Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Como está seu conhecimento em Interpretação de Texto

5,481 views

Published on

Esse teste foi aplicado pela professora Mara Rute em sua aula para que os alunos testassem seus conhecimentos em Literatura e Interpretação.
Faça também!!!
Comece seu ano sabendo o que precisa e quanto precisa melhorar

Published in: Education
  • Be the first to comment

Como está seu conhecimento em Interpretação de Texto

  1. 1. Esse é um teste para avaliar como está seus primeiros passosem literatura e interpretaçãoOlá... É uma honra poder compartilhar de um ano tão importante na vida de vocês.Esperamos construir, ao seu lado, memórias e aprendizagens significativas e uma base-sólidapara que em 2012 você seja um universitário no curso que você deseja e na universidade queescolheu. E, que ao fim desses encontros, você se transforme num leitor crítico e compulsivo.Lembrando que a leitura não habita apenas nos livros. Prof. Mara Rute AVALIAÇÃOEsse é um teste para sabermos como vai seu nível de conhecimento literário einterpretativo. Se você não souber, apenas não responda. Teste o quanto você precisamelhorar em interpretação para o vestibular 2012. Lembre-se do que eu disse: Conheçaseus limites para poder superá-los.INSTRUÇÃO: Não olhe o gabarito, só depois de ter feito TUDO!!!A cada canto um grande conselheiro,Que nos quer governar cabana e vinha; Muitos mulatos desavergonhados,Não sabem governar sua cozinha, Trazidos sob os pés os homens nobres,E podem governar o mundo inteiro. Posta nas palmas toda a picardia,Em cada porta um bem freqüente olheiro, Estupendas usuras nos mercados,Que a vida do vizinho e da vizinha Todos os que não furtam muito pobres;Pesquisa, escuta, espreita e esquadrinha, E eis aqui a cidade da Bahia.Para o levar à praça e ao terreiro.1. Considere o texto e marque a alternativa que não é coerente com a interpretação dotexto.(01) Presença do Sarcasmo, expondo a Bahia ao ridículo, seja ofendendo seus governantes,seja menosprezando seus habitantes, o que confere ao eu poético um tom de imparcialidade. a(02) Na 1 estrofe, o verso "a cada canto um grande conselheiro" introduz um acentuado tomirônico.(04) A segunda estrofe é uma radiografia crítica da vida social baiana.(08) No primeiro terceto, comprova-se uma aversão à mestiçagem local.(16) O último terceto configura uma denúncia de caráter social.2. Sobre o Arcadismo, é correto afirmar quea) a preocupação com a simplicidade leva o escritor a escolher temas de caráter religioso.b) o pastoralismo, uma das principais manifestações da naturalidade, reproduz fielmente a vidano campo.c) entre as convenções do pastoralismo, está a utilização de uma linguagem simples quereproduz a linguagem rude dos pastores.d) propõe um retorno à ordem e à naturalidade, tendo por modelo a literatura clássica, emoposição ao artificialismo barroco.e) a linguagem, adequada e quase sem ornamentos, retrata realisticamente intensas emoçõesde dor e alegria.Enquanto pasta, alegre, o manso gado, na regular beleza,minha bela Marília, nos sentemos que em tudo quanto vive nos descobreà sombra deste cedro levantado. a sábia Natureza.Um pouco meditemos“ Seu potencial. Nossa matéria –prima.”
  2. 2. GONZAGA, Tomás Antônio. Marília de Dirceu e Cartas Chilenas. São Paulo: Ática, 1997. p. 63.3. O fragmento exemplifica a poesia árcade, porque apresenta01) a natureza como fonte de ensinamento.02) a prevalência da singularidade sobre o genérico.03) a nostalgia do mito poético do paraíso perdido.04) uma expressão literária marcada pelo rebuscamento epreciosismo linguístico.05) o gosto por ideias contrastantes.4. Assinale a alternativa falsa.a) O Romantismo, como estilo, não é modelado pela individualidade do autor; a forma predominasempre sobre o conteúdo.b) O Romantismo é um movimento de expressão universal, inspirado nos modelos medievais eunificado pela prevalência de características comuns a todos os escritores da época.c) O Romantismo, como estilo de época, consistiu basicamente num fenômeno estético-literáriodesenvolvido em oposição ao intelectualismo e à tradição racionalista e clássica do século XVlIl.d) O Romantismo, ou melhor, o espírito romântico pode ser sintetizado numa única qualidade: aimaginação, a capacidade extraordinária dos românticos de criarem mundos imaginários.e) O Romantismo caracterizou-se por um complexo de características, como o subjetivismo, oilogismo, o senso de mistério, o exagero, o culto da natureza e o escapismo. 5. O texto a) mostra-nos o difícil caminho a percorrer para conquistar o direito ao respeito devido ao ser humano em nosso país. b) focaliza a difícil realidade da criança negra que não vê perspectivas de educação, consequentemente não tem acesso ao lazer, saúde e habitação. c) critica o desrespeito da sociedade brasileira à criança negra, ao lhe negar educação, saúde, habitação e lazer. d) Identifica os principais problemas que afligem o Brasil. e) faz uma crítica ao governo e à sociedade que não dão às nossas crianças as chances necessárias para as conquistas das necessidades básicas. (...) Mesmo depois de abolida a escravidão Negra é a mão de quem faz a limpeza Lavando a roupa encardida, esfregando o chão Negra é a mão, é a mão da pureza Negra é a vida consumida ao pé do fogão Negra é a mão nos preparando a mesa Limpando as manchas do mundo com água e sabão (...) Êta branco sujão (Gilberto Gil – “A mão da limpeza”)6.Analise o texto em destaque e assinale de forma coerente.a) O texto articula-se em torno da função metalinguística, visto que há, no texto, uma grandepreocupação com a elaboração da mensagem.b) “Negra”, no texto, estabelece uma adjetivação em relação a uma classe étnica que, no texto,assume seu protagonismo ao longo dos mais de quinhentos anos de formação do Brasil.“ Seu potencial. Nossa matéria –prima.”
  3. 3. c) A pista linguística expressa em “Êta branco sujão!” (V.8) simboliza a responsabilização dobranco por discriminar e anular uma classe étnica, vítima de uma imposição social.d) Há no texto uma relação de igualdade entre as classes étnicas, embora pareçam diferentes nasdisputas pelas evidências sociais.e) O eu poético revolta-se por vivenciar a condição de negro, colocando-se na posição dodesprestigiado, sofrendo as condições de sua etnia. Quando o homem não trata bem a natureza, a natureza não trata bem o homem. Essa afirmativa reitera a necessária interação das diferentes espécies, representadas na imagem ao lado. 7. Depreende-se dessa imagem a A. atuação do homem na clonagem de animais pré-históricos. B. exclusão do homem na ameaça efetiva à sobrevivência do planeta. C. ingerência do homem na reprodução de espécies em cativeiro. D. mutação das espécies pela ação predatória do homem. E. responsabilidade do homem na manutenção da biodiversidade. Leia o texto:RAÇA & CLASSENossa pele teve maldição de raça e exploração de classeduas faces da mesma diáspora e desgraçaNossa dor fez pacto antigo com todas as estradas domundo e cobre o corpo fechado e sem medo do solNossa raça traz o selo dos sóis e luas dos séculosa pele é mapa de pesadelos oceânicose orgulhosa moldura de cicatrizes quilombolas.8. Sobre o texto acima pode-se afirmar:a) O texto revela que o sofrimento do negro não está firmado na questão da pele e sim na questãoeconômica.b) O texto trata da questão da mão-de-obra negra ter servido como força para a construção depotencias mundiais no oriente.c) O termo “corpo fechado” está associado ao fato de que o negro não sente o sofrimento por suagrande religiosidade.d) O trecho “pesadelos oceânicos” pode ser entendido como referência aos navios negreiros.e) Os negros são apresentados no texto como um povo novo.9. O trecho abaixo é parte do último capítulo de Dom Casmurro, de Machado de Assis: O resto é saber se a Capitu da Praia da Glória já estava dentro da de Mata-cavalos, ou se esta foi mudada naquela por efeito de algum caso incidente. Jesus, filho de Sirach, se soubesse dos meus primeiros ciúmes, dir-me-ia, como no seu cap. IX, vers. I: “Não tenhas ciúmes de tua mulher para que ela não se meta a enganar-te com a malícia que aprender de ti”. Mas eu creio que não, e tu concordarás comigo; se te lembras bem da Capitu menina, hás de reconhecer que uma estava dentro da outra, como a fruta dentro da casca.“ Seu potencial. Nossa matéria –prima.”
  4. 4. 9. Invocando aqui a memória e o testemunho do leitor de sua história, o narrador arremata anarrativa a) lembrando que os ciúmes de Bentinho por Capitu poderiam perfeitamente ser injustificáveis. b) concluindo que a única explicação para a traição de Capitu é a força caprichosa de circunstâncias acidentais. c) citando uma passagem da Bíblia, à luz da qual acaba admitindo a possibilidade da inocência de Capitu. d) pretendendo que a personalidade de Capitu tenha se desenvolvido de modo a cumprir uma natural inclinação. e) se mostra reticente quanto à convicção de que fora traído, sugerindo que continuará ponderando os fatos.Leia o texto e examine a ilustração:Óbito do autor(....) expirei às duas horas da tarde de uma sexta-feira do mês de agostode1869, na minha bela chácara de Catumbi. Tinha uns sessenta e quatroanos rijos e prósperos, era solteiro, possuía cerca de trezentos contos efui acompanhado ao cemitério por onze amigos. Onze amigos! Verdade éque não houve cartas nem anúncios. Acresce que chovia − peneirava −uma chuvinha miúda, triste e constante, tão constante e tão triste, quelevou um daqueles fiéis da última hora a intercalar esta engenhosa idéiano discurso que proferiu à beira de minha cova: −”Vós, que oconhecestes, meus senhores, vós podeis dizer comigo que a naturezaparece estar chorando a perda irreparável de um dos mais beloscaracteres que tem honrado a humanidade. Este ar sombrio, estas gotasdo céu, aquelas nuvens escuras que cobrem o azul como um crepefunéreo, tudo isto é a dor crua e má que lhe rói à natureza as mais íntimasentranhas; tudo isso é um sublime louvor ao nosso ilustre finado.” (....)(Adaptado. Machado de Assis. Memórias póstumas de Brás Cubas. Ilustrado porCândido Portinari. Rio de Janeiro: Cem Bibliófilos do Brasil, 1943. p.1.)10. Compare o texto de Machado de Assis com a ilustração de Portinari. É correto afirmarque a ilustração do pintor(A) apresenta detalhes ausentes na cena descrita no texto verbal.(B) retrata fielmente a cena descrita por Machado de Assis.(C) distorce a cena descrita no romance.(D) expressa um sentimento inadequado à situação.(E) contraria o que descreve Machado de Assis.Leia o texto:São demais os perigos desta vidaPara quem tem paixão,principalmente Quando uma lua surge de repenteE se deixa no céu como esquecida.E se ao luar que atua desvairadoVem se unir uma música qualquerAí então é preciso ter cuidadoPorque deve andar perto uma mulher.Deve andar perto uma mulher que é feitaDe música, luar e sentimentoE que a vida não quer de tão perfeita.Uma mulher que é como a própria lua:Tão linda que só espalha sofrimento“ Seu potencial. Nossa matéria –prima.”
  5. 5. Tão cheia de pudor que vive nua.(Vinícius de Moraes. Orfeu da Conceição. In; Obra poética. Rio de Janeiro, Aguilar, pág. 421 -11. A alternativa que contém aspectos, presentes no texto, reveladores da permanência deprocedimentos românticos no Modernismo é:a) valorização do sentimento amoroso, negação da natureza.b) valorização da música e do perfume, natureza como pano de fundo.c) diluição do sentimento amoroso, predomínio da razão.d) valorização sentimental da mulher, presença participante da natureza.e) desvalorização da mulher, negação da natureza.12. Assinale a alternativa cuja descrição não corresponda a uma forma de produçãonaturalista:a) "Bertoleza então, erguendo-se com ímpeto de anta bravia, recuou de um salto e, antes quealguém conseguisse alcançá-la, já de um só golpe certeiro e fundo rasgara o ventre de lado alado." ( O cortiço)b) "Sua pequena testa, curta e sem espinhas, margeada de cabelos crescendo, não denunciava oque naquela cabeça havia de voluptuoso e ruim. Seu todo acanhado, fraco e modesto, não deixavatransparecer a brutalidade daquele temperamento cálido e desensofrido." ( Casa de Pensão)c) "Naquela mulata estava o grande mistério e a síntese das impressões que ele receberachegando aqui: ela era a luz ardente do meio-dia; ela era o calor vermelho das sestas da fazenda;era o aroma quente dos trevos e das baunilhas, que o atordoara nas matas brasileiras; era apalmeira virginal e esquiva que não se torce a nenhuma outra planta; era o veneno e era açúcargostoso; era o sapoti mais doce que o mel e era a castanha do caju, que abre feridas com seuazeite de fogo; ela era a cobra verde e traiçoeira, a lagarta viscosa, a muriçoca doida, queesvoaçava havia muito tempo em trono do idade da terra, piscando-lhe as artérias, para lhe cuspirdentro do sangue uma centelha daquele amor setentrional, uma nota daquela música feita degemidos de prazer, uma larva daquela nuvem de cantáridas que zumbiam em torno da Rita Baianae espalhavam-se pelo ar numa fosforescência afrodisíaca." ( O cortiço)d) olhos de ressaca"; "Traziam não sei que fluido misterioso e energético, uma força que arrastavapara dentro, com a vaga que se retira da praia, nos dias de ressaca". ( D. Casmurro)e) "Estavam parados ao pé da Confeitaria. Na vidraça, por trás deles emprateleirava-se umaexposição de garrafas de malvasia com os seus letreiros muito coloridos, transparênciasavermelhadas de gelatinas, amarelidões enjoativas de doces de ovos, e queques de um castanho-escuro tendo espetados cravos tristes de papel branco ou cor-de-rosa. Velhas natas lívidasamolentavam-se no oco dos folhados; ladrilhos grossos de marmeladas esbeiçavam-se ao calor;as empadinhas de marisco aglomeravam suas crostas ressequidas. E no centro, muitoproeminente numa travessa, enroscava-se uma lampreia de ovos, medonha e bojuda [...]". ( oprimo Basilio)Leia o texto: “Em sua formação, o Brasil é conhecido mundialmente pela sua diversidade cultural. Asvárias etnias que compuseram, e ainda compõem, a nação brasileira podem ser verificadas emtodos os livros didáticos que contam a nossa história. Porém, no que diz respeito aos povosindígenas, essa pluralidade de povos e etnias sempre foi vista como uma ameaça à soberanianacional, fato este que orientou o Estado a promover políticas integracionistas visando aconstrução de um “ethos” (jeito de ser), onde toda essa diversidade étnica seria progressivamentesubstituída por uma identidade nacional.” 13. Assinale a alternativa que apresente um texto que confirme essa visão: a. “(...) porém a terra em si é de muito bons ares, assim frios e temperados como os deEntre –Douro e Minho, porque neste tempo de agora os achamos como os de lá.” b. “ Eram pardos, todos nus, sem coisa alguma que lhes cobrisse as suas vergonhas.Traziam nas mãos arcos e setas.” c. “ De ponta a ponta é tudo praia redonda, muito chã e muito formosa.” d. “ e imprimir-se-á facilmente neles todo e qualquer cunho que lhes quiserem dar.”“ Seu potencial. Nossa matéria –prima.”
  6. 6. e. “ eles passam de uma confraternização a um retraimento, como pardais, com medo docevadoiro.” GabaritoAs questões utilizadas são adaptadas de processos seletivosou pertenceram a processos seletivos e avaliativos. 1. 01 2. D 3. 01 4. A 5. B 6. C 7. E 8. D 9. D 10. A 11. D 12. D 13. DEspero que você tenha tido um bom desempenho. Casocontrário. Releia atenciosamente a questão e veja o motivo“ Seu potencial. Nossa matéria –prima.”
  7. 7. do erro. Falta de atenção? Ausência de conhecimento emperiodização? Não sabe interpretar imagens?Qualquer que seja ainda dá tempo corrigir.Vamos conseguir Juntos!!!Mara Rute Lima@mararute“ Seu potencial. Nossa matéria –prima.”

×