Ansiedade:Estratégias
de Tratamento
Marcelo da Rocha Carvalho
Especialista em Terapia Cognitivo-
Comportamental pela USP
Conseqüências da Ansiedade
Crônica
• Transtornos Ansiosos:
 Transtorno de Ansiedade Generalizada.
 Transtorno do Pânico....
Ansiedade – Definições
Fisiológico
Ativação do Sistema Simpático
• aumento FC, aumento Força de contração, tremores,
sudor...
Alerta
Congelamento
Luta ou fuga
Mudança: Resposta Humana
(Prochaska e Di Clemente)
Nível de
Conscientização
Nível de Resposta
Inércia
Indecisão
Rejeição
A...
Microestressores
 Mclean(1976) sugere que pequenos
eventos do dia-a-dia(microestressores)
podem agir de maneira acumulati...
• O medo e a ansiedade
estados emocionais proximamente
relacionados são um legado
evolutivo, fazendo o indivíduo
evitar um...
Beck(1976)
 Sustenta que nos estados de ansiedade
os indivíduos sistematicamente
superestimam o perigo inerente a uma
det...
“Programa de Ansiedade”
1. Mudanças na estimulação autonômica
semelhante a preparação para viagens
aéreas, lutas e desmaio...
Conseqüências do “Programa de
Ansiedade”
 Em vez de cumprir uma função útil, são
freqüentemente interpretadas e
acumulada...
Tríade Cognitiva da Ansiedade
Eu: Vulnerável.
Ambiente: Perigoso.
Futuro: Incerto.
Adaptação
 Para Radall(1981) saúde mental e doença
mental são termos descritivos da
adaptação positiva e negativa a vida....
Passos na Avaliação para Resolução
de Problemas
1. Identificar os problemas do paciente.
2. Identificar os recursos do pac...
Metáforas frente clínica
Sharp et al. (1999)
 Metáfora do reforço;
 Metáfora dos déficits de habilidades sociais;
 Metá...
Avaliação do Paciente em TCC
Inventários:
1. BAI(Beck Anxiety Inventory).
2. Crenças Irracionais de Ellis.
3. BDI(Beck Dep...
Tempo estimado de
atendimento
 Em 10 sessões o paciente encontra
melhorar significativa.
 É melhora pode ter mais destaq...
04 Pilares do Controle do
Stress
Atividade
Física
Alimentação
Equilibrada
Relaxamento Modificação
dos Pensamentos
Como complicar a vida...
• Há pessoas que além de sofrer com a
depressão e ansiedade, dedicam parte do
seu tempo se auto-c...
Princípios da TREC
• Demonstrar que embora contingências
ambientais estimulem e facilitem os
comportamentos, ninguém as to...
Mais três pensamentos
enlouquecedores!
• Catastrofização.
• Pensamento absolutista.
• Racionalização.
Bibliografia
 Barlow & Cerny – “Tratamento Psicológico do Pânico”, Artmed, 1997.
 Barlow, D.(org) – Manual Clínico dos T...
Indicações Bibliográficas ao
Paciente
 O PÂNICO – Coleção: CONHECER E ENFRENTAR,
CAETANO, DORGIVAL
Ed. CONTEXTO.
 COMO C...
Indicações Bibliográficas ao
Paciente
 SIGA SEU CORAÇAO
ENCONTRE UM OBJETIVO P/ SUA VIDA E P/ SEU
TRABALHO
Autor: MATTHEW...
Ansiedade estratégias de tratamento em TCC
Ansiedade estratégias de tratamento em TCC
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Ansiedade estratégias de tratamento em TCC

8,108 views

Published on

Descrição geral do tratamento em TCC para Transtornos Ansiosos.

Published in: Health & Medicine
  • Be the first to comment

Ansiedade estratégias de tratamento em TCC

  1. 1. Ansiedade:Estratégias de Tratamento Marcelo da Rocha Carvalho Especialista em Terapia Cognitivo- Comportamental pela USP
  2. 2. Conseqüências da Ansiedade Crônica • Transtornos Ansiosos:  Transtorno de Ansiedade Generalizada.  Transtorno do Pânico.  Transtorno Obsessivo-Compulsivo.  Transtornos Fóbicos.  Transtorno de Estresse Pós-Traumático.  Transtorno Ansioso-Depressivo.  Transtorno de Ansiedade Social.
  3. 3. Ansiedade – Definições Fisiológico Ativação do Sistema Simpático • aumento FC, aumento Força de contração, tremores, sudorese, aumento freqüência respiratória, sensação falta de ar, sufocação,parada respiratória; Ativação do Sistema Parassimpático • Hipersecreção gástrica, aumento motilidade intestinal, urgência miccional, defecação.
  4. 4. Alerta Congelamento Luta ou fuga
  5. 5. Mudança: Resposta Humana (Prochaska e Di Clemente) Nível de Conscientização Nível de Resposta Inércia Indecisão Rejeição Adaptação
  6. 6. Microestressores  Mclean(1976) sugere que pequenos eventos do dia-a-dia(microestressores) podem agir de maneira acumulativa e se transformar em grandes fontes de stress.
  7. 7. • O medo e a ansiedade estados emocionais proximamente relacionados são um legado evolutivo, fazendo o indivíduo evitar um perigo próximo ou distante, e desta forma, evitar sua destruição. • A ansiedade mantém alerta para que seja possível um desempenho máximo sob estresse.
  8. 8. Beck(1976)  Sustenta que nos estados de ansiedade os indivíduos sistematicamente superestimam o perigo inerente a uma determinada situação. Tal avaliação excessiva ativa automaticamente, e de forma reflexa, o “programa de ansiedade”.
  9. 9. “Programa de Ansiedade” 1. Mudanças na estimulação autonômica semelhante a preparação para viagens aéreas, lutas e desmaios, 2. Inibição do comportamento recorrente e 3. Sondagem seletiva do ambiente à procura de possíveis fontes de perigo.
  10. 10. Conseqüências do “Programa de Ansiedade”  Em vez de cumprir uma função útil, são freqüentemente interpretadas e acumuladas fontes de ameaça, gerando círculos viciosos que tendem a manter ou agravar um reação de ansiedade.
  11. 11. Tríade Cognitiva da Ansiedade Eu: Vulnerável. Ambiente: Perigoso. Futuro: Incerto.
  12. 12. Adaptação  Para Radall(1981) saúde mental e doença mental são termos descritivos da adaptação positiva e negativa a vida.  Conflitos e ansiedade dependem de estratégias de enfrentamento, cuja escolha leva ou não, ao desenvolvimento dos transtornos psiquiátricos.  Tratar inicialmente é capacitar o indivíduo com estratégias funcionais.
  13. 13. Passos na Avaliação para Resolução de Problemas 1. Identificar os problemas do paciente. 2. Identificar os recursos do paciente – pontos fracos e apoios. 3. Obter informações de outras fontes. 4. Decidir se a resolução de problemas é apropriada. 5. Decidir quanto às disposições práticas – quem estará envolvido, número provável de sessões, duração, tempo, etc. 6. Estabelecer um contrato terapêutico que inclua responsabilidades do paciente e do terapeuta na resolução de problemas. Hawton, K. e Kirk, J, (1997)
  14. 14. Metáforas frente clínica Sharp et al. (1999)  Metáfora do reforço;  Metáfora dos déficits de habilidades sociais;  Metáfora do desamparo aprendido ou desesperança;  Metáfora da distorção cognitiva;  Metáfora do auto-manejo e  Metáfora da modelagem social.
  15. 15. Avaliação do Paciente em TCC Inventários: 1. BAI(Beck Anxiety Inventory). 2. Crenças Irracionais de Ellis. 3. BDI(Beck Depression Inventory). 4. ISSL(Inventário de Sintomas de Stress Lipp). 5. Inventário de Administração do Tempo. 6. Inventário de Assertividade de Rathus.
  16. 16. Tempo estimado de atendimento  Em 10 sessões o paciente encontra melhorar significativa.  É melhora pode ter mais destaque com a intervenção psicofarmacológica: ajuda o paciente na aquisição de novos comportamentos funcionais.  Em média 24 sessões podem promover, além da melhora, ganhos na qualidade de vida do paciente(mudança do estilo de vida) e o aprendizado para a prevenção de recaídas.
  17. 17. 04 Pilares do Controle do Stress Atividade Física Alimentação Equilibrada Relaxamento Modificação dos Pensamentos
  18. 18. Como complicar a vida... • Há pessoas que além de sofrer com a depressão e ansiedade, dedicam parte do seu tempo se auto-condenando quanto ao seus problemas. Ou seja “criando um sintoma neurótico em relação a seus sintomas”.(pág. 11) • Mudar, inicialmente, significa aceitar sua condição.
  19. 19. Princípios da TREC • Demonstrar que embora contingências ambientais estimulem e facilitem os comportamentos, ninguém as torna ansiosas, deprimidas ou zangadas, mas que elas se obrigam a ter ou escolhem ter esses sentimentos dentro de si.
  20. 20. Mais três pensamentos enlouquecedores! • Catastrofização. • Pensamento absolutista. • Racionalização.
  21. 21. Bibliografia  Barlow & Cerny – “Tratamento Psicológico do Pânico”, Artmed, 1997.  Barlow, D.(org) – Manual Clínico dos Transtornos Psicológicos. Artmed, 1999.  Hawton, K. e col – “Terapia Cognitiva-Comportamental dos Transtornos Psiquiátrico – um guia prático”, Martins Fontes, 1997;  Lipp, Marilda(org) – “O Stress está dentro de você” – Editora Contexto, 2000.  Lipp, M. E. N. & Malagris, L. E. N. (2001) O stress emocional e seu tratamento. In.: Rangé, B. (Org.) Psicoterapias Comportamentais e Cognitivas: um diálogo com a psiquiatria, Artmed.  Savoia, Mariangela G. – “Transtorno do Pânico desencadeantes psicossociais”.Esetec editores, 1999.  Seligman, M. – “Aprenda a ser Otimista”. Nova Era e Record, 1992.  Seligman, M. – “Desamparo: sobre depressão, desenvolvimento e morte”. Hucitec-Edusp, 1977.
  22. 22. Indicações Bibliográficas ao Paciente  O PÂNICO – Coleção: CONHECER E ENFRENTAR, CAETANO, DORGIVAL Ed. CONTEXTO.  COMO CONQUISTAR SUA PROPRIA FELICIDADE - ELLIS, ALBERT Ed. BEST SELLER  VENCENDO O MEDO – um livro para pessoas com distúrbios de ansiedade, pânico e fobias. Coleção: PSICOLOGIA & DEPOIMENTOS PESSOAIS ROSS, JERILYN Editora: AGORA EDITORA  SEM MEDO DE TER MEDO BARROS NETO, TITO PAES DE Ed. CASA DO PSICÓLOGO
  23. 23. Indicações Bibliográficas ao Paciente  SIGA SEU CORAÇAO ENCONTRE UM OBJETIVO P/ SUA VIDA E P/ SEU TRABALHO Autor: MATTHEWS, ANDREW Editora: BEST SELLER  NAO ACREDITE NEM POR UM MINUTO! Autor: LAZARUS, ARNOLD A. ; LAZARUS, CLIFFORD N.; FAY, ALLEN Editora: BEST SELLER  TRANSTORNO DE PANICO Autor: KAPCZINSKI, FLAVIO Editora: ARTMED

×