Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Capitalização de empresas viacapital de risco: Prós e Contras    Workshop de capitalização de    empresas via capital de r...
Atividade empreendedora no Brasil• Empreendedores em estágio inicial – 14,89%  (2010) e 17,5 (2011) – GEM Brasil 2011• São...
Para que as empresas precisam de investimentos?• Desenvolvimento de novos produtos ou serviços;• Expansão da planta operac...
Opções de investimento no Brasil                                              Acessível, mas pouco    Acessível, mas caro ...
Melhoria da condições• Investidores potenciais estão aumentando  – Mais executivos com acesso a stock options• Mais opções...
Estágios da Empresa e Investidores                                                               IPO                      ...
Características                         • Origem:                            – Dos sócios fundadores, da família, de      ...
Investidores anjo• EUA   –   318 mil   –   US$ 20,5 bilhões   –   66 mil empresas   –   165 mil empregos• Brasil   – 6,3 m...
O que o investidor quer                       Com investidor$                              Sem investidor                 ...
Onde encontrar um anjo• Grupos de investidores• Entidades de apoio a  empreendedores• Associações de classe• Câmaras de co...
O que o anjo traz para o empreendedor• Conhecimento no  negócio• Experiência no ramo• Contatos• Suporte• Capital
O momento certo para captar                 REDUÇÃO DA DEPENDÊNCIA Concep-             Teste de          Plano de     Cres...
Quanto captar• O mínimo possível• Dinheiro demais pode ser pior do que falta de  dinheiro• Procure não usar todo o dinheir...
Estratégia de saída• É obrigatório• Apresentar alguma opção de saída:  – Venda  – Aquisição / Fusão  – IPO• Saída do empre...
Capital de risco no Brasil
Abismo da mortePesquisadores   Empreendedores   Ricos           Investidores
A tríade do empreendedorismo       Plano de   Empreen       negócio     dedor              Ideia
Uma ideia
Tecnologia ≠ Produto• Qual o alcance máximo dos cabos?• Quantos cabos para iluminar um aposento de  5 m²?• Pode ser instal...
Produto ≠ Negócio•   Qual é o público-alvo deste produto?•   Qual o principal apelo de valor?•   Quanto este público está ...
Negócio ≠ Negócio viável•   Qual a necessidade de investimento inicial?•   Qual seria o preço final?•   Quais as projeções...
O ciclo do produto                       Negócio             ProdutoTecnologia
Um negócio viávelOperacional   MercadológicoFinanceiro     Crescimento
Desafios do capital de risco• Falta conhecimento para investidores anjo,  empreendedores, parceiros e governo• Pouca conex...
Estudo de caso• Criado em 1997 pelo analista de sistema Rodrigo Azevedo, dentro da FSB• Aporte da InVent de R$ 5 milhões e...
Ecossistema empreendedor  Membros da          Universidade                  Governocomunidade local                       ...
Empreendedorismo e academia                Ensino      Prática        Pesquisa
As comunidades de apoio• The Hub                                     • Startupi• Smartmobs                                ...
De onde vem as boas ideias?• Prevenir o fim de algo bom   •   Oportunidade• Criar uma demanda que não    •   Necessidade  ...
Quem é o empreendedor?Comprometimento, criatividade, valores, habilidades específicas, conhecimento donegócio, princípios,...
Os diferentes perfisInício                CRIATIVO                                          INTEGRADOR              Intern...
O que é um Modelo de Negócio?• Resposta estendida à questão: ‘Qual é o seu negócio?’• O ponto principal é: ‘Qual é a lógic...
O que é um Modelo de Negócio?  Arquitetura = Modelo de Negócios   Engenharia = Plano de Negócios Estratégia é a forma como...
Exemplos de Modelos de Negócios• Restaurante self-service, buffet, ‘a la carte’,  rodizio, etc• Traveler checks• Linhas aé...
Exemplo prático• Certis – Isaac Leo Bain (MSc. M.I.T.)• Sistema de autenticação       Perfume Kalvin Klain Maskulino – Fab...
Certis: Possíveis Modelos de Negócio• Licenciamento da tecnologia• Venda do sistema para laboratórios• Produção e venda do...
Lógica Financeira do investimento                                 AmortizaçãoInvestimento               Capital de giro   ...
Workshop de capitalização de empresas via capital de risco
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Workshop de capitalização de empresas via capital de risco

696 views

Published on

Workshop promovido pela UFG e Funape para incubadoras de Goiânia sobre capital de risco e investimento anjo.

Published in: Business

Workshop de capitalização de empresas via capital de risco

  1. 1. Capitalização de empresas viacapital de risco: Prós e Contras Workshop de capitalização de empresas via capital de risco Prof. Dr. Marcos Hashimoto
  2. 2. Atividade empreendedora no Brasil• Empreendedores em estágio inicial – 14,89% (2010) e 17,5 (2011) – GEM Brasil 2011• São Paulo em 13º lugar no ranking da Startup Ecosystem Report 2012 (1º na América Latina)• Número de universitários que querem abrir um negócio próprio é igual aos que querem trabalhar em grandes empresas (GUESSS)• Perfil do empreendedor brasileiro 10,23 oportunidade contra 4,56 por necessidade (GEM Brasil 2012)
  3. 3. Para que as empresas precisam de investimentos?• Desenvolvimento de novos produtos ou serviços;• Expansão da planta operacional ou da cadeia de negócios;• Atualização de produtos ou re-posicionamento estratégico dos que já existem;• Compra de empresas parceiras ou concorrentes;• Intensificação de atividades de propaganda e marketing;• Profissionalização da gestão e dos processos operacionais;• Capilarização da estrutura comercial;
  4. 4. Opções de investimento no Brasil Acessível, mas pouco Acessível, mas caro Barato, mas inacessível Abundante e em crescimentoAbundante, mas inacessível
  5. 5. Melhoria da condições• Investidores potenciais estão aumentando – Mais executivos com acesso a stock options• Mais opções de saída (Bovespa Mais, VC estrangeiro)• Redução da taxa de juros – Rentabilidade maior em investimentos alternativos
  6. 6. Estágios da Empresa e Investidores IPO PRIVATE EQUITY VENTURE CAPITAL SEEDTAMANHO FUNDS ANGELS 3F IDÉIA INÍCIO CRESCIMENTO EXPANSÃO MATURIDADE TEMPO
  7. 7. Características • Origem: – Dos sócios fundadores, da família, de amigos, de uma incubadora e de Angel Investors • Objetivo: – Desenvolver o conceito do negócio e do produto – Pesquisa de mercado e viabilidade – Contratação de recursos humanos – Compra de Equipamentos e aluguel do escritório • Características:Até R$ 600.000 – Relacionamento íntimo entre empreendedor e investidorPrazo: de 1 a 3 anos – Escopo de atuação somente no mercadoDe 2 a 5 investidores local
  8. 8. Investidores anjo• EUA – 318 mil – US$ 20,5 bilhões – 66 mil empresas – 165 mil empregos• Brasil – 6,3 mil (80% são passivos) – R$ 495 milhões (ticket médio de R$ 79 mil) – 165 mil pessoas com patrimônio superior a US$ 1 milhão
  9. 9. O que o investidor quer Com investidor$ Sem investidor t
  10. 10. Onde encontrar um anjo• Grupos de investidores• Entidades de apoio a empreendedores• Associações de classe• Câmaras de comércio• Eventos da área• Escolas de negócio• Incubadoras de negócios
  11. 11. O que o anjo traz para o empreendedor• Conhecimento no negócio• Experiência no ramo• Contatos• Suporte• Capital
  12. 12. O momento certo para captar REDUÇÃO DA DEPENDÊNCIA Concep- Teste de Plano de Cresci ção conceito negócio mento(insights)Protótipo Abertura Produção Implanta- (simula- da em ção ção) empresa escala TENHO O QUE MOSTRAR
  13. 13. Quanto captar• O mínimo possível• Dinheiro demais pode ser pior do que falta de dinheiro• Procure não usar todo o dinheiro• Investidor traz mais do que dinheiro• Questione-se se você precisa mesmo de um sócio investidor - Bootstrap
  14. 14. Estratégia de saída• É obrigatório• Apresentar alguma opção de saída: – Venda – Aquisição / Fusão – IPO• Saída do empreendedor do negócio• Desmonte da operação
  15. 15. Capital de risco no Brasil
  16. 16. Abismo da mortePesquisadores Empreendedores Ricos Investidores
  17. 17. A tríade do empreendedorismo Plano de Empreen negócio dedor Ideia
  18. 18. Uma ideia
  19. 19. Tecnologia ≠ Produto• Qual o alcance máximo dos cabos?• Quantos cabos para iluminar um aposento de 5 m²?• Pode ser instalado em prédios já construídos?• Qual é a janela de horário de maior eficiência?• Quanto de espaço ocupam as placas coletoras?• Como funcionarão os interruptores?
  20. 20. Produto ≠ Negócio• Qual é o público-alvo deste produto?• Qual o principal apelo de valor?• Quanto este público está disposto a pagar?• Qual é o custo de produção?• Onde seria distribuído?• Como seria a assistência técnica?• Quais matérias primas são necessárias?• Onde conseguir mão-de-obra especializada?
  21. 21. Negócio ≠ Negócio viável• Qual a necessidade de investimento inicial?• Qual seria o preço final?• Quais as projeções de vendas?• Quais as projeções de custos e despesas?• Qual é o ponto de equilíbrio?• Como seria o modelo de negócio?• Quanto tempo para atingir o payback?• Quando se tornaria lucrativo?
  22. 22. O ciclo do produto Negócio ProdutoTecnologia
  23. 23. Um negócio viávelOperacional MercadológicoFinanceiro Crescimento
  24. 24. Desafios do capital de risco• Falta conhecimento para investidores anjo, empreendedores, parceiros e governo• Pouca conexão entre investidores• Falta fonte de informações• Aproveitamento de oportunidades• Burocracia• Tributação• Riscos
  25. 25. Estudo de caso• Criado em 1997 pelo analista de sistema Rodrigo Azevedo, dentro da FSB• Aporte da InVent de R$ 5 milhões em 2001 com prazo de 5 anos• Rodrigo detinha 1% de participação• 600 mil visitas por mês. 70 mil jornalistas associados• Prêmio Comunique-se é um dos mais importantes da área no país• Final de 2003 começaram a procurar compradores. Não encontraram• Valor de mercado em 2004: R$ 6 milhões• Rodrigo levantou R$ 640 mil e negociou até chegar a R$ 500 mil• Opção 1: InVent não aceitou e liquidou as operações• Opção 2: InVent aceitou, mas Rodrigo ficou sem capital de giro
  26. 26. Ecossistema empreendedor Membros da Universidade Governocomunidade local (Municipal, Estadual e Federal)Imprensa Outras empresas do Empreendedor setor Órgãos defomento e apoio Redes de empreendedores Incubadoras e Aceleradoras de Investidores de capital negócios Institutos de pesquisa de risco
  27. 27. Empreendedorismo e academia Ensino Prática Pesquisa
  28. 28. As comunidades de apoio• The Hub • Startupi• Smartmobs • Startupbase• Myjobspace • Artemisia Aceleradora Co-working de negócios Parque Incubadora tecnológico• Genesis • Mackenzie• Porto Digital • Cietec• TecnoPuc • Softex
  29. 29. De onde vem as boas ideias?• Prevenir o fim de algo bom • Oportunidade• Criar uma demanda que não • Necessidade existia antes • Problema• Existia em outro lugar • Tendência ou contexto Ideia
  30. 30. Quem é o empreendedor?Comprometimento, criatividade, valores, habilidades específicas, conhecimento donegócio, princípios, atitudes positivas, reconhecimento de oportunidade, autoconfiança, sabedoria, coragem para enfrentar desafios, perseverança e determinação, Empreenhabilidades de relacionamento inter-pessoal, boa comunicabilidade, liderança,facilidade de trabalhar em equipe, auto-motivação, capacidade de tomar decisões dedorrapidamente, pensamento crítico, visão estratégica, foco em resultados, planejamento,fome de aprender, familiaridade com o mundo dos negócios, ótima rede de contatos,flexibilidade à mudança e ambientes dinâmicos, capacidade de resolução de problemase conflitos, visão sistêmica e holística, ousadia, receptividade a riscos, tolerância a errose falhas, familiaridade com tecnologia, capacidade de realização, habilidades denegociação, integridade, honestidade, fortes princípios éticos, eloqüência, facilidadepara absorção de novos conceitos, alta percepção do ambiente, retórica, agilidade edinamismo, forte personalidade, firmeza de caráter, enérgico, desenvolvedor detalentos, grande experiência, empatia, persuasão, organização, rapidez de raciocínio,auto-controle, sonhador realista, agressividade, independência, pragmatismo,entusiasmo, pró-atividade, iniciativa, forte presença pessoal, arrojo, faro para negócios,onipotente, ajuda velhinhas a atravessar a rua,
  31. 31. Os diferentes perfisInício CRIATIVO INTEGRADOR InternoMeio ADMINISTRADOR Externo Fim PROMOTOR REALIZADOR Tarefas Pessoas O segredo reside na habilidade de formar equipes compostas com todos os perfis.
  32. 32. O que é um Modelo de Negócio?• Resposta estendida à questão: ‘Qual é o seu negócio?’• O ponto principal é: ‘Qual é a lógica por trás do conceito do negócio?’• Deve haver uma conexão lógica e inter-dependente que una todos os elementos do negócio de forma a fazer sentido nos resultados finais• Leva tempo para desenvolver um MN consistente• É difícil mudar um MN. É mais fácil construir um do zero. Alterações num MB implica em outras mudanças profundas• Nem todos os elementos são necessários apenas os elementos-chave• Modelo de Negócios é diferente de estratégia
  33. 33. O que é um Modelo de Negócio? Arquitetura = Modelo de Negócios Engenharia = Plano de Negócios Estratégia é a forma como tiramos vantagem de um MNUm boa estratégia pode muda um MNMas nem todo MN se refere a uma estratégia
  34. 34. Exemplos de Modelos de Negócios• Restaurante self-service, buffet, ‘a la carte’, rodizio, etc• Traveler checks• Linhas aéreas Gol• Chaps.com• Mega Sistemas integrados• Habib’s• Qual é o seu Modelo de Negócio?
  35. 35. Exemplo prático• Certis – Isaac Leo Bain (MSc. M.I.T.)• Sistema de autenticação Perfume Kalvin Klain Maskulino – Fab. 12/03/08 PRODUTO NÃO RECONHECIDO
  36. 36. Certis: Possíveis Modelos de Negócio• Licenciamento da tecnologia• Venda do sistema para laboratórios• Produção e venda dos leitores para as farmácias• Venda de serviços para produtores de embalagens• Prestação de serviços de rastreamento de cargas para empresas de segurança• Venda de decodificadores para o mercado negro
  37. 37. Lógica Financeira do investimento AmortizaçãoInvestimento Capital de giro Payback

×