Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Dança renascentista

6,788 views

Published on

Dança europeia na época dos descobrimentos

Published in: Education
  • Be the first to comment

Dança renascentista

  1. 1. DANÇA RENASCENTISTA
  2. 2. • As festas em Portugal, desde Afonso V, tinham um grande aparato cenográfico e coreográfico nas quais eram gastas grandes somas de dinheiro.
  3. 3. No século XV e XVI que o espírito da aventura, da descoberta e da conquista por novos mundos é plenamente realizado. O exotismo, o misticismo do desconhecido, o chá do oriente, as especiarias quentes, as danças africanas. Época da troca cultural com povos agora conhecidos. Do Teatro de Gil Vicente. Da dinastia Filipina e da miscelânea cultural ibérica. Nos bailes da corte dançam-se as pavanilhas, as mouriscas, a Gelosia? O bobo que diverte, a música que encanta, a dança que anima!
  4. 4. • Todos os reis da 2ª dinastia são dados como bons bailadores, até D. João III. • A dança de espadas passou a dança dos pauliteiros • A dança mourisca tornou-se mímica antecipadora das batalhas. Dançarino de Mourisca. Erasmus Grasser, 1480. Munique
  5. 5. Mourisca A mouresca ou mourisca é uma dança da Idade Média de ritmo binário, viva, típica dos Mouros de Espanha. Espalha-se por toda a Europa. Apresenta-se de duas formas: - em solo como dança de corte - em pares ou grupo, como dança de combate com espada ou pau. Como dança tradicional, encontra-se sob formas diferentes mas com características similares, desde a Macedónia à Inglaterra passando pela ilha Korcula ( em croata moreska), Itália e Alemanha. • Mouricos ou cristãos –novos (do espanhol Morisco, literalmente « pequeno mouro ») eram os muçulmanos de Espanha convertidos à força. http://fr.wikipedia.org/wiki/Moresque
  6. 6. A mouresca que é frequentemente referida nas peças vicentinas, é uma palavra que no decurso do tempo, definiu várias danças, uma com carácter guerreiro e outra individual o que se poderá deduzir da existência de escolas para o ensino desta dança.
  7. 7. Diz Gil Vicente em “Exortação da Guerra”: • “Todas estas figuras se ordenaram em caracol, e as vozes cantavam e representavam o que se segue cantando todos. Todos: “Ta la la la lão, ta la la la lão”. Aníbal: Avante, avante, Senhores! Que na guerra com razão Anda Deos por capitão (P. 232)
  8. 8. • Danças guerreiras: • - o caracol • - a suíça
  9. 9. Gil Vicente, poeta, pintor, músico, coreógrafo dos divertimentos do palácio deixou, em diversas textos dramáticos, vagas indicações cénicas, mas, que deixam antever o esplendor da montagem dos seus “autos”.
  10. 10. • Garcia de Resende numa das suas raras referências à representação de uma peça de Gil Vicente, diz, sem citar o nome, que no decorrer do casamento da princesa Beatriz, depois das danças, houve a representação de uma comédia, muito bem feita, com inúmeras personagens, muito bem vestidas e naturais. Tratar-se-ia de “As Cortes de Júpiter” (1521)
  11. 11. Cortes de Júpiter • Esta peça, representada num Domingo, 4 de Agosto de 1521, por ocasião das festas realizadas por ocasião da partida da Infanta D. Beatriz, (que se iria juntar ao seu novo marido, o duque Carlos III da Saboia), abre a sequência das comédias alegóricas, sempre acompanhadas de grandes espetáculos. • Toda a comédia desenvolve temas ligados à travessia da viagem que D. Beatriz iria realizar: feita por mar, de Lisboa a Nice, passando por Gibraltar.
  12. 12. • A peça inicia-se com um discurso da Providência, após o qual Júpiter, na qualidade de pai dos deuses, convoca os quatro ventos, com a missão destes, por sua vez, convocarem o Mar, o Sol, a Luz e Vénus, para se reunirem em cortes. Justifica-se, assim o nome da peça: "Cortes de Júpiter".
  13. 13. • Cantaram todas estas figuras em chacota a cantiga de Llevádeme por el río, e os ventos foram chamar o planeta Mars, o qual veio com seus sinos, Cancer, Leo e Capricórnio, e diz Mars:
  14. 14. Niña era la ifanta doña Breatiz se decía nieta del buen rey Hernando el mejor rey de Castilla hija del rey don Manuel y reina doña María reyes de tanta bondad 615 que tales dos no había. Niña la casó su padre muy hermosa a maravilla con el duque de Saboya que bien le pertenecía señor de muchos señores más que rey es su valía. Ya se parte la ifanta
  15. 15. • https://www.youtube.com/watch?v=1OzNCzmTs2Q – Ninha era la Infanta
  16. 16. la ifanta se partía de la muy leal ciudad que Lixbona se decía la riqueza que llevaba vale toda Alejandría sus naves muy alterosas sin cuento la artellaría. Va por el mar de levante tal que temblaba Turquía con ella va el arzobispo señor de la cleresía van condes y caballeros de muy notable osadía lleva damas muy hermosas hijasdalgo y de valía. Dios los lleve a salvamiento como su madre querría.
  17. 17. • Este romance cantam os planetas e sinos a quatro vozes, pera com as palavras dele e música desencantarem a moura Tais de seu encantamento, a qual entra com o terçado e anel e didal de condão, que Mars disse que ela tinha em seu poder, e diz: (…)
  18. 18. Cortes de Júpiter • Neste "desfile carnavalesco" também participam personagens da corte, tendo os membros da família real direito a um tratamento mais cuidado, uma vez que desfilam instalados em carros triunfais. Na cauda deste cortejo vêm as damas com as suas aias. • Ao terminar a peça, uma "moura encantada" desperta do seu sono, e apresenta as suas dádivas à Infanta. • Esta peça que conjuga o diálogo, a canção e a dança, parece anunciar a chegada da Ópera.
  19. 19. Gil Vicente consegue habilmente pôr em jogo a astrologia, a mitologia, as tradições folclóricas e os acontecimentos da época, criando uma espécie de revista de grande espetáculo.
  20. 20. • Nas breves didascálias da Compilaçom de 1562, encontramos referências do género: “todas as personagens se posicionam como numa dança”, desfilam “com um grande aparato de música”, “dançam ao som desta canção”, dançam ao som das trombetas de quatro ventos”, “cantam uma canção”, “armam uma folia”, etc., mas não sabemos a que género de movimentos correspondem estas indicações genéricas que na época eram evidentes. Folia
  21. 21. • O primeiro registro do termo "folia" aparece no “Auto da Sibila Cassandra” de Gil Vicente, escrita por volta de 1513, na qual se menciona a folia como uma dança interpretada por pastores.
  22. 22. • Folia e Chacota parecem designar danças de grupo com uma coreografia bem definida. • Outras danças como a Mouresca, borrego, o baile de terreiro a três não são mais fáceis de imaginar. • O Tordião é uma espécie de galharda, então em moda em toda a Europa.
  23. 23. Tordião • O Tordião) (palavra derivada do verbo francês "tordre" / torcer) é uma dança viva, de natureza similar à galharda e popular no meio do século XV na corte da Borgonha até ao fim do século XVI em todo o reino de França. O baile era com frequência acompanhado por dança baixa, devido aos seus tempos contrastantes. Também se bailava juntamente com a pavana, também em pares. • Em ritmo ternário, o tordião é descrito como sendo "mais rápido e suave" em comparação com a galharda. • http://pt.wikipedia.org/wiki/Tourdion
  24. 24. • https:// www.y outube .com/w atch?v= 4TiyrG3 KsYY - Pierre Attaign ant -- Tordion "La Magdal ena«
  25. 25. • https:// www.yo utube.c om/wat ch?v=rx lwCTOu TSs – Tordion : Quand je vois du vin clairet
  26. 26. • https://www.youtube.com/watch?v=Nh C2NA08M0A - Dancing a Tordion at Kentwell 1553
  27. 27. • As personagens de Gil Vicente, dançam frequentemente ou querem dançar, quer sejam plebeus ou nobres. • Os Mouros e os judeus aparecem como reconhecidos especialistas destas atividades. • O próprio Apolo não escapa ao frenesim da dança.
  28. 28. • Jordi Savall - Recercada quarta sobre La Folia (Diego Ortiz) • https://www.youtube.com/watch?v=r3w5kSVYHsI
  29. 29. https://www.youtube.com/watch?v=5Frq7rjEGzs • Jordi Savall - Folías de España
  30. 30. • Bal Renais sance Pantin 2010 • https:/ /www. youtub e.com/ watch? v=z67j 8qtMH ZY
  31. 31. • https://www.youtube.com/watch?v=_SgLJqv2wRY - folia
  32. 32. • Folia • Música Portugu esa del XVI - CIRCA 1500 & Gerard LESNE. wmv https://w ww.youtu be.com/ watch?v= Yv8yR12j Wgs
  33. 33. • Bal Renaissance à Tours - https://www.youtube.com/watch?v=Hm_-dOb7d-w
  34. 34. • Bal Renaissance Pantin 2009 - https://www.youtube.com/watch?v=A-nugfH84hM
  35. 35. • https://www.youtube.com/watch?v=XUkwLeNi_YQ
  36. 36. • https://www.youtube.com/watch?v=hVBlFUb0g60 – pavana renascentista.
  37. 37. • https://www.youtube.com/watch?v=BXZrT4fMgFk – pavana e galharda.
  38. 38. • https://www.youtube.com/watch?v=B10z9b_PRXw – pavana passos.
  39. 39. • https://www.youtube.com/watch?v=hVBlFUb0g60 - Renaissance Dance, Pavane
  40. 40. DANZAS MORISCAS Y MÚSICAS DE LA DIÁSPORA SEFARDÍ - Concierto de Jordi Savall • https://www.youtube.com/watch?v=TEFkeHPUrcw
  41. 41. Pavane la Battaglia auf dem Renaissance-Fest Schloss Dyck 23. 5. 09 • https://www.youtube.com/watch?v=7UPi3uP5O18
  42. 42. La cançion bailada & La danza cantada | Jordi Savall • https://www.youtube.com/watch?v=3FToVzQcRNI
  43. 43. Música / Dança Indiana Tradicional - Mohiniyattam • https://www.youtube.com/watch?v=n4syDqFEts0
  44. 44. • https://www.youtube.com/watch?v=VqvoFHekE0c&index=5&list=PL 936690BA70799EB8 • Dança renascentista
  45. 45. • https://www.youtube.com/watch?v=a826x9x1oUs&index=19&list=PL 936690BA70799EB8 • Renaissance Dance - Branle Gay
  46. 46. • https://www.youtube.com/watch?v=hVBlFUb0g60 – pavana renascentista. • https://www.youtube.com/watch?v=B10z9b_PRXw – pavana passos. • https://www.youtube.com/watch?v=BXZrT4fMgFk – pavana e galharda.
  47. 47. Iniciação à dança renascentista • https://www.youtube.com/watch?v=45PBlB-nrH4 - How to Dance Through Time: The Majesty of Renaissance Dance | Dancetime • https://www.youtube.com/watch?v=liTfVwW6MZ8 - Renaissance Dance Branle des Lavandieres Washerwomen's Branle • https://www.youtube.com/watch?v=wibSynxWZf4 - Renaissance Dance Last bar Branle des Lavandieres Washerwomen's Branle • https://www.youtube.com/watch?v=B10z9b_PRXw – Pavana
  48. 48. dança renascentista sem música • https://www.youtube.com/watch?v=iHJHCE9WJEg
  49. 49. Bibliografia: • Sasportes, José, Ribeiro, António, Pinto, Histoire de la danse, Synthèses de la culture portugaise, Europália, 1991 Portuga, INCM
  50. 50. http://ww3.fl.ul.pt/centros_invst/teatro/pagina/Publicacoes/Pecas/Textos_GV/Cortes%20de% 20Jupiter.pdf
  51. 51. • http://www.gilvicente.eu/autos/1509-1512/cassandra.html
  52. 52. • file:///C:/Users/maria/Documents/bb27.PDF
  53. 53. Maria de Fátima Isidro Martins Gomes

×