Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Accenture pdf

1,282 views

Published on

Brazil C Class - Overview

  • Login to see the comments

Accenture pdf

  1. 1. Nova classe média e o impacto no mercado imobiliário Julho, 20118909 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados. Accenture, seu logo e “High performance. Delivered.” são marcas registradas da Accenture.
  2. 2. A demanda por habitação no Brasil apresentacrescimentos muito significativos nos últimos anos… Lançamentos residenciais/acumulado 12 meses Município de São PauloFonte: EmbraespElaboração: Secovi-SP 2 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.
  3. 3. … e essa demanda vai continuar a crescer• Novas famílias – Estima-se que as famílias devem passar de 63,6 milhões para 79,6 milhões em 2022, a um ritmo de 1,33 milhão de novas famílias por ano. Sendo que nos próximos 4 anos o fluxo anual é superior á média de todo o período, com 1,35 milhão de famílias. – Para atender às novas famílias serão necessárias mais 1,3 milhão de moradias por ano até 2022.• Eliminação da Precaridade – Em 2009 havia cerca de 3,6 milhões de famílias em domicilio precário, sendo que 93,6% destas famílias, tinham renda até 3 salários mínimos. – Para eliminar a precariedade é necessário construir 279 mil moradias por ano até 2022.• Redução da Coabitação – Em 2009 o numero de famílias conviventes ultrapassava os 2,4 milhões, sendo necessário construir 203 mil moradias por ano até 2022, para eliminar a coabitação indesejada. Entre 2010 e 2022 a necessidade de moradias aproxima-se dos 23,5 milhões, isto é, cerca de 1,8 milhão por anoFonte: Construbusiness 2010 3 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.
  4. 4. A mobilidade social tem um forte impacto nessademanda• Foram adicionados 35,7 milhões de brasileiros na soma dos estratos econômicos médios e altos sintetizados nas classes ABC entre 2003 e 2009.• Estima-se que o número de famílias com renda de até 3 salários mínimos, cai de 24,8 milhões em 2010 para 20,7 milhões em 2022.• As famílias em domicilio precário e coabitação indesejada em 2010, e que se deseja eliminar até 2022, somam 6 milhões.• O volume de investimento habitacional para fazer face a novas moradias até 2022 será de R$ 259 Bilhões por ano, sendo que em 2009 onde o país bateu o recorde de valores financiados, o investimento chegou apenas a R$ 131 bilhões.• Estima-se que o montante de crédito necessário será de R$ 173 Bilhões por ano, no entanto, projeções apontam que o FGTS e a poupança poderão apenas garantir 40% dessas necessidades.• Não é clara a continuidade do programa MCMV como politica habitacional, nem a sua fonte de financiamento. A classe média aumenta a cada ano e as suas necessidades de habitação e financiamento também vão evoluirFonte: Construbusiness 2010 4 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.
  5. 5. A nova classe média apresenta característicasbastante diferenciadas das classes AB Quando dispõe de uma renda adicional o consumidor CDE tem que optar por: Ampliar o X X Aumentar a Mudar as marcas leque de poupança e/ou dos produtos categorias reduzir o consumidos consumidas endividamento Isso significa que: • Nem todas as categorias e marcas serão beneficiadas pela mobilidade social. • Certas categorias de alto desembolso (como o automóvel, a casa própria e eletrodomésticos) crescem porque tem forte apelo para o consumidor CDE. • A aquisição de categorias de alto desembolso pode implicar o adiamento da migração desse consumidor para marcas premium, mesmo quando a renda aumenta. • A marca é inserida dentro do contexto de uso e no ciclo de vida das famílias. O consumidor CDE faz conta completa ao comprar (categoria + produto+ marca+despesas de uso/compra (gás, luz, transporte). 5 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.
  6. 6. E mesmo entre os diferentes extratos das pirâmide, oconsumidor tem uma percepção diferenciada sobreconsumo Percepção sobre si mesmo, moradia, alimentação e lazer Classe média (C+) Classe média baixa (C-)Comportamento Comportamento• São empregados • Tem onde morar (aluguel, casa• Tem estudo técnico emprestada)• Trabalham • Quando dá, pagam escola particular para os filhos• Tem pouco dinheiro, mas sempre fazem festa • O lazer é restritoConsumo Consumo• Tem casa própria • Comem de tudo• Comem do bom e do melhor • DVD• Se vestem bem • Tanquinho ou Máquina de lavar Ricos • Computador com internet• Carro• Passeiam Média Alta • Carro velho• Comem fora eventualmente Média • Seguro do carro• Tem conforto Média Baixa • locação de filme Pobres 6 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.
  7. 7. Não importando qual extrato da pirâmide se encontrao consumidor classe média, a moradia sempre figuraentre os itens mais almejados por esta classe• Casa, carro e lazer são marcadores de diferenciação entre classes.• O nível dos que transformariam seu estilo de vida se mudassem de classe é alto: 48% mudariam de bairro*, 30% mudariam de amigos, 42% mudariam de estilo de vestir e 39% consumiriam produtos exclusivos da nova classe social.• Os que mais alterariam seu estilo de vida são os menos escolarizados, que se definem como individualistas e são mais jovens.• A relação com as marcas é complexa. É uma forma de fazer parte, é um meio de ter conforto e também pode servir como um emblema que afasta da marginalidade.* Nota: Essa proporção é mais alta em São Paulo do que em Recife e maior entre mais jovens. 7 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.
  8. 8. E na categoria moradia, temos percepções diferentesdo que é conforto e do que é luxo O que é conforto vs. O que é luxo Conforto Luxo • Água, luz e esgoto • Ir ao supermercado e pegar o que • Banheiro com chuveiro quiser • Comer o que tem vontade • Ter do bom e do melhor • Telefone • TV a cabo • Geladeira • Carro novo • • • Máquina de lavar TV, rádio Carro X • Filho em boa escola • Bom emprego • Boa casa • Poder passear • Casa com piscina • Pagar dívidas • Portão e certa elétricos • Empregada • Roupa da moda 8 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.
  9. 9. E entre os extratos da base da pirâmide, a categoriamoradia é uma prioridade para todos• Ter ou não ter uma casa é um marcador importante de classe social.• Se a renda familiar dobrasse, as prioridades de gasto iriam para aquisição de móveis e reforma da casa. Essa tendência é mais pronunciada no segmento DE.• A casa é um eterno fazer: estrutura, puxadinho, acabamento e móveis.• Cuidar da parte interna é fundamental para o conforto da família e dos amigos.• O cuidado e o asseio com a casa fazem parte da auto-imagem da família e sinalizam uma preocupação com o seu bem estar. 9 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.
  10. 10. E nas classes CDE os gastos com moradia sãosignificativamente maiores que para as classes ABO que faria se a renda Principal gasto se a renda familiar dobrasse (P14) DE C AB Totaldobrasse? Comprar casa ou apto (inclui mudar de casa/bairro) 34 32 25 32 Reformar ou pintar a casa 14 11 7 12• Todos querem uma Poupar ou investir (inclui previdência privada) 9 9 14 10 casa. Se a renda dobrasse, as Comprar segunda casa (sítio, praia) 4 8 15 8 prioridades DE se Viagens 3 5 13 6 voltariam fortemente Automóvel 3 8 6 5 no universo da casa Pagar dívidas (ou limpar o nome) 6 4 4 5 própria: 48% investiria Escola particular (filhos) 3 4 3 3 numa casa ou Abrir um negócio próprio 4 2 1 3 reforma. Essa Educação própria 1 3 4 2 proporção é de 32% Mais fartura para a mesa 3 1 0 2 no segmento AB Móveis ou eletrodomésticos 2 1 1 2 Plano saúde, tratamento médico ou estético 2 2 1 2 Lazer (dentro e fora do domicílio) 1 2 2 2 Outros 9 8 5 8 Total 100 100 100 100 10 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.
  11. 11. Os setores de eletro-eletrônicos, construção civil eautomóveis são os maiores beneficiários damobilidade social ascendente Classes ABCDE Setores % de menções Categorias • Eletrônicos (6,5%)* • Eletrodomésticos (5,8%)*Eletrônicos, 22,8% • Móveis (6,1%)*eletrodomésticos e móveis • Computador (2,9%)* • Eletro portáteis (1,5%)* • Material de construção (8,7%)* 17,8%Construção Civil • Primeira casa ou apartamento (5,6%)* • Segunda casa (3,4%)* • Trocar usado por novo (5,4%)* • Primeiro carro (novo ou usado) (4,6%) *Automóveis 12,4% • Segundo carro para a família (1,5%) * • Trocar o usado por outro usado (0,9%) * • Poupança ou investimento (9,6%) * 10,5%Financeiro • Previdência privada (0,7%) * • Seguro de vida ou residencial (0,2%) * • Estudo dos filhos (5,4%) *Educação 9,3% • Estudo próprio ou da esposa (3,9%) * • Viagens no Brasil (5,7%) *Viagens 8,1% • Viagens no exterior (2,4%) *Vestuário 5,1% • Roupas vestuários e calçados (5,1%) * • Alimentos e bebidas (3,1%) *Supermercados 4,7% • Outros produtos de supermercado (1,6%) * • Plano de Saúde (2,7%) *Saúde 4,1% • Tratamento médico, dentário ou estético (1,4%) * • Lazer fora de casa (1,0%) * • Lazer em casa (0,5%) *Outros 5,2% • Livros, CDs e DVDs (0,5%) * • Perfumes e produtos de beleza (0,3%) * • Outros (2.9%) * 11 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.
  12. 12. Assim como existem diferenças entre os extratos dabase da pirâmide, o comportamento de consumomuda de acordo com a regiãoDestaques:• São Paulo: automóveis, serviços financeiros, viagens e vestuário *• Recife: construção civil, educação e eletro- eletrônicos 12 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.
  13. 13. A visão da sociabilidade é percebida como sendodiferente daquela experimentada pelas classes AB• A abertura para se relacionar e interagir “Só bom dia e boa tarde” com vizinhos Mulher, 58 anos, classe C-, São Paulo• Os ricos são vistos como pessoas pouco dadas à sociabilidade – Reservados “É diferente da gente. Aqui a gente põe as – Não se relacionam com as pessoas de cadeiras para fora e todo mundo se outras classes conhece. Lá as pessoas só entram e saem de suas casas de carro, ninguém se• Já as pessoas das classes CDE participam conhece”. mais da vida social: Mulher, 21 anos, classe D, Recife – Tem uma convivência mais próxima – Fazem mais festa 13 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.
  14. 14. Na verdade, estamos observando não só uma novaclasse média, como uma classe média diferenciada Mais Informado Mais Exigente Mais Preparado 14 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.
  15. 15. Esse novo perfil, combinado com a demanda porhabitação cria no setor oportunidades únicasQue oportunidades? 15 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.
  16. 16. Essas oportunidades encontram-se ao longo de todo ociclo de relação com o cliente Posse Reno- vação Consciência Consideração Venda 16 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.
  17. 17. Mas o foco atual está na assinatura do contrato devenda do imóvel Posse Reno- vação Consciência Consideração Venda • Os custos de comercialização giram em torno de 10% do VGV • 4 a 6% são gastos em propaganda • 3 a 4,5% desses custos são destinados a empresas de corretagem, cujos profissionais têm grande número de pontos e produtos em comercialização • Na comercialização para “baixa renda” estes custos podem ser menores, no entanto a experiência com a marca é mais forte 17 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.
  18. 18. No entanto, as oportunidades nas fases seguintes sãoenormes, como durante o período de posse Posse Reno- vação Consciência Consideração Venda • Reduzido atualmente a assistência técnica no período de garantia • Após a entrega das chaves é comum uma adaptação da habitação ao gosto pessoal, e esta mudança não é efetuada pela incorporadora • Considerando o crescimento habitacional, o investimento em reformas pode atingir até R$ 74,27 bilhões em 2022, com uma média R$ 54,95 bilhões por ano 18 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.
  19. 19. E o impacto de toda a experiência, na troca dehabitação ou na compra de nova habitação pelafamília Posse Reno- vação Consciência Consideração Venda • Crescente número de troca de habitação no Brasil, aproximando-se de outros países • O crescente número de novas famílias em cada ano, resultante também da mobilidade social 19 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.
  20. 20. E conhecer esse cliente torna-se cada vez maisimportanteEnfrentando estes … Líderes traduzem “Foco no Cliente” em práticadesafios… através de três dimensões para alavancar crescimento Pelo conhecimento profundo Conheça o dos clientes, através de Satisfação do cliente tem cliente segmentação, e pela estagnado capacidade de diferenciação, traduzindo em informação rentável para o negócio. Expectativas do cliente tem aumentado drasticamente Foco no Cliente Fidelidade do cliente é um Proporcione uma conceito ultrapassado experiência Alcance o cliente diferenciada Pela entrega de experiências Pela inovação nos canais, soluções consistentes e altamente relevantes, centradas no cliente, sendo capaz de que preencham o que a marca alcançar o cliente certo, no momento promete criando confiança e lealdade, certo, pelo canal certo. e colocando o cliente no centro. 20 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.
  21. 21. Obrigado! sandra.mateus@accenture.com andrea.carioni@accenture.com 21 © 2011 Accenture. Todos os direitos reservados.

×