Design gráfico 3a aula - Teoria Hipodérmica

4,972 views

Published on

3a aula- Design Gráfico 2011- 24/08

Published in: Education
0 Comments
6 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
4,972
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
199
Comments
0
Likes
6
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Design gráfico 3a aula - Teoria Hipodérmica

  1. 1. Disciplina: Teorias e Técnicas da Comunicação Profa: Mara Baroni 3a aula- 24/08/2011
  2. 2. Teoria Hipodérmica ( Bala Mágica) Escola Americana <ul><li>Behaviorismo </li></ul><ul><li>Fases de investigação da sociologia da comunicação </li></ul><ul><li>Pólos da investigação sociológica da comunicação </li></ul><ul><li>Teoria Hipodérmica ( Bala mágica) </li></ul><ul><li>Teoria Hipodérmica- Contextualização </li></ul><ul><li>Teoria Hipodérmica- Caracterização </li></ul><ul><li>Sociedade de Massa </li></ul><ul><li>Modelo Comunicativo da Teoria Hipodérmica </li></ul><ul><li>Comportamento Humano Implicações do modelo comunicativo - behaviorista </li></ul><ul><li>Bibliografia </li></ul>
  3. 3. Behaviorismo “ O Behaviorismo  – do termo inglês behaviour ou do americano behavior, significando conduta, comportamento – é um conceito generalizado que engloba as mais paradoxais teorias sobre o comportamento, dentro da Psicologia.
  4. 4.
  5. 5. “ Esta teoria teve início em 1913, com um manifesto criado por John B. Watson – “ A Psicologia como um comportamentista a vê “. Nele o autor defende que a psicologia não deveria estudar processos internos da mente, mas sim o comportamento.
  6. 6. <ul><li>Nesta época vigorava o modelo behaviorista de S-R, ou seja, de resposta a um estímulo, motor gerador do comportamento humano. Watson é conhecido como o pai do Behaviorismo Metodológico ou Clássico. </li></ul>
  7. 7. No Behaviorismo Metodológico ou Clássico, acredita-se, ser possível prever e controlar toda a conduta humana , com base no estudo do meio em que o indivíduo vive e nas teorias do russo Ivan Pavlov sobre o condicionamento.
  8. 8. <ul><li>A conhecida experiência com o cachorro, que saliva ao ver comida, mas também ao mínimo sinal, som ou gesto que lembre a chegada de sua refeição. </li></ul>
  9. 9. <ul><li>Assim, qualquer modificação orgânica resultante de um estímulo do meio-ambiente pode provocar as manifestações do comportamento, principalmente mudanças no sistema glandular e também no motor. </li></ul>
  10. 10. Fases de investigação da sociologia da comunicação <ul><li>Anos 20 aos 50 = iniciam os estudos da </li></ul><ul><li>influência dos MCM no comportamento </li></ul><ul><li>coletivo. </li></ul><ul><li>Anos 50 = nos EUA, inicia a comunication </li></ul><ul><li>research , a partir de nomes como Lazarsfeld. </li></ul><ul><li>Anos 60 e 70 = estudo dos problemas teórico </li></ul><ul><li>metodológicos da comunicação nos EUA e na </li></ul><ul><li>Europa. Também destaca-se a análise do </li></ul><ul><li>conteúdo. </li></ul><ul><li>Final de 70 e anos 80 = 3ª revolução </li></ul><ul><li>industrial. Emprego e estudo das altas </li></ul><ul><li>tecnologias.Início do trabalho de Pierre Lévy. </li></ul>
  11. 11. Pólos da investigação sociológica da comunicação Pólo do receptor = estudos que se preocupam com os efeitos das mensagens dos meios de comunicação. É o caso das teorias behavioristas e hipodérmicas. Pólo dos efeitos e das causas = estudos que preocupam-se com as causas e os efeitos do homem-massa, dominado pela racionalidade técnica na sociedade da produção. É o exemplo da teoria crítica da Escola de Frankfurt.
  12. 12. Teoria Hipodérmica (Bala Mágica)
  13. 13. <ul><li>A mídia atingia a todos de forma direta, uniforme e indiscriminadamente. </li></ul><ul><li>O modelo da agulha hipodérmica,ou seja, a mídia como seringa” injetando informações, inoculando ideias. </li></ul>
  14. 14. Cada elemento do público é pessoal e diretamente atingido pela mensagem. MENSAGEM PÚBLICO AÇÃO
  15. 15. Teoria Hipodérmica - Contextualização - <ul><li>Para compreender a teoria hipodérmica, faz-se necessário conhecer o contexto em que ela se insere. </li></ul><ul><li>Com a Revolução Industrial (século XIX), a sociedade ocidental sofreu profundas transformações: de comunitária passou a contratual. </li></ul>
  16. 16. Inicia-se aí o conceito da sociedade de massa, formulado em 1830 pelo positivista Augusto Comte e aperfeiçoado por Herbert Spencer, Ferdinand Tönnies e Émile Durkheim, seus contemporâneos.
  17. 17. Caracterizada pelo isolamento psicológico de seus membros e predominância da impessoalidade. A idéia de sociedade de massa é de fundamental importância para o entendimento da teoria hipodérmica. Sua eficácia e alienação está associada a presença constante dos veículos de comunicação.
  18. 18. <ul><li>Enquanto a produção intelectual emergia, os mass media ampliavam seu alcance. </li></ul><ul><li>Os governantes dos países em guerra, com destaque para britânicos e estadunidenses, viram nas novas instituições excelentes canais para divulgar suas idéias patrióticas e nacionalistas . </li></ul><ul><li>Era necessário unificar as pessoas do mesmo país , torná-las comprometidas com a ideologia estadunidense (EUA). </li></ul>
  19. 19. <ul><li>Terminada a guerra, </li></ul><ul><li>deu-se início a uma análise do ocorrido. </li></ul><ul><li>Diante dos resultados obtidos e do conceito de sociedade de massa, chegou-se à conclusão de </li></ul><ul><li>que qualquer conteúdo exibido pela mídia atingiria </li></ul><ul><li>os indivíduos de maneira uniforme . </li></ul>
  20. 20. <ul><li>Todos os receptores responderiam às mensagens midiáticas sem questionar ou sugerir visões diferentes - como robôs. </li></ul><ul><li>Assim, enxergou-se a mídia como uma arma poderosíssima, capaz de moldar a opinião pública conforme os interesses do comunicador. </li></ul>
  21. 21. <ul><li>Deu-se a essa idéia o nome de &quot;teoria hipodérmica&quot; ou &quot;teoria da bala mágica&quot;. </li></ul><ul><li>Ambos os termos remetiam à psicologia behaviorista E  R. </li></ul><ul><li>Bastaria injetar uma injeção no corpo para que este respondesse a seu efeito, ou metralhar um organismo para que este se debilitasse. </li></ul>
  22. 22. <ul><li>A teoria hipodérmica é por demais simplista para ser aceita sem restrições. </li></ul><ul><li>Inexperientes no quesito &quot;mídia&quot;, os primitivos teóricos da comunicação desconheciam o poder das diferenças individuais . </li></ul><ul><li>Todavia, a teoria foi amplamente aceita: </li></ul><ul><li>pois, havia os indiscutíveis efeitos da propaganda na guerra. </li></ul>
  23. 23. <ul><li>Ligação da difusão dos meios de comunicação em larga escala com as trágicas experiências totalitárias daquele período. </li></ul><ul><li>Propaganda dos regimes = Guerra </li></ul>
  24. 24. Teoria Hipodérmica - Caracterização - <ul><li>- Teoria indiferente à diversidade existente entre meios de comunicação. </li></ul><ul><li>Buscava responder à questão: que efeito têm os meios de comunicação numa sociedade de massa? ; </li></ul><ul><li>- Tratava de uma teoria psicológica de ação (a mensagem chega ao público e o leva a agir de determinada forma); </li></ul><ul><li>Modelo hipodérmico: teoria da propaganda e sobre a propaganda. </li></ul>
  25. 25. A propaganda <ul><li>Vários livros foram publicados nos anos vinte e trinta sobre propaganda e propaganda de guerra. Dentre eles: </li></ul><ul><li> Psychology of Propaganda – Doobs; </li></ul><ul><li>Psychology and Social Movements – Cantril; </li></ul><ul><li>Propaganda Technique in the World War – Lasswell; </li></ul><ul><li>Propaganda in the Next War – Rogerson </li></ul>
  26. 26. Sociedade de massa <ul><li>Sociedade Oitocentista: </li></ul><ul><li>Da industrialização progressiva; </li></ul><ul><li>da revolução dos transportes e do comércio; da difusão dos valores abstratos de igualdade e liberdade; </li></ul><ul><li>ELITES (perdem a exclusividade) </li></ul><ul><li>Expostas às MASSAS </li></ul>
  27. 27. Sociedade de Massa <ul><li>Nesse contexto, a massa é o comum que existe em todos os homens , inclusive nos de elite, é uma ação sem subjetividade, portanto, baseada na técnica. </li></ul><ul><li>SIMMEL: a massa é uma formação nova que se baseia naquelas partes que põem um membro em comum com os todos os outros. </li></ul>
  28. 28. <ul><li>Constituída por um conjunto homogêneo de indivíduos que, enquanto seus membros, são: </li></ul><ul><li>essencialmente iguais; </li></ul><ul><li>indiferenciáveis; </li></ul><ul><li>manipuláveis; </li></ul><ul><li>são pessoas que não se conhecem; </li></ul><ul><li>com pouca ou nenhuma possibilidade de exercer ação ou influência - sem resistência . </li></ul>
  29. 29. Características <ul><li>Não possui tradições; </li></ul><ul><li>Nem regras de comportamento; ou </li></ul><ul><li>Estrutura organizativa </li></ul><ul><li>TEORIA HIPODÉRMICA: na </li></ul><ul><li>medida em que são componentes </li></ul><ul><li>da massa, esses indivíduos </li></ul><ul><li>estão expostos à mensagem. </li></ul>
  30. 30. Sociedade de massa = Teoria Hipodérmica <ul><li>O isolamento físico e normativo do indivíduo na massa é o fator que explica a capacidade manipuladora que a teoria hipodérmica atribui aos primeiros meios de comunicação. </li></ul>
  31. 31. E quanto à cultura do indivíduo? <ul><li>A massa nasce e vive contra os laços comunitários, as culturas locais são desconsideradas. </li></ul><ul><li>Essa fragmentação da cultura é que gera uma massa passiva e manipulável. </li></ul>
  32. 32. <ul><li>Se as mensagens da propaganda conseguem alcançar os indivíduos que constituem a massa, a persuasão é facilmente “inoculada”. </li></ul>HIPODÉRMICA = DENTRO DA PELE
  33. 33. Modelo Comunicativo da Teoria Hipodérmica <ul><li>Baseado na psicologia behaviorista; </li></ul><ul><li>O sistema de ação do comportamento humano deveria ser decomposto em unidades: </li></ul><ul><li>Compreensíveis Diferenciáveis </li></ul><ul><li>Observáveis </li></ul>
  34. 34. Modelo Comunicativo da Teoria Hipodérmica Comportamento Humano <ul><li>Estímulo Mensagem </li></ul><ul><li>Resposta Ação </li></ul>
  35. 35. <ul><li>Se todo o estímulo resulta em uma reação, os efeitos dos meios de comunicação na sociedade são: </li></ul>Implicações do modelo comunicativo - Behaviorista <ul><li>inevitáveis; </li></ul><ul><li>instantâneos; </li></ul><ul><li>mecânicos; </li></ul><ul><li>amplos em relação à </li></ul><ul><li>massa . </li></ul>
  36. 36. <ul><li>Não havia a necessidade de estudar a massa individualmente ou os efeitos dos MCM separadamente. Se todo estímulo tem uma resposta, o efeito dos MCM é certo . </li></ul>
  37. 37. <ul><li>Segundo Bauer (1964) </li></ul>Durante o período da Teoria Hipodérmica, os efeitos dos MCM, na sua maior parte, não são estudados, mas dados como certos.
  38. 38. Teoria Hipodérmica como “ Arte de influenciar as massas ” Defendia uma relação direta entre a exposição às mensagens e o comportamento : se uma pessoa é “apanhada” pela propaganda, pode ser controlada, manipulada, levada a agir .
  39. 39. Síntese da Teoria Hipodérmica <ul><li>Contexto Social </li></ul><ul><li>Teoria Social </li></ul><ul><li>pressuposta </li></ul><ul><li>Modelo </li></ul><ul><li>Comunicativo </li></ul><ul><li>. período de difusão dos MCM em larga escala; período entre guerras. </li></ul><ul><li>Teoria da sociedade de massa; consumidor sem capacidade de resistência frente aos MCM. </li></ul><ul><li>estímulo – resposta; quando o consumidor é apanhado pela mensagem é levado a agir . </li></ul>
  40. 40. BIBLIOGRAFIA <ul><li>WOLF, Mauro. Teorias da Comunicação; 4ª ed. Lisboa, 1995. </li></ul><ul><li>Disponível em: http://www.canaldaimprensa.com.br/canalant/nostalgia/dprimedicao/nostalgia2.htm </li></ul><ul><li>Disponível em : </li></ul><ul><li>Efeitos dos mcm na sociedade </li></ul><ul><li>www.cesnors.ufsm.br/.../Aula%205%20%20-%20%20Efeitos%20diretos%20dos%20mcm%20na%20sociedade ... </li></ul><ul><li>Disponível em : http://www.infoescola.com/comunicacao/teoria-hipodermica/ </li></ul>

×