Biologia da conservação1

1,145 views

Published on

  • Be the first to comment

Biologia da conservação1

  1. 1. Biologia da conservação
  2. 2. • Entender efeitos das atividades humanas sobre a diversidade biológica• Desenvolver abordagens para prevenir extinções e reintegrar espécies aos ecossistemas DEFINIÇÃO DE BIODIVERSIDADE Genes Comunidades Espécies
  3. 3. Valoração da biodiversidadeU$ 33 bilhões por ano
  4. 4. Invasões biológicas e doenças
  5. 5. Expansão da população humana
  6. 6. 1965 Fragmentação florestal no Pontal do Paranapanema
  7. 7. Perda de espécies e destruição de habitat  Vertebrados  Florestas, cerrados,recifes de coral, áreas alagadiças Atividades humanas
  8. 8. RELAÇÃO ESPÉCIES-ÁREA Morcegos em cavernas Kodric-Brown & Brown 1993Brunet & Medellin 2001 Peixes em lagos no deserto
  9. 9. Fragmentação de habitats Processo em que o hábitat contínuo é transformado em manchas de menor área, e isolados entre si por uma matriz diferentes da original Wilcove et al. 1986. Dois componentes que atuam em escalas de tempo diferentes:1. Redução de hábitat2. Alteração da configuração de hábitat
  10. 10. Ilhas de tamanhos distintos
  11. 11. TEORIA DA BIOGEOGRAFIA DE ILHAS MACARTHUR & WILSON 1976
  12. 12. Paradigma das populações pequenasEstocasticidade ambiental CatastrófesEstocasticidade demográfica
  13. 13.  Depressão endogâmica Flexibilidade evolutiva Gargalos e efeito do fundador
  14. 14. EFEITO DE BORDAInfluência da matrizInvasão de espéciesExposição ao ventoExposição ao solAlteração de umidade Chopins-de-cabeça-marrom
  15. 15. Fragmentação, interações e extinção
  16. 16. Degradação de habitat  Resíduos e poluição  Invasões biológicas  Bioacumulação  Extinções locais e propagação do problema
  17. 17. Boiga irregularis Brachiaria spp. Linepithema humile30 bilhões de prejuízo Euglandina rosea Perca do NiloColumbia livia
  18. 18. Lythrium salicaria1800 como planta ornamental e medicinalEspalhada por todos os estados, exceto Florida3 milhões de sementes ao anoHidro e barocoriaReduz distribuição e populações de 44 nativas
  19. 19. Introdução acidental de Boiga irregularis em Guam Abundância de presas  Ausência de predador  Comportamento de forrageamento
  20. 20. Boiga irregularis Extinção local de espécies de aves Interrupção dos processos depolinização e dispersão de sementes
  21. 21. Fixação de nitrogênio Diminui quantidade de água no solo Tamarix spp. Myrica fayaConcentra sais na superfície e prejudica competidores Mesembryanthemum crystallinum
  22. 22. O exemplo da Brachiaria Efeito alelopático Sufoca plântulas e jovensCrescimento rápido e competição por luz e nutrientes do solo
  23. 23. Chaunus marinusAté 35000 ovosGirinos tóxicosPode comer qualqueroutro vertebrado terrestrecom até quase seu própriotamanho corporalSaposAvesCrocodilos e cobras
  24. 24.  Combustíveis fósseis DesmatamentoEfeito estufa Aquecimento global
  25. 25. Efeitos prováveis do aquecimento global
  26. 26. Eutrofização Explosão dos produtores primários via aumentoda produtividade aumento sequencial dos consumidores Redução do oxigênio e decomposição porbactérias Produtividade alta, diversidade baixa
  27. 27. Modificado de Hooper et al. 2005
  28. 28. Abordagens conservacionistas Espécies e populações Comunidades e ecossistemas Persistência Planejamento de áreas protegidas Ameaças Mitigação de efeitosMonitoramentos de longo prazo Manejo de reservas Manejo de populações Ecologia da restauração
  29. 29. Critérios e categorias de conservação
  30. 30. Vulnerabilidade diferencial das espécies Área de ocorrência limitada Poucas e pequenas populações Baixa densidade populacional Tamanho corporal e necessidade de habitats grandes Dispersores ineficientes Migrantes sazonais Pouca variabilidade genética Especialização em nichos específicos Sensibilidade a perturbações Caça e exploração
  31. 31. Genética, mortalidade, razão sexual e capacidade suporte
  32. 32. Reintrodução em OmãManejo em cativeiroCaça ilegal e novo declínioSpalton et al. 1999
  33. 33. Fragmentação e destruição de hábitat200 indivíduos para 1500 atualmenteAcréscimo para preservar variabilidade genéticaReintrodução em reservas próximas – REBIO União
  34. 34. Legaddina lakedownensis (roedor da Ilha Thevenard)Declínio devido a roedores exóticos e envenenamento1996 – Reintrodução na ilha de Serrurier (Australia) Ecologia da espécie – alimento, organização espacial Aprendizado e socialização em cativeiro Local da reintrodução Manutenção da variabilidade genética Doenças Monitoramento pós-reintrodução
  35. 35. Espécies
  36. 36. Análise de lacunas: tipos de vegetação edistribuição de animais
  37. 37. HotspotsRiqueza de espécies, endemismo e ameaças
  38. 38. Prioridades
  39. 39. Planejamento de reservas (SLOSS) Mesma área total Não interrompe o fluxo de Inclui maior diversidade de indivíduos ambientes Maior efeito de borda
  40. 40. Mitigando efeitos da fragmentação Corredores e conectividade Aves e pequenos mamíferos Doenças e predação
  41. 41. Técnicas de restauração Substituição - Plantação de Pinus ou Eucaliptus Previne erosão Controle de cheias Banco de sementes Transplante do banco e plantio de espécies nativas
  42. 42. Métodos atuais de restauração
  43. 43. Próximos desafios Diversidade genética Inserção de outras formas de vida Abrigos e poleiros para espécies dispersores e polinizadoras
  44. 44. Restauração e dispersão  Colonização Vento  Atividade dos dispersores  Ferramentas Maior número de sementes Zoocoria Funcionamento
  45. 45. POLEIROS ARTIFICIAIS
  46. 46. Engenheiros e funcionalidade do ecossistema Transposição da serrapilheira

×