Um pouco de Teoria do Currículo

9,645 views

Published on

material de apoio elaborado para a disciplina e Didática, ministrada em 2010 para o curso Esquema I - FAT/PaulaSouza/FATEC, em São José do Rio Preto

Published in: Education
  • Be the first to comment

Um pouco de Teoria do Currículo

  1. 1. Curso Esquema I – FAT/PAULASOUZA/FATEC S.J.Rio Preto 2010Evolução das Idéias Pedagógicas Maria Cristina Bortolozo de Oliveira Martins
  2. 2. Abordagem TradicionalEnsino – Aprendizagem:• situações sala de aula• alunos “instruídos” e “ensinados”• aprendizagem: um em si mesma• tarefas: exercitação• Eixo central: sistema ensino-aprendizagem segundohierarquia de tarefas, proposto em termos de umalinguagem objetiva, esquematizadora e concisa.
  3. 3. Ensino•Importância aos modelos;•Centrado no professor;•Educação: instrução;•Verbalismo do professor X memorização do aluno(relação vertical);•Escola é agência sistematizadora da cultura
  4. 4. conhecimento• Inteligência: capacidade de acumular e reproduzir informações;• transmitido a um sujeito fragmentado;• Educação bancária.
  5. 5. Escola:• facilita a adaptação das novas gerações;• currículo instrumento por excelência deste processo de controle social e eficiência (inculcar valores, condutas e hábitos considerados adequados);• currículo organizado com características de ordem, racionalidade e eficiência;• Avaliação: reprodução/punição.
  6. 6. Educar = transmitir conhecimentos, comportamentos,práticas sociais para o controle social.Professor: detém conhecimento - planeja, programa econtrola processo educativo X Aluno: agente passivo.Currículo (método): meios, programas e materiais, paraatingir resultados pré-determinados - levantarnecessidades, plano escolar sob o enfoque sistêmico,instrução programada, seqüências instrucionais, ensinoprescritivo individualmente e avaliação por desempenho.
  7. 7. Ser Humano• Adulto: homem acabado – pronto;• aluno – adulto em miniatura; receptor passivo; tábula rasa
  8. 8. Atividades didáticas• padronizadas, rotineiras e estáticas;• fracionadas, disciplinas, exercícios de fixação;• sem relação com a realidade/cotidiano• instrumento de doutrinação
  9. 9. diplomahierarquia
  10. 10. Primeiras tendências/respostas (dentro da ordem capitalista):a) propunha elaboração de um currículo que valorizasse os interesses dos alunos – Dewey e Kilpatrick/no Brasil:Escola Nova.b) voltada para a construção científica de um currículo que desenvolvesse aspectos desejáveis da personalidade adulta – Bobbit - tecnicismo.Predominam dos anos 20 até início dos anos 70. Problemas surgidos foram objeto de preocupação de Ralph Tyler e Harold Rugg sem muito sucesso.
  11. 11. Até 1957: supremacia da racionalidade técnica teoria do fazer currículo é planejamento Pensar em planejamento(teorias administrativas) Objetivo: estruturas: controle (arma de) é a avaliação. É regulador/não emancipa Pressupunha: currículo por objetivos
  12. 12. Início dos anos 60Operacional: permite trabalhar com operações tomada de decisões técnica facilitada: divisão pelas dimensões mais importantes. imagem burocratizante
  13. 13. Humanismo (Carl Rogers)• Centrada no sujeito: ser único – ser respeitado; possui capacidade de desenvolver-se, autogestão; sentimentos e experiências (fator de seu crescimento);• Aluno: arquiteto de si mesmo
  14. 14. Professor• Facilitador;• Ênfase nas relações inter-pessoais;• Conteúdo privilegia experiências dos alunos;• Preocupado com o desenvolvimento da personalidade
  15. 15. Método não diretivo• base: confiança e respeito ao aluno;•Professor se abstém de intervir no campo cognitivo eafetivo do aluno;• facilita a comunicação do aluno consigo mesmo(estruturar comportamento experiencial);• favorecer a iniciativa, responsabilidade,autodeterminação e discernimento. autonomia: estabelecer regras para si mesmo X Heteronomia: regras ditadas por outros
  16. 16. Conhecimento: inerente à atividade humanaCuriosidade: natural para o conhecimento “Por aprendizagem significativa, entendo , aquilo que provoca profunda modificação no indivíduo. Ela é penetrante, e não se limita a um aumento de conhecimento, mas abrange todas as parcelas de sua existência.” (Carl Rogers)
  17. 17. Alexander Neil• Escola impõe sentimento de culpa;• Meta da existência é ser feliz (encontrar interesse)• Método não diretivo;• recursos tem pouca importância;• Notas, prêmios e exames: abolidos
  18. 18. Comportamental Skinner•O ser humano não é livre;•É um produto do processo evolutivo;•É conseqüência das influências ou formas do meio ambiente
  19. 19. • realidade: fenômeno objetivo que pode sermodificada pelo Homem;• meio ambiente altera o comportamento;• reforço: ocasião de resposta, a própria resposta,conseqüências reforçadoras;•Ambiente controlador
  20. 20. indivíduo: peça numa máquina planejadae controlada, realizando a função que seespera que realize, de maneira eficaz; Conhecimento: experiência planejada; resultado direto da experiência; já construído na realidade exterior; processos mentais (cognitivos) não são relevantes para a aprendizagem – ontogênese do comportamento (evolução)
  21. 21. Educação:• transmissão cultural: de comportamentos, ética, práticas sociais, habilidades desejadas;• Escola: agência de controle social;• Ensino-aprendizagem: prática controlada e planejada; exercitação X erro;• Professor: planejador de contingências de reforço, considera economia de tempo, esforços e custos;• Aluno: recipiente de informações
  22. 22. Metodologia- tecnologia na educação;- individualização;- ênfase na programação;- instrução programada: estímulos e respostas;- reforços: modelagem e manutenção decomportamentos.Avaliação: constatação se o aluno atingiu os objetivos; três fases: a) início: pré-testagem; b) no decorrer do processo; c) final do processo: verificação de comportamentos adquiridos.
  23. 23. a) idéias tradicionais: escola eficaz;b) idéias humanistas: liberdade na escola;c) utópicas: fim das escolas.
  24. 24. Anos 60: Michel Young• Ressignificar o currículo;• Sociologia da Educação – Sociologia do Currículo;• Nova Sociologia da Educação (NSE):Inglaterra Horizonte: socio-político-cultural do currículo
  25. 25. No Brasil:• crítica social dos conteúdos;• educação popular ou da cultura das camadas populares; Anos 60 Lei 4024 (1961): concepção de currículo é rol de disciplinas (grade curricular); Lei 5692 (1971): concepção fechada, hermêutica; Nova LDBN: currículo como prática social: ênfase na Educação como processo/espaço formativo
  26. 26. Abordagem sóciocultural• Viver é conviver;• Somos seres em relação, incompletos;• Conhecimento é o resultado do processo de dar respostas aos desafios;• Educação: prática de uma teoria do conhecimento (Paulo Freire): frente a um problema o ser humano se questiona, questiona o outro e o mundo, pesquisa e busca respostas, testa hipóteses e as reformula.
  27. 27. Nesse movimento dialógico,intervém no mundo, o conhecimentonasce da ação, da relação dos sereshumanos com o mundo e entre si.
  28. 28. Currículo crítico ênfase na formação (sentido processual)Palavras chaves: Reflexão - aprofundamento conceitual e crítico redimensionando o que se aprende/voltar-se para; Debate - em grupo se faz reflexão rica; Estudo - sistematização da reflexão e dodebate do tema de currículo. *para desenvolver o “ser sujeito”
  29. 29. *Reflexão: ouvir a voz dos silenciados/ cotidiano (chão) da escola;*Ser sujeito:• 1º momento: ser capaz de pensar a sua prática - ficar no senso comum é manter-se na consciência ingênua;• 2º momento: desvelar as teorias que estão subjacentes à prática – quanto mais eu fundamento, mais eu desvelo
  30. 30. • 3º momento: voltar à prática e transformando (isso dá dimensão política ao ser sujeito) Transformar com tecnológica certas ênfases *** emancipar as camadas menos favorecidas
  31. 31. Resumindo
  32. 32. Paradigma Tecnicista (tradicional):Interesse científico trabalho-técnica-informaçãoInteresse de controle. Pesquisa para fornecer informações que permitam manter o controle, processos objetivos e objetivados.Enfoque empírico-analítico: Ciências exatas: hipótese ontológica de um mudo previamente estruturado, primazia do método, rigor sacrifica a realidade em função da lógica. Pressupostos: neutralidade e universalidade da teoria (axiomas ou princípios básicos são abstratos e descomprometidos de um contexto específico), decomposição do todo em variáveis mensuráveis e controláveis, abandono do particular e único em favor do generalizável e reaplicável.
  33. 33. paradigma técnico-linear (Tradicional*comportamental*).adoção de postura “científica” em detrimento da valorização do senso comum e valorização do professor; distanciamento das situações reais da sala de aula.Preparar indivíduos pra desempenhar funções específicas em situações específicas com conteúdos para se atingir estes objetivos. Transforma os seres humanos em meio de produção, e o aluno é matéria- prima.
  34. 34. Paradigmas alternativos (abordagem sóciocultural e cognitivistas):Poder-emancipação-crítica• Criação e manutenção da sociedade, tomada de posição em relação a objetivos. Motiva a pesquisa o interesse libertador de condicionantes e permite recriar as instituições.• Enfoque praxiológico: apreender o fenômeno em seus movimentos e relações com a realidade objetivando a transformação, envolve compreensão dos determinantes históricos.
  35. 35. Paradigma Democrático:Linguagem – consenso - interpretaçãoMediação da qual depende a transmissãoinstitucionalizada da cultura, foco no consenso, motivospráticos de auxiliar na interpretação daintersubjetividade.Enfoque histórico-hermenêutico:-capacidade humana de inventar e usar símbolos eproduzir conhecimento por métodos interpretativos-históricos, por meio de processo dialógico-consensual;orientação para ação.- Conceito básico: intersubjetividade.
  36. 36. paradigma circular-consensual, Maxine Greene e William F. PinarEnfoque histórico-hermenêutico, onde o currículo está centrado nas experiências dos alunos e nas suas necessidades manifestas ou latentes.Conhecimento é resultado de auto-reflexão do sujeito. O papel do professor é de orientador, ir junto. O mais importante é a comunicação e o consenso. Foi criticado por centrar-se no aqui e agora e ignorar o saber sistematizado.
  37. 37. Paradigma dinâmico-dialógicoFoco no emancipatório, enfoque praxiológico; rupturaepistemológica.Michael Apple e Henry Giroux são os principais porta-vozes.Três premissas básicas oriundas dos neomarxistasinspiram este paradigma:1)Currículo deve ver historicamente situado eculturalmente determinado;2)Currículo é ato político e objetiva a emancipação dasclasses populares;3) crise do currículo não é conjuntural, ela é estrutural.

×