Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Gerenciamento de ResíduosSólidosProfessora MSc. Carla E. Baracuhy Firmino.
Risco, meio ambiente e os resíduossólidos.
Gerenciamento de Resíduos Sólidos     - Considerações   Sabe-se que a geração de resíduos    oriundos das atividades huma...
Gerenciamento de Resíduos Sólidos    - Considerações   A partir da segunda metade do século    XX, com os novos padrões d...
   No Brasil, em 2011, das 55,5 milhões de    toneladas de resíduos coletadas no ano,    58,06% (32,2 milhões) foram dest...
Figura 1 : Exemplo de um Lixão
Gerenciamento de Resíduos Sólidos    - Considerações   O avanço tecnológico das últimas    décadas, se, por um lado, poss...
Figura 2 : Lixo eletrônico
   Hoje, o lixo eletrônico cresce três    vezes mais que lixo convencional e,    segundo a Organização das Nações    Unid...
Gerenciamento de Resíduos SólidosA geração de resíduos pelas diversas atividadeshumanas constitui-se atualmente em um gran...
   Apenas na primeira semana de    dezembro de 2012, a Secretaria    Municipal    de   Limpeza    Pública    (Semulsp) já...
Gerenciamento de Resíduos Sólidos É o paradoxo do desenvolvimento cientifico e tecnológico gerando conflitos com os quais ...
Gerenciamento de Resíduos Sólidos     Entre os problemas    sanitários   e   ambientais,     situam-se:1. Aqueles criados ...
Gerenciamento de Resíduos Sólidos    – Políticas Públicas   Políticas públicas têm sido discutidas e legislações    elabo...
Gerenciamento de Resíduos Sólidos– Políticas Públicas   No Brasil, órgãos como a Agência Nacional    de Vigilância Sanitá...
Gerenciamento de Resíduos Sólidos    - Definições   Na linguagem corrente, o termo lixo é    usualmente utilizado para de...
Gerenciamento de Resíduos Sólidos    - Definições   De acordo com o Dicionário – O ser humano e    o meio ambiente de A a...
Gerenciamento de Resíduos Sólidos- Definições   A Organização Mundial da Saúde (OMS) apud    Dicionário – O ser humano e ...
Gerenciamento de Resíduos Sólidos- Definições   De acordo com o dicionário da língua    portuguesa, lixo é aquilo que se ...
A Resolução Conama n° 005/1993define resíduos sólidos como:   Conforme a NBR nº 10.004, da Associação    Brasileira de No...
A Resolução CONAMA n° 005/1993define resíduos sólidos como:“...Ficam incluídos nesta definição os lodosprovenientes de sis...
De acordo com a definição citada, cabesalientar que, quando se fala em resíduosólido, nem sempre se refere ao seuestado só...
Gerenciamento de Resíduos Sólidos     - Classificação     De acordo com IPT/Cempre (2000), os      resíduos sólidos podem...
Gerenciamento de Resíduos Sólidos- Classificação   As normas e resoluções existentes    classificam os resíduos sólidos e...
Figura 3: Resíduos lançados a céu aberto
Gerenciamento de Resíduos Sólidos- Classificação   Com relação aos riscos potenciais ao meio    ambiente e à saúde públic...
Gerenciamento de Resíduos Sólidos    - Classificação   Os resíduos classe I, denominados como    perigosos, são aqueles q...
Gerenciamento de Resíduos Sólidos- Classificação   Os resíduos classe II denominados não    perigosos são subdivididos em...
Gerenciamento de Resíduos Sólidos- Classificação   Os resíduos classe II-A - não inertes    podem ter as seguintes propri...
Gerenciamento de Resíduos Sólidos    - Classificação   Com relação a origem, os resíduos sólidos podem    ser classificad...
Gerenciamento de Resíduos Sólidos -    Classificação   Com relação à responsabilidade pelo    gerenciamento dos resíduos ...
Gerenciamento de Resíduos Sólidos -Classificação   O primeiro grupo refere-se aos resíduos    sólidos urbanos, compreendi...
Gerenciamento de Resíduos Sólidos -    Classificação   O segundo grupo, dos resíduos de fontes    especiais, abrange:    ...
Quadro 1: classificação dos resíduos sólidos em função de sua origem, assim como, os principais componentesencontrados. Fo...
Quadro 2: classificação dos resíduos sólidos em função de sua origem, assim como, os principais componentesencontrados.Fon...
Componentes Biológicos   Muitos são os componentes biológicos    presentes nos resíduos urbanos, entre eles    destacam-s...
Componentes Biológicos   O contato dos agentes existentes nos    resíduos sólidos ocorre principalmente    através de via...
Risco Ambiental   Risco para o Meio Ambiente é a    probabilidade da ocorrência de efeitos    adversos ao meio ambiente, ...
Risco Ambiental - classificação    O risco ambiental, de acordo com Schneider    (2004), é aquele que ocorre no meio    am...
Risco Ambiental - avaliação   A avaliação do risco ambiental é uma    ferramenta metodológica essencial para a    execuçã...
Risco à saúde   Risco à Saúde é a probabilidade da    ocorrência de efeitos adversos à saúde    relacionados com a exposi...
Referências BibliográficasBRAGA, B. et al. Introdução a Engenharia Ambiental – O Desafio dodesenvolvimento sustentável. 2ª...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Resíduos sólidos

1,058 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Resíduos sólidos

  1. 1. Gerenciamento de ResíduosSólidosProfessora MSc. Carla E. Baracuhy Firmino.
  2. 2. Risco, meio ambiente e os resíduossólidos.
  3. 3. Gerenciamento de Resíduos Sólidos - Considerações Sabe-se que a geração de resíduos oriundos das atividades humanas faz parte da própria história do homem. Sociedade contemporânea = sociedade de riscos.
  4. 4. Gerenciamento de Resíduos Sólidos - Considerações A partir da segunda metade do século XX, com os novos padrões de consumo da sociedade industrial, a geração de resíduos vem crescendo, em ritmo superior à capacidade de absorção pela natureza.
  5. 5.  No Brasil, em 2011, das 55,5 milhões de toneladas de resíduos coletadas no ano, 58,06% (32,2 milhões) foram destinadas corretamente - em aterros sanitários -, enquanto o restante (23,3 milhões) permanece seguindo para lixões e os chamados aterros controlados, que não têm tratamento de chorume ou controle dos gases de efeito estufa produzidos em sua decomposição. Fonte: http://www.estadao.com.br
  6. 6. Figura 1 : Exemplo de um Lixão
  7. 7. Gerenciamento de Resíduos Sólidos - Considerações O avanço tecnológico das últimas décadas, se, por um lado, possibilitou conquistas surpreendentes no campo das ciências, por outro, contribuiu para o aumento da diversidade de produtos com componentes e materiais de difícil degradação e maior toxicidade.
  8. 8. Figura 2 : Lixo eletrônico
  9. 9.  Hoje, o lixo eletrônico cresce três vezes mais que lixo convencional e, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), a situação é mais preocupante nos países emergentes. Principalmente no Brasil, campeão na geração de lixo eletrônico por habitante: meio quilo por ano. Fonte: http://g1.globo.com/jornal-da-globo
  10. 10. Gerenciamento de Resíduos SólidosA geração de resíduos pelas diversas atividadeshumanas constitui-se atualmente em um grandedesafio a ser enfrentado pelas administraçõesmunicipais, sobretudo nos grandes centrosurbanos.
  11. 11.  Apenas na primeira semana de dezembro de 2012, a Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp) já contabiliza acréscimo de 7% a 10% na quantidade diária de lixo coletada em toda a cidade – que hoje gira em torno de três mil toneladas. Fonte: http://www.portalamazonia.com.br
  12. 12. Gerenciamento de Resíduos Sólidos É o paradoxo do desenvolvimento cientifico e tecnológico gerando conflitos com os quais se depara o homem pós-moderno diante dos graves problemas sanitários e ambientais advindos de sua própria criatividade.Indivíduo x Consumo x Resíduos x Risco na sociedade pós-moderna
  13. 13. Gerenciamento de Resíduos Sólidos Entre os problemas sanitários e ambientais, situam-se:1. Aqueles criados pelo descarte inadequado de resíduos que criaram, e ainda criam, enormes passivos ambientais, colocando em risco os recursos naturais e a qualidade de vida das presentes e futuras gerações;2. A disposição inadequada desses resíduos decorrentes da ação de agentes físicos, químicos ou biológicos, cria condições ambientais potencialmente perigosas que modificam esses agentes e propiciam sua disseminação no ambiente, o que afeta, consequentemente, a saúde humana.
  14. 14. Gerenciamento de Resíduos Sólidos – Políticas Públicas Políticas públicas têm sido discutidas e legislações elaboradas com vistas a garantir o desenvolvimento sustentável e a preservação da saúde pública; Essas políticas fundamentam-se em concepções abrangentes no sentido de estabelecer interfaces entre a saúde pública e as questões ambientais.
  15. 15. Gerenciamento de Resíduos Sólidos– Políticas Públicas No Brasil, órgãos como a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA e o Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA têm assumido o papel de orientar, definir regras e regular a conduta dos diferentes agentes, no que se refere à geração e ao manejo dos resíduos.
  16. 16. Gerenciamento de Resíduos Sólidos - Definições Na linguagem corrente, o termo lixo é usualmente utilizado para designar tudo aquilo que não tem mais utilidade, enquanto resíduo é mais utilizado para designar sobra (refugo) do beneficiamento de produtos industrializados.
  17. 17. Gerenciamento de Resíduos Sólidos - Definições De acordo com o Dicionário – O ser humano e o meio ambiente de A a Z (2006), resíduo é o restante, sobra ou restos de substâncias ou produto. Também denominado de lixo ou lixo industrial, depende de sua origem ou periculosidade. De acordo com o Dicionário da língua portuguesa, resíduo é aquilo que resta de qualquer substância, resto (FERREIRA, 1988).
  18. 18. Gerenciamento de Resíduos Sólidos- Definições A Organização Mundial da Saúde (OMS) apud Dicionário – O ser humano e o meio ambiente de A a Z (2006), define o lixo como qualquer coisa que seu proprietário não quer mais e que não possui valor comercial, sendo descartado pelo mesmo proprietário sem considerar que grande parte dos resíduos ainda possui valor.
  19. 19. Gerenciamento de Resíduos Sólidos- Definições De acordo com o dicionário da língua portuguesa, lixo é aquilo que se varre de casa, do jardim, da rua, e se joga fora. Coisas inúteis, velhas, sem valor (FERREIRA, 1988).
  20. 20. A Resolução Conama n° 005/1993define resíduos sólidos como: Conforme a NBR nº 10.004, da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT - “Resíduos nos estados sólido e semissólido que resultam de atividades de origem industrial, doméstica, hospitalar, comercial, agrícola e de serviços de varrição...”
  21. 21. A Resolução CONAMA n° 005/1993define resíduos sólidos como:“...Ficam incluídos nesta definição os lodosprovenientes de sistemas de tratamento deágua, aqueles gerados em equipamentos einstalações de controle de poluição, bemcomo determinados líquidos cujasparticularidades tornem inviável o seulançamento na rede pública de esgotos oucorpos de água, ou exijam para issosoluções técnica e economicamenteinviáveis em face à melhor tecnologiadisponível.”
  22. 22. De acordo com a definição citada, cabesalientar que, quando se fala em resíduosólido, nem sempre se refere ao seuestado sólido.
  23. 23. Gerenciamento de Resíduos Sólidos - Classificação De acordo com IPT/Cempre (2000), os resíduos sólidos podem ser classificados de várias formas:1) Por sua natureza física: seco ou molhado;2) Por sua composição química: matéria orgânica e matéria inorgânica;3) Pelos riscos potenciais ao meio ambiente;4) Quanto à origem.
  24. 24. Gerenciamento de Resíduos Sólidos- Classificação As normas e resoluções existentes classificam os resíduos sólidos em função: Dos riscos potenciais ao meio ambiente e à saúde, como também, em função da natureza e origem.
  25. 25. Figura 3: Resíduos lançados a céu aberto
  26. 26. Gerenciamento de Resíduos Sólidos- Classificação Com relação aos riscos potenciais ao meio ambiente e à saúde pública a NBR 10.004/2004 classifica os resíduos sólidos em duas classes: classe I e classe II
  27. 27. Gerenciamento de Resíduos Sólidos - Classificação Os resíduos classe I, denominados como perigosos, são aqueles que, em função de suas propriedades físicas, químicas ou biológicas, podem apresentar riscos à saúde e ao meio ambiente. São caracterizados por possuírem uma ou mais das seguintes propriedades: Inflamabilidade Corrosividade Reatividade Toxicidade Patogenicidade
  28. 28. Gerenciamento de Resíduos Sólidos- Classificação Os resíduos classe II denominados não perigosos são subdivididos em duas classes: classe II-A e classe II-B
  29. 29. Gerenciamento de Resíduos Sólidos- Classificação Os resíduos classe II-A - não inertes podem ter as seguintes propriedades: biodegradabilidade, combustibilidade ou solubilidade em água. Os resíduos classe II-B - inertes não apresentam nenhum de seus constituintes solubilizados a concentrações superiores aos padrões de potabilidade de água, com exceção dos aspectos cor, turbidez, dureza e sabor.
  30. 30. Gerenciamento de Resíduos Sólidos - Classificação Com relação a origem, os resíduos sólidos podem ser classificados em:- Domiciliar;- Comercial;- Varrição e feiras livres;- Serviços de saúde;- Portos, aeroportos e terminais rodoviários e ferroviários;- Industriais;- Agrícolas e- Resíduos de construção civil.
  31. 31. Gerenciamento de Resíduos Sólidos - Classificação Com relação à responsabilidade pelo gerenciamento dos resíduos sólidos pode- se agrupá-los em dois grandes grupos: • resíduos sólidos urbanos • resíduos de fontes especiais
  32. 32. Gerenciamento de Resíduos Sólidos -Classificação O primeiro grupo refere-se aos resíduos sólidos urbanos, compreendido pelos: - resíduos domésticos ou residenciais; - resíduos comerciais; - resíduos públicos.
  33. 33. Gerenciamento de Resíduos Sólidos - Classificação O segundo grupo, dos resíduos de fontes especiais, abrange: - resíduos industriais; - resíduos da construção civil; - rejeitos radioativos; -resíduos de portos, aeroportos e terminais rodoferroviários; - resíduos agrícolas; - resíduos de serviços de saúde.
  34. 34. Quadro 1: classificação dos resíduos sólidos em função de sua origem, assim como, os principais componentesencontrados. Fonte: Manual de Gerenciamento de Resíduos Sólidos
  35. 35. Quadro 2: classificação dos resíduos sólidos em função de sua origem, assim como, os principais componentesencontrados.Fonte: Manual de Gerenciamento de Resíduos Sólidos
  36. 36. Componentes Biológicos Muitos são os componentes biológicos presentes nos resíduos urbanos, entre eles destacam-se: Escherichia coli, Klebsiella sp., Enterobacter sp., Proteus sp., Staphylococcus sp., Enterococus, Pseudomonas sp., Bacillus sp., Candida sp., que pertencem à microbiota normal humana.
  37. 37. Componentes Biológicos O contato dos agentes existentes nos resíduos sólidos ocorre principalmente através de vias respiratórias, digestivas e pela absorção cutânea e mucosa. As atividades capazes de proporcionar danos, doença ou morte para os seres vivos são caracterizadas como atividades de risco.
  38. 38. Risco Ambiental Risco para o Meio Ambiente é a probabilidade da ocorrência de efeitos adversos ao meio ambiente, decorrentes da ação de agentes físicos, químicos ou biológicos, causadores de condições ambientais potencialmente perigosas que favoreçam a persistência, disseminação e modificação desses agentes no ambiente.
  39. 39. Risco Ambiental - classificação O risco ambiental, de acordo com Schneider (2004), é aquele que ocorre no meio ambiente e pode ser classificado de acordo com: O tipo de atividade; Exposição instantânea, crônica; Probabilidade de ocorrência; Severidade; Reversibilidade; Visibilidade; Duração de seus defeitos.
  40. 40. Risco Ambiental - avaliação A avaliação do risco ambiental é uma ferramenta metodológica essencial para a execução de uma política de "saúde ambiental", sendo apropriada para auxiliar a gestão do risco e subsidiar os órgãos reguladores na tomada de decisões (Schneider, 2004: 28).
  41. 41. Risco à saúde Risco à Saúde é a probabilidade da ocorrência de efeitos adversos à saúde relacionados com a exposição humana a agentes físicos, químicos ou biológicos, em que um indivíduo exposto a um determinado agente apresente doença, agravo ou até mesmo morte, dentro de um período determinado de tempo ou idade.
  42. 42. Referências BibliográficasBRAGA, B. et al. Introdução a Engenharia Ambiental – O Desafio dodesenvolvimento sustentável. 2ª Edição. São Paulo: Pearson Prentice Hall,2005.GUERRA, S. Resíduos Sólidos. Rio de Janeiro: Forense, 2012.Manual de gerenciamento de resíduos de serviços de saúde / Ministério daSaúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária. – Brasília : Ministério daSaúde, 2006.NBR 10004/2004.Revista Novo Ambiente. Ano 1, Nº 03 – Agosto de 2010.http://www.portalamazonia.com.brhttp://g1.globo.com/jornal-da-globohttp://www.estadao.com.br

×