Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Sinal EconôMico 1 Jan2010

1,002 views

Published on

Indicadores econômicos de PE.

Published in: News & Politics
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Sinal EconôMico 1 Jan2010

  1. 1. 01 JANEIRO 2010 INFORMATIVO AD Diper TRIMESTRAL Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco Indicadores de investimentos e geração de empregos Número de empresas previsto Dados por setor industrial e regiões de desenvolvimento www.addiper.pe.gov.br
  2. 2. negócios irão produzir impactos positi- vos e multiplicadores da demanda em boa parte dos segmentos que formam a atividade produtiva. Portanto, tal cená- rio requer uma preparação ainda maior O contexto das empresas dos mais variados ra- econômico atu- mos, no sentido de reunir condições de al, onde predomina atendimento a demanda oriunda des- a liderança dos mercados dinâmicos e ses empreendimentos. Assim, é funda- aptos a responder com velocidade as mental a realização de ações que pro- mudanças impostas pelo novo padrão movam a elevação da competitividade competitivo, sugere que o acesso as do mercado doméstico, a fim de que os informações organizadas e de carac- benefícios advindos desses investimen- terística estratégica se constitui numa tos sejam internalizados. importante ferramenta de auxílio à Ges- tão empresarial e que poderá levar as Considerando os objetivos estratégicos empresas que a possuem, e dominam estabelecidos no Plano de Governo a sua utilização, a se destacarem frente do Estado de Pernambuco, especifi- aos seus concorrentes. Dessa forma, a camente o de “VIABILIZAR A IMPLAN- qualidade das informações produzidas TAÇÃO DE EMPREENDIMENTOS ES- por diferentes órgãos de pesquisa agre- TRUTURADORES E FORTALECER ga um valor substancial na elaboração AS CADEIAS E ARRANJOS PRODU- do planejamento das empresas, quan- TIVOS”, a Agência de Desenvolvimento do estas se propõe a adotá-las como Econômico de Pernambuco (AD Diper), referencial indicativo. consciente do seu compromisso, vem trabalhando para fortalecer o ambiente Informações organizadas também se de negócios no Estado. Dessa forma, consistem em um instrumento capaz possui ações focadas para a identifica- de aproximar novos parceiros, seja na ção de oportunidades de investimentos identificação do mercado de fornece- na região, como também para a am- dores e compradores, seja em projetos pliação da base produtiva, o que vem a para o desenvolvimento de atividades surtir efeito direto na expansão do mer- ligadas a novos investimentos, servindo cado local. de subsídio para a elaboração de estu- dos e levantamento das necessidades Diante desse grande desafio, a Agên- de mercado, como também na descri- cia tem realizado esforços no sentido ção da infraestrutura desejável. de proporcionar a inclusão econômica das empresas pernambucanas, ofe- Atualmente, Pernambuco passa por recendo instrumentos que facilitem o um momento ímpar da sua economia, processo de adequação das empresas em que uma grande massa de investi- às exigências do mercado atual e essa mentos se consolida no Estado através, adequação passa pela correção das sobretudo, da instalação de novos em- desigualdades setoriais e interiorização preendimentos. E isso, sem dúvida, irá do desenvolvimento. fortalecer ainda mais a economia local. No mais, o que se observa é que esses É com essa expectativa, de oferecer 2 SINAL ECONÔMICO 1 - JANEIRO/2010
  3. 3. INFORMATIVO SINAL ECONÔMICO Publicação Trimestral da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco AD DIPER. Tiragem: 3.000 exemplares ÁREA RESPONSÁVEL: Assessoria Econômica da AD DIPER (81) 3181.7300 - 3181.7327 Divulgação: Assessoria de Imprensa da AD DIPER Diagramação: Click Comunicação e Design (81) 3231.3968 - 30883108 Av. Conselheiro Rosa e Silva, 347 - Recife - Pernambuco - Brasil - CEP 52.020-220 um instrumento que favoreça a eficá- Espera-se que a iniciativa promova cia das ações voltadas para melhorar avanços qualitativos no ambiente em- a competitividade das empresas per- presarial, sobretudo no que diz respeito nambucanas, que a AD Diper está lan- ao suporte para as decisões de investi- çando o SINAL ECONÔMICO. Este do- mento, e que consiga, mesmo que em cumento pretende reunir uma série de médio prazo, elevar a eficiência dos re- informações sobre as perspectivas que cursos aplicados nos variados setores estão sendo delineadas para o merca- da economia estadual. do doméstico, e tem como propósito de abrangência contemplar os diversos setores da cadeia produtiva. O SINAL ECONÔMICO irá contribuir à medida que disponibilizará informações “VIABILIZAR A que irão subsidiar o planejamento das IMPLANTAÇÃO DE empresas do Estado. O método que EMPREENDIMENTOS está sendo delineado consistirá em ESTRUTURADORES uma análise informativa sobre a pers- E FORTALECER AS pectiva econômica para o setor produ- CADEIAS E ARRANJOS tivo no curto prazo, através da observa- PRODUTIVOS ção de variáveis estruturadas no banco SÃO ALGUNS de dados específico, que será elabora- DOS OBJETIVOS do com base nas informações levanta- ESTRATÉGICOS das nos documentos de manifestação ESTABELECIDOS PELO das empresas que vierem a pleitear os PLANO DE GOVERNO benefícios do Programa de Desenvolvi- DO ESTADO DE mento de Pernambuco (Prodepe). PERNAMBUCO.” SINAL ECONÔMICO 1 - JANEIRO/2010 3
  4. 4. INVESTIMENTOS PREVISTOS Setor Industrial SETOR 3º TRIMESTRE/09 4º TRIMESTRE/09 TOTAL SEMESTRE Alimentícios 209.965.309 165.814.613 375.779.922 Eletro-Metal-Mecânico 23.905.589 160.763.748 184.669.337 Têxtil 0 177.499.961 177.499.961 Farmacoquímico 0 24.927.159 24.927.159 Móveis 3.516.900 17.728.162 21.245.062 Produtos Químicos 9.032.000 11.210.000 20.242.000 Plástico 1.445.000 11.595.167 13.040.167 Bebidas 1.180.000 7.530.000 8.710.000 Papel 665.800 0 665.800 Outros 0 15.440.000 15.440.000 TOTAL 249.710.598 592.508.810 842.219.408 fONtE: Ad dIPEr O volume de investimento previsto para o Es- PArtICIPAçãO dOS SEtOrES NO tOtAL dE INvEStIMENtO (%) tado de Pernambuco, estimado em função da expectativa de novos negócios, alcançou 45% Alimentos a cifra de R$ 842,2 milhões no segundo se- mestre de 2009. Este montante, resultante 22% Têxtil do somatório de investimentos em dez seto- 21% EMM res de atividades, representa 15,0% do pro- 3% Móveis duto interno bruto do segmento industrial em Pernambuco. Boa parte dos investimentos 3% Farmacoquímico foi anunciada no quarto trimestre do ano. O 6% Outros setor de alimentos, as indústrias eletro-metal- mecânica e o ramo têxtil concentraram a maior parcela do valor estimado. no contexto regional, de forma a desenvol- ver os diversos setores da indústria através, A política que está em execução no Estado sobretudo, da ampliação do mercado local. de Pernambuco tem como objetivo, dentre Dessa forma, o programa de desenvolvi- outros, promover a descentralização dos in- mento foi estruturado de maneira a conside- vestimentos, tanto no âmbito setorial como rar as peculiaridades econômicas, trazendo condições específicas para cada ramo de atividade. As ações implementadas, que objetivam a captação de empresas, estão focadas na atração de fábricas pertencentes a setores cuja oferta do produto é relativamente baixa no Estado, bem como em função da expec- tativa de expansão da demanda que está sendo observada para o mercado de fatores, em razão da gama de investimentos anun- ciados pelo setor produtivo. 4 SINAL ECONÔMICO 1 - JANEIRO/2010
  5. 5. INVESTIMENTOS PREVISTOS Regiões de Desenvolvimento REGIÕES 3º TRIMESTRE/09 4º TRIMESTRE/09 TOTAL SEMESTRE Metropolitana 16.402.486 472.419.829 488.840.315 Mata Sul 216.407.205 7.530.000 223.937.205 Sertão do São Francisco 7.700.000 43.928.000 51.628.000 Agreste Central 2.216.007 39.121.083 41.337.090 Agreste Meridional 0 19.509.898 19.509.898 Sertão Central 4.040.000 10.000.000 14.040.000 Agreste Setentrional 2.926.900 0 2.926.900 TOTAL 249.710.598 592.508.810 842.219.408 fONtE: Ad dIPEr Considerando a distribuição do volume de PArtICIPAçãO dAS rEGIÕES NO tOtAL dE INvEStIMENtO (%) investimento programado sobre as Regiões de Desenvolvimento do Estado de Pernam- 58% Metropolitana buco percebe-se que esses recursos estão concentrados na Região Metropolitana, se- 27% Mata Sul guida da Região da Mata Sul. Dentre as 12 6% Sertão S. Francisco Regiões de Desenvolvimento constituídas, 5 Agreste Central sete receberão investimentos provenientes da instalação de novas unidades fabris. Res- 2% Agreste Meridional salta-se que essa situação se alinha à estra- 2% Agreste Setentrional tégia do Governo do Estado de desenvolver as diversas regiões através da interiorização dos investimentos. Dessa forma, observa- razão da sua situação econômica e do seu se que a Mata Sul deve ser beneficiada com rebatimento sobre os arranjos produtivos lo- algo em torno de 27,0% dos investimentos cais. anunciados. Cabe destacar que, confirmando a eficácia O montante destinado aos empreendimen- da política de interiorização do desenvolvi- tos localizados nas Regiões do Agreste e do mento, implantada como meta prioritária do Sertão pernambucano, mesmo apresentan- Governo do Estado, no ano de 2007, seis do a menor parcela de recursos previstos regiões pernambucanas tiveram empresas pelo setor privado, ganha importância em com projetos de investimentos industriais aprovados, sendo que 99,0% desses recur- sos foram anunciados por empresas que desejavam se instalar na RMR. Em 2008, o investimento programado para a Região Me- tropolitana correspondeu a 43,1% do mon- tante aprovado. Já em 2009 a parcela do Grande Recife ficou em torno de 50,0% do volume total. SINAL ECONÔMICO 1 - JANEIRO/2010 5
  6. 6. EMPREGOS PREVISTOS Setor Industrial SETOR 3º TRIMESTRE/09 4º TRIMESTRE/09 TOTAL SEMESTRE Eletro-Metal-Mecânico 999 1.878 2.877 Alimentos 805 1.189 1.994 Têxtil 0 1.834 1.834 Papel 1.143 0 1.143 Móveis 39 366 405 Plástico 12 382 394 Bebidas 86 180 266 Produtos Químicos 105 54 159 Outros 0 377 377 Farmacoquímico 0 132 132 TOTAL 3.189 6.392 9.581 fONtE: Ad dIPEr A indústria de Pernambuco deverá gerar PArtICIPAçãO dOS SEtOrES NO tOtAL dE EMPrEGOS (%) 9.581 novos empregos. Essa é a quantidade estimada pelas empresas que tiveram seus 30% EMM projetos aprovados no âmbito do Prode- pe, no último semestre de 2009. Boa parte 21% Alimentos desses postos foi anunciada pelas empre- 19% Têxtil sas dos setores de eletro-metal-mecânico, 18% Papel alimentos, têxtil e pelas indústrias produtoras de papel. Juntos, esses setores deverão adi- 12% Outros cionar 7.848 vagas de trabalho na economia pernambucana. De uma forma geral, o total que está sendo estimado até o momento representa 4,8% do estoque de empregos mil postos. Dessa forma, pode-se esperar vinculados formalmente ao segmento indus- um aquecimento moderado do mercado de trial. consumo que deve ser impulsionado pelo in- cremento da renda das famílias. O quarto trimestre do ano apresentou me- lhor desempenho em relação ao terceiro De acordo com os números do Prodepe, os em função do maior número de projetos projetos anunciados em 2009 são mais inten- aprovados. Nos últimos três anos, o total de sivos na alocação de mão-de-obra do que os emprego anunciado pelas empresas benefi- que foram aprovados em 2007 e 2008. Re- ciadas pelo programa chegou a mais de 28 lativamente, observa-se que em 2007 foi ge- rado um emprego para cada R$ 227.838,00 investido; em 2008, um emprego para cada R$ 183.926,00 investido e, em 2009, um emprego para cada R$ 101.255,00 aplica- dos. Essa performance sugere melhor eficá- cia da política atual, que objetiva potencializar os investimentos para a ampliação do mer- cado de trabalho. 6 SINAL ECONÔMICO 1 - JANEIRO/2010
  7. 7. EMPREGOS PREVISTOS Regiões de Desenvolvimento REGIÕES 3º TRIMESTRE/09 4º TRIMESTRE/09 TOTAL SEMESTRE Metropolitana 1.942 4.669 6.611 Mata Sul 743 180 923 Sertão do São Francisco 144 672 816 Agreste Central 96 469 565 Agreste Meridional 240 224 464 Sertão Central 0 178 178 Agreste Setentrional 24 0 24 TOTAL 3.189 6.392 9.581 fONtE: Ad dIPEr Em termos regionais, a distribuição do total PArtICIPAçãO dAS rEGIÕES NO tOtAL dE EMPrEGOS (%) de postos de trabalho que estão sendo anun- ciados para o Estado, em razão da implanta- 68% Metropolitana ção de novas empresas, mostra que a Re- gião Metropolitana deve abrigar a maior parte 10% Mata Sul dos empregos, cerca de 70,0% dos que es- 9% Agreste Central tão sendo informados pelas empresas bene- 6% Sertão S. Francisco ficiadas pelo Prodepe. Para a Região da Mata Sul estima-se a criação de 923 novos postos 7% Outras de trabalho, seguida da Região do Agreste Central, com a adição de 816 vagas. Assim como foi observado na avaliação dos executada, que tem como propósito estimu- investimentos previstos, a distribuição do em- lar a implantação de empresas nos muni- prego também vem mostrando diminuição cípios localizados fora do Grande Recife. O da concentração na Região Metropolitana. resultado obtido até o momento, ainda que Conforme pode ser verificado na tabela so- abaixo do ideal para essas regiões, represen- bre a série anual, apresentada no final deste ta uma mudança significativa frente ao com- documento, em 2007 a Região Metropolitana portamento de anos anteriores. abrigava 78,0% dos postos de trabalhos que estavam sendo anunciados. Já em 2009 o A Região do Agreste Central evoluiu com volume programado correspondeu a 66,0% participação de 9,3% no total de empregos do total previsto. estimados, enquanto que em 2007 sua par- ticipação foi nula. Já a Mata Sul, que deve Este comportamento segue em acordo com receber 9,7% das vagas programadas, apre- a política de descentralização que está sendo sentou um ganho de 8,2 pontos percentuais quando comparada a sua participação em 2007. SINAL ECONÔMICO 1 - JANEIRO/2010 7
  8. 8. NÚMERO DE EMPRESAS PREVISTO Setor Industrial SETOR 3º TRIMESTRE/09 4º TRIMESTRE/09 TOTAL SEMESTRE Alimentos 4 11 15 Eletro-Metal-Mecânico 4 11 15 Plástico 1 7 8 Produtos Químicos 2 4 6 Móveis 2 2 4 Farmacoquímicos 2 1 3 Bebidas 1 1 2 Papel 2 0 2 Têxtil 0 2 2 Outros 0 3 3 TOTAL 18 42 60 fONtE: Ad dIPEr NÚMERO DE EMPRESAS PREVISTO Regiões de Desenvolvimento REGIÕES 3º TRIMESTRE/09 4º TRIMESTRE/09 TOTAL SEMESTRE Metropolitana 11 27 38 Agreste Central 1 7 8 Sertão do São Francisco 1 4 5 Mata Sul 3 1 4 Sertão Central 1 1 2 Agreste Meridional 0 2 2 Agreste Setentrional 1 0 1 TOTAL 18 42 60 fONtE: Ad dIPEr PArtICIPAçãO dOS SEtOrES NO tOtAL dE PArtICIPAçãO dAS rEGIÕES NO tOtAL dE EMPrESAS (%) EMPrESAS (%) 25% Alimentos 64% Metropolitana 25% EMM 13% Agreste Central 20% Outros 8% Sertão S. Francisco 13% Plástico 8% Outras 10% Químico 7% Mata Sul 7% Móveis 8 SINAL ECONÔMICO 1 - JANEIRO/2010
  9. 9. EVOLUÇÃO NOS ÚLTIMOS 3 ANOS INVESTIMENTOS PREVISTOS Setor Industrial Participação Participação SETOR 2007 2008 2009 2008 (%) 2009 (%) Alimentos 65.662.744 849.093.902 422.409.922 34,89 40,66 Bebidas 75.637.959 39.893.974 46.377.000 1,64 4,46 Eletro-metal-mecânico 29.265.626 630.350.816 260.810.833 25,90 25,11 Farmacoquímico 21.270.410 176.784.787 24.927.159 7,26 2,40 Material de transporte 950.000 0 0 0,00 0,00 Minerais não-metálicos 52.422.923 231.013.768 11.504.025 9,49 1,11 Móveis 16.186.412 19.271.637 21.245.062 0,79 2,05 Plástico 47.240.186 379.756.192 28.573.167 15,60 2,75 Produtos químicos 5.973.361 29.315.620 29.047.964 1,20 2,80 Têxtil 804.530.875 13.890.053 180.827.340 0,57 17,41 Outros 0 1.480.635 12.391.423 0,06 1,19 Papel 0 58.150.400 665.800 2,39 0,06 Couro e calçados 0 795.316 0 0,03 0,00 Embalagens 0 4.061.200 0 0,17 0,00 TOTAL 1.119.140.496 2.433.858.336 1.038.779.691 100,00 100,00 fONtE: Ad dIPEr INVESTIMENTOS PREVISTOS Regiões de Desenvolvimento Participação Participação REGIÕES 2007 2008 2009 2008 (%) 2009 (%) Agreste Central 0 647.365.984 105.506.651 26,63 11,12 Agreste Meridional 7.764.477 230.000.000 68.931.898 9,46 6,64 Agreste Setentrional 1.340.969 1.378.200 3.456.900 0,06 0,33 Mata Norte 4.800.300 63.849.249 34.345.000 2,63 3,31 Mata Sul 7.254.140 398.322.294 234.445.628 16,39 22,57 Metropolitana 1.091.829.519 1.047.471.486 526.425.614 43,10 50,68 Sertão S. Francisco 6.151.090 28.168.974 51.628.000 1,02 4,01 Sertão do Moxotó 0 9.029.500 0 0,37 0,00 Sertão do Pajeú 0 8.272.649 0 0,34 0,00 Sertão Central 0 0 14.040.000 0,00 1,35 TOTAL 1.119.140.496 2.430.593.336 1.038.779.691 100,00 100,00 fONtE: Ad dIPEr SINAL ECONÔMICO 1 - JANEIRO/2010 9
  10. 10. EMPREGOS PREVISTOS Setor Industrial Participação Participação SETOR 2007 2008 2009 2008 (%) 2009 (%) Alimentos 1.361 6.509 2178 49,25 21,23 Bebidas 223 365 597 2,76 5,82 Eletro-Metal-Mecânico 516 2169 2877 16,41 28,04 Farmacoquímico 301 987 132 7,47 1,30 Material de transporte 10 0 0 0,00 0,00 Minerais não-metálicos 402 495 194 3,75 1,89 Móveis 241 597 405 4,52 3,95 Plástico 694 625 437 4,73 4,26 Produtos químicos 107 319 274 2,41 2,67 Têxtil 1057 421 1854 3,19 18,07 Couro e calçado 0 60 0 0,45 0,00 Embalagens 0 64 0 0,48 0,00 Papel 0 416 1143 3,15 11,14 Outros 0 188 168 1,42 1,64 TOTAL 4.912 13.215 10.259 100,00 100,00 fONtE: Ad dIPEr EMPREGOS PREVISTOS Regiões de Desenvolvimento Participação Participação REGIÕES 2007 2008 2009 2008 (%) 2009 (%) Agreste Central 0 2.134 816 16,17 7,95 Agreste Meridional 667 2.350 464 17,81 4,52 Agreste Setentrional 18 19 33 0,14 0,32 Mata Norte 215 464 221 3,52 2,15 Mata Sul 75 2.014 923 15,26 9,00 Metropolitana 3.828 5.484 6.773 41,56 66,02 Sertão S. Francisco 109 218 565 1,51 5,51 Sertão do Moxotó 0 282 0 2,14 0,00 Sertão do Pajeú 0 250 0 1,89 0,00 Sertão Central 0 0 464 0,00 4,52 TOTAL 4.912 13.196 10.259 100,00 100,00 fONtE: Ad dIPEr 10 SINAL ECONÔMICO 1 - JANEIRO/2010
  11. 11. NÚMERO DE EMPRESAS PREVISTO Setor Industrial Participação Participação SETOR 2007 2008 2009 2008 (%) 2009 (%) Alimentos 10 25 16 25,0 21,1 Bebidas 5 7 3 7,0 3,9 Eletro-metal-mecânico 7 23 15 23,0 19,7 Farmacoquímico 6 12 3 12,0 3,9 Material de transporte 1 0 0 0,0 0,0 Minerais não-metálicos 5 3 3 3,0 3,9 Móveis 2 6 4 6,0 5,3 Plástico 8 9 10 9,0 13,2 Produtos químicos 3 3 12 3,0 15,8 Têxtil 3 4 3 4,0 3,9 outros 0 1 0 1,0 0,0 Papel 0 1 2 1,0 2,6 Couro e calçados 0 5 2 5,0 2,6 Embalagens 0 1 3 1,0 3,9 TOTAL 50 100 76 100,0 100,0 fONtE: Ad dIPEr NÚMERO DE EMPRESAS PREVISTO Regiões de Desenvolvimento Participação Participação REGIÕES 2007 2008 2009 2008 (%) 2009 (%) Agreste Central 0 16 9 16,16 11,84 Agreste Meridional 2 2 4 2,02 5,26 Agreste Setentrional 1 1 2 1,01 2,63 Mata Norte 1 4 1 4,04 1,32 Mata Sul 3 5 6 5,05 7,89 Metropolitana 41 65 47 64,65 61,84 Sertão S. Francisco 2 3 5 3,03 6,58 Sertão do Moxotó 0 3 0 3,03 0,00 Sertão do Pajeú 0 1 0 1,01 0,00 Sertão Central 0 0 2 0,00 2,63 TOTAL 50 100 76 100,00 100,00 fONtE: Ad dIPEr SINAL ECONÔMICO 1 - JANEIRO/2010 11

×