Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Lei PA 6.833 06 código ética pmpa_esquemat_titulos i e ii

9,487 views

Published on

Lei PA 6.833/06 - Código Ética e Disciplina PM/PA - Títulos I e II

Published in: Education
  • Login to see the comments

Lei PA 6.833 06 código ética pmpa_esquemat_titulos i e ii

  1. 1. - LEGISLAÇÃO RELACIONADA À PM/PA - - Professor: Marcos Girão - -Lei PA nº 6.833/06 - Código de Ética e Disciplina da PM/PA- (Títulos I e II)
  2. 2. CONCEITOS INICIAIS
  3. 3. LEI ESTADUAL Nº 6.833/06 Institui o Código de Ética e Disciplina da Polícia Militar do Pará. Art. 1º Esta lei institui o Código de Ética e Disciplina da Polícia-Militar do Pará (CEDPM), que dispõe sobre o comportamento ético e estabelece os procedimentos para apuração da responsabilidade administrativo-disciplinar dos integrantes da PMPA.
  4. 4. CEDPM (Lei PA nº 6.833/06) dispõe sobre o comportamento ético estabelece os procedimentos para apuração da responsabilidade administrativo-disciplinar CEPM – OBJETIVO E ALCANCE
  5. 5.  São Organizações Policiais-Militares (OPM) da PM/PA:  o Quartel do Comando-Geral;  Comandos Operacionais Intermediários;  Diretorias;  Corpo Militar de Saúde;  Unidades Operacionais de Polícia Ostensiva;  Unidades de Apoio; e  áreas de instrução e exercício. CONCEITOS INICIAIS
  6. 6. CEPM – OBJETIVO E ALCANCE  O CEDPM tem por finalidade:  especificar e classificar as transgressões disciplinares;  estabelecer normas relativas:  à amplitude e à aplicação das punições disciplinares e avaliação continuada do comportamento disciplinar escolar, com seus respectivos procedimentos e processos,  à classificação do comportamento policial militar das praças;  à interposição de recursos contra a aplicação das punições e recompensas.
  7. 7.  O CEDPM é aplicável: Pessoal da ATIVA Pessoal INATIVO (EM ALGUNS CASOS) CEDPM CEPM – A QUEM SE APLICA
  8. 8. CEPM – A QUEM SE APLICA
  9. 9.  O CEDPM NÃO SE APLICA:  a policiais militares ocupantes de cargos ou funções públicas de natureza não policial militar definidos em lei, desde que na prática de atos específicos relacionados a esses cargos ou funções que não afetem a honra pessoal, o pundonor policial militar e o decoro da classe; CEPM – A QUEM NÃO SE APLICA
  10. 10.  O CEDPM NÃO SE APLICA:  a policiais militares ocupantes de cargos públicos de natureza eletiva definidos em lei; CEPM – A QUEM NÃO SE APLICA
  11. 11. CEPM – OBJETIVO E ALCANCE  O CEDPM NÃO SE APLICA: a membros dos conselhos de justiça, desde que na prática de atos específicos relacionados à função.
  12. 12. A HIERARQUIA E A DISCIPLINA NA PM/PA
  13. 13.  A HIERARQUIA e a DISCIPLINA são fundamentais na vida militar, crescendo a autoridade e a responsabilidade com a elevação do grau hierárquico. HIERARQUIA E DISCIPLINA
  14. 14. A HIERARQUIA
  15. 15. HIERARQUIA
  16. 16. HIERARQUIA  POSTO: É o grau hierárquico do OFICIAL, correspondente ao respectivo cargo, conferido por ato do Governador do Estado e confirmado em Carta Patente.  GRADUAÇÃO: É o grau hierárquico da PRAÇA, correspondente ao respectivo cargo, conferido mediante ato do Comandante-Geral da Corporação.  A ordenação da autoridade se faz por postos e graduações, de acordo com o escalonamento hierárquico, a antiguidade e a precedência funcional.
  17. 17.  Nos casos de declaração a ASPIRANTE-A-OFICIAL, incorporação e promoção por conclusão de curso de formação prevalecerá, para efeito de antiguidade, a ordem de classificação obtida nos respectivos cursos ou concursos. A ordenação dos postos e graduações em relação à antiguidade e precedência na Polícia Militar se faz conforme preceitua o Estatuto dos Policiais Militares. HIERARQUIA
  18. 18. A DISCIPLINA
  19. 19. HIERARQUIA E DISCIPLINA
  20. 20. DISCIPLINA  São MANIFESTAÇÕES ESSENCIAIS DE DISCIPLINA, dentre outras:  a correção de atitudes;  a obediência pronta às ordens dos superiores hierárquicos;  a dedicação integral ao serviço;  a colaboração espontânea à disciplina coletiva e à eficiência da instituição;  a consciência das responsabilidades;  a rigorosa observância das prescrições regulamentares.
  21. 21. DISCIPLINA  A disciplina e o respeito à hierarquia devem ser mantidos permanentemente pelos policiais militares NA ATIVA e na INATIVIDADE.
  22. 22. A DISCIPLINA E A OBEDIÊNCIA ÀS ORDENS
  23. 23. DISCIPLINA E OBEDIÊNCIA ÀS ORDENS  As ordens devem ser prontamente obedecidas, DESDE QUE não manifestamente ilegais.
  24. 24.  Cabe ao subordinado, ao receber uma ordem, solicitar os esclarecimentos necessários ao seu TOTAL entendimento e compreensão.  Cabe ao policial militar a responsabilidade pelas ordens que der e pelas consequências que delas advierem. DISCIPLINA E OBEDIÊNCIA ÀS ORDENS
  25. 25.  Se a violação da disciplina é provocada por TERCEIRO, responderá este pela transgressão, se POLICIAL MILITAR.  Cabe ao policial militar que exorbitar ou se omitir no cumprimento de ordem recebida a responsabilidade pelos excessos e abusos que cometer ou pelo que deixou de fazer. DISCIPLINA E OBEDIÊNCIA ÀS ORDENS
  26. 26. COMANDO E SUBORDINAÇÃO NA PM/PA
  27. 27. O COMANDO
  28. 28.  COMANDO é a soma de AUTORIDADE, DEVERES e RESPONSABILIDADES de que o POLICIAL MILITAR é investido legalmente quando:  CONDUZ HOMENS; ou DIRIGE UMA ORGANIZAÇÃO POLICIAL MILITAR.  O COMANDO é vinculado AO GRAU HIERÁRQUICO e constitui uma PRERROGATIVA IMPESSOAL, em cujo exercício o policial militar se define e se caracteriza como chefe. COMANDO E SUBORDINAÇÃO
  29. 29.  Equipara-se a COMANDANTE, para efeito de aplicação desta lei, TODA autoridade policial militar com função de direção e chefia. COMANDO E SUBORDINAÇÃO  Equiparação a COMANDANTE
  30. 30.  O policial militar que, em virtude da função, exerce autoridade sobre outro de igual posto ou graduação considera-se SUPERIOR para efeito da aplicação das cominações previstas nesta lei. COMANDO E SUBORDINAÇÃO  Equiparação a SUPERIOR
  31. 31. SUBORDINAÇÃO
  32. 32.  A SUBORDINAÇÃO NÃO AFETA, de modo algum, a DIGNIDADE PESSOAL do policial militar e decorre, exclusivamente, da estrutura hierarquizada da Polícia Militar. SUBORDINAÇÃO
  33. 33.  OFICIAL PM É preparado, ao longo da carreira, para o exercício do COMANDO, da CHEFIA e da DIREÇÃO das Organizações Policiais Militares.  SUBTENENTES E SARGENTOS PM AUXILIAM ou COMPLEMENTAM as atividades dos OFICIAIS, no adestramento e emprego de meios, na instrução, na administração e na operacionalidade.  CABOS E SOLDADOS São essencialmente os elementos de EXECUÇÃO. SUBORDINAÇÃO
  34. 34. COMANDO, DIREÇÃO E CHEFIA
  35. 35. AUXILIAM E COMPLEMENTAM AS ATIVIDADES DOS OFICIAIS
  36. 36. ELEMENTOS DE EXECUÇÃO
  37. 37. ??
  38. 38.  Às PRAÇAS ESPECIAIS cabe a RIGOROSA OBSERVÂNCIA DAS LEIS, REGULAMENTOS, NORMAS E OUTRAS PRESCRIÇÕES DO ESTABELECIMENTO DE ENSINO POLICIAL MILITAR ONDE ESTIVEREM MATRICULADOS, exigindo-lhes INTEIRA DEDICAÇÃO AO ESTUDO E AO APRENDIZADO TÉCNICO- PROFISSIONAL. SUBORDINAÇÃO
  39. 39. A DEONTOLOGIA DO POLICIAL MILITAR
  40. 40. Professor, o que significa essa palavra tão difícil?? Deontologia nada mais é do que o estudo dos deveres e da moral. A DEONTOLOGIA DO POLICIAL MILITAR
  41. 41. A DEONTOLOGIA Policial Militar é constituída pelos valores e deveres éticos, traduzidos em normas de conduta, que se impõem para que o exercício da profissão policial militar atinja plenamente os ideais de realização do bem comum, mediante a preservação da ordem pública. A DEONTOLOGIA DO POLICIAL MILITAR A Deontologia Policial Militar reúne VALORES úteis, lógicos e razoáveis, destinados a elevar a profissão policial militar à condição de MISSÃO.
  42. 42. A DEONTOLOGIA DO POLICIAL MILITAR  A camaradagem é indispensável à formação e ao convívio da família policial militar, devendo existir as melhores relações sociais entre os policiais militares. Cabe a TODOS OS INTEGRANTES da Polícia Militar incentivar e manter a harmonia e a amizade entre si.
  43. 43. A DEONTOLOGIA DO POLICIAL MILITAR  As demonstrações de camaradagem, cortesia e consideração, obrigatórias entre os policiais militares, devem ser dispensadas aos militares das Forças Armadas e aos policiais e bombeiros militares de outras corporações.
  44. 44. A DEONTOLOGIA DO POLICIAL MILITAR  Importa ao superior tratar os subordinados em geral com consideração e justiça.  A civilidade é parte da Educação Policial Militar e, como tal, de interesse vital para a disciplina consciente.  Em contrapartida, o subordinado é obrigado a todas as provas de respeito e deferência para com seus superiores, em conformidade com legislação vigente.
  45. 45. OS VALORES POLICIAIS MILITARES
  46. 46. “Um VALOR é uma crença em que o homem se baseia para atuar por referência.“ Alpport (Psicólogo) “O VALOR é algo significativo, importante, para um indivíduo ou grupo social". Nildo Viana (Sociólogo) OS VALORES POLICIAIS MILITARES
  47. 47.  a cidadania;  o respeito à dignidade humana;  a primazia pela liberdade, justiça e solidariedade;  a promoção do bem-estar social sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade, religião e quaisquer outras formas de discriminação;  a defesa do Estado e das instituições democráticas;  São atributos inerentes à conduta do policial militar, que se consubstanciam em valores policiais militares: OS VALORES POLICIAIS MILITARES
  48. 48.  a educação, cultura e bom condicionamento físico;  a assistência à família;  o respeito e assistência à criança, ao adolescente, ao idoso e ao índio;  o respeito e preservação do meio ambiente;  o profissionalismo;  São atributos inerentes à conduta do policial militar, que se consubstanciam em valores policiais militares: OS VALORES POLICIAIS MILITARES
  49. 49.  a disciplina;  a coragem;  o patriotismo;  o sentimento de servir à comunidade estadual;  o integral devotamento à preservação da ordem pública, mesmo com o risco da própria vida;  São atributos inerentes à conduta do policial militar, que se consubstanciam em valores policiais militares: OS VALORES POLICIAIS MILITARES
  50. 50.  o civismo e o culto das tradições históricas;  a fé na missão elevada da Polícia Militar;  o espírito de corpo, orgulho do policial militar pela OPM onde serve;  o amor à profissão policial militar e o entusiasmo com que é exercida;  o aprimoramento técnico-profissional.  São atributos inerentes à conduta do policial militar, que se consubstanciam em valores policiais militares: OS VALORES POLICIAIS MILITARES
  51. 51. OS VALORES POLICIAIS MILITARES  Esses valores são essenciais para o entendimento objetivo: do sentimento do dever; da honra pessoal; do pundonor policial militar; do decoro da classe; da dignidade; e da compatibilidade com o cargo.
  52. 52. OS VALORES POLICIAIS MILITARES  SENTIMENTO DO DEVER  é o comprometimento com o fiel cumprimento da missão policial militar.  HONRA PESSOAL  é o sentimento de dignidade própria, como o apreço e o respeito de que é objeto ou se tornam merecedores os policiais militares perante seus superiores, pares e subordinados.
  53. 53. OS VALORES POLICIAIS MILITARES  PUNDONOR POLICIAL MILITAR  É o dever de pautar sua conduta com correção de atitudes, como um profissional correto.  Exige-se do policial militar, EM QUALQUER OCASIÃO, comportamento ético que refletirá no seu desempenho perante a instituição a que serve e no grau de respeito que lhe é devido.
  54. 54. OS VALORES POLICIAIS MILITARES  DECORO DA CLASSE  é o valor moral e social da instituição, representando o conceito do policial militar em sua amplitude social, estendendo-se à classe que o militar compõe, não subsistindo sem ele.
  55. 55. OS VALORES POLICIAIS MILITARES  INCOMPATIBILIDADE PARA COM O CARGO  é a inabilitação ao exercício funcional decorrente da falta de preparo técnico-profissional.  INDIGNIDADE PARA COM O CARGO  é o ferimento a preceitos morais e éticos vinculados à conduta do policial militar.
  56. 56. A ÉTICA POLICIAL MILITAR
  57. 57. “Não basta ensinar ao homem uma especialidade, porque se tornará assim uma máquina utilizável e não uma personalidade. É necessário que adquira um sentimento, um senso prático daquilo que vale a pena ser empreendido, daquilo que é belo, do que é moralmente correto.” Albert Einstein A palavra ÉTICA, do grego ethos e significa aquilo que pertence ao "bom costume", "costume superior", ou "portador de caráter". Princípios universais, ações que acreditamos e não mudam independentemente do lugar onde estamos. Site Wikipedia A ÉTICA POLICIAL MILITAR
  58. 58.  O sentimento do dever, o pundonor policial militar e o decoro da classe impõem, a cada um dos integrantes da Polícia Militar, conduta moral e profissional irrepreensíveis, com observância dos seguintes preceitos da ÉTICA POLICIAL MILITAR: A ÉTICA POLICIAL MILITAR
  59. 59.  cultuar os símbolos e as tradições da Pátria, do Estado do Pará e da Polícia Militar e zelar por sua inviolabilidade;  preservar a natureza e o meio ambiente;  servir à comunidade, procurando, no exercício da suprema missão de preservar a ordem pública, promover, sempre, o bem-estar comum, dentro da estrita observância das normas jurídicas e das disposições desta lei;  atuar com devotamento ao interesse público, colocando-o ACIMA dos anseios particulares; A ÉTICA POLICIAL MILITAR
  60. 60.  atuar de forma disciplinada e disciplinadora, com RESPEITO MÚTUO de superiores e subordinados, e preocupação com a integridade física, moral e psíquica de todos os policiais militares do Estado, inclusive dos agregados, envidando esforços para bem encaminhar a solução dos problemas apresentados;  ser justo na apreciação de atos e méritos dos subordinados;  cumprir e fazer cumprir, dentro de suas atribuições legalmente definidas, a Constituição, as leis e as ordens legais das autoridades competentes, exercendo suas atividades com responsabilidade, incutindo-a em seus subordinados;  estar sempre preparado para as missões que desempenhe; A ÉTICA POLICIAL MILITAR
  61. 61.  exercer as funções com integridade, probidade e equilíbrio, segundo os princípios que regem a Administração Pública, não sujeitando o cumprimento do dever a influências indevidas;  procurar manter boas relações com outras categorias profissionais, conhecendo e respeitando-lhes os limites de competência, mas elevando o conceito e o processo administrativo disciplinar da própria profissão, zelando por sua competência e autoridade;  ser fiel na vida policial militar, cumprindo os compromissos relacionados às suas atribuições de agente público; A ÉTICA POLICIAL MILITAR
  62. 62.  manter ânimo forte e fé na missão policial militar, mesmo diante das dificuldades, demonstrando persistência no trabalho para solucioná-las;  manter ambiente de harmonia e camaradagem na vida profissional, solidarizando-se nas dificuldades que estejam ao seu alcance, minimizar e evitando comentários desairosos sobre os componentes das Instituições Policiais;  conduzir-se de modo não subserviente, sem ferir os princípios de respeito e decoro;  prestar assistência moral e material à família; A ÉTICA POLICIAL MILITAR
  63. 63.  não pleitear para si, por meio de terceiros, cargo ou função que esteja sendo exercido por outro militar do Estado;  abster-se do uso do posto, graduação ou função para obter facilidades pessoais de qualquer natureza ou para encaminhar negócios particulares ou de terceiros;  considerar a verdade, a legalidade e a responsabilidade como fundamentos de dignidade pessoal;  exercer a profissão sem discriminações ou restrições de ordem religiosa, política, racial, de condição social, de gênero ou qualquer outra de caráter discriminatório; A ÉTICA POLICIAL MILITAR
  64. 64.  atuar com prudência nas ocorrências policiais;  respeitar a integridade física, moral e psíquica da pessoa do PRESO ou de quem seja objeto de incriminação;  não solicitar ou provocar publicidade visando à própria promoção pessoal;  observar os direitos e garantias fundamentais, agindo com isenção, equidade e absoluto respeito pelo ser humano, não usando sua condição de autoridade pública para a prática de arbitrariedade;  exercer a função pública com honestidade, NÃO ACEITANDO vantagem indevida, de qualquer espécie; A ÉTICA POLICIAL MILITAR
  65. 65.  não usar meio ilícito na produção de trabalho intelectual ou em avaliação profissional, inclusive no âmbito do ensino policial militar;  não abusar dos meios do Estado postos à sua disposição, nem distribuí-los a quem quer que seja, em detrimento dos fins da Administração Pública, coibindo ainda a transferência, para fins particulares, de tecnologia própria das funções policiais;  atuar com eficiência e probidade, zelando pela economia e conservação dos bens públicos cuja utilização lhe for confiada;  proteger as pessoas, o patrimônio e o meio ambiente com abnegação e desprendimento pessoal; A ÉTICA POLICIAL MILITAR
  66. 66.  zelar pelo preparo moral, intelectual e físico PRÓPRIO e dos SUBORDINADOS, tendo em vista o cumprimento da missão comum;  praticar a camaradagem e desenvolver, permanentemente, o espírito de cooperação;  ser discreto em suas atitudes, maneiras e em sua linguagem escrita e falada;  abster-se de tratar, fora do âmbito apropriado, de matéria sigilosa de qualquer natureza;  proceder de maneira ilibada na vida PÚBLICA e na PARTICULAR; A ÉTICA POLICIAL MILITAR
  67. 67.  observar as normas da boa educação;  conduzir-se, mesmo FORA DO SERVIÇO ou NA INATIVIDADE, de modo a que não sejam prejudicados os princípios da disciplina, do respeito e do decoro policial-militar;  zelar pelo bom nome da Polícia Militar e de cada um de seus integrantes, obedecendo e fazendo obedecer aos preceitos da ética policial militar; A ÉTICA POLICIAL MILITAR
  68. 68.  dedicar-se integralmente ao serviço policial militar e ser fiel à instituição a que pertence, MESMO COM O RISCO DA PRÓPRIA VIDA;  tratar o subordinado dignamente e com urbanidade;  tratar de forma urbana, cordial e educada os cidadãos. A ÉTICA POLICIAL MILITAR
  69. 69. A ATIVIDADE COMERCIAL E O POLICIAL MILITAR
  70. 70.  É vedado ao POLICIAL MILITAR exercer as seguintes atividades:  atividade de SEGURANÇA PARTICULAR;  atividade COMERCIAL;  tomar parte na ADMINISTRAÇÃO ou GERÊNCIA de sociedade, ou DELA SER SÓCIO ou PARTICIPAR AINDA QUE INDIRETAMENTE, exceto como ACIONISTA ou COTISTA em SOCIEDADE ANÔNIMA ou LIMITADA. A ATIVIDADE COMERCIAL E O POLICIAL MILITAR
  71. 71. O PATRIMÔNIO DO POLICIAL MILITAR
  72. 72.  No ato da INCLUSÃO, o policial militar apresentará declaração de bens e valores que constituem seu patrimônio, repetindo-se esse ato ANUALMENTE, como medida de transparência da aplicação do erário. O PATRIMÔNIO DO POLICIAL MILITAR  A declaração ANUAL poderá ser substituída pela entrega à Administração Policial Militar de cópia da declaração anual do imposto de renda de pessoa física.
  73. 73.  Compete aos COMANDANTES fiscalizar os subordinados que apresentarem sinais exteriores de riqueza incompatíveis com a remuneração do respectivo cargo, fazendo-os comprovar a origem de seus bens mediante instauração de procedimento administrativo, observada a legislação específica. O PATRIMÔNIO DO POLICIAL MILITAR
  74. 74.  Os policiais militares da reserva remunerada, quando convocados para o serviço ativo, ficam submetidos à Legislação pertinente à situação de atividade na Corporação. ÉTICA E PATRIMÔNIO
  75. 75. O COMPROMISSO POLICIAL MILITAR
  76. 76.  TODO CIDADÃO, após ingressar na Polícia Militar mediante concurso público, AO TÉRMINO DO CURSO DE FORMAÇÃO, PRESTARÁ COMPROMISSO DE HONRA, no qual:  afirmará a sua aceitação consciente das obrigações e dos deveres policiais militares; E manifestará a sua firme disposição de bem cumpri- los. COMPROMISSO POLICIAL MILITAR
  77. 77. COMPROMISSO POLICIAL MILITAR Compromisso Policial Militar Compromisso GERAL Compromisso do ASPIRANTE-A- OFICIAL Compromisso do OFICIAL
  78. 78. COMPROMISSO POLICIAL MILITAR “Ao ingressar na Polícia Militar do Pará, prometo regular minha conduta pelos preceitos da moral, cumprir rigorosamente as ordens das autoridades a que estiver subordinado e dedicar-me inteiramente ao serviço policial- militar, à preservação da ordem pública e à segurança da comunidade, MESMO COM O RISCO DA PRÓPRIA VIDA”.
  79. 79. COMPROMISSO POLICIAL MILITAR “Ao ser declarado aspirante-a-oficial da Polícia Militar do Pará, prometo regular minha conduta pelos preceitos da moral, cumprir rigorosamente as ordens das autoridades a que estiver subordinado e dedicar-me inteiramente ao serviço policial-militar, à preservação da ordem pública e à segurança da comunidade, MESMO COM O RISCO DA PRÓPRIA VIDA”.
  80. 80. COMPROMISSO POLICIAL MILITAR “Perante a Bandeira do Brasil e pela minha honra, prometo cumprir os deveres de oficial da Polícia Militar do Pará e dedicar-me inteiramente ao seu serviço’’.
  81. 81. A VIOLAÇÃO DOS DEVERES POLICIAIS MILITARES
  82. 82. VIOLAÇÃO DOS DEVERES POLICIAIS MILITARES  A violação dos deveres éticos dos policiais militares acarretará responsabilidade administrativa, independente da penal e da civil.  A violação dos preceitos da ética policial militar é tão MAIS GRAVE quanto MAIS ELEVADO for o grau hierárquico de quem a cometer.
  83. 83. VEDAÇÃO A MANIFESTAÇÕES COLETIVAS
  84. 84. VIOLAÇÃO DOS DEVERES POLICIAIS MILITARES  São proibidas QUAISQUER MANIFESTAÇÕES COLETIVAS sobre atos de superiores, de caráter reivindicatório e/ou de cunho político-partidário, sujeitando-se as manifestações de caráter individual aos preceitos deste código.
  85. 85. COMPETÊNCIA PARA APLICAÇÃO DO CÓDIGO DISCIPLINAR
  86. 86. COMPETÊNCIAS P/ APLICAÇÃO DO CEDPM Governador do Estado Comandante- Geral Chefe da Casa Militar da Governadoria Subcomandante- Geral Corregedor-Geral Chefe do Estado- Maior Estratégico; Comandantes Operacionais Intermediários; Diretores Setoriais; e Ajudante-Geral Presidentes das Comissões Permanentes de Correição-Geral e de Corregedoria dos Comandos Operacionais Intermediários Comandantes de Batalhões, do Regimento de Polícia Montada, do Grupamento Aéreo, Chefes de Seção do Estado- Maior Estratégico, Comandantes de Companhias Independentes e Chefes de Assessorias Subcomandantes de Batalhões, do Regimento de Polícia Montada, do Grupamento Aéreo, de Companhias Independentes e Chefes de Serviços Comandantes de Companhias e Pelotões Destacados
  87. 87.  TODAS as sanções disciplinares previstas neste código aos policiais militares ATIVOS e INATIVOS. COMPETÊNCIAS P/ APLICAÇÃO DO CEDPM  GOVERNADOR DO ESTADO
  88. 88.  TODAS AS SANÇÕES DISCIPLINARES a policiais militares ATIVOS e INATIVOS, exceto ao Chefe da Casa Militar da Governadoria e seus comandados, até os limites máximos previstos neste código, excluindo-se a demissão e a reforma administrativa disciplinar de oficiais. COMPETÊNCIAS P/ APLICAÇÃO DO CEDPM  COMANDANTE-GERAL
  89. 89.  Sanções disciplinares de repreensão, detenção e prisão a policiais militares SOB O SEU COMANDO, até os limites máximos estabelecidos neste código. COMPETÊNCIAS P/ APLICAÇÃO DO CEDPM  CHEFE DA CASA MILITAR DA GOVERNADORIA
  90. 90.  Sanções disciplinares de repreensão, detenção e prisão a policiais militares ATIVOS, EXCETO ao Comandante-Geral e ao Chefe da Casa Militar da Governadoria e seus comandados, até os limites máximos estabelecidos neste código. COMPETÊNCIAS P/ APLICAÇÃO DO CEDPM  SUBCOMANDANTE-GERAL
  91. 91.  Sanções disciplinares de repreensão, detenção e prisão a policiais militares ATIVOS, EXCETO ao Comandante-Geral, ao Chefe da Casa Militar da Governadoria e aos seus comandados, e ao Subcomandante-Geral, até os limites máximos estabelecidos neste código. COMPETÊNCIAS P/ APLICAÇÃO DO CEDPM  CORREGEDOR-GERAL
  92. 92.  Sanções disciplinares de repreensão, detenção até 30 dias para praças e oficiais e prisão até 20 dias para oficiais e até trinta dias para praças, a policiais militares ATIVOS sob a sua chefia, comando ou direção. COMPETÊNCIAS P/ APLICAÇÃO DO CEDPM  CHEFE DO ESTADO-MAIOR ESTRATÉGICO  COMANDANTES OPERACIONAIS INTERMEDIÁRIOS  DIRETORES SETORIAIS  AJUDANTE-GERAL
  93. 93.  Sanções disciplinares de repreensão, detenção até 30 dias para praças e oficiais e prisão até 20 dias para oficiais e até trinta dias para praças, a policiais militares ATIVOS na sua circunscrição. COMPETÊNCIAS P/ APLICAÇÃO DO CEDPM  PRESIDENTES DAS COMISSÕES PERMANENTES DE CORREIÇÃO-GERAL E DE CORREGEDORIA DOS COMANDOS OPERACIONAIS INTERMEDIÁRIOS
  94. 94.  Sanções disciplinares de repreensão, detenção até 30 dias para praças e oficiais e prisão até 20 dias para oficiais e até trinta dias para praças, a policiais militares ATIVOS na sua circunscrição. COMPETÊNCIAS P/ APLICAÇÃO DO CEDPM  COMANDANTES DE BATALHÕES  COMANDANTE DO REGIMENTO DE POLÍCIA MONTADA  COMANDANTE DO GRUPAMENTO AÉREO  CHEFES DE SEÇÃO DO ESTADO-MAIOR ESTRATÉGICO,  COMANDANTES DE COMPANHIAS INDEPENDENTES  CHEFES DE ASSESSORIAS
  95. 95.  Sanções disciplinares de repreensão e detenção a policiais militares ATIVOS sob o seu comando ou chefia, de até 10 dias para oficiais e de até 15 dias para praças. COMPETÊNCIAS P/ APLICAÇÃO DO CEDPM  SUBCOMANDANTES DE BATALHÕES  SUBCOMANDANTE DO REGIMENTO DE POLÍCIA MONTADA  SUBCOMANDANTE DO GRUPAMENTO AÉREO  SUBCOMANDANTES DE COMPANHIAS INDEPENDENTES  CHEFES DE SERVIÇO
  96. 96.  Sanções disciplinares de repreensão e detenção a policiais militares ATIVOS sob o seu comando ou chefia, de até 10 dias para oficiais e de até 15 dias para praças. COMPETÊNCIAS P/ APLICAÇÃO DO CEDPM  COMANDANTES DE COMPANHIAS E PELOTÕES DESTACADOS
  97. 97.  A competência conferida aos Chefes de Seção, de Serviços e de Assessorias limitar-se-á às ocorrências relacionadas às atividades inerentes ao serviço de suas repartições. COMPETÊNCIAS P/ APLICAÇÃO DO CEDPM
  98. 98. OCORRÊNCIAS DISCIPLINARES
  99. 99. Policial que toma conhecimento de fato contrário à disciplina
  100. 100.  TODO POLICIAL MILITAR que tiver conhecimento de um fato contrário à disciplina deverá participá-lo ao seu chefe imediato, por ESCRITO ou VERBALMENTE. OCORRÊNCIAS DISCIPLINARES  Ao participar o caso VERBALMENTE, o policial deve confirmar a participação, POR ESCRITO, no prazo máximo de 03 dias.
  101. 101.  A Autoridade a quem a parte disciplinar é dirigida DEVE tomar providências no prazo máximo de 15 dias.  A autoridade que receber a parte, não sendo competente para providenciar a respeito, deve encaminhá-la a seu superior imediato. OCORRÊNCIAS DISCIPLINARES
  102. 102. Ocorrências disciplinares que envolvam mais de uma OPM
  103. 103.  Nas ocorrências disciplinares que envolvam policiais militares de mais de uma OPM, caberá ao comandante que primeiro tomar conhecimento do fato comunicá-lo, IMEDIATAMENTE e POR ESCRITO, à Corregedoria- Geral. OCORRÊNCIAS DISCIPLINARES
  104. 104. OCORRÊNCIAS DISCIPLINARES Ocorrência disciplinar (envolvendo mais de uma OPM) PRIMEIRO COMANDANTE que tomar conhecimento do fato Comunica IMEDIATAMENTE e POR ESCRITO o fato à CORREGEDORIA-GERAL.
  105. 105. OCORRÊNCIAS DISCIPLINARES  O Corregedor-Geral encaminhará o caso à COMISSÃO PERMANENTE DE CORREGEDORIA DO COMANDO OPERACIONAL INTERMEDIÁRIO a que pertencer o policial militar mais antigo envolvido no fato, ficando AMPLIADA A COMPETÊNCIA DO PRESIDENTE DA RESPECTIVA COMISSÃO para aplicar as prescrições deste código a todos os implicados.
  106. 106. OCORRÊNCIAS DISCIPLINARES  Quando uma autoridade, ao solucionar o processo administrativo disciplinar, concluir que A PUNIÇÃO A SER APLICADA ESTÁ ALÉM DO LIMITE MÁXIMO QUE LHE É AUTORIZADO, cabe-lhe encaminhar o processo à autoridade superior para fins de deliberação.
  107. 107. Ocorrências disciplinares que envolvam Policial Militar- PA x Policial de outra Força ou Servidor público x Policial Militar - PA
  108. 108. OCORRÊNCIAS DISCIPLINARES  No caso de ocorrência disciplinar envolvendo militar de outra Força OU servidor público e policial militar, a autoridade competente deverá tomar as medidas disciplinares referentes ao policial militar, informando ao escalão superior sobre sua decisão administrativa, devendo este (O ESCALÃO SUPERIOR) comunicar a solução tomada à autoridade que tenha ascendência funcional sobre o outro envolvido.
  109. 109. OCORRÊNCIAS DISCIPLINARES Autoridade PM/PA • Aplica a sanção disciplinar ao POLICIAL MILITAR PM/PA Autoridade PM/PA • informa ao ESCALÃO SUPERIOR sobre sua decisão Escalão superior • comunica a solução tomada à autoridade que tenha ascendência funcional sobre O OUTRO ENVOLVIDO.
  110. 110. Obrigado Grande abraço e bons estudos! - Professor: Marcos Girão -

×