Revolução industrial

6,566 views

Published on

A revolução industrial inglesa

Published in: Education
4 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • que grandre bosta
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • têm razão que merda é esta. Lixo autêntico ! fodasse
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • és como Mc Donaldds tudo a um 1€
    puta
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • que é isto badalhoca bebada nao sabes escrever?
    porca nao sabes nada porca de merda
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total views
6,566
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
38
Actions
Shares
0
Downloads
133
Comments
4
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Revolução industrial

  1. 1. COMO SE CARACTERIZA A REVOLUÇÃO INDUSTRIAL INGLESA?
  2. 2. INDICADORES DE APRENDIZAGEM <ul><li> Descreve os condicionalismos da prioridade inglesa na Revolução Industrial.  Analisa a importância da máquina a vapor na alteração do regime de produção  Explica a importância da Revolução dos Transportes. </li></ul><ul><li> Caracteriza a 2ª Revolução Industrial  Analisa as modificações do quotidiano provocadas pela revolução dos transportes </li></ul>
  3. 3. Competências <ul><li>Tratamento da informação </li></ul><ul><li>Contextualização </li></ul><ul><li>Comunicação em História </li></ul>
  4. 9. Máquina inventada por Cartwright em 1784 Em 1733, John Kay inventou a lançadeira volante, que já não se fazia correr à mão mas por um sistema de cordéis
  5. 10. O progresso dos teares provocou a ira dos operários sem emprego que assaltaram a casa de Kay. Este teve de fugir pela janela
  6. 11. A máquina a vapor de James Watt usava um condensador separado para arrefecer o vapor depois de utilizado no cilindro principal. Isto permitia que o cilindro principal se mantivesse quente e, assim, aumentava a sua eficiência. O segredo era o êmbolo de duplo efeito.
  7. 12. Engrenagem de elevação a vapor, no cimo de uma mina de carvão, c. 1820
  8. 13. Interior de uma mina
  9. 14. Máquina a vapor de Savery retirando água de um poço Máquina de Newcomen em funcionamento na casa das bombas de aspiração do poço de uma mina. Ao contrário da de Savery não tinha de ser montada no fundo do poço.
  10. 15. pela força do homem <ul><li>Até ao século XVIII, toda a energia era produzida </li></ul>
  11. 16. O motor da 1ª revolução industrial foi <ul><li>A partir do século XVIII/XIX , a força motriz reside na própria máquina </li></ul>A máquina a vapor inventada por James Watt em 1769
  12. 17. MANUFACTURA MAQUINOFACTURA Unidade de produção: Oficina Unidade de produção: Fábrica Produção em pequena escala Produção em larga escala escala Predominância do trabalho manual Diversificação e especialização dos instrumentos de trabalho: introdução da máquina Especialização e qualificação do trabalho A máquina substitui a qualificação técnica do operário. Divisão do Trabalho Trabalhadores controlam os meios de produção O Patrão controla os meios de produção
  13. 18. Como se explica a prioridade inglesa na industrialização europeia?
  14. 19. <ul><li>(…) a Inglaterra dispunha de importantes recursos em carvão, ferro, cobre e estanho. A sua agricultura fornecia matérias-primas às industrias têxteis e às fábricas de cerveja. As possibilidades naturais de transporte oferecias pelos rios navegáveis, portos e mar, juntava uma rede de canais, estradas e carris de ferro das minas. A guerra (nos mares, na América e na Índia) estimulou a metalurgia, os têxteis e a construção naval inglesas. Numa altura em que as barreiras alfandegárias retalhavam o continente, homens e mercadorias circulavam livremente na Grã-Bretanha (…) e uma série de invenções e inovações técnicas aumentavam a produção. As condições socais contribuíram igualmente para o desenvolvimento económico – a aristocracia investia nas atvidades industriais ou comerciais e um artesão podia subir na escala social. </li></ul><ul><li>A. Michel, Le Grand Atlas (adaptado) </li></ul>
  15. 20. Condições da prioridade inglesa <ul><li>Revolução agrícola: matérias primas, libertação de mão-de-obra, recursos financeiros </li></ul><ul><li>Matérias primas. Hulha e (nas colónias ) algodão. </li></ul><ul><li>Revolução demográfica: mão de obra barata e numerosa. </li></ul><ul><li>Rede de comunicações: rios, canais, estradas, portos </li></ul><ul><li>Mercados: interno, europeu e colonial </li></ul><ul><li>Inovações técnicas: lançadeira volante, tear mecânico, pudlagem </li></ul><ul><li>Acumulação de capital: investimentos nas fábricas, minas e vias de comunicação </li></ul><ul><li>Liberalismo económico: Burguesia e Nobreza empreendedora. </li></ul>
  16. 21. Exercício – liga cada um dos elementos Ligue os elementos da direita aos que lhes correspondem à esquerda. Da produção manufactrueira Regime político inglês Excedente de mão de-obra Capitais para investimento Abundância de Matérias-primas Existência de um forte mercado Boa rede de comunicações Factor económico Monarquia Parlamentar Factor social Provindos da agricultura e do comércio Baseado no comércio colonial Produção maquinofactureira Portos, rios, canais...
  17. 22. Quais foram os sectores de arranque da revolução industrial?
  18. 23. Sectores de Arranque
  19. 26. Fábrica textil nos finais do século XIX
  20. 27. Os aperfeiçoamentos do tear desde Hargreaves, Arkwright, Ka, Crompton até Cartwright e Jacquard provocaram uma verdadeira revolução industrial
  21. 28. Forno para produção de aço, onde se coloca sucata de aço, minério de ferro e calcário. Depois de tudo fundido pelo calor, junta-se a gusa. Quando o forno é carregado com os metais saem grandes línguas de fogo
  22. 30. A máquina a vapor foi aplicada a vários sectores da produção: Textil, metalúrgica e siderúrgica
  23. 31. Desenvolvimento das redes de transporte
  24. 35. <ul><li>Estação de caminho de ferro em 1874. A banca de livros de W.S. Smith mostra a forma como o caminho-de-ferro tornou possível o desenvolvimento dos jornais nacionais: podiam ser carregados no comboio da meia-noite, de modo a chegar a diversas cidades de manhã prontos a serem distribuídos. </li></ul>
  25. 37. Que vantagens do comboio são referidas no documento ? Antes da abertura da linha Manchester-Liverpool a ligação entre as duas cidades era assegurada por 22 diligências regulares e 7 suplementares, que transportavam, ao todo, 688 pessoas por dia. Desde a sua inauguração há 18 meses, o comboio já transportou 700mil pessoas, o que corresponde a um média de 1070 por dia. (…) As mercadorias expedidas de Liverpool são recebidas no próprio dia em Manchester. (…) já começaram a ser exploradas novas minas de carvão e foram construídas várias fábricas ao longo da via férrea, criando assim novos empregos. (…) As pessoas que residem perto da linha consideram o comboio muito prático, porque podem deslocar-se para o seu trabalho mais rapidamente e a um preço mais baixo. Revista Annual Register (1832)
  26. 38. Incremento da produção (desenvolvimento do comércio/alargamento dos mercados
  27. 39. Crescimento das cidades (aumento da população e do consumo) <ul><li>Sheffield – 1854 – expansão industrial </li></ul>
  28. 41. 2ª REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
  29. 42. NOVOS INVENTOS NOVAS INDUSTRIAS
  30. 46. <ul><li>A bateria ou pilha de Volta foi feita com discos de cobre e zinco e pedaços de tecido ensopados em ácido sulfúrico, colocados pela seguinte ordem: cobre; ácido; zinco;; cobre; ácido; zinco, etc. Volta produzia fortes faíscas entre os discos de cobre e zinco. </li></ul>
  31. 47. <ul><li>Faraday inventou o gerador eléctrico e o motor eléctrico </li></ul>
  32. 48. A Lâmpada de Edison
  33. 50. Exposição Internacional de Electricidade <ul><li>A Exposição Internacional de Electricidade foi aberta ao público no palácio da Indústria , em paris em 10 de Agosto de 1881 (…) O sucesso da Exposição vai ultrapassar certamente tudo quanto se possa imaginar e marcará o progresso realizado pela ciência moderna (…). O comboio eléctrico que transporta os visitantes; as máquinas eletromagnéticas e dínamo-eléctricas em funcionamento; os focos luminosos brilhando; os telefones que permitem ouvir à distância as representações da ópera – tudo isto é tão novo que nem sequer o seu nome era conhecido há cinco anos atrás (…) À noite, a Exposição resplandece com luzes que nunca se haviam visto brilhar até aos dias de hoje. </li></ul><ul><li>Revista A Natureza (1881) </li></ul>
  34. 56. Golden arrow – Flecha de Ouro – 1929 . Atingiu 370 Km/h
  35. 60. Avião
  36. 65. Canhão KRUPP
  37. 66. Realejo – era um aparelho que emitia som quando se fazia girar a manivela
  38. 67. <ul><li>Fonógrafo de Edison </li></ul>
  39. 68. Grafonola
  40. 69. Máquina fotográfica Niepce de posteriormente Daguerre são os pioneiros da fotografia
  41. 70. Cinematógrafo dos irmãos Lumière
  42. 76. Couraçado – barco a vapor de guerra
  43. 77. Carro desportivo FIAT 1907
  44. 78. 1885 1760 – 1º carro a vapor – tractor para canhões. A máquina a vapor situa-se à frente da única roda dianteira
  45. 79. Panhard - 1894
  46. 80. Peugeot a gasolina - 1884
  47. 81. SÍNTESE
  48. 82. Condições da prioridade Inglesa <ul><li>Matérias primas </li></ul><ul><li>Mão-de-obra numerosa </li></ul><ul><li>Vias de comunicação favoráveis </li></ul><ul><li>Investimento de capitais </li></ul><ul><li>Burguesia e nobreza empreendedora </li></ul><ul><li>Inovações técnicas – com destque para a máquina a vapor </li></ul>
  49. 83. Sectores de arranque <ul><li>Sectores têxtil e metalúrgico </li></ul>
  50. 84. CONCLUSÃO <ul><li>A 1º Revolução industrial deu-se na Inglaterra de vido a um conjunto de factores favoráveis. – abundância de matérias primas, inovações técnicas, mão-de-obra, vias de comunicação, e existência de capitais. </li></ul><ul><li>Com a 1º revolução industrial, alterou-se o regime de produção. A utilização da máquina permitiu produzir em maior quantidade a preços mais baratos. Em consequência aumentou o consumo e a procura de mercados. </li></ul>
  51. 85. <ul><li>A indústria têxtil e a indústria metalúrgica constituem os sectores de arranque da Revolução industrial inglesa. </li></ul><ul><li>A revolução técnica atingiu o ponto mais alto com a máquina a vapor, símbolo da 1ª revolução industrial. </li></ul><ul><li>Também nos transportes se deram grandes alterações (estradas, canais, caminho-de-ferro). </li></ul>
  52. 86. SUMÁRIO <ul><li>A evolução agrícola, a revolução demográfica e a revolução Industrial </li></ul><ul><li>As condições da prioridade inglesa. Os sectores de arranque. As inovações nos transportes </li></ul><ul><li>A segunda revolução industrial </li></ul>

×