Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Ansiolitico, hipnotico e sedativos

42,839 views

Published on


ANSIOLÍTICOS E SEDATIVO-HIPNÓTICOS
Medicamentos, Indicação Terapêutica, Ação, Efeito Farmacológico.

Published in: Health & Medicine

Ansiolitico, hipnotico e sedativos

  1. 1. ANSIOLÍTICOS HIPNÓTICOS SEDATIVOS
  2. 2. ACADÊMICAS Jacineide Amaral Magda de Souza Assis Tatidiana Oliveira Santana
  3. 3. DROGAS SEDATIVOHIPNÓTICAS E ANSIOLÍTICAS O uso principal das drogas classificadas como sadativohipnóticas é induzir a calma ( ansiolíticas ou sedativas) ou produzir sono ( sedativo- hipnóticas).
  4. 4. Uma experiência humana natural. Assegura a sobrevivência e adaptação. Em excesso, pode incapacitar e destruir.
  5. 5. Distúrbio da ansiedade generalizada  preocupação ou ansiedade excessiva. Distúrbio do pânico  problema psicológico. Fobias Distúrbios do estresse pós traumático  trauma emocional de grande magnitude.
  6. 6. TRATAMENTO Psicológico Farmacológico ansiolíticos, antidepressivos e algumas vezes antipsicóticos.
  7. 7. CLASSIFICAÇÃO DOS FÁRMACOS ANSIOLÍTICOS E HIPNÓTICOS Benzodiazepínicos (ex. diazepam): ansiolítico e hipnótico. Buspirona (agonista 5-HT1A): ansiolítico não sedativo. Beta bloqueadores (ex. propranolol): sintomas físicos da ansiedade: sudorese, tremor e taquicardiaefeito periférico. Barbitúricos (ex.fenobarbital):ansiolítico e hipnótico, obsoleto, confinado ao tratamento da epilepsia. Outros: hidrato de cloral, meprobamato, metaqualona(usados ocasionalmente) e antihistamínicos (difenidramina) hipnótico para crianças. uso
  8. 8. SEDAÇÃO E ANALGESIA EM CRIANÇAS: UMA ABORDAGEM PRÁTICA PARA AS SITUAÇÕES MAIS FREQUENTES Midazolan benzodiazepínico de eleição para sedação continua da criança gravemente enferma. Propofol  eleito para procedimentos curtos. “ é seguro se são utilizadas doses baixas como complemento naqueles pacientes em que não se consegue uma adequada sedação com midazolan.” SANTIAGO,et al ,2007,J.pediatria.(Rio J.),vol.83
  9. 9. Terminações: ...zepam, ...zolam Exceto Clordiazepóxido que foi o 1º BZD
  10. 10. EFEITOS FARMACOLÓGICOS ansiedade(Ansiolítico) e agressão. Sedação e indução do sono(Hipnótico). tônus muscular(Miorrelaxante) e coordenação. Anticonvulsivante. Amnésico.
  11. 11. INDICAÇÕES TERAPÊUTICAS Ansiedade, pânico, fobias Estados de contratura muscular com dor Convulsão Insônia Pré-operatório Síndrome de abstinência ao etanol Indução do sono e amnésico em casos de perdas e traumas.
  12. 12. Atuam seletivamente sobre os receptores GABAA Potencializam a resposta ao GABA facilitam a abertura dos canais de Cl.
  13. 13. Neurotransmissor Receptor GABA GABAA GABAB Ambos são inibitórios GABAA : ionotrópico Abrem canais de Cl diretamente. Causam hiperpolarização. GABAB: metabotrópico Abrem canais de K+ Indiretamente. Causam hiperpolarização. Benzodiazepinicos e os Barbituricos são potentes agonistas que agem nos receptores GABAA (exacerbam o efeito inibitorio).
  14. 14. FARMACOCINÉTICA E BIOTRANSFORMAÇÃO
  15. 15. FARMACOCINÉTICA E BIOTRANSFORMAÇÃO Ação Tempo de ½ vida C – Curta Menos de 6 horas ex: triazolam. I – Intermediária 6 a 12 horas ex: estazolam, lorazepam. L - Longa Mais de 12 horas ex: diazepam.
  16. 16. ANTÍDOTO Flumazenil:antagonista específico  para a intoxicação benzodiazepínica. Ele bloqueia os efeitos centrais das substâncias que agem nos receptores benzodiazepínicos.
  17. 17. EFEITOS INDESEJAVÉIS / ADVERSOS Amnésia anterógrada (em alguns casos). Sintomas semelhantes ao da intoxicação alcoólica Andar cambaleando, tagarelice. Sonolência Confusão mental Estados depressivos Tolerância e dependência coordenação motora,
  18. 18. EFEITO ANSIOLÍTICO DO MEDICAMENTO HOMEOPÁTICO TEPEEX O artigo demonstrou que o tratamento da TPM com o medicamento homeopático Tepeex, oferece a vantagem de não afetar a coordenação motora. VIRIATO,E.P ,et al,Brazilian Homeopathic v.11,n1,p.25 – 26,2009
  19. 19. TOLERÂNCIA / DEPENDÊNCIA Ocorre com todos os benzodiazepínicos. Tolerância: alteração ao nível de receptor Dependência: interrupção do uso após semanas ou meses pode causar a síndrome de abstinência (nervosismo, tremor, perda de apetite e convulsões).
  20. 20. BARBITÚRICOS Até os anos 60 eram o maior grupos de substâncias hipnóticas sedativas prescritas. Atividade depressora do SNC produzindo efeitos semelhantes aos anestésicos inalatórios. Altas doses morte por depressão respiratória e cardiovascular. Pentobarbital, fenobarbital, tiopental. Utilizados principalmente em anestesia e no tratamento da epilepsia (não são mais recomendados como hipnóticos sedativos).
  21. 21. MECANISMO DE AÇÃO Aumentam a ação do GABA ligando-se em um sítio específico no receptor GABAA. Parecem aumentar a duração da abertura dos canais regulados por GABA # BZD. Atividade anestésica.
  22. 22. FARMACOCINÉTICA E BIOTRANSFORMAÇÃO Ação Tempo de ½ vida C – Curta Imediata : São usados como anestésico ou sedativo junto com inalantes, ex: Penthotal Sodium Brevital e Surital . I – Intermediária 4 a 6 horas ex: Alurate , Amytal , Butisol Sodium (butabarbital), Nembutal. L - Longa 8 a 16 horas - São usadas no tratamento de epilepsia, no controle de úlceras pépticas e pressão sangüínea alta. Estão nesse grupo o Veronal , Luminal .
  23. 23. PRINCIPAIS EFEITOS COLATERAIS Tolerância e dependência. Interação farmacológicas muito importante: aumenta o metabolismo de muitos fármacos. Interage com o álcool e outros depressores do SNC potencializando seus efeitos. Pequena faixa terapêutica.
  24. 24. BUSPIRONA Droga do grupo das azapironas lançada com a expectativa de não apresentar os inconvenientes dos BDZ: sedação e dependência. Utilizada como segunda escolha no transtorno de ansiedade generalizada quando existem contraindicações para o uso de antidepressivos ou BDZs.
  25. 25. MECANISMO DE AÇÃO Não interage com o GABA e nem de forma direta com o canal de cloro e por este motivo não produz sedação, interação com o álcool, não interfere na performance motora, e não apresenta potencial de abuso.
  26. 26. ABSORÇÃO, DISTRIBUIÇÃO E METABOLISMO Absorvida pelo trato gastrointestinal. Pico sanguíneos são alcançados em 1 a 1,5h. É intensamente metabolizada,com menos de 1% da droga original sendo excretada inalterada na urina. Meia - vida de eliminação de 4 a 6 h.
  27. 27. O USOS CLÍNICOS Ansiedade Em pacientes idosos, normalmente mais sensíveis aos BDZs. Pacientes com alto potencial de abuso ao álcool ou aos BDZs.
  28. 28. EFEITOS COLATERAIS E REAÇÕES ADVERSAS Mais comuns são tonturas: Cefaléia Náusea Fadiga Inquietude Não se tem relatos de abuso, dependência, nem sintomas de abstinência.
  29. 29. BIBLIOGRAFIA SILVA,Penildon,Farmacologia Básica,Rio de Janeiro:Guanabara Koogan,7.ed.2006. VIRIATO, E. P. et al. Efeito ansiolítico do medicamento homeopático Tepeex. Brazilian Homeopathic Jounal, v. 11, n. 1, p. 25 – 26. 2009. POYARES, D. et al. Hipnoindutores e insônia, Revista Brasileira de Psiquiatria. 2005;27(Supl I). SANTIAGO,M.B. et al.Sedação e analgesia em crianças:uma abordagem prática para situações maisfrequentes,J.Pediatria.(Rio J.) vol.83 no.2 suppl.0 Porto Alegre Maio 2007.
  30. 30. MENSAGEM “ O homem só consegue descobrir novos oceanos quando tem a coragem de tirar os olhos da terra." Autor: (Desconhecido)

×