Resumo do livro o que é sociologia

47,080 views

Published on

Resumo do livro o que é sociologia

  1. 1. O QUE É SOCIOLOGIA?
  2. 2. AUTOR: CARLOS BENEDITO MARTINS Carlos Benedito Martins é professor de sociologia da Universidade de Brasília. Foi pesquisador- visitante, em diversas ocasiões, do Centro de Sociologia Européia, criado e dirigido por Pierre Bourdieu)“. É mestre em ciências sociais, graduado pela PUC de S. Paulo, também autor do livro "Ensino pago" Na Universidade de Brasília, ele atua na área de teoria sociológica e sociologia da educação.
  3. 3. SUMÁRIO: Introdução I. O surgimento II. A formação III.O desenvolvimento IV. Indicações para leitura
  4. 4. O QUE É SOCIOLOGIA? – INTRODUÇÃO •Sociologia: conjunto de conceitos, técnicas e métodos de investigação produzidos para explicar a vida social; •Sempre foi, desde o seu inicio, algo mais do que uma mera tentativa de reflexão sobre a sociedade moderna; •Os interesses econômicos e políticos dos grupos e das classes sociais, que na sociedade capitalista apresentam-se de forma divergente, influenciam profundamente a elaboração do pensamento sociológico.
  5. 5. O QUE É SOCIOLOGIA? I. O SURGIMENTO Coincide com a desagregação da sociedade feudal e consolidação da civilização capitalista; Não é obra de um único filósofo ou cientista, mas o resultado de elaboração de um conjunto de pensadores que se empenharam em compreender as novas situações de existência que estavam em curso; O século XVII constitui um marco importante para a história ocidental e surgimento da sociologia, através de transformações econômicas, políticas e culturais; A dupla revolução que se testemunhava – industrial e francesa – constituíam os dois lados de um mesmo processo: a instalação definitiva da sociedade capitalista.
  6. 6. Obra de Eugene Delacroix “A liberdade guiando o povo” Liberdade, Igualdade e Fraternidade: lemas da Revolução Francesa REVOLUÇÃO FRANCESA
  7. 7. Primeiras fábricas Vista de cidade recém industrializada na Europa REVOLUÇÃO INDUSTRIAL
  8. 8. Qual a importância desses acontecimentos para a sociologia? • O que merece ser salientado é que a profundidade das transformações em curso colocava a sociedade num plano de análise, ou seja, esta passava a se considerar um problema , em objeto, que deveria ser investigado. • Não é por mero acaso que a sociologia, enquanto instrumento de análise inexistia nas relativamente estáveis sociedades pré – capitalistas, uma vez que o ritmo e o nível das mudanças que ai se verificava não chegavam a colocar a sociedade como “um problema” a ser investigado.
  9. 9. A IMPORTANCIA DO PENSAMENTO FILOSÓFICO DO SÉCULO XVII PARA O SURGIMENTO DA SOCIOLOGIA • Popularizou os avanços do pensamento cientifico; • O emprego sistemático da razão , do livre exame da realidade, traço característico dos racionalistas; • A disposição de tratar a sociedade a partir de estudos de seus grupos e não dos indivíduos isolados; • Alguns dos nomes da época: René Descartes, Francis Bacon e Thomas Hobbes.
  10. 10. A IMPORTANCIA DO ILUMINISMO Ao invés de utilizar a dedução , como a maioria dos pensadores do século XVII, os iluministas insistiam numa explicação da realidade baseada no modelo das ciências naturais. O objetivo dos iluministas, ao estudar as instituições de sua época, era demonstrar que elas eram irracionais e injustas, que atentavam contra a natureza dos indivíduos, e nesse sentido impediam a liberdade do homem. Além dos pensadores da época, “homens comuns” também elaboravam reflexões e deixavam cada vez mais de encarar as instituições sociais como fenômenos sagrados e imutáveis submetidos a forças sobrenaturais, percebendo-as , portanto, como produtos da atividade humana. Alguns nomes da época: Montesquieu, Rousseau, Condorcet, Robespierre, Danton, entre outros.
  11. 11. IDEIAIS ILUMINISTAS REVOLUÇÃO FRANCESA EM 1789 ASCENÇÃO DA BURGUESIA AO PODER
  12. 12. O INICIO DA INDUSTRIALIZAÇÃO • A França , no inicio do século9 XIX, ia se tornando uma sociedade industrial com a introdução da maquinaria, mas o desenvolvimento acarretado por essa industrialização causou miséria e desemprego nos operários franceses. • Na Inglaterra no inicio de sua revolução industrial repetem-se determinadas situações vividas pela sociedade francesa. • Havia utilização intensiva do trabalho barato de mulheres e crianças, desordenada migração do campo para a cidade, gerando problemas de habitação, higiene, alcoolismo , prostituição e mortalidade infantil. • Houve repressão violenta da contestação da ordem capitalista pela classe trabalhadora.
  13. 13. PENSADORES DA ÉPOCA SE ESPANTAM DIANTE DA NOVA REALIDADE EUROPEIA Saint – Simon, Le Play, Augusto Comte e alguns outros pensadores concentrarão suas reflexões em racionalizar a “nova ordem” , para restabelecer a ordem e a paz. Segundo eles, para encontrar um estado de equilíbrio seria necessário conhecer as leis que regem os fatos sociais, instituindo, portanto, uma ciência da sociedade. Le Play achava que é a família e não o individuo isolado que possuía uma significação para a compreensão da sociedade. Saint – Simon é considerado um dos primeiros pensadores socialistas. Augusto Comte merecerá destaque maior por ser considerado por Durkheim o verdadeiro pai da sociologia.
  14. 14. O POSITIVISMO DE AUGUSTO COMTE : UMA ORIENTAÇÃO GERAL PARA A FORMAÇÃO DA SOCIOLOGIA Várias ideias de Saint – Simon seriam retomadas por Augusto Comte (1798-1857). Convicto de que a reorganização da sociedade exigiria a elaboração de uma nova maneira de conhecer a realidade, Comte procurou estabelecer os princípios que deveriam nortear o conhecimento humano. A verdadeira filosofia deveria proceder diante da realidade de forma “positiva”, ao contrário da filosofia do século XVII que era “negativa”, ou seja, contestava as instituições sociais que ameaçavam a liberdade do homem.
  15. 15. Nos trabalhos de Comte, sociologia e positivismo aparecem intimamente ligados, uma vez que a criação da sociologia marcaria o “triunfo final” do positivismo. A matemática, física, química, biologia eram ciências já formadas, faltando no entanto, fundar uma “física social” que usasse os mesmos procedimentos das ciências naturais : observação, experimentação , comparação, etc. Comte considerava um dos pontos altos da sua sociologia a reconciliação entre “ordem e progresso”.
  16. 16. A SOCIOLOGIA DE EMILE DURKHEIM • Assim como Comte, Emile Durkheim (1858-1917) a questão da ordem social seria uma preocupação constante. • Durkheim acreditava que a raiz dos problemas de seu tempo não era de natureza econômica, mas sim de certa fragilidade da moral da época, contrariando os programas socialistas da época. • Durkheim possuía uma visão otimista da nascente sociedade industrial e acreditava que a crescente divisão do trabalho , ao invés de gerar conflitos sociais, aumentaria a cooperação e solidariedade entre os homens. • Ele acreditava que era necessário um novo e eficiente conjunto ideias morais que pudesse guiar o comportamento dos indivíduos evitando a “anomia”, ou seja, a ausência de regras claramente estabelecidas. • Durkheim assinalou o caráter impositivo dos “fatos sociais”, pois, segundo ele, nosso comportamento é de acordo com o figurino das regras socialmente aprovadas.
  17. 17. O pensamento de Durkheim marcou decisivamente a sociologia contemporânea, principalmente as tendências que têm se preocupado com a manutenção da ordem social. O método funcionalista (busca de explicação das instituições sociais e culturais em termos da contribuição que estas fornecem para a manutenção da estrutura social), cujos principais nomes são os antropólogos Malinowiski e Radcliffe – Brown, foram fortemente influenciados pela sociologia de Durkheim. No funcionalismo moderno, onde as referências são os norte-americanos Merton e Parsons, destaca-se a influência e contribuição de Durkheim.
  18. 18. A SOCIOLOGIA DE KARL MARX • A formação e o desenvolvimento do conhecimento sociológico crítico e negador da sociedade capitalista sem duvida liga-se à tradição do pensamento socialista que encontra em Marx (1818-1883) e seu parceiro e amigo Friedrich Engels (1820-1903) a sua elaboração mais expressiva. • O principio foi através do socialismo pré – marxista, também chamado de utópico que constituía uma clara reação a nova realidade implantada pelo capitalismo. • Marx e Engels foram críticos desse socialismo e buscaram dar-lhe maior consistência. • Sobre o pensamento filosófico alemão da época, Marx constatou o caráter idealista da dialética hegeliana* recorrendo ao materialismo filosófico do seu tempo para explicar que o motor da história eram os conflitos e as oposições entre as classes sociais, ou seja, um materialismo histórico. *Para Hegel, a dialética é responsável pelo movimento em que uma ideia sai de si própria (tese) para ser uma outra coisa (antítese) e depois regressa à sua identidade, se tornando mais concreta.
  19. 19. Marx & Engels A teoria social que surgiu da inspiração marxista não se limitou a ligar politica , filosofia e economia; ela estabeleceu uma ligação entre teoria e prática, ciência e interesse de classe. Sem duvida, foi o socialismo, principalmente o marxista, que despertou a vocação crítica da sociologia Ao contrário do positivismo, Marx e vários do seus seguidores deixaram claro a intima relação entre o conhecimento por eles produzido e os interesses da classe revolucionária – o proletariado. Também contrariando a sociologia positivista, Marx observa que a divisão do trabalho é uma das formas pelas quais se realizam a exploração, a luta de classes e a alienação.
  20. 20. A SOCIOLOGIA DE MAX WEBER • A intenção de conferir à sociologia uma reputação científica encontra na figura de Weber (1864-1920) um marco de referência. • Weber compartilhava com Nietzsche uma visão pessimista e melancólica dos tempos modernos. • Weber recebia também forte influência do pensamento marxista, principalmente no que diz respeito à relação entre economia e as outras esferas da vida social. • A sociologia por ele desenvolvida considerava o indivíduo e a sua ação o ponto chave da investigação. • A análise da religião ocupou lugar central nas preocupações e nos trabalhos de Weber, evidenciado na sua obra “A ética protestante e o espírito do capitalismo”.
  21. 21. A obra de Weber, assim como de Marx, Durkheim, Alexis de Tocqueville, Le Play, Spencer, etc., constitui um momento decisivo para a formação da sociologia. É no período que vai de 1830 às primeiras décadas do século XX que ocorre a formação dos principais métodos e conceitos de investigação da sociologia.
  22. 22. O QUE É SOCIOLOGIA? III O DESENVOLVIMENTO • O desenvolvimento desta ciência tem como pano de fundo a existência de uma burguesia que se distancia cada vez mais do seu projeto de igualdade e fraternidade, utilizando de aparatos repressivos e ideológicos para assegurar a sua dominação. • Também a crise em que mergulhou a civilização capitalista provocou sensíveis repercussões no pensamento sociológico contemporâneo. • As ciências sociais (além da própria sociologia, a antropologia e a ciência política), de modo geral, passaram a ser utilizadas para produzir conhecimento útil e necessário à dominação vigente. A antropologia, por exemplo, serviu para facilitar a administração de populações colonizadas e facilitar estratégias de expansão econômica e militar. • No início do século XX, a burguesia conservadora e belicista passa a defrontar-se com grupos revolucionários.
  23. 23. Até a década de 1930 destacam se as obras de Pareto e Mannheim, influenciados por Weber. Mauss foi fortemente influenciado por Durkheim. Lênin e Rosa Luxemburgo, influenciados por Marx buscaram compreender as mudanças ocorridas pelo fenômeno do imperialismo. O socialismo não era considerado uma corrente sociológica nas universidades, era considerado apenas uma doutrina econômica. Já na segunda metade do século XX, a sociologia foi profundamente afetada pelas duas guerras mundiais. A sociologia a partir de 1950 seria arrastada e envolvida na luta pela contenção do socialismo. Surge nesse contexto a figura do sociólogo profissional orientado aos interesses da classe dominante.
  24. 24. Ao lado de uma sociologia que estendeu suas mãos ao poder, não se pode deixar de mencionar as importantes contribuições proporcionadas por uma sociologia orientada por uma perspectiva crítica. Pensadores como Lukacs e os pensadores da Escola de Frankfurt ,como Adorno, Horkheimer e Marcuse , forneceram uma importante contribuição aos estudo crítico da sociologia e da sociedade capitalista. Os trabalhos de Gramsci , Althusser, Bourdieu entre outros, têm possibilitado uma compreensão mais adequada de como se processa o domínio intelectual da burguesia sobre as demais classes sociais. Adorno & Horkheimer Pierre Bourdieu
  25. 25. Em grande medida, a função do sociólogo e da sociologia de nossos dias é liberar a sua ciência do aprisionamento que o poder burguês lhe impôs e transformar a sociologia em um instrumento de transformação social. Para isso, deve colocá-la ao lado – sem paternalismo e vanguardismo – dos interesses daqueles que se encontram expropriados material e culturalmente, para junto deles construir uma sociedade mais justa e mais igualitária do que a presente.
  26. 26. OBRIGADA!
  27. 27. REFERENCIAS • Brasil Escola • Wikipédia • A arte de se comunicar • Sua Pesquisa • Só História

×