformas de Social Media e Networks

    Wikis – ex: wikipedia
    Social Networks – ex: Orkut, Facebook, My...
 Redes Sociais impactam o marketing principalmente no P
  de Promoção – estratégias de comunicação - mas
  TAMBÉM impacta...
Pesquisa e.life sobre Redes Sociais no Brasil




http://www.mmonline.com.br/portal/noticia/E.Life_apresenta_pesquisa_sobr...
Redes Sociais que + crescem no Brasil
Agenda

 – Mudança de Contexto do Marketing

 – Comércio Social

 – Redes Sociais

 – Comércio Eletrônico

 – Cases de Com...
Comércio Eletrônico
Comércio

            Comércio é uma divisão da
             negociação ou produção que lida
             com a troca de ...
COMÉRCIO é …



 Comércio é feito para ter RETORNO FINANCEIRO

 Foco em:
    ROI
    VENDAS
    RESULTADOS TANGÍVEIS ...
Comércio Eletrônico & Comércio Social



      Termo           Significado               O que é



  eCommerce       Comé...
As 5 Eras da Web Social


1) Era das Relações Sociais: Pessoas se conectam e
   compartilham

2) Era da Funcionalidade Soc...
SOCIAL signigica que…



 Interação de consumidor para consumidor:
    Em outras palavras, NÃO É INTERAÇÃO COM A
     EM...
Portanto…


 Comércio Social tem a ver com resultados - extraindo
  valor da estratégia

 Qualquer estratégia social pre...
Assim:

 Comércio Social é a estratégia de conectar
    consumidores a consumidores online e
  alavancar essas conexões co...
Por que Comércio Social é IMPORTANTE?

 Pessoas estão se conectando cada vez mais umas às
  outras – e não a instituições...
Mais números importantes…

 eCommerce:
    27% de crescimento no 1º Sem/2009
    32% de crescimento no número de intern...
Reforçando



     Comércio Social não está relacionado a
       apenas motivar as pessoas a falarem
        sobre sua mar...
Agenda

 – Mudança de Contexto do Marketing

 – Comércio Social

 – Redes Sociais

 – Comércio Eletrônico

 – Cases de Com...
Cases de Comércio Social
Amazon – www.amazon.com
FIAT Mio - http://www.fiatmio.cc/pt/


                                    FCC I – Fiat Concept Car I




     FCC II – Fi...
My Starbucks Idea - http://mystarbucksidea.force.com/
Camisetaria – www.camisetaria.com
Zugara Webcam Social Shopping




      Video - http://www.youtube.com/watch?v=NxQZuo6pFUw
Commercial building - Tachikawa, Tokyo, Japan
O Boticário – Ação em redes sociais abertas
BOO-BOX – http://www.boo-box.com/site/?locale=pt-BR




Viabiliza
programa de
afiliados em blogs
e redes sociais

Links pa...
BOO-BOX – Case blog Dinheirama
BOO-BOX – blog Papo de Gordo
Dell – Twitter (@DellOutlet)


                                              Lionel Mechaca, Chief
                      ...
Agenda

 – Mudança de Contexto do Marketing

 – Comércio Social

 – Redes Sociais

 – Comércio Eletrônico

 – Cases de Com...
Estratégias de sCommerce
Estratégia


   Estratégia é um plano de ação de longo prazo
   projetado para alcançar uma meta determinada,
   frequente...
Estratégias de sCommerce


  1) Análise Preliminar – Objetivos / público-alvo
     / concorrência
  2) Determinação dos in...
Se você não
sabe para onde
quer ir,
qualquer lugar
serve!




Plano de Marketing:
OBJETIVOS e METAS
KPI – Indicadores de desempenho

 a) visitas e acessos no website e em quais páginas;
 b) quantas visitas se originaram ...
Funil de Conversão
Ações de sCommerce

 On-page  ações dentro do seu site de e-commerce que
  alavanquem o sCommerce. Exemplos:
    Progra...
Monitoramento e Ajustes
Mensuração

 Comércio Social necessita de um novo grupo de
  ferramentas de mensuração e análise que habilite medir
  com...
Jóias, Relógios & Afins
Especificadades e-Commerce de
Jóias, Relógios & Afins



  Públicos de baixa renda  ex: alianças
     66,3 milhões de B...
eCommerce  sCommerce

 eCommerce - Dificuldade em analisar tamanho real das
  peças e experimentar para ver como fica no...
Fórmula sCommerce
Ingredientes mínimos da fórmula do sCommerce


 eCommerce – não dá pra vender online sem um site de
  eCommerce

 Pessoa...
“Teremos cada vez mais
conteúdo na propaganda
    e cada vez mais
propaganda no conteúdo”

 -- atribuído a Nizan Guanaes
Martha Gabriel
      me, www.martha.com.br
 e-mail me, martha@martha.com.br
follow me, twitter.com/marthagabriel
         ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Comercio Social (s-Commerce), por Martha Gabriel

12,576 views

Published on

Palestra sobre Comércio Social (s-Commerce / Social Commerce) apresentada por Martha Gabriel na 50a FENINJER em São Paulo, em 8.fev.2010.

A palestra aborda os principais conceitos do Comércio Social e os aspectos essenciais para sua implementação.

Published in: Business, Education

Comercio Social (s-Commerce), por Martha Gabriel

  1. 1. Comércio Social 50a FENINJER / 8.mar.2010 Martha Gabriel
  2. 2. Martha Gabriel www.martha.com.br / Twitter: marthagabriel / martha@martha.com.br Graduação em Engenharia, UNICAMP Pós-graduação em Marketing, ESPM Pós-graduação em Design, Belas Artes Mestre em Artes, ECA/USP (interfaces de voz, redes sociais) Autora dos livros “Marketing de Otimização de Buscas” – 2008, Ed Esfera, e “SEM e SEO: Dominando o Marketing de Busca”, Ed. Novatec, 2009 e co- autora do livro “MBA | Executivo”, Ed. Saraiva. BSP Business School São Paulo, professora MBA Universidade Anhembi Morumbi, professora MBA e coordenadora de e-learning UFPR, professora MBA Universidade de São Paulo, pesquisadora e doutoranda na ECA NMD New Media Developers, diretora de tecnologia Upgrade! São Paulo, curadora Palestrante Internacional nas áreas de Marketing, Tecnologia, premiada 3 vezes com o “Best of Track Presentation” nos USA
  3. 3. Agradecimento pelo Patrocínio “Intelecto Digital” concedido a Martha Gabriel pela Locaweb 3
  4. 4. Agenda – Mudança de Contexto do Marketing – Comércio Social – Redes Sociais – Comércio Eletrônico – Cases de Comércio Social – Estratégias de s-commerce no Mercado Joalheiro 4
  5. 5. Inversão do Vetor de Marketing Tudo começou com o controle remoto… UM DEDO
  6. 6. Inversão do Vetor de Marketing … chegamos na Era do Cloud Computing, da Participação, da Web 2.0…
  7. 7. Inversão do Vetor de Marketing … e vamos para a Internet das Coisas
  8. 8. Inversão do Vetor de Marketing Evolução da Web  Mudança de comportamento do consumidor  Web 1.0 – Era read-only, sites em HTML estático, navegação via diretórios human-based: Yahoo e Dmoz.  Web 2.0 – Era do user-generated content e read-write web. Pessoas consomem tanto quanto contribuem com informações via blogs ou sites como Flickr, YouTube, etc.  Web 3.0 – Web semântica (ou o significado dos dados), personalização (ex. iGoogle), busca inteligente e behavioral targeting.
  9. 9. Inversão do Vetor de Marketing de Mídia de Massa… das MARCAS para as PESSOAS das PESSOAS para as MARCAS … para My Mídia (Era da Participação)
  10. 10. Inversão do Vetor de Marketing  Mídias e propaganda tradicionais  empresas buscavam os consumidores.  Mídias digitais interativas  são os consumidores que buscam as empresas e marcas  inversão no vetor de marketing.  Nesse caminho, passamos por 3 etapas:  Massa: Generalidade  Segmentação: Especificidade  Digitalização: Sincronicidade  Não basta segmentar, porque as PESSOAS NÃO SÃO, as PESSOAS ESTÃO. É necessário estar em sincronia com elas.
  11. 11. O Fim da Propaganda como Conhecemos  Relatório da IBM “The End of Advertising as We Know It” (nov.2007)  Os próximos 5 anos vão modificar mais o cenário da propaganda no mundo do que os últimos 50.  Relatório baseado na entrevista com 80 executivos de agências e 2400 consumidores  Mudança envolverá bilhões de dólares e deslocará 30% do investimento que hoje é destinado à mídia tradicional, para a mídia online, propulsionada pela web 2.0  Pesquisa eMarketer  Gastos com publicidade online devem chegar a US$ 42 bi até 2011, sendo que marketing em sites de busca deve representar cerca de 40% deste volume.
  12. 12. Os Teleinterativos  Éramos TELEspectadores, espectadores da televisão:  Éramos MONOtela  Hoje, somos MULTI-tela: Cinema, TV, Celular, Computador  Tela-Share: quanto tempo vc passa com cada tela?  As telas são interativas --> passamos a teleinterativos  Isso muda completamente a dinâmica do mercado - o consumidor está no comando:  Presença Ativa (do consumidor) + Experiência Receptiva (no site)
  13. 13. Video Nokia: The 4th Screen
  14. 14. Controle e Métricas Era digital  rastros Rastros  Métricas Métricas  Controle Controle  Mkt Digital
  15. 15. Plataformas, Tecnologias e Estratégias Digitais • Social Media  Presença On-line – SMM, SMO & WOMM  Site & Blog – Orkut, MySpace, Facebook, etc. – SlideShare / YouTube / Del.icio.us  E-mail Mkt – RSS Feeds – FlickR  Realidades Mistas – Twitter  Realidade Virtual: Second Life – Digg  Virtualidade Aumentada – etc..  Realidade Aumentada  Realidade Pura (?) • Marketing de Busca – SEM & SEO  Mobile Mkt  Mobile Tagging & QRcodes • AdverGames  Bluetooth  GPS / estratégias locativas • Tecnologias Emergentes  RFID – Interfaces de Voz (v-commerce)  SMS – Web TV (ex: Justin.TV)
  16. 16. Agenda – Mudança de Contexto do Marketing – Comércio Social – Redes Sociais – Comércio Eletrônico – Cases de Comércio Social – Estratégias de s-commerce no Mercado Joalheiro 16
  17. 17. Comércio Social
  18. 18. Comércio Social - definição  Comércio Social (s-commerce) é um sub-conjunto do comércio eletrônico (e-commerce) que emprega ferramentas colaborativas de redes sociais para auxiliar na compra e venda on-line. s-commerce = e-commerce + redes sociais
  19. 19. Agenda – Mudança de Contexto do Marketing – Comércio Social – Redes Sociais – Comércio Eletrônico – Cases de Comércio Social – Estratégias de s-commerce no Mercado Joalheiro 19
  20. 20. Redes Sociais
  21. 21. Redes Sociais Redes sociais existem pelo menos desde 3000 AC… 21
  22. 22. Redes Sociais … as principais diferenças entre a antiguidade e hoje: COLAPSO do tempo e do espaço 22
  23. 23. Redes Sociais A evolução das redes sociais acompanha a evolução das tecnologias de comunicação interativas: • Escrita • Correios • Telégrafo • Telefone • Computador (BBS, comunidades online, e-mail) • Chat • IMS • Web 2.0 (read write web) • Redes Sociais on-line (Friendster – 1ª rede social online) • Redes Sociais presenciais (Twitter) 23
  24. 24. Redes Sociais & Mídias Sociais Redes Sociais - indivíduos (ou empresas) conectados por um mais tipos específicos de interdependência, como: • Amizade • Parentesco • Proximidade/Afinidade • Trocas Financeiras • Ódios/Antipatias • Relações Sexuais • Relacionamento de Crenças • Relacionamento de Conhecimento • Relacionamento de Prestígio Mídias Sociais - conteúdo online criado por pessoas usando tecnologias de publicação altamente acessíveis e escaláveis. 24
  25. 25. Quem usa Redes Sociais? 25
  26. 26. Laços Importantes nas Redes Sociais Tipos de laços nas redes sociais: • fortes quando se caracterizam pela intimidade e proximidade dos pontos • fracos quando caracterizam-se por relações superficiais e esparsas Os laços fracos devem tomar maior parte de nossas atenções, uma vez que apresentam pontos de mutações constantes, gerando oportunidades e revelando possíveis ameaças iminentes. Independentemente dos tipos de laços, quanto maior o número de laços, maior a densidade da rede, pois mais conectados estão os indivíduos que fazem parte dela. 26
  27. 27. Capital Social & Whuffies Capital social: - Conexão entre indivíduos : redes sociais e normas de reciprocidade e confiança que emergem dela (Putnam ) - Futuro em que o dinheiro não é mais o ponto central das preocupações dos indivíduos e uma nova moeda movimenta as relações sociais, os Whuffies: reputação que os indivíduos tem sobre determinado assunto, as respectivas conexões feitas por eles entre as redes, o grau de influência que exercem sobre as redes em que participam, o histórico de realizações notórias efetivadas no passado e o grau de confiabilidade adquirida e reconhecida. 27
  28. 28. Tipos de Plataformas de Social Media e Networks  Wikis – ex: wikipedia  Social Networks – ex: Orkut, Facebook, MySpace  Presence Applications (miniature blogs) – ex:Twitter  Video Sharing – ex: YouTube  Virtual Reality – ex: Second Life  Events – ex: Upcoming  News Aggregation – ex: Digg, Reddit  Photo Sharing – exL Flickr, Zoomr, PhotoBucket  Livecasting – ex: justin.tv  Episodic online videos – ex: YourTruman-Show  Media Sharing – ex: Izimi, Twango  Music Sharing – ex: last.fm, pocketfuzz  Social Bookmarking – ex: del.icio.us, ma.gnolia.com, blinklist  Social Network Aggregators – ex: socialthing!, socialstream, profilactic 28
  29. 29.  Redes Sociais impactam o marketing principalmente no P de Promoção – estratégias de comunicação - mas TAMBÉM impactam os demais Ps -  Produto de Redes Sociais – ex: Orkut, Twitter, Layar, Ning, etc.  Preço de Redes Sociais – ex: Linden Dolar, troca de um produto por outro em redes sociais (mesmo que seja o seu tempo)  Praça de Redes Sociais – ex: Orkut, Twitter, Facebook, etc.  Promoção de Redes Sociais – PP, PV, MD, RP e VP em redes sociais 29
  30. 30. Pesquisa e.life sobre Redes Sociais no Brasil http://www.mmonline.com.br/portal/noticia/E.Life_apresenta_pesquisa_sobre_midias_sociais
  31. 31. Redes Sociais que + crescem no Brasil
  32. 32. Agenda – Mudança de Contexto do Marketing – Comércio Social – Redes Sociais – Comércio Eletrônico – Cases de Comércio Social – Estratégias de s-commerce no Mercado Joalheiro 32
  33. 33. Comércio Eletrônico
  34. 34. Comércio  Comércio é uma divisão da negociação ou produção que lida com a troca de bens e serviços de um produtor para um consumidor final.  Compreende a troca de algo de valor econômico (como bens, serviços, informação ou dinheiro) entre duas ou mais entidades. Em outras palavras …
  35. 35. COMÉRCIO é …  Comércio é feito para ter RETORNO FINANCEIRO  Foco em:  ROI  VENDAS  RESULTADOS TANGÍVEIS e MENSURÁVEIS  RIGOR E MENSURAÇÃO OPERACIONAL
  36. 36. Comércio Eletrônico & Comércio Social Termo Significado O que é eCommerce Comércio Eletrônico (electronic commerce) Compra e venda online sCommerce Comércio Social (social commerce) Compra e venda online – com milhões de pessoas te ajudando
  37. 37. As 5 Eras da Web Social 1) Era das Relações Sociais: Pessoas se conectam e compartilham 2) Era da Funcionalidade Social: Redes sociais se tornam como o sistema operacional 3) Era da Colonização Social: Toda experiência agora pode ser social 4) Era do Contexto Social: Conteúdo personalizado e preciso 5) Era do Comércio Social: Comunidades definem o futuro dos produtos e serviço
  38. 38. SOCIAL signigica que…  Interação de consumidor para consumidor:  Em outras palavras, NÃO É INTERAÇÃO COM A EMPRESA  “Social" é uma conexão relacional que motiva os consumidores a participar, contribuir e criar experiências.  Social é a motivação chave que guia o conteúdo gerado por usuários
  39. 39. Portanto…  Comércio Social tem a ver com resultados - extraindo valor da estratégia  Qualquer estratégia social precisa se encaixar no negócio e para o negócio.  Precisa ser mensurável e otimizada  Não tem nada a ver com social networking, mídia, ou computação!
  40. 40. Assim: Comércio Social é a estratégia de conectar consumidores a consumidores online e alavancar essas conexões com propósitos comerciais. Em outras palavras – O Comércio Social integra ambientes de venda (B2B e B2C) a formatos de Redes Sociais
  41. 41. Por que Comércio Social é IMPORTANTE?  Pessoas estão se conectando cada vez mais umas às outras – e não a instituições  Cada vez mais pessoas adotam e se fidelizam a redes sociais  74% dos compradores online observam as recomendações de produtos (eMarketer) (http://www.emarketer.com/Article.aspx?R=1007497)  86,3% dos compradores online considera lojas eletrônicas confiáveis (e-bit) (http://www.mundodomarketing.com.br/5%2C12969%2Cconsumidor-considera-lojas-eletronicas-confiaveis.htm)
  42. 42. Mais números importantes…  eCommerce:  27% de crescimento no 1º Sem/2009  32% de crescimento no número de internautas que realizaram a 1ª compra online (15,2 milhões de usuários)  Deste total, 86% declararam estar satisfeitos com os serviços prestados  Redes Sociais:  Cresce a participação e o tempo médio dos usuários que navegam.  85% dos brasileiros que acessam a internet estão em redes sociais  1 a cada 3 internautas, troca opinião sobre marcas, produtos e serviços.
  43. 43. Reforçando Comércio Social não está relacionado a apenas motivar as pessoas a falarem sobre sua marca nas redes sociais, mas sim a motivar as pessoas a fazer compras por meio do canal social.
  44. 44. Agenda – Mudança de Contexto do Marketing – Comércio Social – Redes Sociais – Comércio Eletrônico – Cases de Comércio Social – Estratégias de s-commerce no Mercado Joalheiro 44
  45. 45. Cases de Comércio Social
  46. 46. Amazon – www.amazon.com
  47. 47. FIAT Mio - http://www.fiatmio.cc/pt/ FCC I – Fiat Concept Car I FCC II – Fiat Concept Car II
  48. 48. My Starbucks Idea - http://mystarbucksidea.force.com/
  49. 49. Camisetaria – www.camisetaria.com
  50. 50. Zugara Webcam Social Shopping Video - http://www.youtube.com/watch?v=NxQZuo6pFUw
  51. 51. Commercial building - Tachikawa, Tokyo, Japan
  52. 52. O Boticário – Ação em redes sociais abertas
  53. 53. BOO-BOX – http://www.boo-box.com/site/?locale=pt-BR Viabiliza programa de afiliados em blogs e redes sociais Links para compra direto nas imagens postadas nos blogs – atratividade e sintonia com o público
  54. 54. BOO-BOX – Case blog Dinheirama
  55. 55. BOO-BOX – blog Papo de Gordo
  56. 56. Dell – Twitter (@DellOutlet)  Lionel Mechaca, Chief blogger at Dell, diz que a conta principal da Dell no Twitter (@DellOutlet) alcançou US$ 6.5 milhões em vendas, graças em parte às vendas de outras contas Twitter globais da Dell, tais como Canada e Brasil. Fonte: http://www.pcworld.com/article/184076/dell_makes_money_from_twitter.html
  57. 57. Agenda – Mudança de Contexto do Marketing – Comércio Social – Redes Sociais – Comércio Eletrônico – Cases de Comércio Social – Estratégias de s-commerce no Mercado Joalheiro 57
  58. 58. Estratégias de sCommerce
  59. 59. Estratégia Estratégia é um plano de ação de longo prazo projetado para alcançar uma meta determinada, frequentemente “vencer”. Fatores determinantes: - Objetivo - Análise do Ambiente - Recursos
  60. 60. Estratégias de sCommerce 1) Análise Preliminar – Objetivos / público-alvo / concorrência 2) Determinação dos indicadores de desempenho (KPIs – Key Performance Indicators) 3) Ações de sCommerce 4) Monitoramento dos resultados (via KPIs) 5) Controle e ajustes
  61. 61. Se você não sabe para onde quer ir, qualquer lugar serve! Plano de Marketing: OBJETIVOS e METAS
  62. 62. KPI – Indicadores de desempenho  a) visitas e acessos no website e em quais páginas;  b) quantas visitas se originaram de redes sociais  c) aranhas (robots e crawlers) dos buscadores que visitaram o website, e quando;  d) quantas visitas se originaram de cada buscador;  e) quais palavras-chaves foram usadas para trazer as pessoas a partir dos buscadores e quais são mais efetivas;  f) bounce rate (taxa de rejeição) das páginas;  g) quais os valores de CPC, CTR e demais indicadores das campanhas de links patrocinados;  h) qual a taxa de conversão obtida;  i) qual o comportamento do funil de conversão;  j) etc.
  63. 63. Funil de Conversão
  64. 64. Ações de sCommerce  On-page  ações dentro do seu site de e-commerce que alavanquem o sCommerce. Exemplos:  Programas de recomendação  Sistema de reviews/ avaliações / recomendações de consumidores  Sistema participativo que envolva o consumidor (ex: Fiat Mio)  Off-page  ações fora do seu site de e-commerce que alavanquem o sCommerce. Exemplos:  Ações em redes sociais populares que o seu público-alvo frequenta (ex: Boticário): SMM Social Media Marketing para gerar tráfego via mídias sociais  SEM Search Engine Marketing – para gerar tráfego via buscadores (Google, Yahoo, Bing, etc.)
  65. 65. Monitoramento e Ajustes
  66. 66. Mensuração  Comércio Social necessita de um novo grupo de ferramentas de mensuração e análise que habilite medir com precisão como as atividades nas mídias sociais sobre sua marca impactam não apenas no engajamento com a marca, mas em conversão.  Ao invés de apenas contar com as ferramentas de monitoramento do buzz para ver quem está falando sobre sua marca e o que estão dizendo, agora são necessárias ferramentas sofisticadas de análise que mostram quais conversações boca-a-boca resultam em vendas e porque.
  67. 67. Jóias, Relógios & Afins
  68. 68. Especificadades e-Commerce de Jóias, Relógios & Afins  Públicos de baixa renda  ex: alianças  66,3 milhões de Brasileiros conectados. Classe C é a que + cresce http://is.gd/7zF7Z  Público de alta renda  ex: coleção, exclusividade, jóia exclusiva assinada
  69. 69. eCommerce  sCommerce  eCommerce - Dificuldade em analisar tamanho real das peças e experimentar para ver como fica no corpo (brincos, colares, anéis, etc.)  ver caso da Zugara  sCommerce –  Usuários complementam as informações com recomendações e sugestões  Novas tecnologias associadas com redes sociais, como realidade aumentada pode auxiliar tanto públicos de baixa como de alta renda (escolha e compartilhamento)
  70. 70. Fórmula sCommerce
  71. 71. Ingredientes mínimos da fórmula do sCommerce  eCommerce – não dá pra vender online sem um site de eCommerce  Pessoas – sem pessoas não existem redes sociais em torno do seu produto/marca  Conteúdo que crie:  Visibilidade  Relevância  Credibilidade
  72. 72. “Teremos cada vez mais conteúdo na propaganda e cada vez mais propaganda no conteúdo” -- atribuído a Nizan Guanaes
  73. 73. Martha Gabriel me, www.martha.com.br e-mail me, martha@martha.com.br follow me, twitter.com/marthagabriel 73

×