Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Marcelo da Rocha Carvalho
Psicólogo Clínico
marcelodarocha@globo.com
Psicoterapia
Comportamental e
Cognitiva Infantil
Marcelo da Rocha Carvalho
Psicoterapeuta Comportamental e Cognitivo, Especialista
pela USP, Professor Convidado da Pós-Gra...
http://www.nimh.nih.gov/statistics/1ANYD
IS_CHILD.shtml (2010)
Veja São Paulo, maio de 2014.
Um clássico.
Bibliografia antiga...
• Bandura, Albert – Modificação do Comportamento.
Interamericana, Rio de Janeiro, 1979.
• Krumboltz...
• “A Psicoterapia Comportamental Infantil é uma área de
aplicação relativamente recente e em desenvolvimento. Seu
campo d...
Aquisição e Extinção
• http://www.youtube.com/watch?v=KxKfpKQzow8
John Watson e o pequeno Albert…
• Freud e seus primeiros relatos: fases do desenvolvimento
psicossocial, a criança como “perverso polimorfo”.
• Ana Freud ...
Busca por segurança
• As crianças movem-se psicologicamente em três direções para aliviar
sua ansiedade, para tornar a vid...
Tipos de caráter
• Os três principais tipos de caráter de Horney são embasados no modo
predominante de relacionar-se com o...
• Informações sobre psicologia experimental e comportamentalismo.
• Controle ambiental.
• Medir o estágios de mudança dos ...
• Reduzir a angústia dos pais ou mesmo conflito: vasão de
informações sobre o problema.
• Aumentar os “inputs” de informaç...
• “As crianças nunca foram muito boas em ouvir os mais
velhos, mas nunca falharam em imitá-los”.
James Baldwin
• O centro ...
Bobo Doll(João Bobo) – Social Learning
Theory/Teoria do apredizado social.
http://www.youtube.com/watch?v=zerCK0lRjp8
• Análise funcional
abrangente dos
comportamentos
problemas.
• Orientação aos pais sobre
controle comportamental:
observar...
Tipos de Atividades
1. Atividades que favorecem o levantamento de dados
sobre as contingências ambientais, as quais
aprese...
Como iniciar o trabalho com a criança
• Entrevista com os pais.
• Levantamento de hipóteses iniciais.
• Operacionalização ...
Entrevista inicial com a criança
1. especificação do motivo que veio à consulta (o que os
pais lhe disseram) e qual a quei...
O Processo terapêutico, como sugere Wolberg(1967) pode
ser dividido em três fases operacionais:
1. Fase inicial:
• estrutu...
Behaviorismo
• “O organismo é o palco das interações”.
• Skinner, 1989
Behaviorismo Radical
• “Uma análise behaviorista não discute a utilidade
prática dos relatos acerca do mundo interior, o q...
• Uma análise funcional ou a
“contingência dos três termos”
inclui a medida dos
antecedentes,
comportamentos e
consequênci...
• “Modificar hábitos que não são adaptativos” (Wolpe,
1976), através do fortalecimento e manutenção, ou da
eliciação de ...
• Ajudar a criança a reconhecer as variáveis que controlam seu
comportamento, especialmente as variáveis internas, de seu
...
• Levar a criança à efetividade lidar com variáveis que
afetam seu comportamento, permitindo uma
generalização do aprendi...
• Ser um “intermediário” do comportamento de mudança
para todos os envolvidos, mas principalmente a criança
envolvida.
• ...
• Desenvolvimento e a maior
característica humana:
dependência.
• “Parenting”: um momento
delicado para sermos pais e
filh...
Aplicabilidade da TCC com crianças
• Através da TCC as crianças aprendem que as emoções que
sentem são causadas pelos pens...
Adaptação
• Para Radall(1981) saúde mental e doença mental são
termos descritivos da adaptação positiva e negativa a
vida....
Mudança: Resposta Humana
(Prochaska e Di Clemente)
Nível de
Conscientização
Nível de Resposta
Inércia
Indecisão
Rejeição
A...
Adaptação as Metáforas frente a
clínica
Sharp(1999)
Metáfora do
Reforço
Metáfora do
Déficits das
Habilidades
Sociais
Metáf...
Manejo
Social do
Comporta
mento
Cognições
Assertividade
Análise
Funcional
Controle
Ambiental
04 Pilares do Controle do Stress
Atividade
Física
Alimentação
Equilibrada
Relaxamento Modificação
dos Pensamentos
Psicologia Experimental
• Leis básicas do comportamento humano.
Aprendendo a reforçar
• Explicações sobre os princípios da aprendizagem sobre o reforço.
• Comportamento inadequado é refo...
Como modificar um comportamento?
• Críticas ou argumentações vazias.
• Os pais: reféns dos outros.
• Competição em inadequ...
Livros, indicações para leitura.
Princípios básicos
• Não reforçar o inadequado.
• Procurar comportamentos adequados para serem reforçados:
competição de e...
Livros, indicações para leitura.
Quanto antes melhor!
• É cedo que se torce o pepino!
• Processo de extinção e suas especificidades.(gráfico
explicativo)
•...
Treino da assertividade
• Dizer não sem culpa.
• Apoio incondicional aos direitos pessoais.
• Assertividade: falar de form...
Os pais enquanto cientistas do
comportamento
• Não há resposta imediata para tudo.
• Não sabendo o que fazer apenas não re...
Livros, indicações para leitura.
Zen budismo, um pouco de filosofia...
•Os três jarros de saquê.
Seja o modelo!
• Lembrando do nosso amigo o“ratinho”...
• Modelagem.
• Auto observação e mudança.
• Modelação: aprendizage...
Bandura finalmente!
• Aprendizagem social.
• Treino do controle social.
• A atenção: a chave do controle.
• Treinando para...
Livros, indicações para leitura.
Modificação do Comportamento
• “Problemas abstratos como infelicidade e falta de
objetivo não podem ser modificados com su...
Modificação do Comportamento
• “O ponto de vista da relação na modificação do
comportamento implica também em que nenhuma ...
Livros, indicações para leitura.
Treino da assertividade
• Dizer não sem culpa.
• Apoio incondicional aos direitos pessoais.
• Assertividade: falar de form...
Treino de Habilidades Sociais
1. Fazer elogios.
2. Aceitar elogios.
3. Fazer pedidos.
4. Expressar amor, agrado e afeto.
5...
Livros, indicações para leitura.
Livros TRI – Terapia da Reciclagem Infantil
http://concriad.com.br/site/home/index.
php
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

44

Share

Download to read offline

Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil

Download to read offline

Related Books

Free with a 30 day trial from Scribd

See all

Related Audiobooks

Free with a 30 day trial from Scribd

See all

Terapia Comportamental e Cognitiva Infantil

  1. 1. Marcelo da Rocha Carvalho Psicólogo Clínico marcelodarocha@globo.com Psicoterapia Comportamental e Cognitiva Infantil
  2. 2. Marcelo da Rocha Carvalho Psicoterapeuta Comportamental e Cognitivo, Especialista pela USP, Professor Convidado da Pós-Graduação em Terapia Comportamental e Cognitiva pela FMUSP/AMBAN/HC. Especialista em Terapia Racional Emotiva Comportamental pelo Albert Ellis Institute. marcelodarocha@globo.com
  3. 3. http://www.nimh.nih.gov/statistics/1ANYD IS_CHILD.shtml (2010)
  4. 4. Veja São Paulo, maio de 2014.
  5. 5. Um clássico.
  6. 6. Bibliografia antiga... • Bandura, Albert – Modificação do Comportamento. Interamericana, Rio de Janeiro, 1979. • Krumboltz, J. e Krumboltz, H. – Modificação do Comportamento Infantil. EPU, São Paulo, 1977.
  7. 7. • “A Psicoterapia Comportamental Infantil é uma área de aplicação relativamente recente e em desenvolvimento. Seu campo de atuação é amplo, estendendo-se por variada hierarquia de problemas comportamentais, desde os mais simples, até incluir o desenvolvimento de comportamentos sociais complexos”. (Lima, 1988) • Das explicações psicanalíticas ao pequeno Albert: um grande salto, por muito tempo aquém de nossas necessidades. • Além da função terapêutica, propriamente dita, a TCC Infantil tem papel educativo-profilático, o que faz com que seja ideal para a realidade brasileira. História da TCC.
  8. 8. Aquisição e Extinção
  9. 9. • http://www.youtube.com/watch?v=KxKfpKQzow8 John Watson e o pequeno Albert…
  10. 10. • Freud e seus primeiros relatos: fases do desenvolvimento psicossocial, a criança como “perverso polimorfo”. • Ana Freud como herdeira da proposta da “análise infantil”. • Crise na terapia infanitl: Melanie Klein. • A psicologia sem evidências: interpretação, a projeção da vida vida adulta na criança. • Piaget e o desenvolvimento cognitivo: crítica pertinente. Anos de domínio da teoria psicanalítica
  11. 11. Busca por segurança • As crianças movem-se psicologicamente em três direções para aliviar sua ansiedade, para tornar a vida segura e previsível e para obter satisfação. Elas buscam afeto e aprovação ou elas se tornam hostis ou elas se retraem. • As crianças por fim usam a estratégia de enfrentamento que melhor satisfaz suas necessidades, mas se apenas uma estratégia básica é usada, as crianças tornam-se limitadas em seu repertório de enfrentamento em sua experiência de si mesmas e do seu mundo. Seu senso de segurança é tênue porque elas têm perigo vindo de dentro de sentimentos e impulsos suprimidos ou reprimidos. Se as condições ambientais desfavoráveis continuam, seus sentimentos conflitantes são dirigidos para o inconsciente e tais crianças são deixadas com um senso de desconforto, ansiedade e apreensão e com um senso de self inseguro. • Nesta junção, seu ponto de referência é externalizado, padrões de comportamento enrijecem e crescentes bloqueios ao crescimento se desenvolvem. Horney designou estas atitudes complexas, relativamente fixas em direção ao eu e aos outros como tendências neuróticas.
  12. 12. Tipos de caráter • Os três principais tipos de caráter de Horney são embasados no modo predominante de relacionar-se com outros. • O tipo self-apagado, anuente resulta da operação defensiva de agarrar-se a outros. Tais pessoas tentam obter o favor dos outros através de lisonja, subordinam-se aos outros e são relutantes em discordar por medo de perder favor. • O tipo expansivo, agressivo resulta de manobrar contra outros e colocar forte confiança em poder e domínio como um meio de obter segurança. • O tipo desapegado, resignado resulta de afastar-se de outros para evitar tanto dependência como conflito. Eles são pessoas muito privadas que, embora se recusando a competir abertamente, vêem- se como se elevando acima dos outros.
  13. 13. • Informações sobre psicologia experimental e comportamentalismo. • Controle ambiental. • Medir o estágios de mudança dos pais – não perder o foco, que estes são agentes essenciais. • Treino de assertividade para os pais. • Mudança cognitiva dos pais e estimulo a criança para forma mais adequadas de perceber o mundo: capacitá-la de estratégias para o enfrentamento. • Avaliar o stress infantil. • Estimular o comportamento verbal e emocional da criança. • Passo inicial para o enfoques em TCC mais modernos, sedimentando ganhos comportamentais e cognitivos. Psicoterapia Focalizada na Criança em seu Inter-relacionamento com o Meio.
  14. 14. • Reduzir a angústia dos pais ou mesmo conflito: vasão de informações sobre o problema. • Aumentar os “inputs” de informações: pais, parentes próximos, cuidadores, escola. • Buscar coerência e concordâncias quantos ao comportamentos problemas, para decidir por onde começar. • Psicodiagnóstico e aproximação sucessiva para introduzir a criança em terapia. Por onde começar?
  15. 15. • “As crianças nunca foram muito boas em ouvir os mais velhos, mas nunca falharam em imitá-los”. James Baldwin • O centro do foco da TCC infantil e promoção do comportamento social. • Não há diferença entre o que sustenta o comportamento adequado e inadequado. Comportamento vicário
  16. 16. Bobo Doll(João Bobo) – Social Learning Theory/Teoria do apredizado social. http://www.youtube.com/watch?v=zerCK0lRjp8
  17. 17. • Análise funcional abrangente dos comportamentos problemas. • Orientação aos pais sobre controle comportamental: observar como aderem as orientações. • Controle ambiental. # Sessões Função Anamnese 06 Linha de base Psicodiagnóstico 04 Aproximação sucessiva e avalição sobre a distância dos pais Terapia propriamente dita 20 Sessões semanais com a criança e orientação dos pais a cada 15 dias Fases da TCC infantil
  18. 18. Tipos de Atividades 1. Atividades que favorecem o levantamento de dados sobre as contingências ambientais, as quais apresentam maior probabilidade de exercer controle sobre os comportamentos adequados e inadequados da criança e colaborar com sua manutenção; 2. Atividades que favorecem a aplicação de procedimentos e intervenções pelo terapeuta, para produzir mudanças de comportamentais na criança e em alguns membros de sua comunidade; 3. Atividades que favorecem a avaliação.
  19. 19. Como iniciar o trabalho com a criança • Entrevista com os pais. • Levantamento de hipóteses iniciais. • Operacionalização dos termos. • Levantamento dos antecedentes e consequentes. • Levantamento dos comportamentos adequados.
  20. 20. Entrevista inicial com a criança 1. especificação do motivo que veio à consulta (o que os pais lhe disseram) e qual a queixa da criança. 2. informações sobre o sigilo; 3. informações sobre o que é psicoterapia; 4. explicações sobre o atendimento quinzenal do grupo familiar, ressaltando que cada um pode mudar um pouco e não somente a criança eleita para o atendimento.
  21. 21. O Processo terapêutico, como sugere Wolberg(1967) pode ser dividido em três fases operacionais: 1. Fase inicial: • estruturação da terapia, diagnostico funcional e planejamento terapêutico. 2. Fase intermediaria: • implementação do plano terapêutico. 3. Fase terminal: • avaliação, termino da terapia e acompanhamento. Sistematização do processo
  22. 22. Behaviorismo • “O organismo é o palco das interações”. • Skinner, 1989
  23. 23. Behaviorismo Radical • “Uma análise behaviorista não discute a utilidade prática dos relatos acerca do mundo interior, o qual é sentido e observado introspectivamente. Eles são pistas (1) para o comportamento passado e as condições que o afetaram, (2) para o comportamento atual e as condições que o afetam, e (3) para condições relacionadas ao comportamento futuro.” (In.: “Sobre o Behaviorismo” Skinner, B.F.; p.31)
  24. 24. • Uma análise funcional ou a “contingência dos três termos” inclui a medida dos antecedentes, comportamentos e consequências para avaliar as variáveis de controle. • Há de se lembrar que as entrevistas são imprecisas e o comportamento está constante mudança, bem como a vida tem variáveis infinitas.
  25. 25. • “Modificar hábitos que não são adaptativos” (Wolpe, 1976), através do fortalecimento e manutenção, ou da eliciação de comportamentos incompatíveis com tais hábitos. • Ex.: Instalar na criança, respostas de contracontrole, face às pressões inadequadas do seu meio familiar, ou de seu meio social. • Aumentar a probabilidade de ocorrência de comportamento, que garantam à criança maior número de reforçamento positivos, ou seja, maior satisfação. • Ex.: Melhorar a qualidade de seu relacionamento social. Objetivos ligados a um trabalho focalizando diretamente a criança.
  26. 26. • Ajudar a criança a reconhecer as variáveis que controlam seu comportamento, especialmente as variáveis internas, de seu próprio sistema de respostas, como suas necessidades, prioridades; • Ensiná-las a manipular, ou contra controlar, essas variáveis e, assim sucessivamente, a cada nova habilidade e novo objetivo. • A satisfação das necessidades é vista como motivador intrínseco e extrínseco, (pré-condição ou consequência para determinada mudança). • Ex.; percepção e satisfação de suas necessidades e aumento da probabilidade de comportamentos, que garantam a consequência positiva desejada. Objetivos ligados a um trabalho focalizando diretamente a criança.
  27. 27. • Levar a criança à efetividade lidar com variáveis que afetam seu comportamento, permitindo uma generalização do aprendizado, para outras situações e outras categorias de comportamento, além daquelas abordadas na terapia. Isto garante o termino da terapia, uma vez que a criança passa a conduzir o seu processo de desenvolvimento que afeta, não só comportamento “problema”, mas todo seu repertorio, havendo uma maximização do seu potencial. Objetivos ligados a um trabalho focalizando diretamente a criança.
  28. 28. • Ser um “intermediário” do comportamento de mudança para todos os envolvidos, mas principalmente a criança envolvida. • Numa equipe multidisciplinar, o papel do psicólogo cognitivo-comportamental é geralmente o de centralizador, dado seu maior conhecimento dos comportamentos da criança. Psicólogos e Psiquiatras como maestros.
  29. 29. • Desenvolvimento e a maior característica humana: dependência. • “Parenting”: um momento delicado para sermos pais e filhos. • Modernidade e expulsão do tempo de ser criança. • Stress infantil só aumentando. TCC infantil é terapia indireta dos pais?
  30. 30. Aplicabilidade da TCC com crianças • Através da TCC as crianças aprendem que as emoções que sentem são causadas pelos pensamentos que estão criando. Assim, quando elas se engajam em pensamentos e sentimentos automáticos negativos, elas podem sentirem-se tristes, com raiva ou desapontadas consigo mesmas ou com as pessoas a sua volta. • A principal tarefa do psicólogo(a) é auxiliar a criança a modificar seus pensamentos e conseqüentes, utilizando-se de respostas mais racionais.
  31. 31. Adaptação • Para Radall(1981) saúde mental e doença mental são termos descritivos da adaptação positiva e negativa a vida. • Conflitos e ansiedade dependem de estratégias de enfrentamento, cuja escolha leva ou não, ao desenvolvimento dos transtornos psiquiátricos. • Tratar inicialmente é capacitar o indivíduo com estratégias funcionais.
  32. 32. Mudança: Resposta Humana (Prochaska e Di Clemente) Nível de Conscientização Nível de Resposta Inércia Indecisão Rejeição Adaptação
  33. 33. Adaptação as Metáforas frente a clínica Sharp(1999) Metáfora do Reforço Metáfora do Déficits das Habilidades Sociais Metáfora do Desamparo Aprendido Metáfora da Distorção Cognitiva Metáfora do Auto- Manejo Metáfora da Modelagem Social Avaliação Comportamental e Cognitiva
  34. 34. Manejo Social do Comporta mento Cognições Assertividade Análise Funcional Controle Ambiental
  35. 35. 04 Pilares do Controle do Stress Atividade Física Alimentação Equilibrada Relaxamento Modificação dos Pensamentos
  36. 36. Psicologia Experimental • Leis básicas do comportamento humano.
  37. 37. Aprendendo a reforçar • Explicações sobre os princípios da aprendizagem sobre o reforço. • Comportamento inadequado é reforçado. • Punição pura e simplesmente: o atestado de incompetência! • Punição e a lei do mais forte: como será o futuro da relação? • Esquemas de reforçamento.
  38. 38. Como modificar um comportamento? • Críticas ou argumentações vazias. • Os pais: reféns dos outros. • Competição em inadequações: pais versus filhos, pais entre pais.
  39. 39. Livros, indicações para leitura.
  40. 40. Princípios básicos • Não reforçar o inadequado. • Procurar comportamentos adequados para serem reforçados: competição de estruturas de comportamentos, a mudança de paradigma. • A criança como a responsável por sua punição. • Criar o encadeamento das respostas.
  41. 41. Livros, indicações para leitura.
  42. 42. Quanto antes melhor! • É cedo que se torce o pepino! • Processo de extinção e suas especificidades.(gráfico explicativo) • Programação ambiental. • Reforço aos pais: o mesmo se aplica do terapeuta para os pais.
  43. 43. Treino da assertividade • Dizer não sem culpa. • Apoio incondicional aos direitos pessoais. • Assertividade: falar de forma apropriada a resolver um problema ou impasse, respeitando a si e ao outro, sem se comportar de forma passiva, nem tão pouco agressiva.
  44. 44. Os pais enquanto cientistas do comportamento • Não há resposta imediata para tudo. • Não sabendo o que fazer apenas não reforce. • Observar é tudo! • “As palavras são de prata e o silêncio é de ouro.” • Seu objetivo é melhorar seu filho e as trocas com o ambiente.
  45. 45. Livros, indicações para leitura.
  46. 46. Zen budismo, um pouco de filosofia... •Os três jarros de saquê.
  47. 47. Seja o modelo! • Lembrando do nosso amigo o“ratinho”... • Modelagem. • Auto observação e mudança. • Modelação: aprendizagem social.
  48. 48. Bandura finalmente! • Aprendizagem social. • Treino do controle social. • A atenção: a chave do controle. • Treinando para que o ambiente não se torne coercitivo: direitos iguais. • Acima de tudo: aprenda a amar!
  49. 49. Livros, indicações para leitura.
  50. 50. Modificação do Comportamento • “Problemas abstratos como infelicidade e falta de objetivo não podem ser modificados com sucesso por nenhuma forma de tratamento, enquanto permanecem desvinculadas de seus determinantes experienciais concretos.” Albert Bandura
  51. 51. Modificação do Comportamento • “O ponto de vista da relação na modificação do comportamento implica também em que nenhuma modificação significativa permanente no comportamento social pode ser obtida, a não ser que uma relação social seja firmemente estabelecida.” Albert Bandura
  52. 52. Livros, indicações para leitura.
  53. 53. Treino da assertividade • Dizer não sem culpa. • Apoio incondicional aos direitos pessoais. • Assertividade: falar de forma apropriada a resolver um problema ou impasse, respeitando a si e ao outro, sem se comportar de forma passiva, nem tão pouco agressiva.
  54. 54. Treino de Habilidades Sociais 1. Fazer elogios. 2. Aceitar elogios. 3. Fazer pedidos. 4. Expressar amor, agrado e afeto. 5. Iniciar e manter conversações. 6. Defender os próprios direitos. 7. Recusar pedidos. 8. Expressar opiniões pessoais, inclusive desacordo. 9. Expressar incômodo, desagrado ou enfado justificados. 10. Pedir mudança de conduta do outro. 11. Desculpar-se ou admitir ignorância. 12. Enfrentar críticas.
  55. 55. Livros, indicações para leitura.
  56. 56. Livros TRI – Terapia da Reciclagem Infantil
  57. 57. http://concriad.com.br/site/home/index. php
  • AdrianoValrio

    Aug. 31, 2020
  • Carolinaf21

    May. 27, 2020
  • JulianaSantos768

    Mar. 18, 2020
  • souzaaparecido5

    Mar. 5, 2020
  • Carodrigues

    Nov. 9, 2019
  • SaraSilas

    Aug. 28, 2019
  • DaniellaSouriantVian

    May. 16, 2019
  • eamoreira

    Feb. 17, 2019
  • aludecristina

    Jul. 16, 2018
  • ingridschenkel7

    Jul. 5, 2018
  • MCResende

    Apr. 16, 2018
  • fernandapimenta184

    Feb. 20, 2018
  • sylviapatrony

    Dec. 5, 2017
  • PriPriRamalho

    Nov. 24, 2017
  • claudiarcarrico

    Oct. 31, 2017
  • alessadematos

    Oct. 18, 2017
  • ELISABICHELS

    Jun. 4, 2017
  • roseewilton

    Apr. 27, 2017
  • AnadeSousaBaptista

    Apr. 2, 2017
  • adrianaaraujo142035

    Apr. 2, 2017

Views

Total views

14,586

On Slideshare

0

From embeds

0

Number of embeds

11

Actions

Downloads

777

Shares

0

Comments

0

Likes

44

×