Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

A conquista de ceuta

3,623 views

Published on

Os motivos que lavaram os portugueses a Ceuta

Published in: Education
  • Be the first to comment

A conquista de ceuta

  1. 1. Conquista de Ceuta 1415
  2. 2. Conquistas e descobrimentos no período Henriquino. Áreas de influência <ul><li>A Expansão no Norte de Ádfrica </li></ul>
  3. 3. Indicadores de aprendizagem <ul><li>Refere a importância estratégica da praça de Ceuta para o futuro da empresa expansionista. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>João Afonso disse-me ( a D. João I) que a cidade de Ceita é grande, nobre e azada para se tomar … mas eu não quis dar nenhuma resposta sem saber se isso é serviço de Deus </li></ul><ul><li>Gomes Eanes de Zurara </li></ul><ul><li>Crónica da tomada de Ceuta </li></ul>
  5. 5. <ul><li>Que razões levaram os portugueses a Ceuta? </li></ul>
  6. 8. Preparação dos navios para Ceuta nos estaleiros de Miragaia, segundo Fernão Lopes , o mais importante do país. (Arquivo Histórico Municipal do Porto) Monumento evocativo do esforço tripeiro para a conquista de Ceuta
  7. 11. <ul><li>Partida da Armada do Infante D. Henrique para a Conquista de Ceuta – Câmara Municipal do Porto </li></ul>
  8. 14. <ul><li> </li></ul><ul><li>Azulejos na Estação de São Bento: Infante D. Henrique na conquista de Ceuta. </li></ul>
  9. 15. <ul><li>A Tomada de Ceuta,1942, Mural a fresco </li></ul><ul><li>Salão Nobre, Palácio de S. Bento, Lisboa de Domingos Rebelo (1891-1975). </li></ul>
  10. 18. Razões Económicas
  11. 20. - Centro comercial onde afluíam mercadorias do Oriente, ouro do Sudão e escravos do interior africano
  12. 21. - Rica em cereais
  13. 22. - Controlava a navegação entre o Mediterrâneo e o Atlântico
  14. 23. - Abundante de matérias primas (couros, peles e corantes para a indústria têxtil )
  15. 24. - permitiria o alargamento da área de pesca
  16. 25. Razões sociais
  17. 26. Clero – queria expandir a fé cristã e aumentar as suas rendas
  18. 27. Nobreza – queria guerrear, obter terras, cargos e aumentar as suas riquezas
  19. 28. - Burguesia – queria alcançar novos mercados, ouro e matérias primas
  20. 29. Povo – esperava conseguir melhores condições de vida
  21. 30. Muitos portugueses, movidos pela defesa da fé cristã, desejavam ir combater os Muçulmanos - que viviam do outro lado do mar
  22. 31. Razões Político-militares
  23. 32. - Acabar com a pirataria no Algarve
  24. 33. - Evitar que os muçulmanos marroquinos pudessem socorrer os da Península Ibérica ( Granada)
  25. 34. Antecipar-se a Castela
  26. 35. Razões Religioso-Ideológicas
  27. 36. Espalhar a fé de Cristo entre os infiéis
  28. 37. Curiosidade em conhecer de perto as terras dos Muçulmanos
  29. 38. 1415 – Conquista de Ceuta Interesses portugueses nesta praça do Norte de África
  30. 39. 1415 – Conquista de Ceuta Interesses portugueses nesta praça do Norte de África Especiarias Produtos de luxo orientais Escravos Ouro Poderio militar Espírito de cruzada
  31. 40. Síntese
  32. 41. <ul><li>Os portugueses quiseram conquistar Ceuta pela: </li></ul><ul><li> sua importância como entreposto comercial para onde confluíam as rotas do comércio oriental (ouro, especiarias e produtos de luxo); </li></ul><ul><li> Por ter uma posição estratégica no Estreito de Gibraltar - permitia o controlo do Mediterrâneo; </li></ul><ul><li> fertilidade dos seus solos ( produzia cereais em abundância, nomeadamente o trigo); </li></ul><ul><li> permitiria a expansão cristã ; </li></ul><ul><li> permitiria conquistar de outras cidades no Norte de África. </li></ul>
  33. 42. <ul><li>A conquista de Ceuta, liderada pelo próprio rei D. João I, foi um êxito militar, mas acabou por ser um fracasso económico : </li></ul>Os muçulmanos desviaram as suas rotas comerciais para outras cidades do Norte de África; A situação de guerra em redor da cidade e a morte de soldados portugueses era constante; Os campos de cultivo de cereais eram continuamente atacados e destruídos; Ceuta passou a ser uma cidade cristã isolada, mantida com grande esforço financeiro e militar. “ CEUTA É UM SORVEDOURO DE GENTE E DINHEIRO”, Infante D. Pedro.
  34. 43. Actividade <ul><li>Responde à situação colocada por D. Pedro. </li></ul>
  35. 44. Conclusão <ul><li>Em 1415, os portugueses conquistaram Ceuta. Esta cidade do Norte de África, era rica em especiarias, ouro e cereais. Era também um importante porto de pesca e uma base de pirataria moura sobre os barcos cristãos. Impediria que os muçulmanos desembarcassem na península Ibérica para ajudar os seus irmãos. </li></ul><ul><li>O espírito de cruzada da empresa era evidente </li></ul><ul><li>. </li></ul>
  36. 45. <ul><li>O seu domínio abria o domínio do mediterrâneo e das rotas que vinham do sul. </li></ul><ul><li>Podia servir de base para outras conquistas. </li></ul>
  37. 46. <ul><li>Em vez disto, os Mouros desviaram as rotas para outras cidades e passaram a guerrear continuamente Ceuta que não tinha suficientes efectivos para responder de forma eficaz. </li></ul><ul><li>A conquista de Ceuta foi um fracasso </li></ul>
  38. 47. ACTIVIDADE
  39. 48. MENCIONA AS RAZÕES EVENTUALMENTE APRESENTADAS PELOS ” INFANTES E O CONDE DE BARCELOS” AO REI D. JOÃO, PARA O CONVENCER DA CONQUISTA DE CEUTA.

×