Vamos dar uma “rapidinha”!!! Dra Maria Cristina de Souza Neto Pediatria Intensivista
<ul><li>Paciente 2 meses de vida, masculino. Queixa principal: não quer alimentar-se há 1 semana.  </li></ul><ul><li>Ao ex...
<ul><li>  O que fazer ???????? </li></ul>  O que fazer ????????
<ul><li>1 – Levar para sala de reanimação </li></ul><ul><li>2 – Pedir a enfermagem  2  acessos urgentes </li></ul><ul><li>...
<ul><li>Enfermagem não conseguiu acesso </li></ul>Enfermagem não conseguiu acesso
<ul><li>1 – Pedir agulha IO  </li></ul><ul><li>2 – Iniciar infusão de volume 20 ml/kg  </li></ul><ul><li>3 – Mantenha enfe...
<ul><li>Punção com agulha de  </li></ul><ul><li>Injeção 25 x 12 </li></ul><ul><li>Local: face interna da  </li></ul><ul><l...
<ul><li>A penetração da agulha na cavidade medular: </li></ul><ul><ul><li>Perda discreta da resistência óssea; </li></ul><...
Intraóssea <ul><li>Locais: </li></ul><ul><ul><li>Tíbia </li></ul></ul><ul><ul><li>Maléolo medial </li></ul></ul><ul><ul><l...
<ul><li>Você administrou 60 ml/kg de volume e paciente não urinou e começou a ter leve reação. Saturando 98% em mascara co...
<ul><li>1 – Solicitar que seja preparado infusão de CHIF </li></ul><ul><li>2 – Iniciar dopamina </li></ul><ul><li>3 – Afer...
<ul><li>“ O Choque é uma síndrome clínica, com etiologia e níveis de comprometimento variados, caracterizado por alteraçõe...
<ul><li>HIPOXIA </li></ul><ul><li>FALHA DA BOMBA </li></ul><ul><li>FC E REDUÇÃO DO FLUXO </li></ul><ul><li>PARA PELE, FIGA...
<ul><li>Isso explicaria neste momento: </li></ul><ul><ul><li>Passagem de sonda vesical </li></ul></ul><ul><ul><li>Realizaç...
<ul><li>Queda da PA </li></ul><ul><li>Aumento tônus  ativação  adrenergico  humoral </li></ul><ul><li>secreçao de  catecol...
Volume circulante Bomba cardiaca Tonus vascular
<ul><li>Tratamento </li></ul><ul><ul><li>Ressucitação volumétrica: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Soro fisiológico: 25% fi...
<ul><li>Tratamento </li></ul><ul><ul><li>Correção do inotropismo: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Deve-se corrigir o Bicarb...
<ul><li>Tratamento </li></ul><ul><ul><li>Suporte infeccioso </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Não deve-se atrasar a infusão d...
<ul><li>Tratamento </li></ul><ul><ul><li>Suporte cardiovascular e aminas vasoativas: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Dopami...
<ul><li>Dopamina: </li></ul><ul><ul><li>Dose: 2,5 a 5 mcg/kg/min  ação delta  dilatação renal </li></ul></ul><ul><ul><li...
<ul><li>Dopamina: </li></ul><ul><li>dose x peso x hora x 60 </li></ul><ul><li>____________________ = x ml </li></ul><ul><l...
<ul><li>Dobutamina </li></ul><ul><ul><li>Potente ação beta-1 cardiaca </li></ul></ul><ul><ul><li>Menor efeito vasoconstrit...
<ul><li>Dobutamina </li></ul><ul><li>dose x peso x hora x 60 </li></ul><ul><li>____________________ = x ml </li></ul><ul><...
<ul><li>Adrenalina: </li></ul><ul><ul><li>Dose de 0,05 a 0,2 mcg/kg/min  efeito beta e moderado alfa </li></ul></ul><ul><...
<ul><li>Adrenalina </li></ul><ul><li>dose x peso x hora x 60 </li></ul><ul><li>____________________ = x ml </li></ul><ul><...
<ul><li>Noradrenalina </li></ul><ul><ul><li>Mais usadas em crianças maiores e adultos </li></ul></ul><ul><ul><li>Dose de 0...
<ul><li>Noradrenalina </li></ul><ul><li>dose x peso x hora x 60 </li></ul><ul><li>____________________ = x ml </li></ul><u...
<ul><li>Drogas vasodilatadoras </li></ul><ul><ul><li>a diminuição da pós carga no choque está indicada basicamente em duas...
<ul><li>Paciente estável no momento, saturando 98% em mascara com reservatório, PA adequada para idade (70 + 2 x idade ), ...
<ul><li>Paciente 2 meses, masculino, admitido as __, hiporeativo, em choque hipovolêmico descompensado necessitando 60 ml/...
<ul><li>Prescrição: </li></ul><ul><li>1 – NVO até segunda ordem </li></ul><ul><li>2 – Monitorização não invasiva de PA </l...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Emergencia pediatrica 2

2,086 views

Published on

Aula téorico pratica para residentes de pediatria

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,086
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
58
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • ida
  • Emergencia pediatrica 2

    1. 1. Vamos dar uma “rapidinha”!!! Dra Maria Cristina de Souza Neto Pediatria Intensivista
    2. 2. <ul><li>Paciente 2 meses de vida, masculino. Queixa principal: não quer alimentar-se há 1 semana. </li></ul><ul><li>Ao exame imóvel, hiporeativo... </li></ul><ul><li>Paciente 2 meses de vida, masculino. Queixa principal: não quer alimentar-se há 1 semana. </li></ul><ul><li>Ao exame imóvel, hiporeativo... </li></ul>
    3. 3. <ul><li> O que fazer ???????? </li></ul> O que fazer ????????
    4. 4. <ul><li>1 – Levar para sala de reanimação </li></ul><ul><li>2 – Pedir a enfermagem 2 acessos urgentes </li></ul><ul><li>3 – Monitorizar FC, saturação, PA, HGT </li></ul><ul><li>4 – Oferecer oxigênio </li></ul>1 – Levar para sala de reanimação 2 – Pedir a enfermagem 2 acessos urgentes 3 – Monitorizar FC, saturação, PA, HGT 4 – Oferecer oxigênio
    5. 5. <ul><li>Enfermagem não conseguiu acesso </li></ul>Enfermagem não conseguiu acesso
    6. 6. <ul><li>1 – Pedir agulha IO </li></ul><ul><li>2 – Iniciar infusão de volume 20 ml/kg </li></ul><ul><li>3 – Mantenha enfermagem tentando acesso venoso e assim que possivel coletar amostra para banco de sangue </li></ul>1 – Pedir agulha IO 2 – Iniciar infusão de volume 20 ml/kg 3 – Mantenha enfermagem tentando acesso venoso e assim que possivel coletar amostra para banco de sangue
    7. 7. <ul><li>Punção com agulha de </li></ul><ul><li>Injeção 25 x 12 </li></ul><ul><li>Local: face interna da </li></ul><ul><li>Tíbia (1 a 3 cm da tuber) </li></ul><ul><li>Inclinar 15 a 30 graus </li></ul><ul><li>Para distal </li></ul><ul><li>Punção com agulha de </li></ul><ul><li>Injeção 25 x 12 </li></ul><ul><li>Local: face interna da </li></ul><ul><li>Tíbia (1 a 3 cm da tuber) </li></ul><ul><li>Inclinar 15 a 30 graus </li></ul><ul><li>Para distal </li></ul>
    8. 8. <ul><li>A penetração da agulha na cavidade medular: </li></ul><ul><ul><li>Perda discreta da resistência óssea; </li></ul></ul><ul><ul><li>A agulha permanece na posição de pé; </li></ul></ul><ul><ul><li>Pode-se aspirar medula óssea; </li></ul></ul><ul><ul><li>A infusão de 5 a 10ml/kg oferece mínima resistência e não há infiltração. </li></ul></ul><ul><li>A penetração da agulha na cavidade medular: </li></ul><ul><ul><li>Perda discreta da resistência óssea; </li></ul></ul><ul><ul><li>A agulha permanece na posição de pé; </li></ul></ul><ul><ul><li>Pode-se aspirar medula óssea; </li></ul></ul><ul><ul><li>A infusão de 5 a 10ml/kg oferece mínima resistência e não há infiltração. </li></ul></ul>
    9. 9. Intraóssea <ul><li>Locais: </li></ul><ul><ul><li>Tíbia </li></ul></ul><ul><ul><li>Maléolo medial </li></ul></ul><ul><ul><li>Esterno </li></ul></ul><ul><ul><li>Crista ilíaca </li></ul></ul><ul><ul><li>Clavícula </li></ul></ul><ul><ul><li>Fêmur </li></ul></ul><ul><ul><li>úmero </li></ul></ul><ul><ul><li>Calcâneo </li></ul></ul><ul><li>Complicações </li></ul><ul><ul><li>Osteomielite </li></ul></ul><ul><ul><li>Celulite ou abcesso </li></ul></ul><ul><ul><li>Embolia gordurosa </li></ul></ul>
    10. 10. <ul><li>Você administrou 60 ml/kg de volume e paciente não urinou e começou a ter leve reação. Saturando 98% em mascara com reservatório que você colocou porque não conseguia ver saturação e finalmente a enfermagem consegue aferir a PA = 40 x 20 </li></ul><ul><li>Você administrou 60 ml/kg de volume e paciente não urinou e começou a ter leve reação. Saturando 98% em mascara com reservatório que você colocou porque não conseguia ver saturação e finalmente a enfermagem consegue aferir a PA = 40 x 20 </li></ul>
    11. 11. <ul><li>1 – Solicitar que seja preparado infusão de CHIF </li></ul><ul><li>2 – Iniciar dopamina </li></ul><ul><li>3 – Aferir PA de 20 em 20 minutos </li></ul>1 – Solicitar que seja preparado infusão de CHIF 2 – Iniciar dopamina 3 – Aferir PA de 20 em 20 minutos
    12. 12. <ul><li>“ O Choque é uma síndrome clínica, com etiologia e níveis de comprometimento variados, caracterizado por alterações circulatórias e metabólicas de natureza evolutiva, cujas caracteristícas dependem do estágio em que se encontra, do tipo de insulto que o ocasionou e da resposta individual de cada paciente” </li></ul>“ O Choque é uma síndrome clínica, com etiologia e níveis de comprometimento variados, caracterizado por alterações circulatórias e metabólicas de natureza evolutiva, cujas caracteristícas dependem do estágio em que se encontra, do tipo de insulto que o ocasionou e da resposta individual de cada paciente”
    13. 13. <ul><li>HIPOXIA </li></ul><ul><li>FALHA DA BOMBA </li></ul><ul><li>FC E REDUÇÃO DO FLUXO </li></ul><ul><li>PARA PELE, FIGADO, TAQUICARDIA, PALIDEZ </li></ul><ul><li>EXTREMIDADES FRIAS </li></ul><ul><li> OLIGURIA </li></ul>HIPOXIA FALHA DA BOMBA FC E REDUÇÃO DO FLUXO PARA PELE, FIGADO, TAQUICARDIA, PALIDEZ EXTREMIDADES FRIAS OLIGURIA
    14. 14. <ul><li>Isso explicaria neste momento: </li></ul><ul><ul><li>Passagem de sonda vesical </li></ul></ul><ul><ul><li>Realização de volume para tentar melhorar a perfusão tecidual </li></ul></ul><ul><ul><li>Iniciar drogas vasoativas </li></ul></ul><ul><ul><li>Realizar CHIF para melhorar o transporte </li></ul></ul><ul><ul><li>Deixar em jejum </li></ul></ul><ul><ul><li>Solicitar: TGO, TGP, ureia, creatinina, gasometria, eletrolitos </li></ul></ul><ul><li>Isso explicaria neste momento: </li></ul><ul><ul><li>Passagem de sonda vesical </li></ul></ul><ul><ul><li>Realização de volume para tentar melhorar a perfusão tecidual </li></ul></ul><ul><ul><li>Iniciar drogas vasoativas </li></ul></ul><ul><ul><li>Realizar CHIF para melhorar o transporte </li></ul></ul><ul><ul><li>Deixar em jejum </li></ul></ul><ul><ul><li>Solicitar: TGO, TGP, ureia, creatinina, gasometria, eletrolitos </li></ul></ul>
    15. 15. <ul><li>Queda da PA </li></ul><ul><li>Aumento tônus ativação adrenergico humoral </li></ul><ul><li>secreçao de catecolaminas secreção de </li></ul><ul><li>catecolaminas </li></ul>Queda da PA Aumento tônus ativação adrenergico humoral secreçao de catecolaminas secreção de catecolaminas
    16. 16. Volume circulante Bomba cardiaca Tonus vascular
    17. 17. <ul><li>Tratamento </li></ul><ul><ul><li>Ressucitação volumétrica: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Soro fisiológico: 25% fica no intravascular  espera-se a formação de edema intersticial  NÃO CONFUNDIR COM HIPERVOLEMIA </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>40 a 60ml/kg em infusões de 20 a 30 ml em 20 a 30 minutos </li></ul></ul></ul><ul><li>Tratamento </li></ul><ul><ul><li>Ressucitação volumétrica: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Soro fisiológico: 25% fica no intravascular  espera-se a formação de edema intersticial  NÃO CONFUNDIR COM HIPERVOLEMIA </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>40 a 60ml/kg em infusões de 20 a 30 ml em 20 a 30 minutos </li></ul></ul></ul>
    18. 18. <ul><li>Tratamento </li></ul><ul><ul><li>Correção do inotropismo: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Deve-se corrigir o Bicarbonato ?? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>0,3 x peso x BE (formula para correção de metade da acidose) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Repetidas infusões de bicarbonato  hipernatremia e hiperosmolaridade, não neutrolização da acidose lática. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Reposição de calcio  glucCa 10% 0,5 a 1ml/kg </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Hipoglicemia glicose a 25%  2ml/kg </li></ul></ul></ul><ul><li>Tratamento </li></ul><ul><ul><li>Correção do inotropismo: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Deve-se corrigir o Bicarbonato ?? </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>0,3 x peso x BE (formula para correção de metade da acidose) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Repetidas infusões de bicarbonato  hipernatremia e hiperosmolaridade, não neutrolização da acidose lática. </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Reposição de calcio  glucCa 10% 0,5 a 1ml/kg </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Hipoglicemia glicose a 25%  2ml/kg </li></ul></ul></ul>
    19. 19. <ul><li>Tratamento </li></ul><ul><ul><li>Suporte infeccioso </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Não deve-se atrasar a infusão dos antibióticos (se não tiver acessos suficientes pegar novo) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Infundir primeiro o antibiótico que pode correr mais rápido </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Paciente com infecção grave (mesmo que não tenha usado antibiótico até o momento): ceftriaxone e oxacilina </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Paciente oncológico: Piperacilina (se com lesoes de pele associar Vancomicina, se lesões orais associar aciclovir) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Paciente cronicamente internado e plaquetopenico: pensar em infecção fúngica </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>SEMPRE PEDIR CULTURAS PARA GERMES COMUNS E FUNGOS! </li></ul></ul></ul><ul><li>Tratamento </li></ul><ul><ul><li>Suporte infeccioso </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Não deve-se atrasar a infusão dos antibióticos (se não tiver acessos suficientes pegar novo) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Infundir primeiro o antibiótico que pode correr mais rápido </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Paciente com infecção grave (mesmo que não tenha usado antibiótico até o momento): ceftriaxone e oxacilina </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Paciente oncológico: Piperacilina (se com lesoes de pele associar Vancomicina, se lesões orais associar aciclovir) </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Paciente cronicamente internado e plaquetopenico: pensar em infecção fúngica </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>SEMPRE PEDIR CULTURAS PARA GERMES COMUNS E FUNGOS! </li></ul></ul></ul>
    20. 20. <ul><li>Tratamento </li></ul><ul><ul><li>Suporte cardiovascular e aminas vasoativas: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Dopamina: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Adrenalina: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Noradrenalina: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Dobutamina: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Milrinona: </li></ul></ul></ul><ul><li>Tratamento </li></ul><ul><ul><li>Suporte cardiovascular e aminas vasoativas: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Dopamina: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Adrenalina: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Noradrenalina: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Dobutamina: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Milrinona: </li></ul></ul></ul>
    21. 21. <ul><li>Dopamina: </li></ul><ul><ul><li>Dose: 2,5 a 5 mcg/kg/min  ação delta  dilatação renal </li></ul></ul><ul><ul><li>Dose: 5 a 15 mcg/kg/min  ação beta  inotropico positivo, moderada vasodilatação periférica </li></ul></ul><ul><ul><li>Dose: > 15  ação alfa  aumento da RVS (efeito indesejável no choque) </li></ul></ul><ul><li>Dopamina: </li></ul><ul><ul><li>Dose: 2,5 a 5 mcg/kg/min  ação delta  dilatação renal </li></ul></ul><ul><ul><li>Dose: 5 a 15 mcg/kg/min  ação beta  inotropico positivo, moderada vasodilatação periférica </li></ul></ul><ul><ul><li>Dose: > 15  ação alfa  aumento da RVS (efeito indesejável no choque) </li></ul></ul>
    22. 22. <ul><li>Dopamina: </li></ul><ul><li>dose x peso x hora x 60 </li></ul><ul><li>____________________ = x ml </li></ul><ul><li>5 000 </li></ul><ul><li>SG5% ou SF 0,9% = x – hora </li></ul><ul><li>IV de hora em hora correr a 1ml/h </li></ul><ul><li>Dopamina: </li></ul><ul><li>dose x peso x hora x 60 </li></ul><ul><li>____________________ = x ml </li></ul><ul><li>5 000 </li></ul><ul><li>SG5% ou SF 0,9% = x – hora </li></ul><ul><li>IV de hora em hora correr a 1ml/h </li></ul>
    23. 23. <ul><li>Dobutamina </li></ul><ul><ul><li>Potente ação beta-1 cardiaca </li></ul></ul><ul><ul><li>Menor efeito vasoconstritor </li></ul></ul><ul><ul><li>Dose: 5 a 15 mcg/kg/min </li></ul></ul><ul><li>Dobutamina </li></ul><ul><ul><li>Potente ação beta-1 cardiaca </li></ul></ul><ul><ul><li>Menor efeito vasoconstritor </li></ul></ul><ul><ul><li>Dose: 5 a 15 mcg/kg/min </li></ul></ul>
    24. 24. <ul><li>Dobutamina </li></ul><ul><li>dose x peso x hora x 60 </li></ul><ul><li>____________________ = x ml </li></ul><ul><li>12 500 </li></ul><ul><li>SG5% ou SF 0,9% = x – hora </li></ul><ul><li>IV de hora em hora correr a 1ml/h </li></ul><ul><li>Dobutamina </li></ul><ul><li>dose x peso x hora x 60 </li></ul><ul><li>____________________ = x ml </li></ul><ul><li>12 500 </li></ul><ul><li>SG5% ou SF 0,9% = x – hora </li></ul><ul><li>IV de hora em hora correr a 1ml/h </li></ul>
    25. 25. <ul><li>Adrenalina: </li></ul><ul><ul><li>Dose de 0,05 a 0,2 mcg/kg/min  efeito beta e moderado alfa </li></ul></ul><ul><ul><li>Dose de 0,2 a 0,5 mcg/kg/min  efeito alfa e moderado efeito beta </li></ul></ul><ul><ul><li>Dose de 0,5 a 1 mcg/kg/min  efeito alfa </li></ul></ul><ul><li>Adrenalina: </li></ul><ul><ul><li>Dose de 0,05 a 0,2 mcg/kg/min  efeito beta e moderado alfa </li></ul></ul><ul><ul><li>Dose de 0,2 a 0,5 mcg/kg/min  efeito alfa e moderado efeito beta </li></ul></ul><ul><ul><li>Dose de 0,5 a 1 mcg/kg/min  efeito alfa </li></ul></ul>
    26. 26. <ul><li>Adrenalina </li></ul><ul><li>dose x peso x hora x 60 </li></ul><ul><li>____________________ = x ml </li></ul><ul><li>1 000 </li></ul><ul><li>SG5% ou SF 0,9% = x – hora </li></ul><ul><li>IV de hora em hora correr a 1ml/h </li></ul><ul><li>Adrenalina </li></ul><ul><li>dose x peso x hora x 60 </li></ul><ul><li>____________________ = x ml </li></ul><ul><li>1 000 </li></ul><ul><li>SG5% ou SF 0,9% = x – hora </li></ul><ul><li>IV de hora em hora correr a 1ml/h </li></ul>
    27. 27. <ul><li>Noradrenalina </li></ul><ul><ul><li>Mais usadas em crianças maiores e adultos </li></ul></ul><ul><ul><li>Dose de 0,025 a 0,5 mcg/kg/min </li></ul></ul><ul><li>Noradrenalina </li></ul><ul><ul><li>Mais usadas em crianças maiores e adultos </li></ul></ul><ul><ul><li>Dose de 0,025 a 0,5 mcg/kg/min </li></ul></ul>
    28. 28. <ul><li>Noradrenalina </li></ul><ul><li>dose x peso x hora x 60 </li></ul><ul><li>____________________ = x ml </li></ul><ul><li>1 000 </li></ul><ul><li>SG5% ou SF 0,9% = x – hora </li></ul><ul><li>IV de hora em hora correr a 1ml/h </li></ul><ul><li>Noradrenalina </li></ul><ul><li>dose x peso x hora x 60 </li></ul><ul><li>____________________ = x ml </li></ul><ul><li>1 000 </li></ul><ul><li>SG5% ou SF 0,9% = x – hora </li></ul><ul><li>IV de hora em hora correr a 1ml/h </li></ul>
    29. 29. <ul><li>Drogas vasodilatadoras </li></ul><ul><ul><li>a diminuição da pós carga no choque está indicada basicamente em duas situações: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Choque séptico caracterizado por DC baixo e resistencia vascular sistemica elevada </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Choque cardiogênico associado a resistencia vascular sistemica elevada </li></ul></ul></ul><ul><li>Drogas vasodilatadoras </li></ul><ul><ul><li>a diminuição da pós carga no choque está indicada basicamente em duas situações: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Choque séptico caracterizado por DC baixo e resistencia vascular sistemica elevada </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Choque cardiogênico associado a resistencia vascular sistemica elevada </li></ul></ul></ul>
    30. 30. <ul><li>Paciente estável no momento, saturando 98% em mascara com reservatório, PA adequada para idade (70 + 2 x idade ), FC 120, FR 40, bem aquecido e perfundido. Você pega o telefone e entra em contato com a UTI para transferência. Como você passa o caso por telefone? </li></ul><ul><li>Paciente estável no momento, saturando 98% em mascara com reservatório, PA adequada para idade (70 + 2 x idade ), FC 120, FR 40, bem aquecido e perfundido. Você pega o telefone e entra em contato com a UTI para transferência. Como você passa o caso por telefone? </li></ul>
    31. 31. <ul><li>Paciente 2 meses, masculino, admitido as __, hiporeativo, em choque hipovolêmico descompensado necessitando 60 ml/kg de soro fisiológico e CHIF 10 ml/kg sem melhora da perfusão ou da PA sendo necessário iniciar droga vasoativa na dose de ____. No momento bem aquecido e perfundido, com diurese de ___, estável hemodinamicamente e gostaria de vaga na UTI para monitorização do quadro </li></ul><ul><li>Paciente 2 meses, masculino, admitido as __, hiporeativo, em choque hipovolêmico descompensado necessitando 60 ml/kg de soro fisiológico e CHIF 10 ml/kg sem melhora da perfusão ou da PA sendo necessário iniciar droga vasoativa na dose de ____. No momento bem aquecido e perfundido, com diurese de ___, estável hemodinamicamente e gostaria de vaga na UTI para monitorização do quadro </li></ul>
    32. 32. <ul><li>Prescrição: </li></ul><ul><li>1 – NVO até segunda ordem </li></ul><ul><li>2 – Monitorização não invasiva de PA </li></ul><ul><li>3 – Controle de rigoroso de diurese </li></ul><ul><li>4 – HEV com 80% do RB </li></ul><ul><li>5 – Dopamina ---- ml IV 24/24 horas </li></ul><ul><li>SG5% ----- ml correr a x ml/h </li></ul><ul><li>Prescrição: </li></ul><ul><li>1 – NVO até segunda ordem </li></ul><ul><li>2 – Monitorização não invasiva de PA </li></ul><ul><li>3 – Controle de rigoroso de diurese </li></ul><ul><li>4 – HEV com 80% do RB </li></ul><ul><li>5 – Dopamina ---- ml IV 24/24 horas </li></ul><ul><li>SG5% ----- ml correr a x ml/h </li></ul>

    ×