Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Visões de ser vivo: por uma fisiologia do real e do vital

1,100 views

Published on

Visões de ser vivo que abarcam abordagens fisiológicas reais e que tenham um ponto de vista do vital, da matéria viva, não da matéria bruta.

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Visões de ser vivo: por uma fisiologia do real e do vital

  1. 1. Visões de ser vivo<br />Por uma fisiologia do real e do vital<br />
  2. 2. Biologia molecular<br />
  3. 3. Biologia molecular<br />
  4. 4. Biologia molecular<br />
  5. 5. Biologia...<br />
  6. 6. Visões de ser vivo<br />Biologia molecular<br />Biologia sistemica<br />
  7. 7.
  8. 8. Biologia sistêmica<br />
  9. 9. Biologia sistêmcia<br />
  10. 10. Visões de ser vivo<br />Biologia molecular<br />Biologia sistêmica<br />
  11. 11.
  12. 12.
  13. 13.
  14. 14.
  15. 15.
  16. 16.
  17. 17. AyurvédicaMedicina Tradicional Chinesa<br />Visões de ser vivo: <br />Por uma fisiologia do real e do vital<br />
  18. 18. AyurvédicaMedicina Tradicional Chinesa<br />
  19. 19. Ayurvedica<br />
  20. 20. Ayurvedica<br />
  21. 21.
  22. 22. AyurvédicaMedicina Tradicional Chinesa<br />
  23. 23. Medicina Tradicional Chinesa<br />
  24. 24.
  25. 25. Por uma fisiologia do real e do vital<br />Visões fisiológicas do sistema vivo<br />Estudo do ser vivo sob uma visão estrutural<br />
  26. 26. Por uma fisiologia do real e do vital<br />Visões fisiológicas do sistema vivo<br />Estudo do ser vivo sob uma visão estrutural<br />Temperamento e constituição <br />A caracterização da visão de ser vivo da Antroposofia<br />Um modelo de ser vivo (humano) usado por um pesquisador homeopata.<br />
  27. 27. Por uma fisiologia do real e do vital<br />Visões fisiológicas do sistema vivo<br />Estudo do ser vivo sob uma visão estrutural<br />Temperamento e constituição <br />A caracterização da visão de ser vivo da Antroposofia<br />Um modelo de ser vivo (humano) usado por um pesquisador homeopata.<br />Níveis de comunicação do nível biológico<br />
  28. 28. Por uma fisiologia do real e do vital<br />Visões fisiológicas do sistema vivo<br />Estudo do ser vivo sob uma visão estrutural<br />Temperamento e constituição <br />
  29. 29.
  30. 30.
  31. 31. Temperamento e constituição <br />Humores,<br />Temperamento,<br />Constituição,<br />Elementos, <br />Qualidades,<br />...<br />
  32. 32.
  33. 33.
  34. 34.
  35. 35.
  36. 36.
  37. 37. Por uma fisiologia do real e do vital<br />Visões fisiológicas do sistema vivo<br />Estudo do ser vivo sob uma visão estrutural<br />A caracterização da visão de ser vivo da Antroposofia<br />
  38. 38. Antroposofia<br />
  39. 39.
  40. 40.
  41. 41. Por uma fisiologia do real e do vital<br />Visões fisiológicas do sistema vivo<br />Estudo do ser vivo sob uma visão estrutural<br />Um modelo de ser vivo (humano) usado por um pesquisador homeopata.<br />
  42. 42. Bellavite<br />Auto–organização - arranjo estrutural<br />Aberto ao meio ambiente – trocas – o sistema vivo depende, desde seu começo, do meio ambiente, temporal – eventos ocorrendo com certa freqüência, espacial – forma, íons, moléculas, agregados de células, órgãos<br />Complexos – o sistema contêm informações em grau superior à soma de suas partes, autorganizadas e com vários níveis de organização<br />Dinâmicos – todas suas partes, interligadas, estão sempre em movimento<br />Teleonomia<br />Propriedades dos sistemas vivos<br />A maquinaria da vida usa as leis da física e da química , e da energia disponível (em primeira e fundamental instância, a luz do sol) em ordem de (com o propósito de) manter a complexa organização da vida. <br />
  43. 43. Visões fisiológicas do sistema vivo<br />Estudo do ser vivo sob uma visão estrutural<br />Níveis de comunicação do nível biológico<br />
  44. 44. BastideLagache<br />Leoni<br />
  45. 45.
  46. 46.
  47. 47.
  48. 48. Por uma fisiologia do real e do vital<br />Modelos biológicos<br />Modelagem<br />Teorias projeção<br />Da máquina ao ser vivo<br />Sempre modelos<br />Sistemas biológicos<br />Fenômenos<br />Utilização <br />Do ser vivo à máquina<br />Sempre modelos<br />
  49. 49.
  50. 50.
  51. 51.
  52. 52.
  53. 53.
  54. 54.
  55. 55.
  56. 56. Bases da Homeopatia e bases da pesquisa<br />
  57. 57. Bases da Homeopatia e bases da pesquisa<br />
  58. 58.
  59. 59.
  60. 60. Maria Thereza do Amaral<br />Email: mariathereza.amaral@gmail.com<br />Twitter: @mariatheBR<br />Blog: mariatherezaamaral.wordpress.com<br />Blog Consultoria: http://mthconsultoria.wordpress.com<br />Linkedin: www.linkedin.com/in/mariatherezaamaral<br />Lattes: buscatextual.cnpq.br/buscatextual/visualizacv.jsp?id=K4700949U4<br />

×