Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Amor de perdição - 2ª G - 2011

20,404 views

Published on

  • Be the first to comment

Amor de perdição - 2ª G - 2011

  1. 1. E.E. Profa. Irene Dias Ribeiro Obra: Amor de Perdição Autor: Camilo Castelo Branco Alunos: Amanda Hellen Beatriz Cristina Carol Garcia Jessica Naiara 2ºG-2011
  2. 2. Biografia: <ul><li>Camilo Ferreira Botelho Castelo Branco ! </li></ul><ul><li>Amor de Perdição é uma das obra de Camilo Castelo Branco, que </li></ul><ul><li>Nasceu em Lisboa,16 de março de 1825,na freguesia de Mártires. </li></ul><ul><li>Á 14 de Abril de 1825,foi batizado na igreja dos . M Mártires. </li></ul><ul><li>. </li></ul><ul><li>Em 1836,Com á morte de sua </li></ul><ul><li>mãe(Jacinta Rosa do Espirito Santo Ferreira) </li></ul><ul><li>e depois de seu pai (Manuel Joaquim Botelho </li></ul><ul><li>Castelo Branco) e ele foi viver com </li></ul><ul><li>a tia em vila real. </li></ul>
  3. 3. E com 16 anos em 1841 Casa-se com Joaquina Pereira que ainda não completara quinze anos .mas logo abandona a mulher com uma filha .
  4. 4. . Em 1843 Camilo Castelo Branco estuda Medicina em Coimbra, mas abandonou curso e foi para Coimbra em 1845 onde entrou para o curso de direito. E em 1846 voltando a Vila Real rapta Patrícia Emília e foge com ela para o porto. Abandona - a logo em seguida .
  5. 5. <ul><li>1850 -uma crise religiosa levam a ingressar no seminário Episcopal do porto . 1851 -pública sua primeira novela Anátema. 1852 -desiste de sua intenção de ser ordenar. 1857 -Apaixona-se por Ana Plácido , casada com pinheiro Alves. 1858 -É admitido como membro da academia real da ciências . 1859 -Ana Plácido vai viver com Camilo abandonando seu marido ,que a processa por adultério. 1861 -Camilo e Ana Plácido são absolvidos e passam a viver juntos. 1862 -Pública Amor De Perdição , que lhe dá grande popularidade . Morre Pinheiro Alves ,deixando á viúva uma quinta em São Miguel de Seide . 1864 -Camilo e Ana Plácido ,mudam-se para são Miguel . 1885 -Morre Ana Plácido , á 20 de setembro . 1890 -Suicida-se com um tiro na cabeça no dia 1 de junho em São Miguel de Seide . </li></ul>
  6. 6. Amor de perdição Escrito em apenas 15 dias em 1862 um dos expoentes do Romantismo em Portugal , que assume como uma espécie de ‘’Romeu e Julieta’’ Dois jovens que lutam por ... Um amor impossível ... ...um amor de perdição ...
  7. 7. Personagens <ul><li>Simão Botelho </li></ul><ul><li>Teresa de Albuquerque </li></ul><ul><li>Mariana </li></ul><ul><li>Domingos Botelho </li></ul><ul><li>Manuel Botelho </li></ul><ul><li>Baltasar Coutinho   </li></ul><ul><li>Tadeu de albuquerque </li></ul><ul><li>D. Rita </li></ul><ul><li>João da Cruz </li></ul>
  8. 8. ENREDO O livro amor e perdição conta a história de 3 jovens que sofrem paixões impossíveis que acabam levando os 3 a perdição . Simão Botelho, filho de Domingos Botelho e D. Rita, estuda em Coimbra Simão muda seu comportamento quando se apaixona por Teresa de Albuquerque, vizinha da casa de seus pais. O amor entre eles é impossível, pois suas famílias são inimigas . O relacionamento entre Simão e Teresa se dá através de cartas, à distância . Fazem a intermediação das cartas uma mendiga e a moça Mariana, filha do amigo e protetor de Simão, João da Cruz. Mariana, apesar de apaixonada por Simão, presta-se ao papel de intermediária para o rapaz não sofrer . Mariana contenta-se apenas com a presença de Simão . O pai de Teresa, Tadeu de Albuquerque, quer casá-la com seu sobrinho Baltasar Coutinho. A moça se recusa ao casamento e é mandada para o convento . Teresa é colocado no convento de Viseu, por influência de Baltasar Coutinho. Quando a moça vai ser transferida para o convento de Monchique , no Porto, Simão vai ao encontro dela. Simão acaba matando Baltasar Coutinho e entregando-se à prisão . Simão é condenado à forca . Mariana, tão logo sai a sentença, sofre de um ataque de loucura . Amigos, conhecidos, familiares e sobretudo sua mãe, Rita, pressionam seu pai a interceder em seu favor, mas Domingos Botelho, residindo afastado da família, resiste a fazê-lo. Até que um tio o coloca contra a parede. Domingos Botelho age, movido também pelo prazer em se mostrar mais influente que Tadeu de Albuquerque. Consegue assim a comutação da pena do filho para um degredo de dez anos na Índia
  9. 9. Mariana, filha de João da Cruz, é quem cuida do rapaz e dos ferimentos, apaixonada por ele, vai para o Porto para acompanhá-lo . João da Cruz é assassinado por um crime que cometeu antigamente . Teresa que está no convento gravemente doente despede-se com um lenço branco do navio que parte levando Simão e morre em seguida. Simão fica muito doente e morre quatro dias depois. Mariana ao vê o corpo de seu amado sendo atirado ao mar atira-se ao mar junto ao corpo de Simão.
  10. 10. Espaço e tempo A narração desenvolve-se em vários espaços -Vila Real, Coimbra, Lisboa, Lamego Viseu — referidos no Capitulo . I  e que referenciam acontecimentos passados com a família de Simão Botelho .No entanto, a ação central salta de Coimbra (onde Simão estudava) para Viseu (onde se situam as casas de Simão, de Teresa e de João da Cruz), para o Porto (cela da prisão de Simão e cela do convento de Monchique) e finalmente para o beliche do navio que parte para a índia, levando Simão. Há, assim, uma redução do espaço físico, à medida que a ação se aproxima do fim, mas o lançamento do cadáver ao mar é como que o retorno aos grandes espaços, à imensidão sem limite que o amor de Simão exigia. Também com Teresa há a mesma redução do espaço físico: de Viseu (casa do pai)para a cela do convento de Viseu e depois para a cela do convento de Monchique , e depois, também, o grande espaço , a eternidade . O TEMPO  : da história é cronológico , linear; os acontecimentos sucedem-se de acordo com o calendário. Assim, a história inicia- se em 1779 (ano do casamento dos pais de Simão) e vai terminar em 1807, mais precisamente no dia 27 de Março (morte de Simão). Há ,no entanto, um retrocesso quando se narram os acontecimentos da família de Simão .
  11. 11. Foco Narrativo Do ponto de vista do foco narrativo, ou da postura do narrador perante a história, os elementos realistas de  Amor de Perdição  estão na critica às instituições religiosas, os conventos, e no comportamento não-passional de alguns personagens secundários, como João da Cruz, É possível perceber estes elementos nas passagens da obra em que o narrador denuncia a corrupção do convento de Viveu e enfatiza a lealdade, o senso prático, a sensatez de João da Cruz, relativizando assim a passionalidade predominante no romance. Escrita em terceira pessoa, esta obra caracteriza-se por um narrador onisciente, isto é, um narrador que desvenda o universo interior dos personagens, sabendo mais do que eles próprios, o que lhes passa pela mente e pelo coração. O tipo de onisciência deste narrador pode ser classificado como onisciência intrusa, na medida em que ele não só revela mas também comenta os sentimentos e comportamentos dos personagens, deixando claro o seu ponto de vista a favor dos que amam e contra os que impedem a realização do amor O episódio mais representativo do romance, no sentido de provocar lágrimas nos leitores românticos e risos nos leitores realistas, ocorre no seu desfecho, quando o tema da ‘morte por amor” atinge o clímax: Teresa morre no convento, ao sentir irreversível a perda de Simão, o qual, por sua vez, é tomado de uma febre fatal, no navio que o levaria pura longe da amada, quando fica sabendo de sua morte. Já Mariana, apaixonada por Simão, atira-se ao mar agarrada ao seu corpo.
  12. 12. Verossimilhança Camilo opunha-se ao romance realista , julgando-o imoral . Criticava-o por retratar pessoas fúteis ou que premeditam crimes que desorganizam famílias :padres que rompem o celibato e alterações sexuais . O escritor rejeitava esses temas em favor da apologia do sentimento.
  13. 13. Movimento Literário <ul><li>Em Amor de Perdição encontramos o traço principal da novelística passional de Camilo : a concepção do amor como uma </li></ul><ul><li>espécie de destino , de fatalidade , que domina e orienta e define a vida (e a ,morte )das personagens principais . Marcado pela transcendência , esse amor trará consigo sempre um equivalente de sofrimento e de infelicidade :ou porque a paixão se choca frontalmente com as necessidades do mundo social , ou porque significa em ultima analise um desejo luciferino de recuperar o paraíso na terra . </li></ul>
  14. 14. Conclusão As personagens do Romantismo vivem em conflito com a sociedade, que impõe limites à realização de seus desejos. No caso de Amor de Perdição, o obstáculo a ser superado é a família, tanto da de Teresa quanto a de Simão. As personagens do Realismo vivem em contradição consigo mesmas e com a sua visão do mundo.   Camilo castelo Branco escreveu o romance Amor de Perdição nos seus quinze dias mais atormentados de sua vida em que passou na cadeia do porto quando foi preso acusado de adultério , o romance baseia-se na história triste passado na mocidade de seu tio paterno Simão Antônio Botelho.
  15. 15. Um Amor de Perdição...
  16. 16. B Bibliografia <ul><li>Livro amor de perdição </li></ul><ul><li>http :// www.youtube.com/watch?v=6YBvrUYyCiU&feature=related </li></ul><ul><li>http:// www.slideshare.net/lermaisemelhor/roteiro-presentation?src=related_normal&rel=2332307 </li></ul><ul><li>http:// www.slideshare.net/HermanLi/amor-de-perdio-2-a-2011-7986762 </li></ul><ul><li>http:// www.passeiweb.com/na_ponta_lingua/livros/analises_completas/a/amor_de_perdicao </li></ul><ul><li>http://apostilas.netsaber.com.br/apostilas/1601.pdf </li></ul>

×