Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Alto Rio Possmozer

382 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Alto Rio Possmozer

  1. 1. PROJETO LER + Escola de Ensino Fundamental e Médio “Alto Rio Possmoser” Diretora: Marlete B. Kurth Pedagogas: Ana Maria Possimoser dos Santos Maria de Lourdes Malikoschi Krause. Professores: Lidyane Eliza Venturin Leonizia Brandemburg Thatiana Krause Berger Ivonete Aparecida Candido Roberto Mathias de Araujo. Área de conhecimento: Códigos e linguagens Turmas: 5ª a 8ª séries do Ensino Fundamental e 1º ao 3º ano do Ensino Médio Introdução A aprendizagem da leitura sempre se apresenta intencionalmente como algo mágico, senão enquanto ato, enquanto processo da descoberta de um universo desconhecido e maravilhoso. Parodiando Paulo Freire: "ninguém educa ninguém, como tampouco ninguém educa a si mesmo; os homens se educam em comunhão, mediatizados pelo mundo". Refletindo melhor: ninguém ensina ninguém a ler. O aprendizado é, em última instância, solitário, embora se desenvolva na convivência, cada vez mais com os outros e com o mundo, naturalmente. A escola tem por responsabilidade proporcionar aos seus alunos condições para que estes tenham acesso ao conhecimento. Nesse ciclo de criação e recriação do conhecimento, próprio da vida escolar, a leitura ocupa, sem dúvida alguma, um lugar de grande destaque. Se é relativamente fácil constatar a presença de leitura na escola, torna-se um pouco mais difícil discutir as condições concretas de produção de leitura. A relevância e a necessidade do ato de ler para professores e alunos são irrefutáveis, porém, é necessário analisar criticamente as condições existentes e as formas pelas quais esse ato é conduzido no contexto escolar. O discurso e o bom senso mostram que a leitura é importante no processo de escolarização das pessoas, porém, os recursos reais para a prática da leitura na escola podem, entretanto, contrapor-se àquele discurso. Assim, a dimensão quantitativa (mais ou menos leitura) e a dimensão qualitativa (boa ou má leitura) do processo, dependem das condições escolares concretas para a sua produção. No ensino, não basta discutir ou teorizar o valor da leitura. É preciso construir e levar a prática que a leitura venha a ser cada vez mais sedimentada na vida do educando. Ler é um ato libertador. Quanto maior vontade consciente de liberdade, maior terá que ser o índice de leitura. Justificativa A leitura é importante em todos os níveis educacionais. Portanto, deve ser iniciada no período de alfabetização e continuar nos diferentes graus de ensino. Ela constitui-se numa forma de interação das pessoas de qualquer área do conhecimento. A leitura é uma atividade essencial a qualquer área do conhecimento. Está intimamente ligada ao sucesso do ser que aprende. Permite ao homem situar-se com os outros. Possibilita a aquisição de diferentes pontos de vista e alargamento de experiências. É também um recurso
  2. 2. para combater a massificação executada principalmente pela televisão. Para ele, o livro é ainda um importante veículo para a criação, transmissão e transformação da cultura. Através do hábito da leitura, o homem pode tomar consciência das suas necessidades (auto educar-se), promovendo a sua transformação e a do mundo. Pode praticar o exercício dialético da libertação. Atualmente, não mais se pode pensar em escrita e leitura como unidimensionais. Sem dúvida o texto escrito e lido sempre teve e continua a ter uma dimensão fundadora inalienável. Mas a ela somam-se muitas outras interfaces que permitem ao leitor, atribuir e construir novos e coerentes significados para o que lê e interpreta. É na escola, pela mediação do professor e por meio de livros e outros suportes de leitura que os estudantes aprenderão a ler, a escrever e a enxergar sua própria realidade e a realidade do outro. Essa relação é essencial ao jovem, que pelo contato e exploração de diferentes textos e por meio de ações intermediadas, o aluno passará a interagir com seus pares, a produzir um conhecimento partilhado e com isto consegue representar oralmente e por escrito, sob vários registros verbais, seu pensamento, sua experiência prévia de vida e seu conhecimento coletivo de mundo. Partindo deste pressuposto, a EEEFM “Alto Rio Possmoser” pretende, neste ano de 2013,continuar realizando ações de incentivo á prática da leitura e de escrita proeficientes por meio deste projeto. Objetivos *Oportunizar o acesso ás obras literárias, resgatando o valor literário e o prazer de ler. *Criar condições que favoreçam a prática da leitura, pesquisa, informação e reflexão, instrumentos para a formação e exercício da cidadania. * Desenvolver a competência leitora nos alunos, a fim de favorecer o aprendizado e diminuir a reprovação e a evasão. Metodologia O Projeto compreende a leitura como uma prática social, uma interação entre leitor e texto, em que instigado pelo que lê, o leitor produz sentidos, dialoga com o texto, com os intertextos e com o contexto, ativando o seu conhecimento interno. Assim, será oportunizado a cada série o estudo específico das obras de um determinado autor por cerca de um semestre. Dentre muitas atividades a serem desenvolvidas, destacamos a pesquisa da biografia do autor, a produção artística do perfil do mesmo, o trabalho com as obras a partir da confecção de murais, releitura de obras, etc, sempre objetivando a interdisciplinariedade. Ao final do segundo semestre, realizar-se-á uma Mostra Literária, com o propósito de partilhar os conhecimentos adquiridos. Recursos Livros Jornais Cartolina
  3. 3. Murais Cola Data Show Computador EVA Referências Bibliográficas FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 6. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1978. LAJOLO, Marisa. Leitura em crise na escola, Porto Alegre: Mercado Aberto, 1987. MANGEL, Alberto. Uma história da leitura. São Paulo: Cia das Letras, 1997. MARTINS, Maria Helena. O que é leitura. 16. ed. São Paulo: Brasiliense, 1982. (Série Primeiros Passos). RANGEL, Mary. Dinâmica de leitura para sala de aula. 4. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 1990. SILVA, Ezequiel T. Leitura na escola e na biblioteca. Papirus, 1986. “Se a criança é a única culpada nos tribunais adultos por não ler, pede-se o veredicto inocente... mais culpados são os adultos que não lhe proporcionam esse contato, que não lhe abrem essas – e outras tantas- trilhas para toda a maravilha que é a caminhada pelo mundo mágico e encantado das letras... Fanny Abramovich

×