Successfully reported this slideshow.
Your SlideShare is downloading. ×

A teoria crítica da tecnologia

Ad

A AMBIVALÊNCIA DA TÉCNICA:
CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA CRÍTICA DA TECNOLOGIA
PARA A MUDANÇA SOCIAL
MARINA POLO
CECS - Centro d...

Ad

>>>A AMBIVALÊNCIA DA TÉCNICA: CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA CRÍTICA DA TECNOLOGIA PARA A MUDANÇA SOCIAL
TÓPICOS DE REFLEXÃO - TE...

Ad

GÜNTHER
ANDERS
ERNST
BLOCH
HANS
JONAS
>>> >>>>>> >>>>>>
TEORIA
CRÍTICA
1930
-
1960
1960
-
1980
1980
1978
ESCOLA DE
FRANKFU...

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Check these out next

1 of 13 Ad
1 of 13 Ad

More Related Content

Slideshows for you (19)

A teoria crítica da tecnologia

  1. 1. A AMBIVALÊNCIA DA TÉCNICA: CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA CRÍTICA DA TECNOLOGIA PARA A MUDANÇA SOCIAL MARINA POLO CECS - Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade UNIVERSIDADE DO MINHO ESTA APRESENTAÇÃO ESTÁ DISPONÍVEL EM: WWW.MARINAPOLO.NET Bibliotecas Públicas, políticas culturais e leitura pública: Prospetiva, tensões e dinâmicas sociais 2º CONGRESSO INTERNACIONAL
  2. 2. >>>A AMBIVALÊNCIA DA TÉCNICA: CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA CRÍTICA DA TECNOLOGIA PARA A MUDANÇA SOCIAL TÓPICOS DE REFLEXÃO - TECNOLOGIA E SOCIEDADE Prospetivas: Horizontes para uma mudança social Da teoria à práxis Dinâmicas sociais: Da sociologia clássica à teoria crítica da tecnologia Tensões: A natureza tensional da tecnologia - a ambivalência da técnica
  3. 3. GÜNTHER ANDERS ERNST BLOCH HANS JONAS >>> >>>>>> >>>>>> TEORIA CRÍTICA 1930 - 1960 1960 - 1980 1980 1978 ESCOLA DE FRANKFURT 1 GERACAO HORKHEIMER ADORNO H. MARCUSE 2 GERACAO HABERMAS 3 GERAÇÃO AXEL HONNETH MATERIALISMO HISTÓRICO RACIONALIZAÇÃO TÉCNICA VIGILÂNCIA PENSAMENTO UNIDIMENSIONAL Matriz Sociologia MARX FOUCALTWEBER TECNO-CAPITALISMO CAPITALISMO DIGITAL CAPITALISMO INDUSTRIAL LUCAKS HEIDEGGER HEGEL DURKHEIN BOURDIEU 1971 > GIDDENS 1972 - 1987 DELEUZE GUATTARI A.FEENBERG 1889 - 1922 1893 - 1912 1867 - 1880 CRÍTICA DA CONSTRUTIVISMO ESTRUTURALISTA CONSTRUTIVISMO REFLEXIVO PÓS ESTRUTURALISMO PÓS-MODERNISMO A reflexão crítica sobre tecnologia A AMBIVALÊNCIA DA TÉCNICA: CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA CRÍTICA DA TECNOLOGIA PARA A MUDANÇA SOCIAL > CAPITALISMO MONOPOLISTA >>>> > > TEORIA CRÍTICA DA TECNOLOGIA
  4. 4. Reflexões sobre a Tecnologia O QUE É FILOSOFIA DA TECNOLOGIA? CONFERÊNCIA. 2003 ANDREW FEENBERG DISPONÍVEL EM: HTTP://WWW.SFU.CA/~ANDREWF/FEENBERG_OQUEEFILOSOFIADATECNOLOGIA.PDF A tecnologia TEORIA CRÍTICA DA TECNOLOGIA carrega valores? é neutra de valores ? é autónoma ao ser humano ? é humanamente controlada? ou envolve decisõo e intenções incorpora e corporifica valores e ideais ou a tecnologia está em constante construção social...
  5. 5. Reflexões sobre a Tecnologia O QUE É FILOSOFIA DA TECNOLOGIA? CONFERÊNCIA. 2003 ANDREW FEENBERG DISPONÍVEL EM: HTTP://WWW.SFU.CA/~ANDREWF/FEENBERG_OQUEEFILOSOFIADATECNOLOGIA.PDF A tecnologia DETERMINISMO TEORIA CRÍTICA DA TECNOLOGIA carrega valores? é neutra de valores ? é autónoma ao ser humano ? é humanamente controlada? ou depende do uso que é feito envolve decisõo e intenção é descoberta e não criada.. incorpora e corporifica valores e ideais ou o avanço tecnológico impacta o social - bom uso: desenvolvimento a tecnologia está em constante construção social...
  6. 6. Reflexões sobre a Tecnologia O QUE É FILOSOFIA DA TECNOLOGIA? CONFERÊNCIA. 2003 ANDREW FEENBERG DISPONÍVEL EM: HTTP://WWW.SFU.CA/~ANDREWF/FEENBERG_OQUEEFILOSOFIADATECNOLOGIA.PDF A tecnologia DETERMINISMO INSTRUMENTALISMO TEORIA CRÍTICA DA TECNOLOGIA carrega valores? é neutra de valores ? é autónoma ao ser humano ? é humanamente controlada? ou depende do uso que é feito envolve decisõo e intenções é descoberta e não criada.. incorpora e corporifica valores e ideais ou o avanço tecnológico impacta o social - bom uso: desenvolvimento a humanidade desenvolve ferramentas para produzir mais e melhor a tecnologia está em constante construção social...
  7. 7. Reflexões sobre a Tecnologia O QUE É FILOSOFIA DA TECNOLOGIA? CONFERÊNCIA. 2003 ANDREW FEENBERG DISPONÍVEL EM: HTTP://WWW.SFU.CA/~ANDREWF/FEENBERG_OQUEEFILOSOFIADATECNOLOGIA.PDF A tecnologia DETERMINISMO SUBSTANTIVISMO INSTRUMENTALISMO TEORIA CRÍTICA DA TECNOLOGIA carrega valores? é neutra de valores ? é autónoma ao ser humano ? é humanamente controlada? ou depende do uso que é feito envolve decisõo e intenções é descoberta e não criada.. incorpora e corporifica valores e ideais ou ( utopias e distopias ) o avanço tecnológico impacta o social - bom uso: desenvolvimento a humanidade desenvolve ferramentas para produzir mais e melhor a tecnologia está em constante construção social... existe um destino tecnológico para a humanidade
  8. 8. A AMBIVALÊNCIA DA TÉCNICA: CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA CRÍTICA DA TECNOLOGIA PARA A MUDANÇA SOCIAL Tensões: a ambivalência da técnica (....) “O A PRIORI TECNOLÓGICO É UM A PRIORI POLÍTICO NA MEDIDA EM QUE A TRANSFORMAÇÃO DA NATUREZA COMPREENDE A DO HOMEM” (...) “QUANDO A TÉCNICA SE TORNA A FORMA UNIVERSAL DA PRODUÇÃO MATERIAL, ELA CIRCUNSCREVE UMA CULTURA INTEIRA; ELA PROJETA UMA TOTALIDADE HISTÓRICA – UM MUNDO” (MARCUSE, 1973) outras projeções são possíveis.... um mundo qualitativamente melhor a humanidade é o sujeito da história a sociedade não tem um carácter imutável
  9. 9. o surgimento de novas desigualdades acadêmicas a opção de publicar com acesso aberto implica em acesso aberto? o acesso aberto revoluciona? ou é o seu amplo uso que pode revolucionar? agentes sociais: consciência - mobilização - luta Tensões: a ambivalência da técnica e o projeto técnico do acesso aberto o acesso aberto pode assumir os interesses corporativos A AMBIVALÊNCIA DA TÉCNICA: CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA CRÍTICA DA TECNOLOGIA PARA A MUDANÇA SOCIAL
  10. 10. NEUTRA CARREGA VALORES O ACESSO ABERTO NEM É BOM... NEM É MAL.. ...MAS TAMBÉM NÃO É NEUTRO. O ACESSO ABERTO OU É BOM OU É MAL DEPENDE DO SEU USO corporfica valores económicos, políticos, sociais...
  11. 11. AUTÓNOMA HUMANAMENTE CONTROLÁVEL A SOCIEDADE MUDA AS FORMAS DE PUBLICAR CONHECIMENTO AS PLATAFORMAS DE ACESSO ABERTO REFLETEM AS MUDANÇAS DA SOCIEDADE O ACESSO ABERTO MUDA A SOCIDADE A SOCIEDADE ESTÁ MUDANDO POR CAUSA DAS PLATAFORMAS DE ACESSO ABERTO
  12. 12. WHY POLICY MAKERS, SCHOLARS, UNIVERSITIES, LIBRARIES, LABOUR UNIONS AND THE PUBLISHING WORLD NEED TO TAKE NON-COMMERCIAL, NON-PROFIT OPEN ACCESS SERIOUS DISPONÍVEL EM: HTTPS://WWW.TRIPLE-C.AT/INDEX.PHP/TRIPLEC/ARTICLE/VIEW/502 “POLICY MAKERS, ACADEMICS AND PUBLISHING WORKERS OF ALL LANDS UNITE! ANOTHER ACADEMIA IS POSSIBLE! ANOTHER ACADEMIC PUBLISHING WORLD IS POSSIBLE!” (FUCHS & SANDOVAL, 2013)
  13. 13. A AMBIVALÊNCIA DA TÉCNICA: CONTRIBUIÇÕES DA TEORIA CRÍTICA DA TECNOLOGIA PARA A MUDANÇA SOCIAL Bibliotecas Públicas, políticas culturais e leitura pública: Prospetiva, tensões e dinâmicas sociais OBRIGADA! marina@marinapolo.net Agradeço à Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) pelo apoio financeiro através de uma bolsa de doutoramento (PD/BD/128177/2016)

×