Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Biblioteca Escolar

11,219 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

Biblioteca Escolar

  1. 1. MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DA BIBLIOTECA ESCOLAR<br />Um instrumento de melhoria<br />Dezembro 2009<br />
  2. 2. A BIBLIOTECA ESCOLAR HOJE<br />
  3. 3. A BIBLIOTECA ESCOLAR HOJE<br />A BE passa, neste contexto, a ter um papel :<br />Informacional<br />Transformativo<br />Formativo<br />(Bogel, 2006)<br />
  4. 4. A BIBLIOTECA HOJE<br />“A ligação entre a BE, a escola e o sucesso educativo é hoje um facto assumido por Organizações e Associações Internacionais que a definem como núcleo de trabalho e aprendizagem ao serviço da escola.” <br />KatherineMansfield<br />Fachada da Escola EB 2,3 de S. João da Madeira<br />“…um contributo essencial para o sucesso educativo, sendo um recurso fundamental para o ensino e para a aprendizagem.”<br />MAABE, 2009<br />Alunos da Escola EB2,3 no Dia Internacional das BE’s<br />
  5. 5. Papel do professor bibliotecário<br />a) Assegurar o serviço de biblioteca para todos os elementos da comunidade escolar;<br />b) Promover a articulação das actividades da biblioteca com os objectivos do projecto educativo e dos projectos curriculares de turma;<br />c) Assegurar a gestão dos recursos humanos afectos à biblioteca;<br />d) Garantir a organização do espaço e assegurar a gestão funcional e pedagógica dos recursos materiais afectos à biblioteca;<br />e) Definir e operacionalizar uma política de gestão dos recursos de informação, promovendo a sua integração nas práticas de professores e alunos;<br />
  6. 6. f) Apoiar as actividades curriculares e favorecer o desenvolvimento de hábitos e competências de leitura, da literacia da informação e das competências digitais, trabalhando colaborativamente com todas as estruturas da escola;<br />g) Apoiar actividades livres, extracurriculares e de enriquecimento curricular incluídas no Plano de Actividades ou no Projecto Educativo da escola;<br />h) Estabelecer redes de trabalho cooperativo, desenvolvendo projectos de parceria com entidades locais;<br />i) Implementar processos de avaliação dos serviços e elaborar um relatório anual de auto-avaliação a remeter ao Gabinete Coordenador da Rede de Bibliotecas Escolares (GRBE);<br />j) Representar a biblioteca escolar no Conselho Pedagógico, nos termos do regulamento interno.<br />
  7. 7. BE E AUTO-AVALIAÇÃO<br />
  8. 8. BE E AUTO-AVALIAÇÃO<br />
  9. 9. BE E AUTO-AVALIAÇÃO<br />A auto-avaliação, baseada num determinado modelo, é um princípio de boa gestão e um instrumento indispensável num plano de desenvolvimento. <br />PERMITE:<br />
  10. 10. ANÁLISE SWOT<br />Pontos fortes<br />Oportuni-dades<br />Acções de melhoria<br />Pontos fracos<br />Ameaças<br />
  11. 11. MAABE- MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BE<br />
  12. 12. MAABE- MODELO DE AUTO-AVALIAÇÃO DAS BE<br />
  13. 13. O que avaliamos ?Domínios e subdomínios do MAABE<br />Domínio a avaliar este ano pela escola<br />
  14. 14. Instrumentos para recolha de evidências<br />QA2 Questionário aos alunos<br />QD2 Questionário aos docentes<br />QEE1 Questionário aos pais e encarregados de educação<br />GO3 Grelha de observação – Participação em actividades de leitura<br />GO4Grelha de observação – Motivação para a leitura<br />
  15. 15. Em que nos baseamos?<br />“Action<br />and evidence-based, learning- entered practice”<br />(RossTodd)<br />
  16. 16. Recolha de evidências <br />Amostras <br />mínimas <br />para<br />aplicação<br /> de questionários<br />20% professores<br />10% alunos<br />
  17. 17. Níveis de desempenho<br />A BE é muito forte neste domínio. O trabalho desenvolvido é de grande qualidade e com um impacto bastante positivo.<br />4<br />3<br />A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domínio mas ainda é possível melhorar alguns aspectos.<br />2<br />A BE começou a desenvolver trabalho neste domínio, sendo necessário melhorar o desempenho para que o seu impacto seja mais efectivo. <br />1<br />A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste domínio, o seu impacto é bastante reduzido, sendo necessário intervir com urgência.<br />
  18. 18. Intervenientes no processo<br />
  19. 19. Etapas de aplicação do MAABE<br />
  20. 20. Etapas (prazos sugeridos)<br />
  21. 21. Auto-avaliação BE - ESCOLA<br /><ul><li> A avaliação da BE deve estabelecer ligações com a avaliação da escola.
  22. 22. Do relatório de avaliação da BE deve transitar uma síntese que venha a integrar o relatório da escola.
  23. 23. A avaliação externa da escola pela Inspecção Geral de Educação poderá, assim, avaliar o impacto da BE na escola, mencionando-a no relatório final de avaliação da escola.</li></ul>Texto da sessão 4 da formação RBE em MAABE<br />
  24. 24. CONCLUSÃO<br />É necessária a colaboração de todos! <br />Para que a BE se afirme realmente como “…um contributo essencial para o sucesso educativo, sendo um recurso fundamental para o ensino e para a aprendizagem.”<br />MAABE, 2009<br />
  25. 25. Bibliografia<br /><ul><li>Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares (2009) – modelo de auto-avaliação da biblioteca escolar;
  26. 26. Scott, Elspeth (2002) –“ How good is Your Scolllibrary resource centre? An introdution to perfomance measurement”. 68th IFLA Council and General Conference August;
  27. 27. Textos 3ª sessão formação “ Práticas e modelos de AA das BE”;
  28. 28. Todd, Ross(2001) –“ Transitions for prefered futures of school ibraries: Knowledge space not information space-connetions, not colletions-ations, not positions-Evidence not advocacy. The2001 IASL Conference;
  29. 29. McNicolª, Sarah(2004) –Incorporation Library Provisionin School Self Evaluation, in Education Review, 56, November 2004, págs 287-296.</li>

×