Dificuldades De Aprendizagem

51,937 views

Published on

Published in: Education
5 Comments
33 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
51,937
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2,554
Actions
Shares
0
Downloads
3,005
Comments
5
Likes
33
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Dificuldades De Aprendizagem

  1. 1. Dificuldades de Aprendizagem EE Luiz Martins
  2. 2. “ EU FICO COM A PUREZA DA RESPOSTA DAS CRIANÇAS: É A VIDA, É BONITA E É BONITA... VIVER E NÃO TER VERGONHA DE SER FELIZ CANTAR E CANTAR E CANTAR A BELEZA DE SER UM ETERNO APRENDIZ...” Gonzaguinha
  3. 4. Leitura coletiva do livro <ul><li>João Preste Atenção! </li></ul><ul><li>Patrícia Secco </li></ul>
  4. 5. PSICOPEDAGOGIA <ul><li>É um campo de atuação em Saúde e Educação que lida com o processo de aprendizagem humana, seus padrões normais e patológicos, considerando a influência do meio – família, escola e sociedade – no seu desenvolvimento, utilizando procedimentos próprios da Psicopedagogia. </li></ul>
  5. 6. SÍNDROMES <ul><li>SÍNDROME DE DOWN (cromossomo 21) </li></ul><ul><li>SÍNDROME DO X FRÁGIL </li></ul><ul><li>SÍNDROME DE MOEBIUS (Citotec) </li></ul><ul><li>SÍNDROME DE ASPERGER (autismo de nível leve) </li></ul>
  6. 7. Transtornos da Infância <ul><li>Transtornos da aprendizagem, transtornos das habilidades motoras e transtornos da comunicação (linguagem) </li></ul><ul><li>Transtorno do déficit de atenção-hiperatividade </li></ul><ul><li>Transtornos do Comportamento Disruptivo </li></ul><ul><li>Transtornos Depressivos na Infância </li></ul><ul><li>Transtornos Globais do Desenvolvimento (Autismo Infantil) </li></ul><ul><li>Transtornos de Tique </li></ul><ul><li>Transtornos da Excreção </li></ul><ul><li>Transtornos de Ansiedade na Infância </li></ul><ul><li>Transtorno da Ansiedade de Separação </li></ul><ul><li>Fobias específicas e Fobia social </li></ul>
  7. 8. O que é TDHA <ul><li>O Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade (TDAH) é um transtorno neurobiológico, de causas genéticas, que aparece na infância e freqüentemente acompanha o indivíduo por toda a sua vida. Ele se caracteriza por sintomas de desatenção, inquietude e impulsividade. Ele é chamado às vezes de DDA (Distúrbio do Déficit de Atenção). Em inglês, também é chamado de ADD, ADHD ou de AD/HD. </li></ul>
  8. 9. Quais são os sintomas do TDHA? <ul><li>1) Desatenção 2) Hiperatividade-impulsividade </li></ul><ul><li>O TDAH na infância em geral se associa a </li></ul><ul><li>dificuldades na escola e no relacionamento </li></ul><ul><li>com demais crianças, pais e professores. </li></ul><ul><li>As crianças são tidas como &quot;avoadas&quot;, &quot;vivendo no mundo da lua&quot; e geralmente &quot;estabanadas&quot; e com &quot;bicho carpinteiro&quot; ou “ligados por um motor” (isto é, não param quietas por muito tempo). Os meninos tendem a ter mais sintomas de hiperatividade e impulsividade que as meninas, mas todos são desatentos. </li></ul><ul><li>Crianças e adolescentes com TDAH podem apresentar mais problemas de comportamento, como por exemplo, dificuldades com regras e limites. </li></ul>
  9. 10. Alguns dos sintomas de desatenção e hiperatividade são: <ul><li>Dificuldade de se manter sentado </li></ul><ul><li>Distrair-se facilmente </li></ul><ul><li>Falar excessivamente           </li></ul><ul><li>Dificuldade em seguir instruções </li></ul><ul><li>Dificuldades com tarefas que exige esforço mental </li></ul><ul><li>Perde ou esquece as coisas com freqüência </li></ul><ul><li>Dificuldade de organizar tarefas e atividades </li></ul><ul><li>Dificuldade em manter atenção em tarefas escolares e atividades lúdicas entre outros. </li></ul>
  10. 11. A hereditariedade <ul><li>Os genes parecem ser responsáveis não pelo transtorno em si, mas por uma predisposição ao TDAH. A participação de genes foi suspeitada, inicialmente, a partir de observações de que nas famílias de portadores de TDAH a presença de parentes também afetados com TDAH era mais freqüente do que nas famílias que não tinham crianças com TDAH. A prevalência da doença entre os parentes das crianças afetadas é cerca de 2 a 10 vezes mais do que na população em geral (isto é chamado de recorrência familial). </li></ul>
  11. 12. Desde a gestação: <ul><li>Em menor grau há fatores do meio ambiente que podem estar relacionados ao TDAH (DDA): a nicotina de cigarros fumados pela mãe gestante bem como bebidas alcoólicas consumidas, podem ser causas significativas de anormalidades no desenvolvimento da região frontal do cérebro da criança em gestação; crianças expostas ao chumbo entre 12 e 36 meses de idade pode ser outro fator; traumatismos neonatais como hipoxia (privação de oxigênio), traumas obstétricos, rubéola intra-uterino, encefalite, meningite pós-natal, subnutrição e traumatismo craniano são fatores que também podem contribuir para o surgimento do distúrbio. </li></ul>
  12. 13. Tem remédio para isto! <ul><li>A medicação muitas vezes pode melhorar muito a qualidade de vida da pessoa. No Brasil, a primeira indicação é do estimulante do córtex pré-frontal, o metilfenidato, com nome de Ritalina ou Concerta. Ele funciona como óculos para o míope: devolve a visão focada, mais nítida. Também ajuda a controlar a compulsão. </li></ul>
  13. 15. DISCALCULIA <ul><li>Discalculia Verbal - dificuldade para nomear as quantidades matemáticas, os números, os termos, os símbolos e as relações. </li></ul><ul><li>Discalculia Practognóstica - dificuldade para enumerar, comparar e manipular objetos reais ou em imagens matematicamente. </li></ul><ul><li>Discalculia Léxica - Dificuldades na leitura de símbolos matemáticos. </li></ul><ul><li>Discalculia Gráfica - Dificuldades na escrita de símbolos matemáticos. </li></ul><ul><li>Discalculia Ideognóstica – Dificuldades em fazer operações mentais e na compreensão de conceitos matemáticos. </li></ul><ul><li>Discalculia Operacional - Dificuldades na execução de operações e cálculos numéricos. </li></ul>
  14. 16. DISORTOGRAFIA <ul><li>Até a 2ª série é comum que as crianças façam confusões ortográficas porque a relação com os sons e palavras impressas ainda não estão dominadas por completo. Porém, após estas séries, se as trocas ortográficas persistirem repetidamente, é importante que o professor esteja atento já que pode se tratar de uma disortografia. </li></ul><ul><li>A característica principal de um sujeito com disortografia são as confusões de letras, sílabas de palavras, e trocas ortográficas já conhecidas e trabalhadas pelo professor. </li></ul>
  15. 17. DISARTRIA <ul><li>Tem como característica principal a fala lenta e arrastada devido a alterações dos mecanismos nervosos que coordenam os órgãos responsáveis pela fonação. </li></ul><ul><li>A disartria de origem muscular é resultante de paresia, paralisia ou ataxia dos músculos que intervêm nesta articulação. </li></ul><ul><li>A disartria pode ter origem em lesões no sistema nervoso o que altera o controle dos nervos provocando uma má articulação. </li></ul>
  16. 18. DISGRAFIA <ul><li>A disgrafia é também chamada </li></ul><ul><li>de letra feia. Isso acontece devido </li></ul><ul><li>a uma incapacidade de recordar a </li></ul><ul><li>grafia da letra. Ao tentar recordar este grafismo escreve muito lentamente o que acaba unindo inadequadamente as letras, tornando a letra ilegível. </li></ul><ul><li>Algumas crianças com disgrafia possui também uma disortografia amontoando letras para esconder os erros ortográficos. Mas não são todos disgráficos que possuem disortografia </li></ul><ul><li>A disgrafia, porém, não está associada a nenhum tipo de comprometimento intelectual. </li></ul>
  17. 19. DISLALIA É um distúrbio da fala, caracterizado pela dificuldade em articular as palavras, seja omitindo ou acrescentando fonemas, trocando um fonema por outro ou ainda, distorcendo-os ordenadamente. “ omei” = “tomei” “ balata” = “barata” “ Atelântico” = “Atlântico”
  18. 20. AFASIA <ul><li>Afasia é a perda parcial ou total da capacidade de linguagem, de causa neurológica central, decorrente de AVC (Acidente Vascular Cerebral), lesões cerebrais nas áreas da fala e linguagem. </li></ul>
  19. 21. DISLEXIA <ul><li>É uma dificuldade primária do aprendizado abrangendo: leitura, escrita, e soletração ou uma combinação de duas ou três destas dificuldades. Caracteriza-se por alterações quantitativas e qualitativas, total ou parcialmente irreversíveis . </li></ul>
  20. 22. Sintomas de dislexia na primeira infância: <ul><li>1 - atraso no desenvolvimento motor desde a fase do engatinhar, sentar e andar; 2 - atraso ou deficiência na aquisição da fala, desde o balbucio á pronúncia de palavras; 3 - parece difícil para essa criança entender o que está ouvindo; 4 - distúrbios do sono; 5 - enurese noturna; 6 - suscetibilidade à alergias e à infecções; 7 - tendência à hiper ou a hipo-atividade motora; 8 - chora muito e parece inquieta ou agitada com muita freqüência; 9 - dificuldades para aprender a andar de triciclo; 10 - dificuldades de adaptação nos primeiros anos escolares. </li></ul>
  21. 23. Dificuldades mais identificadas: <ul><li>  - Atraso na aquisição das competências da leitura e escrita. Leitura silábica, decifratória. </li></ul><ul><li>- Nível de leitura abaixo do esperado para sua série e idade. </li></ul><ul><li>- Soletração de palavras ler em voz alta diante da turma Supressão de letras: cavalo /caalo;-. biblioteca/bioteca; - bolacha / boacha </li></ul><ul><li>- Repetição de sílabas: pássaro / passassaro; camada / camamada </li></ul><ul><li>- Seqüência de letras em palavras Inversões parciais ou totais de sílabas ou palavras (ai-ia; per-pré; fla-fal; me-em). </li></ul><ul><li>- Fragmentação incorreta: o menino joga bola - omeninojo gabola </li></ul><ul><li>- Planejar, organizar e Conseguir terminar as tarefas dentro do tempo enunciados de problemas matemáticos e figuras geométricas </li></ul><ul><li>- Elaboração de textos escritos expressão através da escrita </li></ul><ul><li>- Compreensão de piadas, provérbios e gírias </li></ul><ul><li>- Seqüências como: meses do ano, dias da semana, alfabeto, tabuada. mapas copiar do quadro. </li></ul>
  22. 24. HIPERATIVIDADE <ul><li>A hiperatividade, denominada na medicina de desordem do déficit de atenção , pode afetar crianças, adolescentes e até mesmo alguns adultos. Os sintomas variam de brandos a graves e podem incluir problemas de linguagem, memória e habilidades motoras. Embora a criança hiperativa tenha muitas vezes uma inteligência normal ou acima da média, o estado é caracterizado por problemas de aprendizado e comportamento. Os professores e pais da criança hiperativa devem saber lidar com a falta de atenção, impulsividade, instabilidade emocional e hiperativa incontrolável da criança. </li></ul>
  23. 25. HIPOATIVIDADE <ul><li>O termo HIPOATIVIDADE expressa a tradução de sua significação literal, exatamente inversa à condição de Hiperatividade. A criança hipoativa é aquela que parece estar, sempre, no &quot;mundo da lua&quot;, &quot;sonhando acordada.&quot; </li></ul>
  24. 26. Exames necessários para um diagnóstico: <ul><li>Avaliação Multidisciplinar </li></ul><ul><li>Oftalmológico </li></ul><ul><li>Audiometria </li></ul><ul><li>Processamento Auditivo – PAC </li></ul><ul><li>Exame Neurológico </li></ul><ul><li>Outros... </li></ul>

×