Ditadura militar: uma verdade incoveniente

1,121 views

Published on

Nesta apresentação serão abordados: o pré golpe, o golpe em si, os governos militares, a herança cultural do período, e a "Comissão Nacional da Verdade".

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,121
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
44
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Ditadura militar: uma verdade incoveniente

  1. 1. Ditadura militar: uma verdade incoveniente Conteúdos que serão abordados: • Pré golpe; • O golpe; • Governos militares; • Herança cultural do período; • Comissão Nacional da Verdade.
  2. 2. FIM DA ERA VARGAS ● A Era Vargas terminou em 1945 com a deposição de Getúlio. ● Foram formados três partidos principais: o PTB de orientação trabalhista simpatizante a Vargas. O PSD formado por setores da elite que compunham com Vargas. A UDN se tornou o grande partido da chamada oposição conservadora.
  3. 3. Eurico Gaspar Dutra (1946-51) ● Eleito pelo PSD sendo o candidato de Vargas, aproximou mais ainda o Brasil dos EUA e ainda fundou a ESG (Escola Superior de Guerra).
  4. 4. Getúlio Vargas (1951-54) ● Volta ao poder pelo voto direto. ● Nacionalismo. ● Campanha “O Petróleo é Nosso”. ● Forte oposição de Carlos Lacerda, da UDN e parte dos militares. ● Suicídio em 1954.
  5. 5. Juscelino Kubitschek (1956-61) ● Após crise que teria levado ao suicídio de Vargas e a sucessão de presidentes até a eleição de1955, Juscelino Kubitschek o pleito. ● Política desenvolvimentista e fundação de Brasília. ● Época associada a Bossa Nova e ao otimismo.
  6. 6. Jânio Quadros ● Lançado por um partido pequeno, o PTN mas com apoio da UDN, foi eleito com votação recorde. ● A política independente com a aproximação de figuras como Che Guevara em plena guerra fria teria contribuído para sua perda de apoio. ● Renunciou com poucos meses de mandato.
  7. 7. ● Em meio a outra crise, João Goulart quase não conseguiu assumir a presidência. Era o Vice-presidente eleito em 1960 pelo PTB. ● Foi ministro do trabalho de Getúlio Vargas e Vice-presidente de Juscelino Kubitschek. ● Por sua aproximação com entidades trabalhistas era visto como um perigo pelos setores mais conservadores e boa parte dos militares. João Goulart (1961-64)
  8. 8. ● Após a Revolução Cubana de 1962, os setores contrários ao comunismo aumentaram a pressão sobre o governo Goulart. ● Em 1964, após o Comício das Reformas de Base, Os militares e setores conservadores da política nacional se uniram para derrubar Jango do poder. Golpe de 1964
  9. 9. ● Primeiro presidente militar, foi responsável pela cassação de mandatos de parlamentares de oposição com o AI-1 ● Prometeu deixar o poder após eleições presidenciais de 1965, mas o AI-2 suspendeu as eleições diretas para presidente da República. Castelo Branco 1964-1967
  10. 10. ● O segundo presidente militar foi Costa e Silva. Era da chamada “Linha Dura”. ● O início do mandato foi marcado pelo recrudescimento dos protestos sobretudo estudantis. ● Após a morte do estudante Edson Luís e de um discurso do oposicionista, Márcio Moreira Alves, instigando a todos a boicotar os desfiles militares, o governo lança o AI-5, fechando ainda mais o regime. Costa e Silva (1967-1969)
  11. 11. ● Após uma sucessão conturbada, Médici foi escolhido como o terceiro presidente militar. ● Considerado o auge da repressão. Significou o fim das guerrilhas. ● Ufanismo: propaganda e vitória da seleção brasileira na Copa de 1970. ● “Milagre Econômico”. Garrastazu Médici (1969-1974)
  12. 12. ● Ernesto Geisel se tornou o penúltimo presidente militar sob o perigo de uma crise econômica. ● Grandes obras: Itaipu. ● Prometeu abertura “lenta, gradual e segura”. ● Morte de Herzog e Manoel Fiel Filho como motivos para a volta dos movimentos pela abertura. ● Retorno do movimento sindical. Ernesto Geisel (1974-1979)
  13. 13. João Figueiredo (1979-1985) ● Último Presidente militar, seguia a vertente de Geisel. ● Recrudescimento do movimento sindical. ● Movimento “Diretas Já”. ● Inflação galopante.
  14. 14. Heranças da ditadura - música ● A censura marcou muito o período da ditadura militar. Apesar disso, nomes como Caetano Veloso, Chico Buarque de Hollanda, Gilberto Gil e outros estão entre os grandes compositores de toa a história da música brasileira. ● Os festivais de música lançaram muitos artistas.
  15. 15. Teatro ● Augusto Boal elabora o Teatro Arena antes dos anos de 1960, porém é no golpe que se notabiliza pelo teatro engajado. O grupo excursionou no exterior após o AI-5. ● Zé Celso Martinez inicia o Teatro Oficina poucos anos antes do golpe, porém foi também nos período ditatorial que se notabilizou pelas peças.
  16. 16. Cinema ● O cinema também foi muito visado pela censura mas mesmo assim houve uma herança para as telas nacionais. O cinema novo de Glauber Rocha marcou uma nova estética cinematográfica. ● As censuras limitaram o cinema brasileira, sendo decisivas para a perda de qualidade.
  17. 17. Luta contra a tortura ● Um dos primeiros projetos de denúncia das torturas do regime militar foi o “Brasil Nunca Mais”. ● Um grupo ecumênico liderado por Dom Paulo Evaristo Arns, Rabino Henry Sobel e o pastor presbiteriano Jaime Wright elaborou uma vasta documentação a respeito da tortura no país.
  18. 18. Documentos da Repressão ● Iniciativas datadas a partir dos anos de 1990 recuperaram parte dos documentos ligados a órgãos da repressão. ● Atualmente projetos oficiais como o “Memórias Reveladas” integram o Arquivo Nacional e arquivos de boa parte dos estados na busca pelas memórias do período de 1964 até 1985.
  19. 19. Comissão da Verdade ● O vários esforços na reconstituição dos crimes contra os direitos humanos resultou na formação da Comissão da Verdade. A Comissão tem o objetivo de apurar crimes contra os direitos humanos entre 1946 e 1988.
  20. 20. ● Além de rever a documentação, a comissão tem a autonomia para convocar vítimas e acusados de agressões. ● Uma das conquistas da Comissão foi a mudança da causa mortis de Vladimir Herzog que havia sido originalmente “suicídio” para lesões e maus tratos, assumindo o crime praticado pelo Estado ditatorial. Atuação da comissão

×