Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Rev adv41bucafelicidade.120612

368 views

Published on

A BUSCA DA FELICIDADE, artigo publicado na Revista ADVOGADOS M&N nª 41

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Rev adv41bucafelicidade.120612

  1. 1. www.advogadosmn.com.br , MERCADO & NEGOCIOS A personaliza~ao como diferencial competitivo1 I I - ~
  2. 2. PENSAMENTO A BUSCA DA FELICIDADE T odos nos buscamos a "Sao direitos soc1ms, essen- felicidade. Quem nao ciais a busca da felicidade a educa- quer ser feliz? Onde a <;ao, a saude, a alimentac;:ao, 0 tra- encontrar? 0 que fazer para ir em balho, a moradia, o lazer, a segu- sua busca? Que iniciativas tomar? ran<;a, a previdencia social, a pro- inquietudes o atormentando cada vez mais. Mandou outros com a mesma missao, visto que os anteri- ores nao regressaram. Os anos se passavam e nao Todos n6s temos o direito de te<;ao a matemidade e a inrancia, a tinha noticias de seus emissarios.buscar a felicidade? Ela e em si urn assistencia aos desamparados". Desesperado, foi ter com o sabio direito? 0 direito de scr feliz? E Atualmente esse artigo se ini- que lhe advertiu: - A felicidade, uma busca impossivel? Deve-se cia assim: "Sao direitos sociais a meu born homem, deve cada urn preparar para ir em sua busca? E educa<;ao, a saude". busca-la por si mesmo; sua con- possivel dele gar essa busca a outro Entende-se que referida quista e absolutamente pessoal. e ser feliz? A felicidade e encon- emend a atribuira ao Estado o com- 0 burgues ja velho e alquebrado, trada no inicio, no meio ou no fim promisso de assegurar a felicidade perguntou com ansiedade: - terei dessa busca? a todos os cidadaos brasileiros, por ainda tempo de ir eu mesmo? Ate as institui<;6es se preocu- meio de investimentos nos direitos Encontrarei, tambem, essas cha- pam com isso. Recentemente a listados nesse artigo 6° e tambem ves e serei feliz? Organiza<;ao das Na<;6es Unidas em ac;:oes mais amplas, que 0 sabio 0 fez ver que perdera (ONU), em Assembleia Geral, tenham como objetivo simples- muito tempo e permitiu que outros aprovou uma resolw;:ao que reco- mente fazer o cidadao feliz ou, fizessem as coisas por ele, mas, se nhece a busca da felicidade como pelo menos, criar condi<;6es para ainda tivesse forc;:as para alcan<;ar "urn objetivo humano fundamen- lSSO. a meta, poderia procurar as chaves tal". Mais do que urn anseio indi- Nao estaria a pessoa dele- porelemesmo. vidual, a ONU estabelece a impor- gando ao Estado essa possibili- 0 potentado decidido avan<;ou tancia de cria<;ao de politicas dade que tern, individualmente, de alguns trechos e caiu, desfalecido publicas com essa finalidade e con- ser feliz e buscar a felicidade as para nao mais se levantar. vida os paises-membros a aposta- suas expensas? Pode-se extrair desse relato: rem na felicidade como ferra- Tal questao me faz lembrar de "Nao se deve delegar a outros o menta para o desenvolvimento, urn conto que li em minha juven- que conceme ao proprio conheci- citando inclusive politicas que pro- tude chamado: 0 grande burgues. mento. A felicidade, cuja con- movam o desenvolvimento sus- Se bern me recordo, urn potentado quista e exclusivamente individu- tentavel, a erradica<;ao da pobreza, se perguntava de que lhe serviam al, nao pode ser encomendada a ter- a elaborac;:ao de indicadores que tantas riquezas se encontrava ceiros." (conto: 0 grande burgues capturem a importancia da busca enfastiado de tudo e nao conseguia extraido do livro Intermedio Logo- da felicidade e do bem-estar no se livrar da angustia que corroia sofico, de Carlos B. Gonzalez desenvolvimento , objetivando, sua alma. Pecotche). inclusive, orientar suas politicas Nesse estado de animo, con- E, sendo a felicidade uma con-publicas ness a direc;:ao. sultou urn renomado sabio e lhe quista individual, posso cria-la em 0 Brasil na condi<;ao de urn dos perguntou o que deveria fazer para mim mesmo e procurar motivos paises signatarios no intuito de se sentir feliz. 0 sabio lhe indicou para dar permanencia a felicidadeseguir a orientac;:ao da ONU apre- urn caminho e lhe disse que no em minha vida. A felicidade devesentou a Proposta de Emenda a final dele encontraria umas chaves ser sentida como a propria vida, aoConstituic;:ao (PEC) no 19, que tra- que o fariam o homem mais feliz acordar e de igual modo, senti-lamita no Senado, pretendendo da terra. no trabalho e tambem em todos osacrescentar a felicidade na lista 0 endinheirado achando born o instantes da vida, no repouso e ados direitos sociais previstos no conselho enviou os seus secreta- noite ao me deitar.Artigo 6° da Constitui<;ao. rios para que lhe trouxessem essas Marco Aunlio Bicalho de Abreu Chagas e advogado, Aquele artigo 6° da Constitui- chaves. assessor juridico da ACMINAS- Associa9ao Comer- cia! de Minas. Articulista, conferencista e radiali sta.<;ao, com essa Emenda ficaria com 0 tempo passou. 0 burgues Colunista da Revista Advogados Mercado & Neg6-a seguinte redac;:ao: continuava com seus tedios e c!os. www. adv ogados mn .com .br 57

×