A PérolaJohn Steinbeck
“A PÉROLA”Autor:JohnSteinbeckTradução:ClarisseTavaresEditora Livros doBrasilEdição Fevereiro2011Lisboa
“O seu povo tinha sido outrora grande cultor decanções, de tal modo que tudo o que via oupensava, ou fazia e ouvia, se tra...
“- E eu não tenho mais que fazer se nãocurar picadas de insectos dos „pobresíndios‟. Eu sou médico, não souveterinário.- S...
“Mas as pérolas eram acidentes, e só seencontrava uma por sorte, como umapequena palmada nas costas de Deus oudos deuses, ...
“ A partir daquele dia, iriam observaratentamente Kino e Juana, para veremse a riqueza lhes daria a volta à cabeça,como a ...
“ A notícia da doença da criançaespalhara-se rapidamente pelas cabanas,porque a doença ocupa o segundo lugar,depois da fom...
“...e o melhor e o mais feliz doscompradores de pérolas era aquele quecomprava pelo preço mais baixo.”
Trabalho realizado por:Leonardo Hügens, n. 14, 8ºAAbril 2013Escola Secundária de Santa Maria da Feira
A pérola de Steinbeck
A pérola de Steinbeck
A pérola de Steinbeck
A pérola de Steinbeck
A pérola de Steinbeck
A pérola de Steinbeck
A pérola de Steinbeck
A pérola de Steinbeck
A pérola de Steinbeck
A pérola de Steinbeck
A pérola de Steinbeck
A pérola de Steinbeck
A pérola de Steinbeck
A pérola de Steinbeck
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

A pérola de Steinbeck

3,307 views

Published on

A Pérola de John Steinbeck
Apresentação oral

Published in: Education
  • Be the first to comment

A pérola de Steinbeck

  1. 1. A PérolaJohn Steinbeck
  2. 2. “A PÉROLA”Autor:JohnSteinbeckTradução:ClarisseTavaresEditora Livros doBrasilEdição Fevereiro2011Lisboa
  3. 3. “O seu povo tinha sido outrora grande cultor decanções, de tal modo que tudo o que via oupensava, ou fazia e ouvia, se transformava numacanção”“Isso não queria dizer que não houvesse cançõespessoais. Naquele momento, por exemplo, haviauma canção nova, pura e doce, na cabeça deKino, e, se soubesse falar dela, ter-lhe-ia chamadoCanção da Família.”
  4. 4. “- E eu não tenho mais que fazer se nãocurar picadas de insectos dos „pobresíndios‟. Eu sou médico, não souveterinário.- Sim, patrão – disse o criado.- Ele tem dinheiro? – perguntou omédico.- Não, eles nunca têm dinheiro. Elesacham que eu, apenas eu, tenho detrabalhar de graça... E eu estou fartodisso. Vai ver se ele traz dinheiro!”
  5. 5. “Mas as pérolas eram acidentes, e só seencontrava uma por sorte, como umapequena palmada nas costas de Deus oudos deuses, ou de todos juntos”
  6. 6. “ A partir daquele dia, iriam observaratentamente Kino e Juana, para veremse a riqueza lhes daria a volta à cabeça,como a riqueza sempre faz. Toda a gentesabia por que motivo o médico tinhavindo.”
  7. 7. “ A notícia da doença da criançaespalhara-se rapidamente pelas cabanas,porque a doença ocupa o segundo lugar,depois da fome, entre os inimigos dospobres. E alguns disseram em voz baixa:- Como se vê, a sorte traz maus amigos.”
  8. 8. “...e o melhor e o mais feliz doscompradores de pérolas era aquele quecomprava pelo preço mais baixo.”
  9. 9. Trabalho realizado por:Leonardo Hügens, n. 14, 8ºAAbril 2013Escola Secundária de Santa Maria da Feira

×