Encontro com Educadores-2

5,411 views

Published on

Apresentação utilizada pela professora Sueli de Curitiba- CESMAR 2007

Published in: Business
  • Be the first to comment

Encontro com Educadores-2

  1. 1. <ul><li>ENCONTRO COM EDUCADORES </li></ul><ul><li>SAS – CESMAR de Joaçaba- SC </li></ul><ul><li>Programa Vida Feliz </li></ul><ul><li>Setembro / 2007 </li></ul>
  2. 2. O OLHAR DO EDUCADOR SOBRE O EDUCANDO Concepções de educador/professor e educando/aluno
  3. 3. Objetivo: <ul><li>Refletir sobre a concepção de educador-educando enquanto sujeitos reais do processo socioeducativo, bem como outras concepções fundantes da prática pedagógica. </li></ul>
  4. 4. Educação Escola Família Educando-educador Contexto
  5. 5. EDUCADOR-EDUCANDO
  6. 6. EDUCANDO
  7. 7. EDUCADOR-EDUCANDO
  8. 8. EDUCADOR-EDUCANDO
  9. 9. EDUCADOR-EDUCANDO
  10. 10. EDUCADOR-EDUCANDO
  11. 11. EDUCAÇÃO <ul><li>Humanização - nos tornamos humanos por meio do processo educativo </li></ul><ul><li>Forma de intervenção no mundo </li></ul><ul><li>Transformadora </li></ul><ul><li>Emancipadora </li></ul><ul><li>Centrada na vida </li></ul><ul><li>Que considere as pessoas, suas culturas, sua identidade </li></ul>
  12. 12. EDUCAÇÃO <ul><li>“ A Educação só tem sentido como vida. Ela é vida. A Escola perdeu seu sentido de humanização quando virou mercadoria, quando deixou de ser o lugar em que a gente aprende a ser gente, para tornar-se o lugar no qual as crianças e os jovens vão para aprender a competir no mercado.” GADOTTI, 2005. </li></ul>
  13. 13. ESCOLA CONTEXTO
  14. 14. <ul><li>ESPAÇO DE RELAÇÕES </li></ul><ul><li>CONFLITOS </li></ul><ul><li>PARTICIPAÇÃO – DIÁLOGO </li></ul><ul><li>SABERES </li></ul><ul><li>LUGAR DE SUJEITOS REAIS – INCOMPLETOS – INACABADOS </li></ul><ul><li>ÉTICA / “BONITEZA” </li></ul>
  15. 15. EDUCADOR-EDUCANDO <ul><li>Sujeitos reais </li></ul><ul><li>Ativos </li></ul><ul><li>Competentes </li></ul><ul><li>Históricos </li></ul><ul><li>Diferentes </li></ul><ul><li>Em construção </li></ul>
  16. 16. EDUCADOR/PROFESSOR <ul><li>As novas tecnologias criaram novos espaços de conhecimento; </li></ul><ul><li>A sociedade da Informação exige um “novo professor”, voltado para: </li></ul><ul><li>Ensinar a pensar; </li></ul><ul><li>Saber comunicar-se; </li></ul><ul><li>Saber pesquisar; </li></ul><ul><li>Estar atento aos cenários; </li></ul><ul><li>Fazer sínteses e elaborações teóricas; </li></ul><ul><li>Ser independente e autônomo; </li></ul><ul><li>Dinâmico e inovador; </li></ul><ul><li>Saber articular o conhecimento com a prática </li></ul>
  17. 17. <ul><li>Ser mediador do conhecimento </li></ul><ul><li>Ser curioso </li></ul><ul><li>Buscar sentido para o que faz </li></ul><ul><li>Apontar novos sentidos para os fazeres dos alunos </li></ul><ul><li>Ser organizador do conhecimento e da aprendizagem </li></ul><ul><li>Ter visão inter e transdisciplinar </li></ul>
  18. 18. <ul><li>Assim, o professor se torna: </li></ul><ul><li>Um aprendiz permanente </li></ul><ul><li>Um construtor de sentidos </li></ul><ul><li>Um cooperador </li></ul><ul><li>Um organizador da aprendizagem (sua e a dos alunos) </li></ul><ul><li>Um profissional com visão ampla que se dá conta da heterogeneidade, capaz de investigar, de ser flexível, de recriar conteúdos e métodos, capaz de identificar problemas e buscar com seus pares alternativas criativas </li></ul>
  19. 19. <ul><li>O professor precisa assumir um papel: </li></ul><ul><li>Relacional </li></ul><ul><li>Dialógico </li></ul><ul><li>Cultural </li></ul><ul><li>Contextual </li></ul><ul><li>Comunitário/cooperativo </li></ul>
  20. 20. <ul><li>O professor precisa, ainda: </li></ul><ul><li>Assumir um compromisso ético com a emancipação das pessoas </li></ul><ul><li>Superar a concepção de que exerce uma profissão meramente técnica </li></ul><ul><li>Atuar na construção de possibilidades para que as pessoas possam aprender, conviver e viverem melhor </li></ul>
  21. 21. Logo, ser professor hoje... <ul><li>“ ...é viver intensamente o seu tempo com consciência e sensibilidade. Não se pode imaginar um futuro para a humanidade sem educadores. Os educadores, numa visão emancipadora, não só transformam a informação em conhecimento e em consciência crítica, mas também formam pessoas... Eles fazem fluir o saber porque constroem sentido para a vida das pessoas e para a humanidade e buscam, juntos, um mundo mais justo e mais saudável para todos.” GADOTTI, 2005 </li></ul>
  22. 22. FORMAÇÃO <ul><li>Um “novo professor” exige uma “nova formação continuada, voltada a diferentes aspectos: </li></ul><ul><li>Reflexão </li></ul><ul><li>Pesquisa </li></ul><ul><li>Ação </li></ul><ul><li>Descoberta </li></ul><ul><li>Organização </li></ul><ul><li>Fundamentação </li></ul><ul><li>Revisão </li></ul><ul><li>Construção teórica – sistematização </li></ul><ul><li>Diálogo </li></ul><ul><li>Coletividade </li></ul>
  23. 23. <ul><li>Reflexão crítica sobre a prática implica examinar, </li></ul><ul><li>Teorias implícitas </li></ul><ul><li>Estilos cognitivos </li></ul><ul><li>Tempos e ritmos de cada um </li></ul><ul><li>Preconceitos, mitos, crenças </li></ul><ul><li>Implica também em ter, </li></ul><ul><li>Coragem e ousadia </li></ul><ul><li>Sonho </li></ul><ul><li>Projeto de vida </li></ul>
  24. 24. EDUCADOR <ul><li>Mediador </li></ul><ul><li>Exerce papel de docência </li></ul><ul><li>Dá direção ao ensino e à aprendizagem </li></ul><ul><li>Habilitado </li></ul><ul><li>Capacitado </li></ul><ul><li>Competente (no campo teórico e na práxis) </li></ul><ul><li>Compreende a realidade com a qual trabalha – superação do senso comum </li></ul><ul><li>Comprometimento político </li></ul><ul><li>Desejo de ensinar – “arte de ensinar” - paixão – envolvimento afetivo – alegria - esperança </li></ul>
  25. 25. <ul><li>EDUCANDO/ALUNO </li></ul><ul><li>Infantis/Crianças </li></ul><ul><li>Adolescentes </li></ul><ul><li>Jovens </li></ul><ul><li>Adultos </li></ul><ul><li>Idosos </li></ul>
  26. 26. <ul><li>Sujeito ativo em permanente construção </li></ul><ul><li>Histórico </li></ul><ul><li>Co-construtor de conhecimentos, identidade e cultura </li></ul><ul><li>Possuidor de capacidade de avanço </li></ul><ul><li>competente </li></ul><ul><li>Portador de saberes </li></ul><ul><li>Ser afetivo </li></ul>
  27. 27. <ul><li>Precisa ver sentido naquilo que aprende </li></ul><ul><li>Precisa estabelecer relações entre o que aprende e o legado da humanidade </li></ul><ul><li>APRENDER – ad (junto de alguém ou algo) e praehendere (tentar prender, agarrar, pegar) </li></ul><ul><li>ENSINAR – insignare (marcar com um sinal) </li></ul>
  28. 28. <ul><li>Os sujeitos da práxis pedagógica não estão dados definitivamente, mas sim devem ser repensados, recompreendidos e reconstruídos a partir de suas identidades e dos contextos </li></ul>
  29. 29. Em resumo... <ul><li>O novo professor é um profissional do sentido </li></ul><ul><li>Que aprende em rede </li></ul><ul><li>Que mobiliza o desejo de aprender do outro (e o próprio) </li></ul><ul><li>Que tem a ética (do encontro, do diálogo, do cuidado) como parte integrante da sua competência, dos seus saberes </li></ul><ul><li>Que educa a partir de um sonho </li></ul><ul><li>Que entende o educar como um projeto de vida </li></ul>
  30. 30. <ul><li>O novo professor é um profissional do encantamento </li></ul><ul><li>Num mundo de desencanto e de agressividade crescentes, o professor tem um papel vital: educar para a promoção da vida, da paz e da solidariedade </li></ul>
  31. 31. <ul><li>Os profetas não são homens ou mulheres desarrumados, desengonçados, barbudos, cabeludos, sujos, metidos em roupas andrajosas e pegando cajados. </li></ul><ul><li>Os profetas são aqueles ou aquelas que se molham de tal forma nas águas da sua cultura e da sua história, da cultura e da história de seu povo, dos dominados do seu povo, que conhecem o seu aqui e o seu agora e, por isso, podem prever o amanhã que eles mais do que adivinham, realizam... </li></ul>
  32. 32. <ul><li>Eu diria aos educadores e educadoras, ai daqueles e daquelas, que pararem com a sua capacidade de sonhar, de inventar a sua coragem de denunciar e de anunciar. </li></ul><ul><li>Ai daqueles e daquelas que, em lugar de visitar de vez em quando o amanhã, o futuro, pelo profundo engajamento com o hoje, com o aqui e com o agora, se atrelem a um passado, de exploração e de rotina. </li></ul><ul><li>Paulo Freire. In: Brandão, C. R. (Org.). </li></ul><ul><li>Educador: vida e morte </li></ul>
  33. 33. <ul><li>PARA EDUCAR AS CRIANÇAS E OS JOVENS É NECESSÁRIO, ANTES DE TUDO, AMÁ-LOS. </li></ul><ul><li>MARCELINO CHAMPAGNAT </li></ul>
  34. 34. <ul><li>Mas, a história ainda não acabou... </li></ul><ul><li>Continuaremos a construção! </li></ul><ul><li>[email_address] </li></ul>
  35. 35. REGISTRO REFLEXIVO <ul><li>O que levo? </li></ul><ul><li>O que deixo como contribuição? </li></ul>
  36. 36. <ul><li>Referências </li></ul><ul><li>FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa . São Paulo: Paz e Terra, 2002. </li></ul><ul><li>GADOTTI, Moacir. Boniteza de um sonho: ensinar-e-aprender com sentido . Curitiba: Positivo, 2005. </li></ul><ul><li>________. Pedagogia da Terra . São Paulo: Peirópolis, 2000. </li></ul>

×