APOSTILA SETOR PÓS-MATRIMONIAL

19,736 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
19,736
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
14
Actions
Shares
0
Downloads
494
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

APOSTILA SETOR PÓS-MATRIMONIAL

  1. 1. PASTORAL FAMILIAR – PASTORAL FAMILIAR – ARQUIDIOCESE DE SÃO SEBASTIÃO DO RIO DE JANEIRO – PASTORAL FAMILIAR ARQUIDIOCESE DE SÃO SEBASTIÃO DO RIO DE JANEIRO – REGIONAL LESTE 1 SETOR PÓS MATRIMONIAL No Gênesis está escrito:.”E o homem disse: Desta vez é carne de minha carne e osso dos meus ossos; chamar-se-á mulher, porque foi tirada do homem” (Gn 2,23) “Nenhum plano de pastoral orgânica, a qualquer nível que seja, pode prescindir da Pastoral Familiar” (Familiais Consortio “nº70)”. -“ A Pastoral Familiar, longe de ter perdido o seu caráter prioritário, revela-se hoje ainda mais urgente..” ( Puebla, nº 570) Fazendo uma pesquisa, de maneira direta e simples, descobrimos a ânsia generalizada de uma Preparação mais ampla e séria, não apenas para o casamento, mas para TODA A VIDA FAMILIAR. Não se pedia um novo Manual para Preparação para a Vida Matrimonial (Curso de noivos), mas, o desenvolvimento de temas, dinâmicas, retiros, acompanhamentos, aconselhamentos, que viessem a preencher lacunas enormes na fase Pós Matrimonial.
  2. 2. (Dom Eusébio Oscar Scheid,S.C.J-Preparação para o casamento e para a Vida Familiar- Editora Santuário Setor Pós – Matrimonial: deverá desenvolver um trabalho buscando o entrosamento com as equipes da Pastoral do Batismo (pais e padrinhos), equipes da Pastoral da Catequese (pais ou responsáveis das crianças da Catequese), grupos da Pastoral da Crisma (pais dos crismandos) grupos da Terceira Idade; para melhor atender as necessidades de cada família, Viúvas(os), Encontros com Gestantes, Núcleo Pró-Família – Métodos naturais de planejamento familiar - Paternidade e Maternidade responsáveis- Atendimentos a famílias da comunidade. Dentro deste setor poderão ser desenvolvidos: * Atendimento a grupos familiares (jovens recém-casados, casados há mais tempo, grupos de reflexão, círculos bíblicos, missão popular, entre outros. * Atendimento aos pais que pedem o batismo, a 1ª Eucaristia e crisma dos filhos. * Atendimento a formação religiosa nas escolas.(Trabalho feito junto com a Pastoral da Educação) * Retiros com casais ou com toda a família junta. (Igreja doméstica) * Atendimento e assistência aos pais e padrinhos dos noivos. Compete ainda aos agentes de Pastoral Familiar anunciar com alegria e convicção a “Boa Nova” acerca da família, que tem necessidade absoluta de ouvir e de compreender sempre mais profundamente as palavras autênticas da sua missão. Na ação pastoral para com as famílias novas (recém – casados), a Igreja deverá prestar uma atenção específica (especial) para as educar, a viver responsavelmente o amor conjugal em relação, com as exigências de comunhão e de serviço à vida, como também a conciliar a intimidade da vida de casa com a obra comum e generosa de edificar a Igreja e a sociedade humana. A partir da decisão do casamento um homem e uma mulher, um jovem e uma jovem, passam a viver uma experiência comunitária original, sentindo que precisam amar e necessitando receber amor. Tendo como ponto de partida o encontro desse homem e dessa mulher. Os jovens que se
  3. 3. casam não entram numa “camisa de força”, mas num espaço densamente humano de mútuo dom. Trata-se de uma comunidade baseada no amor e promotora da vida. A vida deverá borbulhar no relacionamento dos esposos e explorar na chegada dos filhos que serão iniciados na vida. Quando, da vinda dos filhos, o casal se torna em sentido pleno e específico de uma família, para que os acolham e os amem a luz do dom recebido do Senhor da vida, assumindo com alegria a fadiga de os servir no seu crescimento humano e cristão. RECÉM – CASADOS Os primeiros anos de casamento são muito importantes, são os decisivos na relação. São nos primeiros anos de casamento que se devem exercer uns zelos pastorais especiais. Primeiro porque as pessoas não estão bem preparadas para assumir o matrimônio; segundo porque muitos casam já com um filho que está chegando. Esses casados há pouco tempo têm que vencer as dificuldades da adaptação. Depois tem a questão do primeiro filho, a questão das decisões para o futuro. O próprio amor é uma vocação para prescindir das coisas que os esposos farão. É a vida dos dois esposos que é chamada a ser o referencial para os homens conhecerem a Deus, e por Deus se fazerem conhecer aos homens. A primeira missão do casal é se amarem (e amar-se é crescer juntos, saber dialogar, reconciliar-se, acolher-se na diversidade). Que os jovens cônjuges saibam acolher cordialmente e inteligentemente valorizar a ajuda discreta, delicada e generosa de outros casais que já há tempo fazem a mesma experiência do matrimônio e da família. Desse modo, as famílias jovens não se limitarão só a receber, mas por sua vez, assim ajudadas, tornar-se-ão fonte de enriquecimento para outras famílias, há tempo constituídas, com o seu testemunho de vida e a sua contribuição de fato. A Pastoral Familiar há de cuidar da formação dos futuros esposos e do acompanhamento dos cônjuges, sobretudo, nos primeiros anos de sua vida matrimonial. Sugestão de trabalho com recém - casados • Grupos de reflexão e ação.
  4. 4. • Retiros e manhãs de estudos com temas familiares. • Encontros de Vivências e dinâmicas para recém casados(Livro Nós, Eu e Você Ed Paulus) Temas para reuniões de reflexão com os recém casados Retrospectiva - Texto Bíblico: Lc. 14. 28-33 Levar os casais a se situarem diante do que se passou: o namoro, o noivado, para começar o trabalho. Reunião descontraída, com simplicidade e acolhida. Desenvolver o tema e trabalhar em grupo. * Partilhar as experiências durante o tempo de namoro e do noivado. * Partilhar lembranças do dia do casamento. O que se lembram da cerimônia do sacramento do matrimônio? * Quais os motivos mais profundos que levaram vocês ao casamento? * O que se pode esperar de reuniões de um grupo de pessoas casadas há pouco tempo? Ajustes - Texto Bíblico: 1 Cor. 13, 1-13 Adaptação de vida em comum, descobrimento de defeitos, pequenas decepções, primeiros choques e primeiras crises. Desenvolver o tema e partilhar em grupo: * O que fazer para superar as dificuldades que aparecem na vida a dois? * Das falhas citadas, qual a mais difícil de ser combatida? Por que? * Você tem alguma experiência sobre o assunto que possa ajudar o grupo? Conte-a. * Você sabe perdoar? Sogros e Sogras - Texto Bíblico: Eclo. 3, 1-18: Rute 1, 15-18
  5. 5. Dificuldades no relacionamento com pais e sogros, interferência dos pais e sogros na vida do casal, convivência harmoniosa das famílias do casal. Desenvolver o tema e partilhar em grupo: * O que vocês entendem por Igreja doméstica. * O que seria efetivamente a oração conjugal? * Como se festeja o Natal, a Páscoa em suas famílias de origem? Que lembranças guardam da festa religiosas de sua infância? * Vocês já se sentem chamados a um trabalho concreto em sua comunidade? * Que lugar a missa ocupa na vida de vocês? Têm dificuldades em participar dela? Chegada do primeiro filho – Texto Bíblico: Lc. 2, 4-21 Fazer com que percebam a profundidade do compromisso assumido no sacramento do matrimônio, no que refere a aceitar os filhos que Deus mandar. Necessidade de esperar o filho com amor, ter firmeza para serem responsáveis, viver a gravidez a dois. Desenvolver o tema e partilhar em grupo. * O grande objetivo do matrimônio é a felicidade do casal. O que a chegada do primeiro filho significa neste objetivo? Citem quatro comportamentos fundamentais do pai em relação à mãe durante o período da gravidez. * O ambiente da família, a exemplo dos pais educa mais que as palavras; concordam? * Vocês já pensaram no compromisso que fizeram diante do altar de receber os filhos que Deus lhes confiar, educando-os na lei de Deus e da Igreja? Como?
  6. 6. Decisões e projeto de vida a dois – Texto Bíblico: Colocessenses 3, 12-17 Matrimônio como construção permanente, ajuda mútua, procura da felicidade um do outro, estar atento aos sinais que se apresentam para quebrar a harmonia da vida familiar: desleixo com a aparência, acomodações, exagerada atenção aos amigos, tomada de decisões individuais, maneira de se gastar o dinheiro, ciúmes etc ... Desenvolver o tema e partilhar em grupo: * Vocês acham que os primeiros anos de casamento têm dificuldades particulares? * Será que há mesmo uma crise no casamento em seus primeiros anos? * Vocês percebem que estão colocando em comum suas tradições familiares? * Como vocês estão tomando as decisões importantes de suas vidas? * Que lhes parece importante fazer para superar algumas crises ou dificuldades do casamento? Família cristã – Texto Bíblico: - Ef. 4, 17-32 O amor deve ser o motor que impulsiona a vida da família, entrega mútua para uma união duradoura; família como lugar acolhedor, sem exclusão, cada um com o seu papel; família aberta para acolher a todos, vivenciando os valores cristãos. Desenvolver o tema e partilhar em grupo: * O que é pra vocês a definição da família como uma comunidade de vida e de amor? * Em que sentido a família é lugar de encontro e de formação de pessoas? * Como os membros de uma família podem, praticamente, viver o encontro? * O que significa construir uma civilização do amor e como a família pode dar a sua contribuição para tanto? PAIS DA CATEQUESE / BATISMO / CRISMA
  7. 7. Outro campo de trabalho são os pais que pedem o batismo de seus filhos, Crisma, na Primeira Eucaristia e catequese em geral. Lá na preparação remota foi feito um trabalho com as crianças na catequese, crisma, jovem. Aqui o trabalho é com os pais dos batizados, pais das crianças da catequese, crisma. A preocupação deve estar com a família. Conversar e refletir com os pais. Um trabalho com os pais deve ser feito sempre em colaboração com os (as) catequistas, com a coordenação, com criatividade e bom senso. OBJETIVO Evangelizar os pais ou responsáveis para que a Primeira Comunhão da criança, seja a Primeira de infinitas comunhões, assim, a família participando da Missa, e crescendo na fé, poderá ser luz para outras pessoas, atendendo a Jesus que disse: “Ide e evangelizai” e ao Papa João Paulo II: “O futuro da humanidade passa pela família”. Fortalecer a vida da Igreja e da sociedade a partir da família: enriquecê-la a partir da catequese familiar, a oração no lar, a Eucaristia, a participação no sacramento da Reconciliação, o conhecimento da Palavra de Deus. Para se fermento na Igreja e na sociedade. Pela força do ministério da educação, os pais, mediante o testemunho de vida, são os primeiros arautos do Evangelho junto dos filhos. Ainda mais, rezando com os filhos, dedicando-se com eles à leitura da Palavra de Deus. Eduquem-se de preferência os esposos para uma paternidade responsável que os capacite não só para uma honesta regulação da fecundidade e para incrementar o gozo de sua complementaridade, mas também para fazer deles bons formadores de seus filhos (P 609). A lenta e prazerosa educação da família sempre importam em sacrifício, recordação da cruz redentora. Mas a íntima felicidade que dá aos pais; recorda-lhes também a ressurreição. Evangelizar não é só ler a Bíblia, mas, a partir dela, trocar palavras de admiração , consolo, correção, luz, segurança. À medida que a família cristã acolhe o Evangelho e amadurece na fé, torna-se comunidade evangelizadora.
  8. 8. Diz Paulo VI: “A família, como a Igreja, deve ser um lugar onde se transmite o Evangelho e donde o Evangelho irradia”. Portanto, no interior de uma família consciente desta missão, todos os componentes evangelizam e são evangelizados. Uma tal família torna-se, então, evangelizadora de muitas outras famílias e do ambiente no qual está inserida”. Também a fé e a missão evangelizadora da família cristã, prosseguem este alento missionário católico. O sacramento do matrimônio que retorna e volta a propor o dever, radicado no batismo e na confirmação, de defender e difundir a fé, constitui os cônjuges e os pais cristãos testemunhas de Cristo até os confins do mundo, verdadeiros e próprios missionários do amor e da vida. Sugestões de trabalhos. Convidar os pais de primeira Eucaristia, de Batismo, da Crisma, dos adolescentes, dos jovens, namorados, noivos e pais de escola, para uma reflexão mensal sobre a caminhada dos seus filhos, com temas familiares, acompanhamento do trabalho que vê sendo realizado. É um momento de evangelização dos pais e da família. Os temas podem ser os mesmos que os filhos vem estudando na preparação de eucaristia, crisma, etc ... Livros que podem ajudar neste trabalho: * Primeira eucaristia, os pais também se preparam. * Como fazer catequese com os pais – Editora Ave Maria (Diocese de Tubarão – SC) * Casais em reflexão Vol. 1 e 2 – Ed. Paulinas – Antonio M. Fernandes. * Amor sem limites (Parábola do Pai Misericordioso) Ed. Paulinas. * Aprenda a ouvir – Ed. Fala Povo – Gerson Abarca Silva e Jonas Nunes Coutinho. RETIROS E ENCONTROS DE CASAIS Ainda pode entrar o retiro para casais, um domingo com as famílias e coisas deste tipo. Ter momentos de espiritualidade conjugal e familiar, que se inspire nos motivos da criação, da aliança, da cruz, da ressurreição.
  9. 9. Para viver um amor radical, gratuito, não bastam às forças humanas, não basta o empenho. Este amor nasce do alto. Jeremias tem uma frase belíssima: “Colocarei minha lei em seu peito e a escreverei em seu coração, eu serei o Deus deles, e eles serão o meu povo” (Jr 31, 33) “Darei para vocês um coração novo, e colocarei um espírito novo dentro de vocês. Tirarei de vocês o coração de pedra, e lhes darei um coração de carne”. (Ez 36,26). O casal é chamado a ter um relacionamento constante e amoroso com Deus, com a sua Palavra. A sua palavra é fogo que inflama. Deve haver um contínuo relacionamento de intimidade e de escuta de Deus.Os casais sedentos das coisas de Deus são aqueles que se tornarão os grandes evangelizadores do casamento e da família no seio da Igreja. A Pastoral Familiar deverá promover encontros regulares para servir às famílias e aos casais. Fazer tarde ou manhãs de formação abertas a todos os casais da comunidade. Temas para manhãs de reflexão com os casais: * Deus em nossas vidas. * Espiritualidade conjugal e fidelidade. * Amor e diferenças entre marido e mulher. * Família, igreja e sociedade. * Bíblia, luz em nossa família. * Família missionária. * Ciúmes e harmonia conjugal. Livros que podem ajudar nos trabalhos com os casais: * Casais a caminho – Ed. Loyola - Pe. José de Souza Primo e Frei Diogo Luis Fuitem. * Família e Evangelização – A Boa Nova do casamento e da família – Frei Almir Ribeiro Guimarães – Ed. Vozes. * Quando o futuro passa pela família – Frei Almir Ribeiro Guimarães – Ed. Vozes. * Família ... mas que família? – Frei Almir Ribeiro Guimarães – Ed. Vozes. * Em favor da família – Documentos da CNBB – Nº 3. * Creio na Família – Luiz Miguel Duarte – Ed. Paulinas.
  10. 10. * A missão da família no mundo de hoje - Exortação apostólica de J. Paulo II – E.Paulinas. * Hora da Família – Roteiros de reflexão, celebrações e testemunhos para famílias, grupos e escolas – Setor Família e Vida – CNBB. ENSINO RELIGIOSO DOS FILHOS NA ESCOLA A família é a primeira e fundamental escola de sociabilidade enquanto comunidade de amor. Ela encontra no dom de si a lei que a guia e a faz crescer. O Estado e a Igreja têm obrigação de prestar às famílias todos os meios possíveis a fim de que possam exercer adequadamente os seus deveres educativos. Mas, complementar ao direto, põe-se o grave dever dos pais de se empenhar com profundidade numa relação cordial e construtiva com os professores e os diretores das escolas. VIÚVOS, IDOSOS E ISOLADOS O apostolado da família irradiar-se-á com obras de caridade espiritual e material para com as outras famílias, especialmente aqueles mais necessitados de ajuda e de amparo, para com os pobres, os doentes, os mais idosos, os deficientes, os órfãos, as viúvas, os cônjuges abandonados. Colocamos aqui também trabalho a ser desenvolvido com casais e pessoas que já começaram a viver a terceira idade. Há culturas que manifestam uma veneração singular e um grande amor pelo ancião: longe de ser excluído da família ou de ser suportado como um peso inútil, o ancião continua inserido na vida familiar, tomando nela parte ativa e responsável, embora devendo respeitar a autonomia da nova família – e, sobretudo desenvolvendo a missão preciosa de testemunha do passado e de inspirador de sabedoria para os jovens e para o futuro. É necessário que a ação pastoral da Igreja estimule todos a descobrir e a valorizar as tarefas dos anciãos na comunidade civil e eclesial, e, em particular, na família. Na realidade, “a vida dos anciãos ajuda-nos a esclarecer a escala dos valores humanos; mostra a continuidade das gerações. Os anciãos têm além disso, o carisma de encher os espaços vazios entre gerações. Quantas crianças têm encontrado compreensão e amor nos olhos, nas palavras e nos carinhos dos anciãos!”. Assim, por força da sua natureza e vocação, longe de fechar-se em si mesma, a família abre-se às outras famílias e à sociedade, assumindo a sua tarefa social.
  11. 11. Em tal modo, a família cristã é chamada a oferecer a todos o testemunho de uma dedicação generosa e desinteressada pelos problemas sociais, mediante a “opção preferencial” pelos pobres e marginalizados. Por isso, progredindo no caminho do Senhor mediante uma predileção especial para com todos os pobres, deve cuidar especialmente dos esfomeados, dos indigentes, dos anciãos, dos doentes, dos drogados, dos sem família. Este Setor Pós-Matrimonial da Pastoral Familiar, dá vida à Igreja. Necessita de muitos operários qualificados, e, para tantos, precisam de formação. Sugestão de roteiros de reflexão com recém casados Primeiro modelo 07:30 - Acolhida, apresentação, oração inicial 08:00 - Palestra – Processo de adaptação e mudança de vida nos primeiros anos de casamento. 08:50 - Conversa a dois: O que ajudou a crescer e o que ainda é desafio? 09:20 - Conversa em grupo: Como vencer a dificuldades? Troca de experiências. 09:50 - Plenário 10:20 - Café 10:40 - Oração Final (Pode-se fazer uma bênção especial, renovando os compromissos assumidos no dia do casamento). Segundo modelo 07:30 - Acolhida, apresentação, oração inicial 08:10 - Objetivo (porque estamos reunidos) 08:25 - Palestra – Sonhos e desilusões comuns ao pós matrimônio (Balanço da vida a dois). 09:00 - Dinâmica (mostrar as diferenças e a necessidade de respeitar as limitações). 09:20 - Conversa a dois ou em grupo: Em que somos diferentes e como conviver melhor com essas diferenças. 09:50 - Café 10:10 - Palestra - Enfocar problemas como o alcoolismo, influência dos meios de comunicação na vida familiar, necessidade de oração em família.
  12. 12. 10:50 - Oração final (preparar momentos de orações espontâneas, de louvor e agradecimento; bênção especial para os casais). Livros que poderão ajudar nos trabalhos com recém casados; * A Missão da família no mundo de hoje (Exortação Apostólica de João Paulo II) * Casados há pouco tempo – Frei Almir Ribeiro Guimarães – Editora Vozes. * Os sacramentos em sua vida – José Bortolini – Ed. Paulinas. * E a família como vai ? Dom Rafael Llano Cifuentes- * 85 Experiências de Amor - Dom Rafael Llano Cifuentes * As crises conjugais - Dom Rafael Llano Cifuentes - Ed. Quadrante * FAMÍLIA – Conflitos & Realizações - Dom Rafael Llano Cifuentes * Quando o assunto é família. * E eles se deram às mãos ... Frei Almir Ribeiro Guimarães – Editora Vozes. * Família e Catequese de Frei Almir Ribeiro Guimarães –Editora Santuário * Moral Cristã - Temas para o dia-a -dia- Frei Nilo Agostín i- Ed.Vozes * Cartilha da Arquidiocese de Vitória e de Montes Claros - Pós- Matrimonial * Hora da Família- CNBB * Esta Nossa Aliança - Orientações Práticas p/ Recém-casados – Renée Bartkowski Ed Santuário * Nós, Eu e Você - Dinâmicas e Vivências p/ recém-casados - Sônia Biffi e Rosabel de Chiaro Editora Paulus Sugestão de roteiros de reflexão com os pais dos noivos(as)
  13. 13. Modelo da Paróquia dos Sagrado Coração de Jesus – Méier - 4ª forania Já implantado em algumas Paróquias do Vicariato Norte - Arquidiocese do Rio de Janeiro - LESTE 1 PASTORAL FAMILIAR SETOR PÓS MATRIMONIAL ENCONTRO COM OS PAIS DOS(as) NOIVOS(as) ACOLHIDA Noivos (Pais) • Organizar mesas separadas Com placas Indicativas Noivas (Pais) Importante: Aproveitar nesta hora para preencher as seguintes fichas:
  14. 14. • Livro ou lista de Presença - Crachás • Caso a paróquia tenha algum Movimento ou Serviço familiar pode colocar A ficha na mesa para ser preenchido caso algum dos participantes queira fazer. Todos são encaminhados para a sala que será realizada o Encontro, quando serão recepcionados pela Equipe da Pastoral Familiar com um lanche. (15 min) ÁGUA – REFRIGERANTES CAFÉ COM E SEM AÇÚCAR LANCHE - MATE CHOCOLATE SANDUICHES OU BOLO BISCOITOS SALGADO E DOCE Na sala do Encontro: * Perto dos palestrantes: Mesa baixa c/ toalha branca; Jarro com flores; Jarra com água e copo; Microfone e uma mesa alta de palestra • Todos da equipe com crachás. • As cadeiras posicionadas em círculo ou como um auditório depende do número de participantes.
  15. 15. PRIMEIRA ETAPA 1º PALESTRA: - (40 min.) É feita pelo Sacerdote: Que se apresenta e convida a todos para rezarem juntos a oração do Divino Espírito Santo. (a cópia da oração deve ser entregue a cada pessoa que chegar.) Fala da importância da colaboração dos pais para que seus filhos sejam realizados e felizes no casamento, respeitando a privacidade, a individualidade e a opinião dos filhos. • Ler o Evangelho: Segundo São João 15, 9 à 15 • Importante é que os dois se amam (Noivos); • Os pais sempre abençoarem seus filhos; • Ter um coração manso e humilde; • Pais e mães são os sacerdotes da celebração da igreja doméstica; • Conversar sobre o assunto que desagradou após algum tempo (nora / genro / sogros); • Aprender a ser sogra e sogro – Respeitar o gosto e a individualidade de cada um; • Quando nascerem os netos, não esquecerem de quem tem que cuidar da criança são os pais e os avós somente contribuindo para ajudá-los; • Permitam que os filhos eduquem seus netos como eles acham que é o correto;
  16. 16. ACREDITAR NA FAMÍLIA É ACREDITAR NO FUTURO • No término o sacerdote convida a todos a levantarem e cantarem a oração pela família.... (brincando um pouco com todos.... quem canta reza duas vezes...) (Todos com uma folha de canto) 2º PALESTRA: - (40 min.) É feita por um casal palestrante da pastoral. • Falam sobre ser sogro e sogra; • Respeitar a individualidade da cada um; • Entender que os filhos não são nossos (no sentido de possuir); • Sempre nos manter neutros em uma discórdia do casal; • Entender que mesmo com o casamento eles continuam nossos filhos; • Entender que com o casamento dos nossos filhos ganhamos um filho; • Perguntar a todos se já pensaram em que vão fazer com o quarto e a cama do seu filho que vai casar? Quarto de Costura; - Dar exemplos: Escritório; Sala de Televisão; • O que faremos com o nosso tempo depois que do casamento de nossos filhos? Outra Lua de Mel; Viajar;
  17. 17. Trabalho de Voluntários; - Dar exemplos: (Não chegaremos a Deus sem ajudar ao próximo) Ginástica; Dança de salão.... • Aproveitar a 3ª idade que é a melhor coisa; • Aceitar a individualidade de cada um não dando opinião nos assuntos que interessa somente ao casal, mas deixando claro que não é omissão, deveremos definir um ponto de equilíbrio; • Importante: Sempre seremos uma visita na casa dos filhos.... Que a casa dos nossos filhos não seja tão perto que possamos ir de chinelo e nem tão longe que teremos que fazer as malas; Incentivar Sempre • Que nossos filhos busquem sempre a presença de Deus na família e na vida deles. • Que nossos filhos tenham um tempo para Deus independente de cada credo, mas que a presença de Deus seja presente nos lares dos nossos filhos e não somente na hora do aperto; • Amor dos pais. O exemplo que os pais tens uns com os outros, O bom exemplo sempre permanecem na cabeça de nossos filhos; • A melhor felicidade nossa é ver nossos filhos felizes; • Muito ajuda aquele que não atrapalha”
  18. 18. SEGUNDA ETAPA Dinâmica em Grupo - (30 min.) Importante: Nunca colocar no mesmo grupo pais do noivo e noiva juntos. Agradecer a todos por terem aceitado o convite e participarem das palestras. Falar um pouco da pastoral;. • Brincar um pouco sobre a palavra “sogra” e “sogro”; • Falar que toda mulher tem um pouco de “Maria”; • Falar que todo homem tem um pouco de “José”; • Apresentação de todos; • Eleger um secretário que anotará todas as respostas o É entregue a cada casal uma folha contendo três perguntas:
  19. 19. Questões para Reflexão: 1) O que vai mudar na vida dos pais com o casamento dos filhos? 2) O que fazer para superar as separações entre pais e filhos com o casamento? 3) Como nós pais poderemos ajudar os nossos filhos a serem mais felizes? Quando terminar a reflexão o casal coordenador distribui uma rosa e cartão de lembrança para cada casal Após a reflexão todos voltam para a sala de palestra - cantando Lanche - (15 min) ÚLTIMA ETAPA - (30 min.) O casal palestrante convida a todos para o fechamento e começam a cantar - (lembrar de fazer folha de canto ou o livro de cantos) • O casal começa a pedir que cada um fale um pouquinho sobre a mudança que ocorrerá com o casamento de seus filhos; • Deixar cada um se colocar diante da pergunta;
  20. 20. • Perguntar se gostaram e se valeu a pena o Encontro... • Desejar a todos que seus filhos sejam felizes.... Todos da pastoral se apresentam e cantam novamente. • Um casal da pastoral lê uma mensagem de Khalil Gibran “Os filhos”; • Um casal da pastoral faz a oração final. Todos se despedem. Importante: • Fazer convites para ser entregue no dia da inscrição dos noivos e confirmar com os noivos caso a Preparação para a Vida Matrimonial ( Encontro dos noivos) seja feita em dois ou mais dias. Caso contrário telefone e confirma o Encontro. • Fazer a palestra uma semana após o encontro dos noivos ou conforme a realidade de sua paróquia, ( algumas paróquias fazem no último dia do Encontro com os noivos, e todos participam da Missa de encerramento) • Fazer lembranças para serem distribuídas para os pais dos noivos • Tirar fotos de todas as etapas;
  21. 21. • Verificar quem pode tocar violão e cantar; PASTORAL FAMILIAR- SETOR PÓS - MATRIMONIAL ENCONTRO DE PAIS DE NOIVOS QUESTÕES PARA REFLEXÃO - (GRUPOS) 1) O que vai mudar na vida dos pais com o casamento dos filhos? 2) O que fazer para superar as separações entre pais e filhos com o casamento?
  22. 22. 3) Como nós pais podemos ajudar os nossos filhos a serem mais felizes? Observação:
  23. 23. O ENCONTRO COM OS PAIS DOS NOIVOS FOI CRIADO NA PARÓQUIA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS – 4ª forania do Vicariato Norte- PE Aloísio Nós pedimos autorização ao PE Aloísio, para copilarmos quando ainda éramos coordenadores do Vicariato Norte da arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro Telma e Iracy Faria Setor Pós - Matrimonial PASTORAL FAMILIAR ENCONTRO DE PAIS DE NOIVOS MENSAGEM KHALIL GIBRAM
  24. 24. E uma mulher que carregava seu filho nos braços disse: “Fala-nos dos filhos”. E o profeta disse: “Vossos filhos não são vossos filhos. São os filhos e as filhas da ânsia da Vida por si mesma. Vêm através de vós mas não de vós. E embora vivam convosco, não vos pertencem. Podeis outorgar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos. Porque eles têm seus próprios pensamentos. Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas; Pois suas almas moram na mansão do amanhã, que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho. Podeis esforçar-vos por ser como eles, mas não procureis fazê-los como vós; Porque a vida não anda para trás e não se demora co os dias passados. Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas. O arqueiro mira o alvo na senda do infinito e vos estica com toda Sua força para que Suas flechas se projetem, rápidas e para longe.
  25. 25. Que vosso encurvamento na mão do Arqueiro seja vossa alegria; Pois assim como Ele ama a flecha que voa, também ama o arco que permanece estável” VAMOS RELEMBRAR ALGUNS PONTOS DO SETOR PÓS - MATRIMONIAL DA PASTORAL FAMILIAR
  26. 26. • Devemos intensificar a atividade pastoral junto aos recém-casados, objetivando uma constante revisão e fortalecimento dos valores e compromissos matrimoniais orientando para a oração pessoal e familiar, estimulando a formação e as publicações cristãs e documentos do Magistério da Igreja. • Intensificar a educação para o amor nas nossas famílias, sobretudo nas atividades que venham estimular o diálogo em família, diálogo que dimensões: racional, sempre que haja desentendimento entre membros efetivo, através de gestos de carinho e ternura, físico, através de serviços prestados uns aos outros; e sobretudo na forma de oração em família. • Despertar nas famílias para a força social que elas possuem, que poderá ser através de associações que lutam pelo devido respeito de seus direitos inclusive, o direito de , subsidiariamente ao Estado, exercer seu papel de agente e protagonista na construção de uma sociedade mais justa e solidificada. • Estimular o senso crítico diante das informações apresentadas pelos meios de comunicação social, aliada à atitude ativa de boicote e denúncia de programas que agridem os valore familiares. • Desta forma cuidando, defendendo e promovendo vida nova para as novas famílias, dom extraordinário de Deus e melhor investimento do milênio têm a convicção que estamos preparando o presente mais importante para o homem e mulher e a razão maior para a esperança da humanidade, porque afinal “Acreditar na Família é Construir o Futuro” João Paulo II
  27. 27. BIBLIOGRAFIA GERAL * Familiaris Consortio - A Missão da família no mundo de hoje
  28. 28. (Exortação Apostólica de João Paulo II) * A Dignidade e a Vocação da Mulher - Carta Apostólica de João Paulo II * Evangelium Vitae - Carta Encíclica de João Paulo II – Sobre o Valor e a Inviolalibilidade da Vida Humana * Carta às Famílias de João Paulo II * Sexualidade Humana: Verdade e Significado – Documento 150 * Cartilha da Arquidiocese de Vitória e de Montes Claros – Pós - Matrimonial * E a família como vai? - Dom Rafael Llano Cifuentes * 85 Experiências de Amor - Dom Rafael Llano Cifuentes * As crises conjugais - Dom Rafael Llano Cifuentes - Ed. Quadrante * FAMÍLIA – Conflitos & Realizações - Dom Rafael Llano Cifuentes * Quando o assunto é família.- Dom Rafael Llano Cifuentes * Moral Cristã - Temas para o dia- a -dia - Frei Nilo Agostini - Ed.Vozes * Casados há pouco tempo ... Frei Almir Ribeiro Guimarães – Editora Vozes * E eles se deram às mãos ... Frei Almir Ribeiro Guimarães – Editora Vozes * Família e Catequese ... Frei Almir Ribeiro Guimarães – Editora Santuário * Família e Evangelização – A Boa Nova do casamento e da família ... Frei Almir Ribeiro Guimarães – Ed. Vozes. * Família ... mas que família? ... Frei Almir Ribeiro Guimarães – Ed. Vozes. * Quando o futuro passa pela família ... Frei Almir Ribeiro Guimarães – Ed. Vozes. * Os sacramentos em sua vida – José Bortolini – Ed. Paulinas. * Esta Nossa Aliança - Orientações Práticas p/ Recém-casados – Renée Bartkowski Ed Santuário * Nós, Eu e Você - Dinâmicas e Vivências para recém-casados - Sônia Biffi e Rosabel de Chiaro
  29. 29. Editora Paulus * Casais a caminho – Ed. Loyola - Pe. José de Souza Primo e Frei Diogo Luis Fuitem. * Em favor da família – Documentos da CNBB – Nº 3. * Creio na Família – Luiz Miguel Duarte – Ed. Paulinas. PUBLICAÇÕES DE INTERESSE DA FAMÍLIA E DA VIDA da Comissão Nacional da Pastoral Familiar CNPF Comissão Episcopal Pastoral Para a Vida e a Família- CNBB • Diretório da Pastoral Familiar • Educação para o amor • Diálogo em 4 Dimensões • A Missão da Família Cristã no Mundo de Hoje • I Fórum “ Questões de Bioética • Revista VIDA E FAMÍLIA – revista trimestral com assinatura anual • Hora da Família – Roteiros de reflexão, celebrações e testemunhos para famílias, grupos e escolas – Setor Família e Vida – CNBB. • VIDA: O Primeiro direito da cidadania • A Dignidade da Vida Humana e as Biotecnologias • Guia de Implantação da Pastoral Familiar na Paróquia • Guia de Preparação para a Vida Matrimonial • Casos Especiais • Visão Global
  30. 30. 11 LESTE 1 SETOR PÓS MATRIMONIAL No Gênesis está escrito:.”E o homem disse: Desta vez é carne de minha carne e osso dos meus ossos; chamar-se-á mulher, porque foi tirada do homem” (Gn 2,23) “Nenhum plano de pastoral orgânica, a qualquer nível que seja, pode prescindir da Pastoral Familiar” (Familiais Consortio “nº70)”. -“ A Pastoral Familiar, longe de ter perdido o seu caráter prioritário, revela-se hoje ainda mais urgente..” ( Puebla, nº 570) Fazendo uma pesquisa, de maneira direta e simples, descobrimos a ânsia generalizada de uma Preparação mais ampla e séria, não apenas para o casamento, mas para TODA A VIDA FAMILIAR. Não se pedia um novo Manual para Preparação para a Vida Matrimonial (Curso de noivos), mas, o desenvolvimento de temas, dinâmicas, retiros, acompanhamentos, aconselhamentos, que viessem a preencher lacunas enormes na fase Pós Matrimonial. (Dom Eusébio Oscar Scheid,S.C.J-Preparação para o casamento e para a Vida Familiar- Editora Santuário Setor Pós – Matrimonial: deverá desenvolver um trabalho buscando o entrosamento com as equipes da Pastoral do Batismo (pais e padrinhos), equipes da Pastoral da Catequese (pais ou responsáveis das crianças da Catequese), grupos da Pastoral da Crisma (pais dos crismandos) grupos da Terceira Idade; para melhor atender as necessidades de cada família, Viúvas(os), Encontros com Gestantes, Núcleo Pró-Família – Métodos naturais de planejamento familiar - Paternidade e Maternidade responsáveis- Atendimentos a famílias da comunidade.
  31. 31. Dentro deste setor poderão ser desenvolvidos: * Atendimento a grupos familiares (jovens recém-casados, casados há mais tempo, grupos de reflexão, círculos bíblicos, missão popular, entre outros. * Atendimento aos pais que pedem o batismo, a 1ª Eucaristia e crisma dos filhos. * Atendimento a formação religiosa nas escolas.(Trabalho feito junto com a Pastoral da Educação) * Retiros com casais ou com toda a família junta. (Igreja doméstica) * Atendimento e assistência aos pais e padrinhos dos noivos. Compete ainda aos agentes de Pastoral Familiar anunciar com alegria e convicção a “Boa Nova” acerca da família, que tem necessidade absoluta de ouvir e de compreender sempre mais profundamente as palavras autênticas da sua missão. Na ação pastoral para com as famílias novas (recém – casados), a Igreja deverá prestar uma atenção específica (especial) para as educar, a viver responsavelmente o amor conjugal em relação, com as exigências de comunhão e de serviço à vida, como também a conciliar a intimidade da vida de casa com a obra comum e generosa de edificar a Igreja e a sociedade humana. A partir da decisão do casamento um homem e uma mulher, um jovem e uma jovem, passam a viver uma experiência comunitária original, sentindo que precisam amar e necessitando receber amor. Tendo como ponto de partida o encontro desse homem e dessa mulher. Os jovens que se casam não entram numa “camisa de força”, mas num espaço densamente humano de mútuo dom. Trata-se de uma comunidade baseada no amor e promotora da vida. A vida deverá borbulhar no relacionamento dos esposos e explorar na chegada dos filhos que serão iniciados na vida. Quando, da vinda dos filhos, o casal se torna em sentido pleno e específico de uma família, para que os acolham e os amem a luz do dom recebido do Senhor da vida, assumindo com alegria a fadiga de os servir no seu crescimento humano e cristão. RECÉM – CASADOS
  32. 32. Os primeiros anos de casamento são muito importantes, são os decisivos na relação. São nos primeiros anos de casamento que se devem exercer uns zelos pastorais especiais. Primeiro porque as pessoas não estão bem preparadas para assumir o matrimônio; segundo porque muitos casam já com um filho que está chegando. Esses casados há pouco tempo têm que vencer as dificuldades da adaptação. Depois tem a questão do primeiro filho, a questão das decisões para o futuro. O próprio amor é uma vocação para prescindir das coisas que os esposos farão. É a vida dos dois esposos que é chamada a ser o referencial para os homens conhecerem a Deus, e por Deus se fazerem conhecer aos homens. A primeira missão do casal é se amarem (e amar-se é crescer juntos, saber dialogar, reconciliar-se, acolher-se na diversidade). Que os jovens cônjuges saibam acolher cordialmente e inteligentemente valorizar a ajuda discreta, delicada e generosa de outros casais que já há tempo fazem a mesma experiência do matrimônio e da família. Desse modo, as famílias jovens não se limitarão só a receber, mas por sua vez, assim ajudadas, tornar-se-ão fonte de enriquecimento para outras famílias, há tempo constituídas, com o seu testemunho de vida e a sua contribuição de fato. A Pastoral Familiar há de cuidar da formação dos futuros esposos e do acompanhamento dos cônjuges, sobretudo, nos primeiros anos de sua vida matrimonial. Sugestão de trabalho com recém - casados • Grupos de reflexão e ação. • Retiros e manhãs de estudos com temas familiares. • Encontros de Vivências e dinâmicas para recém casados(Livro Nós, Eu e Você Ed Paulus) Temas para reuniões de reflexão com os recém casados Retrospectiva - Texto Bíblico: Lc. 14. 28-33 Levar os casais a se situarem diante do que se passou: o namoro, o noivado, para começar o trabalho. Reunião descontraída, com simplicidade e acolhida. Desenvolver o tema e trabalhar em grupo. * Partilhar as experiências durante o tempo de namoro e do noivado.
  33. 33. * Partilhar lembranças do dia do casamento. O que se lembram da cerimônia do sacramento do matrimônio? * Quais os motivos mais profundos que levaram vocês ao casamento? * O que se pode esperar de reuniões de um grupo de pessoas casadas há pouco tempo? Ajustes - Texto Bíblico: 1 Cor. 13, 1-13 Adaptação de vida em comum, descobrimento de defeitos, pequenas decepções, primeiros choques e primeiras crises. Desenvolver o tema e partilhar em grupo: * O que fazer para superar as dificuldades que aparecem na vida a dois? * Das falhas citadas, qual a mais difícil de ser combatida? Por que? * Você tem alguma experiência sobre o assunto que possa ajudar o grupo? Conte-a. * Você sabe perdoar? Sogros e Sogras - Texto Bíblico: Eclo. 3, 1-18: Rute 1, 15-18 Dificuldades no relacionamento com pais e sogros, interferência dos pais e sogros na vida do casal, convivência harmoniosa das famílias do casal. Desenvolver o tema e partilhar em grupo: * O que vocês entendem por Igreja doméstica. * O que seria efetivamente a oração conjugal? * Como se festeja o Natal, a Páscoa em suas famílias de origem? Que lembranças guardam da festa religiosas de sua infância?
  34. 34. * Vocês já se sentem chamados a um trabalho concreto em sua comunidade? * Que lugar a missa ocupa na vida de vocês? Têm dificuldades em participar dela? Chegada do primeiro filho – Texto Bíblico: Lc. 2, 4-21 Fazer com que percebam a profundidade do compromisso assumido no sacramento do matrimônio, no que refere a aceitar os filhos que Deus mandar. Necessidade de esperar o filho com amor, ter firmeza para serem responsáveis, viver a gravidez a dois. Desenvolver o tema e partilhar em grupo. * O grande objetivo do matrimônio é a felicidade do casal. O que a chegada do primeiro filho significa neste objetivo? Citem quatro comportamentos fundamentais do pai em relação à mãe durante o período da gravidez. * O ambiente da família, a exemplo dos pais educa mais que as palavras; concordam? * Vocês já pensaram no compromisso que fizeram diante do altar de receber os filhos que Deus lhes confiar, educando-os na lei de Deus e da Igreja? Como? Decisões e projeto de vida a dois – Texto Bíblico: Colocessenses 3, 12-17 Matrimônio como construção permanente, ajuda mútua, procura da felicidade um do outro, estar atento aos sinais que se apresentam para quebrar a harmonia da vida familiar: desleixo com a aparência, acomodações, exagerada atenção aos amigos, tomada de decisões individuais, maneira de se gastar o dinheiro, ciúmes etc ... Desenvolver o tema e partilhar em grupo: * Vocês acham que os primeiros anos de casamento têm dificuldades particulares? * Será que há mesmo uma crise no casamento em seus primeiros anos? * Vocês percebem que estão colocando em comum suas tradições familiares? * Como vocês estão tomando as decisões importantes de suas vidas?
  35. 35. * Que lhes parece importante fazer para superar algumas crises ou dificuldades do casamento? Família cristã – Texto Bíblico: - Ef. 4, 17-32 O amor deve ser o motor que impulsiona a vida da família, entrega mútua para uma união duradoura; família como lugar acolhedor, sem exclusão, cada um com o seu papel; família aberta para acolher a todos, vivenciando os valores cristãos. Desenvolver o tema e partilhar em grupo: * O que é pra vocês a definição da família como uma comunidade de vida e de amor? * Em que sentido a família é lugar de encontro e de formação de pessoas? * Como os membros de uma família podem, praticamente, viver o encontro? * O que significa construir uma civilização do amor e como a família pode dar a sua contribuição para tanto? PAIS DA CATEQUESE / BATISMO / CRISMA Outro campo de trabalho são os pais que pedem o batismo de seus filhos, Crisma, na Primeira Eucaristia e catequese em geral. Lá na preparação remota foi feito um trabalho com as crianças na catequese, crisma, jovem. Aqui o trabalho é com os pais dos batizados, pais das crianças da catequese, crisma. A preocupação deve estar com a família. Conversar e refletir com os pais. Um trabalho com os pais deve ser feito sempre em colaboração com os (as) catequistas, com a coordenação, com criatividade e bom senso. OBJETIVO Evangelizar os pais ou responsáveis para que a Primeira Comunhão da criança, seja a Primeira de infinitas comunhões, assim, a família participando da Missa, e crescendo na fé, poderá ser luz para outras pessoas, atendendo a Jesus que disse: “Ide e evangelizai”
  36. 36. e ao Papa João Paulo II: “O futuro da humanidade passa pela família”. Fortalecer a vida da Igreja e da sociedade a partir da família: enriquecê-la a partir da catequese familiar, a oração no lar, a Eucaristia, a participação no sacramento da Reconciliação, o conhecimento da Palavra de Deus. Para se fermento na Igreja e na sociedade. Pela força do ministério da educação, os pais, mediante o testemunho de vida, são os primeiros arautos do Evangelho junto dos filhos. Ainda mais, rezando com os filhos, dedicando-se com eles à leitura da Palavra de Deus. Eduquem-se de preferência os esposos para uma paternidade responsável que os capacite não só para uma honesta regulação da fecundidade e para incrementar o gozo de sua complementaridade, mas também para fazer deles bons formadores de seus filhos (P 609). A lenta e prazerosa educação da família sempre importam em sacrifício, recordação da cruz redentora. Mas a íntima felicidade que dá aos pais; recorda-lhes também a ressurreição. Evangelizar não é só ler a Bíblia, mas, a partir dela, trocar palavras de admiração , consolo, correção, luz, segurança. À medida que a família cristã acolhe o Evangelho e amadurece na fé, torna-se comunidade evangelizadora. Diz Paulo VI: “A família, como a Igreja, deve ser um lugar onde se transmite o Evangelho e donde o Evangelho irradia”. Portanto, no interior de uma família consciente desta missão, todos os componentes evangelizam e são evangelizados. Uma tal família torna-se, então, evangelizadora de muitas outras famílias e do ambiente no qual está inserida”. Também a fé e a missão evangelizadora da família cristã, prosseguem este alento missionário católico. O sacramento do matrimônio que retorna e volta a propor o dever, radicado no batismo e na confirmação, de defender e difundir a fé, constitui os cônjuges e os pais cristãos testemunhas de Cristo até os confins do mundo, verdadeiros e próprios missionários do amor e da vida. Sugestões de trabalhos. Convidar os pais de primeira Eucaristia, de Batismo, da Crisma, dos adolescentes, dos jovens, namorados, noivos e pais de escola, para uma reflexão mensal sobre a caminhada dos seus filhos, com temas familiares, acompanhamento do trabalho que vê sendo realizado.
  37. 37. É um momento de evangelização dos pais e da família. Os temas podem ser os mesmos que os filhos vem estudando na preparação de eucaristia, crisma, etc ... Livros que podem ajudar neste trabalho: * Primeira eucaristia, os pais também se preparam. * Como fazer catequese com os pais – Editora Ave Maria (Diocese de Tubarão – SC) * Casais em reflexão Vol. 1 e 2 – Ed. Paulinas – Antonio M. Fernandes. * Amor sem limites (Parábola do Pai Misericordioso) Ed. Paulinas. * Aprenda a ouvir – Ed. Fala Povo – Gerson Abarca Silva e Jonas Nunes Coutinho. RETIROS E ENCONTROS DE CASAIS Ainda pode entrar o retiro para casais, um domingo com as famílias e coisas deste tipo. Ter momentos de espiritualidade conjugal e familiar, que se inspire nos motivos da criação, da aliança, da cruz, da ressurreição. Para viver um amor radical, gratuito, não bastam às forças humanas, não basta o empenho. Este amor nasce do alto. Jeremias tem uma frase belíssima: “Colocarei minha lei em seu peito e a escreverei em seu coração, eu serei o Deus deles, e eles serão o meu povo” (Jr 31, 33) “Darei para vocês um coração novo, e colocarei um espírito novo dentro de vocês. Tirarei de vocês o coração de pedra, e lhes darei um coração de carne”. (Ez 36,26). O casal é chamado a ter um relacionamento constante e amoroso com Deus, com a sua Palavra. A sua palavra é fogo que inflama. Deve haver um contínuo relacionamento de intimidade e de escuta de Deus.Os casais sedentos das coisas de Deus são aqueles que se tornarão os grandes evangelizadores do casamento e da família no seio da Igreja. A Pastoral Familiar deverá promover encontros regulares para servir às famílias e aos casais. Fazer tarde ou manhãs de formação abertas a todos os casais da comunidade. Temas para manhãs de reflexão com os casais: * Deus em nossas vidas. * Espiritualidade conjugal e fidelidade.
  38. 38. * Amor e diferenças entre marido e mulher. * Família, igreja e sociedade. * Bíblia, luz em nossa família. * Família missionária. * Ciúmes e harmonia conjugal. Livros que podem ajudar nos trabalhos com os casais: * Casais a caminho – Ed. Loyola - Pe. José de Souza Primo e Frei Diogo Luis Fuitem. * Família e Evangelização – A Boa Nova do casamento e da família – Frei Almir Ribeiro Guimarães – Ed. Vozes. * Quando o futuro passa pela família – Frei Almir Ribeiro Guimarães – Ed. Vozes. * Família ... mas que família? – Frei Almir Ribeiro Guimarães – Ed. Vozes. * Em favor da família – Documentos da CNBB – Nº 3. * Creio na Família – Luiz Miguel Duarte – Ed. Paulinas. * A missão da família no mundo de hoje - Exortação apostólica de J. Paulo II – E.Paulinas. * Hora da Família – Roteiros de reflexão, celebrações e testemunhos para famílias, grupos e escolas – Setor Família e Vida – CNBB. ENSINO RELIGIOSO DOS FILHOS NA ESCOLA A família é a primeira e fundamental escola de sociabilidade enquanto comunidade de amor. Ela encontra no dom de si a lei que a guia e a faz crescer. O Estado e a Igreja têm obrigação de prestar às famílias todos os meios possíveis a fim de que possam exercer adequadamente os seus deveres educativos. Mas, complementar ao direto, põe-se o grave dever dos pais de se empenhar com profundidade numa relação cordial e construtiva com os professores e os diretores das escolas.
  39. 39. VIÚVOS, IDOSOS E ISOLADOS O apostolado da família irradiar-se-á com obras de caridade espiritual e material para com as outras famílias, especialmente aqueles mais necessitados de ajuda e de amparo, para com os pobres, os doentes, os mais idosos, os deficientes, os órfãos, as viúvas, os cônjuges abandonados. Colocamos aqui também trabalho a ser desenvolvido com casais e pessoas que já começaram a viver a terceira idade. Há culturas que manifestam uma veneração singular e um grande amor pelo ancião: longe de ser excluído da família ou de ser suportado como um peso inútil, o ancião continua inserido na vida familiar, tomando nela parte ativa e responsável, embora devendo respeitar a autonomia da nova família – e, sobretudo desenvolvendo a missão preciosa de testemunha do passado e de inspirador de sabedoria para os jovens e para o futuro. É necessário que a ação pastoral da Igreja estimule todos a descobrir e a valorizar as tarefas dos anciãos na comunidade civil e eclesial, e, em particular, na família. Na realidade, “a vida dos anciãos ajuda-nos a esclarecer a escala dos valores humanos; mostra a continuidade das gerações. Os anciãos têm além disso, o carisma de encher os espaços vazios entre gerações. Quantas crianças têm encontrado compreensão e amor nos olhos, nas palavras e nos carinhos dos anciãos!”. Assim, por força da sua natureza e vocação, longe de fechar-se em si mesma, a família abre-se às outras famílias e à sociedade, assumindo a sua tarefa social. Em tal modo, a família cristã é chamada a oferecer a todos o testemunho de uma dedicação generosa e desinteressada pelos problemas sociais, mediante a “opção preferencial” pelos pobres e marginalizados. Por isso, progredindo no caminho do Senhor mediante uma predileção especial para com todos os pobres, deve cuidar especialmente dos esfomeados, dos indigentes, dos anciãos, dos doentes, dos drogados, dos sem família. Este Setor Pós-Matrimonial da Pastoral Familiar, dá vida à Igreja. Necessita de muitos operários qualificados, e, para tantos, precisam de formação. Sugestão de roteiros de reflexão com recém casados Primeiro modelo
  40. 40. 07:30 - Acolhida, apresentação, oração inicial 08:00 - Palestra – Processo de adaptação e mudança de vida nos primeiros anos de casamento. 08:50 - Conversa a dois: O que ajudou a crescer e o que ainda é desafio? 09:20 - Conversa em grupo: Como vencer a dificuldades? Troca de experiências. 09:50 - Plenário 10:20 - Café 10:40 - Oração Final (Pode-se fazer uma bênção especial, renovando os compromissos assumidos no dia do casamento). Segundo modelo 07:30 - Acolhida, apresentação, oração inicial 08:10 - Objetivo (porque estamos reunidos) 08:25 - Palestra – Sonhos e desilusões comuns ao pós matrimônio (Balanço da vida a dois). 09:00 - Dinâmica (mostrar as diferenças e a necessidade de respeitar as limitações). 09:20 - Conversa a dois ou em grupo: Em que somos diferentes e como conviver melhor com essas diferenças. 09:50 - Café 10:10 - Palestra - Enfocar problemas como o alcoolismo, influência dos meios de comunicação na vida familiar, necessidade de oração em família. 10:50 - Oração final (preparar momentos de orações espontâneas, de louvor e agradecimento; bênção especial para os casais). Livros que poderão ajudar nos trabalhos com recém casados; * A Missão da família no mundo de hoje (Exortação Apostólica de João Paulo II) * Casados há pouco tempo – Frei Almir Ribeiro Guimarães – Editora Vozes. * Os sacramentos em sua vida – José Bortolini – Ed. Paulinas. * E a família como vai ? Dom Rafael Llano Cifuentes- * 85 Experiências de Amor - Dom Rafael Llano Cifuentes * As crises conjugais - Dom Rafael Llano Cifuentes - Ed. Quadrante * FAMÍLIA – Conflitos & Realizações - Dom Rafael Llano Cifuentes
  41. 41. * Quando o assunto é família. * E eles se deram às mãos ... Frei Almir Ribeiro Guimarães – Editora Vozes. * Família e Catequese de Frei Almir Ribeiro Guimarães –Editora Santuário * Moral Cristã - Temas para o dia-a -dia- Frei Nilo Agostín i- Ed.Vozes * Cartilha da Arquidiocese de Vitória e de Montes Claros - Pós- Matrimonial * Hora da Família- CNBB * Esta Nossa Aliança - Orientações Práticas p/ Recém-casados – Renée Bartkowski Ed Santuário * Nós, Eu e Você - Dinâmicas e Vivências p/ recém-casados - Sônia Biffi e Rosabel de Chiaro Editora Paulus Sugestão de roteiros de reflexão com os pais dos noivos(as) Modelo da Paróquia dos Sagrado Coração de Jesus – Méier - 4ª forania Já implantado em algumas Paróquias do Vicariato Norte - Arquidiocese do Rio de Janeiro - LESTE 1 PASTORAL FAMILIAR SETOR PÓS MATRIMONIAL ENCONTRO COM OS PAIS DOS(as) NOIVOS(as)
  42. 42. ACOLHIDA Noivos (Pais) • Organizar mesas separadas Com placas Indicativas Noivas (Pais) Importante: Aproveitar nesta hora para preencher as seguintes fichas: • Livro ou lista de Presença - Crachás • Caso a paróquia tenha algum Movimento ou Serviço familiar pode colocar A ficha na mesa para ser preenchido caso algum dos participantes queira fazer. Todos são encaminhados para a sala que será realizada o Encontro, quando serão recepcionados pela Equipe da Pastoral Familiar com um lanche. (15 min) ÁGUA – REFRIGERANTES CAFÉ COM E SEM AÇÚCAR LANCHE - MATE CHOCOLATE SANDUICHES OU BOLO BISCOITOS SALGADO E DOCE
  43. 43. Na sala do Encontro: * Perto dos palestrantes: Mesa baixa c/ toalha branca; Jarro com flores; Jarra com água e copo; Microfone e uma mesa alta de palestra • Todos da equipe com crachás. • As cadeiras posicionadas em círculo ou como um auditório depende do número de participantes. PRIMEIRA ETAPA 1º PALESTRA: - (40 min.) É feita pelo Sacerdote:
  44. 44. Que se apresenta e convida a todos para rezarem juntos a oração do Divino Espírito Santo. (a cópia da oração deve ser entregue a cada pessoa que chegar.) Fala da importância da colaboração dos pais para que seus filhos sejam realizados e felizes no casamento, respeitando a privacidade, a individualidade e a opinião dos filhos. • Ler o Evangelho: Segundo São João 15, 9 à 15 • Importante é que os dois se amam (Noivos); • Os pais sempre abençoarem seus filhos; • Ter um coração manso e humilde; • Pais e mães são os sacerdotes da celebração da igreja doméstica; • Conversar sobre o assunto que desagradou após algum tempo (nora / genro / sogros); • Aprender a ser sogra e sogro – Respeitar o gosto e a individualidade de cada um; • Quando nascerem os netos, não esquecerem de quem tem que cuidar da criança são os pais e os avós somente contribuindo para ajudá-los; • Permitam que os filhos eduquem seus netos como eles acham que é o correto; ACREDITAR NA FAMÍLIA É ACREDITAR NO FUTURO • No término o sacerdote convida a todos a levantarem e cantarem a oração pela família.... (brincando um pouco com todos.... quem canta reza duas vezes...) (Todos com uma folha de canto) 2º PALESTRA: - (40 min.) É feita por um casal palestrante da pastoral. • Falam sobre ser sogro e sogra; • Respeitar a individualidade da cada um; • Entender que os filhos não são nossos (no sentido de possuir);
  45. 45. • Sempre nos manter neutros em uma discórdia do casal; • Entender que mesmo com o casamento eles continuam nossos filhos; • Entender que com o casamento dos nossos filhos ganhamos um filho; • Perguntar a todos se já pensaram em que vão fazer com o quarto e a cama do seu filho que vai casar? Quarto de Costura; - Dar exemplos: Escritório; Sala de Televisão; • O que faremos com o nosso tempo depois que do casamento de nossos filhos? Outra Lua de Mel; Viajar; Trabalho de Voluntários; - Dar exemplos: (Não chegaremos a Deus sem ajudar ao próximo) Ginástica; Dança de salão.... • Aproveitar a 3ª idade que é a melhor coisa; • Aceitar a individualidade de cada um não dando opinião nos assuntos que interessa somente ao casal, mas deixando claro que não é omissão, deveremos definir um ponto de equilíbrio; • Importante: Sempre seremos uma visita na casa dos filhos....
  46. 46. Que a casa dos nossos filhos não seja tão perto que possamos ir de chinelo e nem tão longe que teremos que fazer as malas; Incentivar Sempre • Que nossos filhos busquem sempre a presença de Deus na família e na vida deles. • Que nossos filhos tenham um tempo para Deus independente de cada credo, mas que a presença de Deus seja presente nos lares dos nossos filhos e não somente na hora do aperto; • Amor dos pais. O exemplo que os pais tens uns com os outros, O bom exemplo sempre permanecem na cabeça de nossos filhos; • A melhor felicidade nossa é ver nossos filhos felizes; • Muito ajuda aquele que não atrapalha” SEGUNDA ETAPA Dinâmica em Grupo - (30 min.) Importante: Nunca colocar no mesmo grupo pais do noivo e noiva juntos. Agradecer a todos por terem aceitado o convite e participarem das palestras. Falar um pouco da pastoral;.
  47. 47. • Brincar um pouco sobre a palavra “sogra” e “sogro”; • Falar que toda mulher tem um pouco de “Maria”; • Falar que todo homem tem um pouco de “José”; • Apresentação de todos; • Eleger um secretário que anotará todas as respostas o É entregue a cada casal uma folha contendo três perguntas: Questões para Reflexão: 1) O que vai mudar na vida dos pais com o casamento dos filhos? 2) O que fazer para superar as separações entre pais e filhos com o casamento? 3) Como nós pais poderemos ajudar os nossos filhos a serem mais felizes? Quando terminar a reflexão o casal coordenador distribui uma rosa e cartão de lembrança para cada casal
  48. 48. Após a reflexão todos voltam para a sala de palestra - cantando Lanche - (15 min) ÚLTIMA ETAPA - (30 min.) O casal palestrante convida a todos para o fechamento e começam a cantar - (lembrar de fazer folha de canto ou o livro de cantos) • O casal começa a pedir que cada um fale um pouquinho sobre a mudança que ocorrerá com o casamento de seus filhos; • Deixar cada um se colocar diante da pergunta; • Perguntar se gostaram e se valeu a pena o Encontro... • Desejar a todos que seus filhos sejam felizes.... Todos da pastoral se apresentam e cantam novamente. • Um casal da pastoral lê uma mensagem de Khalil Gibran “Os filhos”; • Um casal da pastoral faz a oração final. Todos se despedem.
  49. 49. Importante: • Fazer convites para ser entregue no dia da inscrição dos noivos e confirmar com os noivos caso a Preparação para a Vida Matrimonial ( Encontro dos noivos) seja feita em dois ou mais dias. Caso contrário telefone e confirma o Encontro. • Fazer a palestra uma semana após o encontro dos noivos ou conforme a realidade de sua paróquia, ( algumas paróquias fazem no último dia do Encontro com os noivos, e todos participam da Missa de encerramento) • Fazer lembranças para serem distribuídas para os pais dos noivos • Tirar fotos de todas as etapas; • Verificar quem pode tocar violão e cantar; PASTORAL FAMILIAR- SETOR PÓS - MATRIMONIAL ENCONTRO DE PAIS DE NOIVOS
  50. 50. QUESTÕES PARA REFLEXÃO - (GRUPOS) 1) O que vai mudar na vida dos pais com o casamento dos filhos? 2) O que fazer para superar as separações entre pais e filhos com o casamento? 3) Como nós pais podemos ajudar os nossos filhos a serem mais felizes?
  51. 51. Observação: O ENCONTRO COM OS PAIS DOS NOIVOS FOI CRIADO NA PARÓQUIA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS – 4ª forania do Vicariato Norte- PE Aloísio Nós pedimos autorização ao PE Aloísio, para copilarmos quando ainda éramos coordenadores do Vicariato Norte da arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro Telma e Iracy Faria
  52. 52. Setor Pós - Matrimonial PASTORAL FAMILIAR ENCONTRO DE PAIS DE NOIVOS MENSAGEM KHALIL GIBRAM E uma mulher que carregava seu filho nos braços disse: “Fala-nos dos filhos”. E o profeta disse: “Vossos filhos não são vossos filhos. São os filhos e as filhas da ânsia da Vida por si mesma. Vêm através de vós mas não de vós. E embora vivam convosco, não vos pertencem.
  53. 53. Podeis outorgar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos. Porque eles têm seus próprios pensamentos. Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas; Pois suas almas moram na mansão do amanhã, que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho. Podeis esforçar-vos por ser como eles, mas não procureis fazê-los como vós; Porque a vida não anda para trás e não se demora co os dias passados. Vós sois os arcos dos quais vossos filhos são arremessados como flechas vivas. O arqueiro mira o alvo na senda do infinito e vos estica com toda Sua força para que Suas flechas se projetem, rápidas e para longe. Que vosso encurvamento na mão do Arqueiro seja vossa alegria; Pois assim como Ele ama a flecha que voa, também ama o arco que permanece estável”
  54. 54. VAMOS RELEMBRAR ALGUNS PONTOS DO SETOR PÓS - MATRIMONIAL DA PASTORAL FAMILIAR • Devemos intensificar a atividade pastoral junto aos recém-casados, objetivando uma constante revisão e fortalecimento dos valores e compromissos matrimoniais orientando para a oração pessoal e familiar, estimulando a formação e as publicações cristãs e documentos do Magistério da Igreja. • Intensificar a educação para o amor nas nossas famílias, sobretudo nas atividades que venham estimular o diálogo em família, diálogo que dimensões: racional, sempre que haja desentendimento entre membros efetivo, através de gestos de carinho e ternura, físico, através de serviços prestados uns aos outros; e sobretudo na forma de oração em família. • Despertar nas famílias para a força social que elas possuem, que poderá ser através de associações que lutam pelo devido respeito de seus direitos inclusive, o direito de , subsidiariamente ao Estado, exercer seu papel de agente e protagonista na construção de uma sociedade mais justa e solidificada.
  55. 55. • Estimular o senso crítico diante das informações apresentadas pelos meios de comunicação social, aliada à atitude ativa de boicote e denúncia de programas que agridem os valore familiares. • Desta forma cuidando, defendendo e promovendo vida nova para as novas famílias, dom extraordinário de Deus e melhor investimento do milênio têm a convicção que estamos preparando o presente mais importante para o homem e mulher e a razão maior para a esperança da humanidade, porque afinal “Acreditar na Família é Construir o Futuro” João Paulo II
  56. 56. BIBLIOGRAFIA GERAL * Familiaris Consortio - A Missão da família no mundo de hoje (Exortação Apostólica de João Paulo II) * A Dignidade e a Vocação da Mulher - Carta Apostólica de João Paulo II * Evangelium Vitae - Carta Encíclica de João Paulo II – Sobre o Valor e a Inviolalibilidade da Vida Humana * Carta às Famílias de João Paulo II * Sexualidade Humana: Verdade e Significado – Documento 150 * Cartilha da Arquidiocese de Vitória e de Montes Claros – Pós - Matrimonial * E a família como vai? - Dom Rafael Llano Cifuentes * 85 Experiências de Amor - Dom Rafael Llano Cifuentes * As crises conjugais - Dom Rafael Llano Cifuentes - Ed. Quadrante * FAMÍLIA – Conflitos & Realizações - Dom Rafael Llano Cifuentes * Quando o assunto é família.- Dom Rafael Llano Cifuentes
  57. 57. * Moral Cristã - Temas para o dia- a -dia - Frei Nilo Agostini - Ed.Vozes * Casados há pouco tempo ... Frei Almir Ribeiro Guimarães – Editora Vozes * E eles se deram às mãos ... Frei Almir Ribeiro Guimarães – Editora Vozes * Família e Catequese ... Frei Almir Ribeiro Guimarães – Editora Santuário * Família e Evangelização – A Boa Nova do casamento e da família ... Frei Almir Ribeiro Guimarães – Ed. Vozes. * Família ... mas que família? ... Frei Almir Ribeiro Guimarães – Ed. Vozes. * Quando o futuro passa pela família ... Frei Almir Ribeiro Guimarães – Ed. Vozes. * Os sacramentos em sua vida – José Bortolini – Ed. Paulinas. * Esta Nossa Aliança - Orientações Práticas p/ Recém-casados – Renée Bartkowski Ed Santuário * Nós, Eu e Você - Dinâmicas e Vivências para recém-casados - Sônia Biffi e Rosabel de Chiaro Editora Paulus * Casais a caminho – Ed. Loyola - Pe. José de Souza Primo e Frei Diogo Luis Fuitem. * Em favor da família – Documentos da CNBB – Nº 3. * Creio na Família – Luiz Miguel Duarte – Ed. Paulinas. PUBLICAÇÕES DE INTERESSE DA FAMÍLIA E DA VIDA da Comissão Nacional da Pastoral Familiar CNPF Comissão Episcopal Pastoral Para a Vida e a Família- CNBB • Diretório da Pastoral Familiar • Educação para o amor • Diálogo em 4 Dimensões • A Missão da Família Cristã no Mundo de Hoje • I Fórum “ Questões de Bioética • Revista VIDA E FAMÍLIA – revista trimestral com assinatura anual
  58. 58. • Hora da Família – Roteiros de reflexão, celebrações e testemunhos para famílias, grupos e escolas – Setor Família e Vida – CNBB. • VIDA: O Primeiro direito da cidadania • A Dignidade da Vida Humana e as Biotecnologias • Guia de Implantação da Pastoral Familiar na Paróquia • Guia de Preparação para a Vida Matrimonial • Casos Especiais • Visão Global 11 ARQUIDIOCESE DE SÃO SEBASTIÃO DO RIO DE JANEIRO – REGIONAL LESTE 1 SETOR PÓS MATRIMONIAL No Gênesis está escrito:.”E o homem disse: Desta vez é carne de minha carne e osso dos meus ossos; chamar-se-á mulher, porque foi tirada do homem” (Gn 2,23)
  59. 59. “Nenhum plano de pastoral orgânica, a qualquer nível que seja, pode prescindir da Pastoral Familiar” (Familiais Consortio “nº70)”. -“ A Pastoral Familiar, longe de ter perdido o seu caráter prioritário, revela-se hoje ainda mais urgente..” ( Puebla, nº 570) Fazendo uma pesquisa, de maneira direta e simples, descobrimos a ânsia generalizada de uma Preparação mais ampla e séria, não apenas para o casamento, mas para TODA A VIDA FAMILIAR. Não se pedia um novo Manual para Preparação para a Vida Matrimonial (Curso de noivos), mas, o desenvolvimento de temas, dinâmicas, retiros, acompanhamentos, aconselhamentos, que viessem a preencher lacunas enormes na fase Pós Matrimonial. (Dom Eusébio Oscar Scheid,S.C.J-Preparação para o casamento e para a Vida Familiar- Editora Santuário Setor Pós – Matrimonial: deverá desenvolver um trabalho buscando o entrosamento com as equipes da Pastoral do Batismo (pais e padrinhos), equipes da Pastoral da Catequese (pais ou responsáveis das crianças da Catequese), grupos da Pastoral da Crisma (pais dos crismandos) grupos da Terceira Idade; para melhor atender as necessidades de cada família, Viúvas(os), Encontros com Gestantes, Núcleo Pró-Família – Métodos naturais de planejamento familiar - Paternidade e Maternidade responsáveis- Atendimentos a famílias da comunidade. Dentro deste setor poderão ser desenvolvidos: * Atendimento a grupos familiares (jovens recém-casados, casados há mais tempo, grupos de reflexão, círculos bíblicos, missão popular, entre outros. * Atendimento aos pais que pedem o batismo, a 1ª Eucaristia e crisma dos filhos. * Atendimento a formação religiosa nas escolas.(Trabalho feito junto com a Pastoral da Educação) * Retiros com casais ou com toda a família junta. (Igreja doméstica) * Atendimento e assistência aos pais e padrinhos dos noivos.
  60. 60. Compete ainda aos agentes de Pastoral Familiar anunciar com alegria e convicção a “Boa Nova” acerca da família, que tem necessidade absoluta de ouvir e de compreender sempre mais profundamente as palavras autênticas da sua missão. Na ação pastoral para com as famílias novas (recém – casados), a Igreja deverá prestar uma atenção específica (especial) para as educar, a viver responsavelmente o amor conjugal em relação, com as exigências de comunhão e de serviço à vida, como também a conciliar a intimidade da vida de casa com a obra comum e generosa de edificar a Igreja e a sociedade humana. A partir da decisão do casamento um homem e uma mulher, um jovem e uma jovem, passam a viver uma experiência comunitária original, sentindo que precisam amar e necessitando receber amor. Tendo como ponto de partida o encontro desse homem e dessa mulher. Os jovens que se casam não entram numa “camisa de força”, mas num espaço densamente humano de mútuo dom. Trata-se de uma comunidade baseada no amor e promotora da vida. A vida deverá borbulhar no relacionamento dos esposos e explorar na chegada dos filhos que serão iniciados na vida. Quando, da vinda dos filhos, o casal se torna em sentido pleno e específico de uma família, para que os acolham e os amem a luz do dom recebido do Senhor da vida, assumindo com alegria a fadiga de os servir no seu crescimento humano e cristão. RECÉM – CASADOS Os primeiros anos de casamento são muito importantes, são os decisivos na relação. São nos primeiros anos de casamento que se devem exercer uns zelos pastorais especiais. Primeiro porque as pessoas não estão bem preparadas para assumir o matrimônio; segundo porque muitos casam já com um filho que está chegando. Esses casados há pouco tempo têm que vencer as dificuldades da adaptação. Depois tem a questão do primeiro filho, a questão das decisões para o futuro. O próprio amor é uma vocação para prescindir das coisas que os esposos farão. É a vida dos dois esposos que é chamada a ser o referencial para os homens conhecerem a Deus, e por Deus se fazerem conhecer aos homens. A primeira missão do casal é se amarem (e amar-se é crescer juntos, saber dialogar, reconciliar-se, acolher-se na diversidade). Que os jovens cônjuges saibam acolher cordialmente e inteligentemente valorizar a ajuda discreta, delicada e generosa de outros casais que já há tempo fazem a mesma experiência do matrimônio e da família. Desse modo, as famílias jovens não se
  61. 61. limitarão só a receber, mas por sua vez, assim ajudadas, tornar-se-ão fonte de enriquecimento para outras famílias, há tempo constituídas, com o seu testemunho de vida e a sua contribuição de fato. A Pastoral Familiar há de cuidar da formação dos futuros esposos e do acompanhamento dos cônjuges, sobretudo, nos primeiros anos de sua vida matrimonial. Sugestão de trabalho com recém - casados • Grupos de reflexão e ação. • Retiros e manhãs de estudos com temas familiares. • Encontros de Vivências e dinâmicas para recém casados(Livro Nós, Eu e Você Ed Paulus) Temas para reuniões de reflexão com os recém casados Retrospectiva - Texto Bíblico: Lc. 14. 28-33 Levar os casais a se situarem diante do que se passou: o namoro, o noivado, para começar o trabalho. Reunião descontraída, com simplicidade e acolhida. Desenvolver o tema e trabalhar em grupo. * Partilhar as experiências durante o tempo de namoro e do noivado. * Partilhar lembranças do dia do casamento. O que se lembram da cerimônia do sacramento do matrimônio? * Quais os motivos mais profundos que levaram vocês ao casamento? * O que se pode esperar de reuniões de um grupo de pessoas casadas há pouco tempo? Ajustes - Texto Bíblico: 1 Cor. 13, 1-13 Adaptação de vida em comum, descobrimento de defeitos, pequenas decepções, primeiros choques e primeiras crises. Desenvolver o tema e partilhar em grupo:
  62. 62. * O que fazer para superar as dificuldades que aparecem na vida a dois? * Das falhas citadas, qual a mais difícil de ser combatida? Por que? * Você tem alguma experiência sobre o assunto que possa ajudar o grupo? Conte-a. * Você sabe perdoar? Sogros e Sogras - Texto Bíblico: Eclo. 3, 1-18: Rute 1, 15-18 Dificuldades no relacionamento com pais e sogros, interferência dos pais e sogros na vida do casal, convivência harmoniosa das famílias do casal. Desenvolver o tema e partilhar em grupo: * O que vocês entendem por Igreja doméstica. * O que seria efetivamente a oração conjugal? * Como se festeja o Natal, a Páscoa em suas famílias de origem? Que lembranças guardam da festa religiosas de sua infância? * Vocês já se sentem chamados a um trabalho concreto em sua comunidade? * Que lugar a missa ocupa na vida de vocês? Têm dificuldades em participar dela? Chegada do primeiro filho – Texto Bíblico: Lc. 2, 4-21 Fazer com que percebam a profundidade do compromisso assumido no sacramento do matrimônio, no que refere a aceitar os filhos que Deus mandar. Necessidade de esperar o filho com amor, ter firmeza para serem responsáveis, viver a gravidez a dois. Desenvolver o tema e partilhar em grupo. * O grande objetivo do matrimônio é a felicidade do casal. O que a chegada do primeiro filho significa neste objetivo?
  63. 63. Citem quatro comportamentos fundamentais do pai em relação à mãe durante o período da gravidez. * O ambiente da família, a exemplo dos pais educa mais que as palavras; concordam? * Vocês já pensaram no compromisso que fizeram diante do altar de receber os filhos que Deus lhes confiar, educando-os na lei de Deus e da Igreja? Como? Decisões e projeto de vida a dois – Texto Bíblico: Colocessenses 3, 12-17 Matrimônio como construção permanente, ajuda mútua, procura da felicidade um do outro, estar atento aos sinais que se apresentam para quebrar a harmonia da vida familiar: desleixo com a aparência, acomodações, exagerada atenção aos amigos, tomada de decisões individuais, maneira de se gastar o dinheiro, ciúmes etc ... Desenvolver o tema e partilhar em grupo: * Vocês acham que os primeiros anos de casamento têm dificuldades particulares? * Será que há mesmo uma crise no casamento em seus primeiros anos? * Vocês percebem que estão colocando em comum suas tradições familiares? * Como vocês estão tomando as decisões importantes de suas vidas? * Que lhes parece importante fazer para superar algumas crises ou dificuldades do casamento? Família cristã – Texto Bíblico: - Ef. 4, 17-32 O amor deve ser o motor que impulsiona a vida da família, entrega mútua para uma união duradoura; família como lugar acolhedor, sem exclusão, cada um com o seu papel; família aberta para acolher a todos, vivenciando os valores cristãos. Desenvolver o tema e partilhar em grupo: * O que é pra vocês a definição da família como uma comunidade de vida e de amor? * Em que sentido a família é lugar de encontro e de formação de pessoas?
  64. 64. * Como os membros de uma família podem, praticamente, viver o encontro? * O que significa construir uma civilização do amor e como a família pode dar a sua contribuição para tanto? PAIS DA CATEQUESE / BATISMO / CRISMA Outro campo de trabalho são os pais que pedem o batismo de seus filhos, Crisma, na Primeira Eucaristia e catequese em geral. Lá na preparação remota foi feito um trabalho com as crianças na catequese, crisma, jovem. Aqui o trabalho é com os pais dos batizados, pais das crianças da catequese, crisma. A preocupação deve estar com a família. Conversar e refletir com os pais. Um trabalho com os pais deve ser feito sempre em colaboração com os (as) catequistas, com a coordenação, com criatividade e bom senso. OBJETIVO Evangelizar os pais ou responsáveis para que a Primeira Comunhão da criança, seja a Primeira de infinitas comunhões, assim, a família participando da Missa, e crescendo na fé, poderá ser luz para outras pessoas, atendendo a Jesus que disse: “Ide e evangelizai” e ao Papa João Paulo II: “O futuro da humanidade passa pela família”. Fortalecer a vida da Igreja e da sociedade a partir da família: enriquecê-la a partir da catequese familiar, a oração no lar, a Eucaristia, a participação no sacramento da Reconciliação, o conhecimento da Palavra de Deus. Para se fermento na Igreja e na sociedade. Pela força do ministério da educação, os pais, mediante o testemunho de vida, são os primeiros arautos do Evangelho junto dos filhos. Ainda mais, rezando com os filhos, dedicando-se com eles à leitura da Palavra de Deus. Eduquem-se de preferência os esposos para uma paternidade responsável que os capacite não só para uma honesta regulação da fecundidade e para incrementar o gozo de sua complementaridade, mas também para fazer deles bons formadores de seus filhos (P 609).
  65. 65. A lenta e prazerosa educação da família sempre importam em sacrifício, recordação da cruz redentora. Mas a íntima felicidade que dá aos pais; recorda-lhes também a ressurreição. Evangelizar não é só ler a Bíblia, mas, a partir dela, trocar palavras de admiração , consolo, correção, luz, segurança. À medida que a família cristã acolhe o Evangelho e amadurece na fé, torna-se comunidade evangelizadora. Diz Paulo VI: “A família, como a Igreja, deve ser um lugar onde se transmite o Evangelho e donde o Evangelho irradia”. Portanto, no interior de uma família consciente desta missão, todos os componentes evangelizam e são evangelizados. Uma tal família torna-se, então, evangelizadora de muitas outras famílias e do ambiente no qual está inserida”. Também a fé e a missão evangelizadora da família cristã, prosseguem este alento missionário católico. O sacramento do matrimônio que retorna e volta a propor o dever, radicado no batismo e na confirmação, de defender e difundir a fé, constitui os cônjuges e os pais cristãos testemunhas de Cristo até os confins do mundo, verdadeiros e próprios missionários do amor e da vida. Sugestões de trabalhos. Convidar os pais de primeira Eucaristia, de Batismo, da Crisma, dos adolescentes, dos jovens, namorados, noivos e pais de escola, para uma reflexão mensal sobre a caminhada dos seus filhos, com temas familiares, acompanhamento do trabalho que vê sendo realizado. É um momento de evangelização dos pais e da família. Os temas podem ser os mesmos que os filhos vem estudando na preparação de eucaristia, crisma, etc ... Livros que podem ajudar neste trabalho: * Primeira eucaristia, os pais também se preparam. * Como fazer catequese com os pais – Editora Ave Maria (Diocese de Tubarão – SC) * Casais em reflexão Vol. 1 e 2 – Ed. Paulinas – Antonio M. Fernandes. * Amor sem limites (Parábola do Pai Misericordioso) Ed. Paulinas. * Aprenda a ouvir – Ed. Fala Povo – Gerson Abarca Silva e Jonas Nunes Coutinho.
  66. 66. RETIROS E ENCONTROS DE CASAIS Ainda pode entrar o retiro para casais, um domingo com as famílias e coisas deste tipo. Ter momentos de espiritualidade conjugal e familiar, que se inspire nos motivos da criação, da aliança, da cruz, da ressurreição. Para viver um amor radical, gratuito, não bastam às forças humanas, não basta o empenho. Este amor nasce do alto. Jeremias tem uma frase belíssima: “Colocarei minha lei em seu peito e a escreverei em seu coração, eu serei o Deus deles, e eles serão o meu povo” (Jr 31, 33) “Darei para vocês um coração novo, e colocarei um espírito novo dentro de vocês. Tirarei de vocês o coração de pedra, e lhes darei um coração de carne”. (Ez 36,26). O casal é chamado a ter um relacionamento constante e amoroso com Deus, com a sua Palavra. A sua palavra é fogo que inflama. Deve haver um contínuo relacionamento de intimidade e de escuta de Deus.Os casais sedentos das coisas de Deus são aqueles que se tornarão os grandes evangelizadores do casamento e da família no seio da Igreja. A Pastoral Familiar deverá promover encontros regulares para servir às famílias e aos casais. Fazer tarde ou manhãs de formação abertas a todos os casais da comunidade. Temas para manhãs de reflexão com os casais: * Deus em nossas vidas. * Espiritualidade conjugal e fidelidade. * Amor e diferenças entre marido e mulher. * Família, igreja e sociedade. * Bíblia, luz em nossa família. * Família missionária. * Ciúmes e harmonia conjugal. Livros que podem ajudar nos trabalhos com os casais: * Casais a caminho – Ed. Loyola - Pe. José de Souza Primo e Frei Diogo Luis Fuitem. * Família e Evangelização – A Boa Nova do casamento e da família – Frei Almir Ribeiro Guimarães – Ed. Vozes.
  67. 67. * Quando o futuro passa pela família – Frei Almir Ribeiro Guimarães – Ed. Vozes. * Família ... mas que família? – Frei Almir Ribeiro Guimarães – Ed. Vozes. * Em favor da família – Documentos da CNBB – Nº 3. * Creio na Família – Luiz Miguel Duarte – Ed. Paulinas. * A missão da família no mundo de hoje - Exortação apostólica de J. Paulo II – E.Paulinas. * Hora da Família – Roteiros de reflexão, celebrações e testemunhos para famílias, grupos e escolas – Setor Família e Vida – CNBB. ENSINO RELIGIOSO DOS FILHOS NA ESCOLA A família é a primeira e fundamental escola de sociabilidade enquanto comunidade de amor. Ela encontra no dom de si a lei que a guia e a faz crescer. O Estado e a Igreja têm obrigação de prestar às famílias todos os meios possíveis a fim de que possam exercer adequadamente os seus deveres educativos. Mas, complementar ao direto, põe-se o grave dever dos pais de se empenhar com profundidade numa relação cordial e construtiva com os professores e os diretores das escolas. VIÚVOS, IDOSOS E ISOLADOS O apostolado da família irradiar-se-á com obras de caridade espiritual e material para com as outras famílias, especialmente aqueles mais necessitados de ajuda e de amparo, para com os pobres, os doentes, os mais idosos, os deficientes, os órfãos, as viúvas, os cônjuges abandonados. Colocamos aqui também trabalho a ser desenvolvido com casais e pessoas que já começaram a viver a terceira idade. Há culturas que manifestam uma veneração singular e um grande amor pelo ancião: longe de ser excluído da família ou de ser suportado como um peso inútil, o ancião continua inserido na vida familiar, tomando nela parte ativa e responsável, embora devendo respeitar a autonomia da nova família – e, sobretudo desenvolvendo a missão preciosa de testemunha do passado e de inspirador de sabedoria para os jovens e para o futuro. É necessário que a ação pastoral da Igreja estimule todos a descobrir e a valorizar as tarefas dos anciãos na comunidade civil e eclesial, e, em particular, na família. Na realidade, “a vida dos
  68. 68. anciãos ajuda-nos a esclarecer a escala dos valores humanos; mostra a continuidade das gerações. Os anciãos têm além disso, o carisma de encher os espaços vazios entre gerações. Quantas crianças têm encontrado compreensão e amor nos olhos, nas palavras e nos carinhos dos anciãos!”. Assim, por força da sua natureza e vocação, longe de fechar-se em si mesma, a família abre-se às outras famílias e à sociedade, assumindo a sua tarefa social. Em tal modo, a família cristã é chamada a oferecer a todos o testemunho de uma dedicação generosa e desinteressada pelos problemas sociais, mediante a “opção preferencial” pelos pobres e marginalizados. Por isso, progredindo no caminho do Senhor mediante uma predileção especial para com todos os pobres, deve cuidar especialmente dos esfomeados, dos indigentes, dos anciãos, dos doentes, dos drogados, dos sem família. Este Setor Pós-Matrimonial da Pastoral Familiar, dá vida à Igreja. Necessita de muitos operários qualificados, e, para tantos, precisam de formação. Sugestão de roteiros de reflexão com recém casados Primeiro modelo 07:30 - Acolhida, apresentação, oração inicial 08:00 - Palestra – Processo de adaptação e mudança de vida nos primeiros anos de casamento. 08:50 - Conversa a dois: O que ajudou a crescer e o que ainda é desafio? 09:20 - Conversa em grupo: Como vencer a dificuldades? Troca de experiências. 09:50 - Plenário 10:20 - Café 10:40 - Oração Final (Pode-se fazer uma bênção especial, renovando os compromissos assumidos no dia do casamento). Segundo modelo 07:30 - Acolhida, apresentação, oração inicial 08:10 - Objetivo (porque estamos reunidos) 08:25 - Palestra – Sonhos e desilusões comuns ao pós matrimônio (Balanço da
  69. 69. vida a dois). 09:00 - Dinâmica (mostrar as diferenças e a necessidade de respeitar as limitações). 09:20 - Conversa a dois ou em grupo: Em que somos diferentes e como conviver melhor com essas diferenças. 09:50 - Café 10:10 - Palestra - Enfocar problemas como o alcoolismo, influência dos meios de comunicação na vida familiar, necessidade de oração em família. 10:50 - Oração final (preparar momentos de orações espontâneas, de louvor e agradecimento; bênção especial para os casais). Livros que poderão ajudar nos trabalhos com recém casados; * A Missão da família no mundo de hoje (Exortação Apostólica de João Paulo II) * Casados há pouco tempo – Frei Almir Ribeiro Guimarães – Editora Vozes. * Os sacramentos em sua vida – José Bortolini – Ed. Paulinas. * E a família como vai ? Dom Rafael Llano Cifuentes- * 85 Experiências de Amor - Dom Rafael Llano Cifuentes * As crises conjugais - Dom Rafael Llano Cifuentes - Ed. Quadrante * FAMÍLIA – Conflitos & Realizações - Dom Rafael Llano Cifuentes * Quando o assunto é família. * E eles se deram às mãos ... Frei Almir Ribeiro Guimarães – Editora Vozes. * Família e Catequese de Frei Almir Ribeiro Guimarães –Editora Santuário * Moral Cristã - Temas para o dia-a -dia- Frei Nilo Agostín i- Ed.Vozes * Cartilha da Arquidiocese de Vitória e de Montes Claros - Pós- Matrimonial * Hora da Família- CNBB * Esta Nossa Aliança - Orientações Práticas p/ Recém-casados – Renée Bartkowski Ed Santuário * Nós, Eu e Você - Dinâmicas e Vivências p/ recém-casados - Sônia Biffi e Rosabel de Chiaro
  70. 70. Editora Paulus Sugestão de roteiros de reflexão com os pais dos noivos(as) Modelo da Paróquia dos Sagrado Coração de Jesus – Méier - 4ª forania Já implantado em algumas Paróquias do Vicariato Norte - Arquidiocese do Rio de Janeiro - LESTE 1 PASTORAL FAMILIAR SETOR PÓS MATRIMONIAL ENCONTRO COM OS PAIS DOS(as) NOIVOS(as) ACOLHIDA Noivos (Pais) • Organizar mesas separadas Com placas Indicativas Noivas (Pais)
  71. 71. Importante: Aproveitar nesta hora para preencher as seguintes fichas: • Livro ou lista de Presença - Crachás • Caso a paróquia tenha algum Movimento ou Serviço familiar pode colocar A ficha na mesa para ser preenchido caso algum dos participantes queira fazer. Todos são encaminhados para a sala que será realizada o Encontro, quando serão recepcionados pela Equipe da Pastoral Familiar com um lanche. (15 min) ÁGUA – REFRIGERANTES CAFÉ COM E SEM AÇÚCAR LANCHE - MATE CHOCOLATE SANDUICHES OU BOLO BISCOITOS SALGADO E DOCE Na sala do Encontro: * Perto dos palestrantes: Mesa baixa c/ toalha branca; Jarro com flores; Jarra com água e copo; Microfone e uma mesa alta de palestra • Todos da equipe com crachás.
  72. 72. • As cadeiras posicionadas em círculo ou como um auditório depende do número de participantes. PRIMEIRA ETAPA 1º PALESTRA: - (40 min.) É feita pelo Sacerdote: Que se apresenta e convida a todos para rezarem juntos a oração do Divino Espírito Santo. (a cópia da oração deve ser entregue a cada pessoa que chegar.) Fala da importância da colaboração dos pais para que seus filhos sejam realizados e felizes no casamento, respeitando a privacidade, a individualidade e a opinião dos filhos. • Ler o Evangelho: Segundo São João 15, 9 à 15 • Importante é que os dois se amam (Noivos); • Os pais sempre abençoarem seus filhos; • Ter um coração manso e humilde;
  73. 73. • Pais e mães são os sacerdotes da celebração da igreja doméstica; • Conversar sobre o assunto que desagradou após algum tempo (nora / genro / sogros); • Aprender a ser sogra e sogro – Respeitar o gosto e a individualidade de cada um; • Quando nascerem os netos, não esquecerem de quem tem que cuidar da criança são os pais e os avós somente contribuindo para ajudá-los; • Permitam que os filhos eduquem seus netos como eles acham que é o correto; ACREDITAR NA FAMÍLIA É ACREDITAR NO FUTURO • No término o sacerdote convida a todos a levantarem e cantarem a oração pela família.... (brincando um pouco com todos.... quem canta reza duas vezes...) (Todos com uma folha de canto) 2º PALESTRA: - (40 min.) É feita por um casal palestrante da pastoral. • Falam sobre ser sogro e sogra; • Respeitar a individualidade da cada um; • Entender que os filhos não são nossos (no sentido de possuir); • Sempre nos manter neutros em uma discórdia do casal; • Entender que mesmo com o casamento eles continuam nossos filhos; • Entender que com o casamento dos nossos filhos ganhamos um filho; • Perguntar a todos se já pensaram em que vão fazer com o quarto e a cama do seu filho que vai casar? Quarto de Costura; - Dar exemplos: Escritório; Sala de Televisão;
  74. 74. • O que faremos com o nosso tempo depois que do casamento de nossos filhos? Outra Lua de Mel; Viajar; Trabalho de Voluntários; - Dar exemplos: (Não chegaremos a Deus sem ajudar ao próximo) Ginástica; Dança de salão.... • Aproveitar a 3ª idade que é a melhor coisa; • Aceitar a individualidade de cada um não dando opinião nos assuntos que interessa somente ao casal, mas deixando claro que não é omissão, deveremos definir um ponto de equilíbrio; • Importante: Sempre seremos uma visita na casa dos filhos.... Que a casa dos nossos filhos não seja tão perto que possamos ir de chinelo e nem tão longe que teremos que fazer as malas; Incentivar Sempre • Que nossos filhos busquem sempre a presença de Deus na família e na vida deles.
  75. 75. • Que nossos filhos tenham um tempo para Deus independente de cada credo, mas que a presença de Deus seja presente nos lares dos nossos filhos e não somente na hora do aperto; • Amor dos pais. O exemplo que os pais tens uns com os outros, O bom exemplo sempre permanecem na cabeça de nossos filhos; • A melhor felicidade nossa é ver nossos filhos felizes; • Muito ajuda aquele que não atrapalha” SEGUNDA ETAPA Dinâmica em Grupo - (30 min.) Importante: Nunca colocar no mesmo grupo pais do noivo e noiva juntos. Agradecer a todos por terem aceitado o convite e participarem das palestras. Falar um pouco da pastoral;. • Brincar um pouco sobre a palavra “sogra” e “sogro”; • Falar que toda mulher tem um pouco de “Maria”; • Falar que todo homem tem um pouco de “José”; • Apresentação de todos; • Eleger um secretário que anotará todas as respostas
  76. 76. o É entregue a cada casal uma folha contendo três perguntas: Questões para Reflexão: 1) O que vai mudar na vida dos pais com o casamento dos filhos? 2) O que fazer para superar as separações entre pais e filhos com o casamento? 3) Como nós pais poderemos ajudar os nossos filhos a serem mais felizes? Quando terminar a reflexão o casal coordenador distribui uma rosa e cartão de lembrança para cada casal Após a reflexão todos voltam para a sala de palestra - cantando Lanche - (15 min) ÚLTIMA ETAPA - (30 min.)

×