Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Jogo E EducaçãO Infantil

66,554 views

Published on

Aprsentação elaborada para o Curso " O Cotidiano na Educação Infantil". Local: GERED-joaçaba/SC

Jogo E EducaçãO Infantil

  1. 1. JOGO E EDUCAÇÃO INFANTIL
  2. 2. PALESTRANTE: RITA MARIA COSTENARO PETRY SUPERVISORA DE EDUCAÇÃO BÁSICA E PROFISSIONAL MESTRA EM EDUCAÇÃO
  3. 3. Pedagogos e Psicólogos estão de acordo quanto à importância do Jogo por ser o mesmo, uma atividade física e mental que favorece o desenvolvimento pessoal, como a sociabilidade, de forma integral e harmoniosa.
  4. 4. O Jogo está na gênese do pensamento, da descoberta de si mesmo da possibilidade de experimentar, de criar e de transformar o mundo.
  5. 5. Pelo jogo as crianças exploram os objetos que o cercam, melhoram sua agilidade física, experimentam seus sentimentos, e desenvolvem seu pensamento.
  6. 6. Algumas vezes o realizarão sozinhos,em outras,na companhia de outras crianças, desenvolvendo também o comportamento em grupo.
  7. 7. Podemos dizer que aprendem a conhecer a si próprios, ao mundo que as rodeia e aos demais.
  8. 8. VYGOTSKY (1987) afirma que na brincadeira ”a criança se se porta além do comportamento habitual de sua idade , além de seu comportamento diário; no brinquedo , é como se ela fosse maior do que ela é na realidade“.
  9. 9. Em sua visão: A brincadeira cria uma zona de desenvolvimento proximal favorecendo e permitindo que as ações da criança ultrapassem o desenvolvimento real já alcançado permitindo-lhes novas possibilidades de ação sobre o mundo.
  10. 10. HUIZINGA (1980) filósofo da história, em 1938, escreveu seu livro “ HOMO LUDENS” no qual argumenta que o jogo é uma categoria absolutamente primária da vida, tão essencial quando o raciocínio (HOMO SAPIENS) e a fabricação de objetos (HOMO FABER),
  11. 11. quer dizer que o elemento lúdico está na base do surgimento e desenvolvimento da civilização.
  12. 12. HUIZINGA define jogo como: “ uma atividade voluntária exercida dentro de certos e determinados limites de tempo e espaço, segundo regras livremente consentidas, mas absolutamente obrigatórias, dotado de um fim em si mesmo, acompanhado de um segmento de tensão e alegria de uma consciencia de ser diferente de vida cotidiana.”
  13. 13. O jogo da criança não é equivalente ao jogo do adulto, pois não é uma simples recreação, o adulto que joga afasta-se da realidade, enquanto a criança ao brincar/jogar avança para novas etapas de domínio do mundo que a cerca.
  14. 14. Também a auto-estima, uma das condições do desenvolvimento normal, tem sua gênese na infância em processos de interação social- na família ou na escola-que são amplamente proporcionados pelo brincar.
  15. 15. É de grande importância que os professores compreendam e utilizem o jogo como um recurso privilegiado de sua intervenção educativa.
  16. 16. O PAPEL DO PROFESSOR
  17. 17. Apesar do jogo ser uma atividade espontânea nas crianças, isso não significa que o professor não necessite ter uma atitude ativa sobre ela, inclusive, uma atitude de observação que lhe permitirá conhecer muito sobre as crianças com quem trabalha.
  18. 18. Podemos sintetizar algumas funções do professor frente aos jogos:
  19. 19. <ul><li>Providenciar um ambiente adequado para o jogo infantil: </li></ul><ul><li>Cabe ao professor organizar os espaços de modos permitir as diferentes formas de jogos. </li></ul>
  20. 20. <ul><li>Selecionar materiais adequados: </li></ul><ul><li>O professor necessita estar atento à idade e às necessidades de seus alunos para selecionar e deixar materiais a disposição. Os materiais devem despertar interesse e que favoreçam a criatividade. </li></ul>
  21. 21. <ul><li>Permitir a repetição dos jogos: </li></ul><ul><li>As crianças sentem prazer em repetir jogos que conhecem bem. </li></ul>
  22. 22. <ul><li>Enriquecer e valorizar os jogos realizados pelas crianças: </li></ul><ul><li>Valorizar as atividades das crianças ,interessando-se por elas,animando-as pelo esforço, evitando competição,pois em jogos não competitivos não existem ganhadores ou perdedores. </li></ul>
  23. 23. <ul><li>Ajudar a resolver conflitos: </li></ul><ul><li>Em certos momentos acontecem pequenos conflitos entre as crianças.Cabe ao professor fazer com que as crianças consigam resolver estes conflitos, ensinando-lhes a chegar a acordos, a negociar e compartilhar. </li></ul>
  24. 24. <ul><li>Respeitar as preferencias de cada criança: </li></ul><ul><li>Cabe ao professor propiciar novas oportunidades e novos materiais que enriqueçam os jogos, respeitando os interesses e necessidades da criança. </li></ul>
  25. 25. <ul><li>Não reforçar papéis/ sexistas e ou outros valores do professor: </li></ul><ul><li>O jogo é , por sinal, um meio extraordinário para a formação da identidade e a diferenciação pessoal. </li></ul>
  26. 26. E AÍ, PROFESSORA! <ul><li>Que formas de jogos tens utilizado nas tuas práticas pedagógicas? </li></ul><ul><li>Como vês o jogo enquanto possibilidade pedagógica? </li></ul>
  27. 27. FONTE BIBLIOGRÁFICA DE PESQUISA: TEXTO DE VERA LÚCIA CAMARA F. ZACARIAS MESTRE EM EDUCAÇÃO/PEDAGOGA/CONSULTORA EM EDUCAÇÃO.
  28. 28. ABRAÇOS A TODOS (AS) OBRIGADO!

×