Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Apresentacao 01 projeto_lhc

1,102 views

Published on

Primeira aula do Projeto ' Aprendendo Física com o LHC', apresentado dia 25 de agosto de 2010, pela disciplina de Atividades de Ensino de Física III, do curso de Licenciatura em Física da FURG

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Apresentacao 01 projeto_lhc

  1. 1. Conhecendo o anti-eu, Conhecendo o anti-você
  2. 2. “ Antimatéria?—é um combustível poderoso, né? Vi isso nos filmes 'Anjos e Demônios' e 'Jornada nas Estrelas'.” “ Acho que tem a ver com espaçonaves qeu se movem a velocidade da luz – elas usam reatores com antimatéria, né?” “ Li numa revista que ela pode se tornar uma fonte de combustível no futuro.” “ OK. Diga-me— afinal de contas, o que É antimatéria?” “… onde podemos conseguir um pouco? O carro deve ficar muito mais veloz!” A SEGUIR MOSTRAMOS ALGUMAS QUESTÕES SOBRE ANTIMATÉRIA, QUE SURGEM ENTRE OS ALUNOS DOS PRIMEIROS ANOS DO ENSINO MÉDIO
  3. 3. Do filme “Anjos & Demônios” (2009) * To see the video, click on the picture :
  4. 4. Antimatéria já esteve perto da cultura popular bem antes do lançamento do filme “Anjos & Demônios” ( ou do livro de 2000 do novelista Dan Brown, no qual o filme está baseado). As frases seguintes são alguns exemplos, da série de TV “Jornada nas Estrelas” (anos 60):
  5. 5. De Jornada nas Estrelas – série original Episódio da 3a. Temporada (1969 ) Spock: Quando eu acesso o controle de combustível da nave, existe um tubo conectado à câmara de reação matéria-antimatéria. Scotty: Isto mesmo, existe um acesso de serviço, mas isso não quer dizer que seja usado enquanto o integrador opera. Spock: Mesmo assim, está ali e pode interromper o fluxo de combustível naquele ponto. Scotty: Com o quê? Com as mãos nuas, sem proteção? Spock: Uma sonda magnética. Scotty: Qualquer matéria que entrar em contato com a antimatéria desencadearaá uma explosão. E não acredito que um homem possa viver neste acesso durante o fluxo de energia do campo magnético que mantém a antimatéria aprisionada! Spock: Posso tentar!. Scotty: Você vai acabar morrendo lá! Spock: Se não tivermos outra solução, rápido, este é o destino que nos espera. Star Trek © Paramount Pictures
  6. 6. De Jornada nas Estrelas – série original Episódio da 1a. Temporada (1967) Kirk: Não estou entendendo você. Spock: Dois universos paralelos – imagine isso—um positivo e outro negativo. Ou mais especificamente, um matéria, outro antimatéria. Kirk: Você tem certeza do que está dizendo? Matéria e antimatéria tem uma tendência a mutuamente se cancelarem - violentamente Spock: Precisamente. Sob certas condições— quando duas partículas idênticas de matéria e antimatéria se encontram. Aniquilação, Jim. Total, completa e absoluta. Star Trek © Paramount Pictures
  7. 7. De Jornada nas Estrelas – A próxima geração Episódio da 1a. Temporada (1988) Voz do Computador: Última questão do teste hipermídico de física: “Se tanques de matéria e antimatéria numa espaçonave intergaláctica estão 90% vazios, calcule a taxa de mistura necessária para alcançar a base estelar, distante 100 anos-luz, numa velocidade warp 8”. Comece agora. Star Trek © Paramount Pictures
  8. 8. Bem , isto são algumas coisas que filmes e a TV nos tem falado sobre a antimatéria. Mas, qual é a realidade?
  9. 9. Apenas QUATRO partículas compõem toda a matéria visível no Universo…
  10. 10. Apenas QUATRO partículas compõem toda a matéria visível no Universo… electron neutrino up quark down quark
  11. 11. Mas o Universo ainda tem outras partículas escondidas debaixo da manga. Por exemplo, cada partícula da matéria tem um gêmeo. Não, não é um gêmeo mau… electron neutrino up quark down quark
  12. 12. … um gêmeo de ANTIMATÉRIA. Tradicionalmente usa-se uma pequena barra no símbolo da partícula de antimatéria para distingui-la do símbolo para sua gêmea de matéria (a exceção é o pósitron, onde usamos um ‘+’ no lugar do ‘  ’ do elétron). electron neutrino up quark down quark positron anti-neutrino anti-up quark anti-down quark
  13. 13. Antimatéria não é algo somente da ficção científica. Ela existe. É o assunto (ou melhor, o antiassunto) da ciência. Tradicionalmente usa-se uma pequena barra no símbolo da partícula de antimatéria para distingui-la do símbolo para sua gêmea de matéria (a exceção é o pósitron, onde usamos um ‘+’ no lugar do ‘  ’ do elétron). electron neutrino up quark down quark positron anti-neutrino anti-up quark anti-down quark
  14. 14. Matéria, Antimatéria: Qual é a diferença?
  15. 15. Existe uma diferença sutil e óbvia: Matéria, Antimatéria: Qual é a diferença? − 1 +1
  16. 16. Existe uma diferença sutil e óbvia: Uma partícula de matéria que tem uma CARGA ELÉTRICA tem uma antipartícula gêmea com a carga exatamente oposta. Matéria, Antimatéria: Qual é a diferença? − 1 +1
  17. 17. Existe uma diferença sutil e óbvia: Uma partícula de matéria que tem uma CARGA ELÉTRICA tem uma antipartícula gêmea com a carga exatamente oposta. Por exemplo, se o elétron tem carga igual a  1, Matéria, Antimatéria: Qual é a diferença? − 1 +1
  18. 18. Existe uma diferença sutil e óbvia: Uma partícula de matéria que tem uma CARGA ELÉTRICA tem uma antipartícula gêmea com a carga exatamente oposta. Por exemplo, se o elétron tem carga igual a  1, Matéria, Antimatéria: Qual é a diferença? − 1 +1 − 1 Electron Charge:  1
  19. 19. Existe uma diferença sutil e óbvia: Uma partícula de matéria que tem uma CARGA ELÉTRICA tem uma antipartícula gêmea com a carga exatamente oposta. Por exemplo, se o elétron tem carga igual a  1, então sua antipartícula, o pósitron, tem carga igual a  1. Matéria, Antimatéria: Qual é a diferença? +1 − 1 Electron Charge:  1
  20. 20. Existe uma diferença sutil e óbvia: Uma partícula de matéria que tem uma CARGA ELÉTRICA tem uma antipartícula gêmea com a carga exatamente oposta. Por exemplo, se o elétron tem carga igual a  1, então sua antipartícula, o pósitron, tem carga igual a  1. Matéria, Antimatéria: Qual é a diferença? − 1 +1 Electron Charge:  1 Positron Charge:  1
  21. 21. Lembre-se que prótons e neutrons São compostos por combinações específicas de quarks up e down, e que estes quarks tem carga fracionária…
  22. 22. Composto de: 2 quarks up e 1 quark down Carga total: ⅔ + ⅔ − ⅓ = +1 PRÓTON ( p ) +⅔ +⅔  ⅓
  23. 23. Composto de: 1 quark up e 2 quarks down Carga total: ⅔ − ⅓ − ⅓ = 0 +⅔  ⅓  ⅓ NEUTRON ( n )
  24. 24. Da mesma forma, combinações específicas de quarks anti-up e anti-down formam antiprótons and antineutrons. Novamente, os quarks anti-up e anti-down tem a carga elétrica oposta a seus gêmeos da matéria…
  25. 25. Composto de: 2 quarks anti-up e 1 quark anti-down Carga total: -⅔ − ⅔ + ⅓ = −1 ANTIPRÓTON ( p ): -  ⅔  ⅔ +⅓
  26. 26. Composto de: 1 quark anti-up e 2 quarks anti-down Carga total: -⅔ + ⅓ + ⅓ = 0 Note que o antineutron também tem carga nula. Se uma partícula não tem carga, sua antipartícula também não tem carga. ANTINEUTRON ( n ): -  ⅔ +⅓ +⅓
  27. 27. E o que podemos falar sobre a carga???
  28. 28. A CARGA ELÉTRICA DE UMA PARTÍCULA (COMO A MASSA) É UMA PROPRIEDADADE DA MATÉRIA
  29. 29. ALGUMAS PARTÍCULAS TEM UMA CARGA ELÉTRICA, OUTRAS NÃO:
  30. 30. O ELÉTRON E OS QUARKS UP E DOWN SÃO EXEMPLOS DE PARTÍCULAS QUE POSSUEM CARGA: ALGUMAS PARTÍCULAS TEM UMA CARGA ELÉTRICA, OUTRAS NÃO: CARGA DO QUARK UP = + ⅔ CARGA DO ELÉTRON = -1 CARGA DO QUARK DOWN = - ⅓
  31. 31. ALGUMAS PARTÍCULAS TEM UMA CARGA ELÉTRICA, OUTRAS NÃO: O FÓTON E O NEUTRINO SÃO EXEMPLOS DE PARTÍCULAS QUE NÃO POSSUEM CARGA: CARGA DO FÓTON = 0 CARGA DO NEUTRINO = 0
  32. 32. O PRÓTON TEM UMA CARGA TOTAL DE +1 DEVIDO AOS QUARKS QUE O COMPÕEM CARGA DO PROTON = +1  ⅔  ⅔  ⅓
  33. 33. O NEUTRON TEM UMA CARGA TOTAL NULA DEVIDO AOS QUARKS QUE O COMPÕEM CARGA DO NEUTRON = 0 CARGA DO PROTON = +1  ⅔  ⅔  ⅓  ⅓  ⅓  ⅔ O PRÓTON TEM UMA CARGA TOTAL DE +1 DEVIDO AOS QUARKS QUE O COMPÕEM
  34. 34. VOCÊ PROVAVELMENTE JÁ CONHECE O COMPORTAMENTO DAS PARTÍCULAS CARREGADAS
  35. 35. VOCÊ PROVAVELMENTE JÁ CONHECE O COMPORTAMENTO DAS PARTÍCULAS CARREGADAS POR EXEMPLO, VOCÊ PROVAVELMENTE JÁ TEM IDÉIA DE QUE CARGAS IGUAIS por exemplo, duas cargas negativas
  36. 36. VOCÊ PROVAVELMENTE JÁ CONHECE O COMPORTAMENTO DAS PARTÍCULAS CARREGADAS POR EXEMPLO, VOCÊ PROVAVELMENTE JÁ TEM IDÉIA DE QUE CARGAS IGUAIS por exemplo, duas cargas negativas − −
  37. 37. VOCÊ PROVAVELMENTE JÁ CONHECE O COMPORTAMENTO DAS PARTÍCULAS CARREGADAS POR EXEMPLO, VOCÊ PROVAVELMENTE JÁ TEM IDÉIA DE QUE CARGAS IGUAIS por exemplo, duas cargas negativas − −
  38. 38. VOCÊ PROVAVELMENTE JÁ CONHECE O COMPORTAMENTO DAS PARTÍCULAS CARREGADAS POR EXEMPLO, VOCÊ PROVAVELMENTE JÁ TEM IDÉIA DE QUE CARGAS IGUAIS por exemplo, duas cargas negativas − − vão se REPELIR
  39. 39. VOCÊ PROVAVELMENTE JÁ CONHECE O COMPORTAMENTO DAS PARTÍCULAS CARREGADAS E QUE CARGAS OPOSTAS − +
  40. 40. VOCÊ PROVAVELMENTE JÁ CONHECE O COMPORTAMENTO DAS PARTÍCULAS CARREGADAS E QUE CARGAS OPOSTAS - +
  41. 41. VOCÊ PROVAVELMENTE JÁ CONHECE O COMPORTAMENTO DAS PARTÍCULAS CARREGADAS E QUE CARGAS OPOSTAS vão se ATRAIR - +
  42. 42. UM COMPORTAMENTO DAS PARTÍCULAS CARREGADAS QUE VOCÊ PODE NÃO ESTAR FAMILIARIZADO É O QUE ACONTECE COM ELAS NUM CAMPO MAGNÉTICO
  43. 43. Você provavelmente já viu como linhas de limalha de ferro se formam ao redor de um imã em barra:
  44. 44. Dizemos que a limalha de ferro se alinha com o campo magnético que cerca o imã.
  45. 45. Para mostrar o que acontece às partículas carregadas num campo magnético, Vamos considerar um imã em “ferradura”...
  46. 46. S N Para mostrar o que acontece às partículas carregadas num campo magnético, Vamos considerar um imã em “ferradura”...
  47. 47. N S … e que esta caixa limita a região onde o campo magnético está concentrado.
  48. 48. N S O campo tem uma direção associada com ele, como mostra a seta. A direção do campo magnético sempre aponta do polo Norte para o polo Sul do imã. Direção do campo magnético
  49. 49. N S Se enviamos duas partículas carregadas de massa igual num campo magnético… Direção do campo magnético
  50. 50. N S … uma delas carregada negativamente…  Direção do campo magnético
  51. 51. N S … e outra positivamente carregada…  Direção do campo magnético
  52. 52. N S  … veríamos que a partícula negativa seria desvia nesta direção… Direção do campo magnético
  53. 53. N S  Direção do campo magnético … veríamos que a partícula negativa seria desvia nesta direção…
  54. 54. N S Direção do campo magnético … e a partícula positiva seria desviada com a mesma intensidade mas na direção oposta. 
  55. 55. … e a partícula positiva seria desviada com a mesma intensidade mas na direção oposta. Direção do campo magnético  N S
  56. 56. … e a partícula positiva seria desviada com a mesma intensidade mas na direção oposta. Direção do campo magnético (Isto significa que o uso de um imã desta forma poderia ser usada para DETECTAR que duas partículas DESCONHECIDAS tem a MESMA massa mas cargas OPOSTAS).  N S
  57. 57. Em que matéria e antimatéria se parecem?
  58. 58. Em que matéria e antimatéria se parecem? Até onde podemos falar, partículas e antipartículas tem Massas IDÊNTICAS. (O fato de que o módulo da deflexão de uma partícula e sua antipartícula pelo campo magnético é igual , é uma indicação de que suas massas são idênticas.
  59. 59. Por exemplo… Massa do próton = massa do antipróton
  60. 60. Também ACREDITAMOS, apesar de ainda precisar ser PROVADO experimentalmente, que antimatéria comporta-se de maneira IDÊNTICA à matéria sob a influência da GRAVIDADE.
  61. 61. Por exemplo, Se você fosse capaz de deixar cair uma certa quantidade de matéria e de antimatéria num campo gravitacional, Acreditamos que eles acelerariam precisamente na mesma taxa. Matter Anti- matter
  62. 62. Por exemplo, Se você fosse capaz de deixar cair uma certa quantidade de matéria e de antimatéria num campo gravitacional, Acreditamos que eles acelerariam precisamente na mesma taxa. Matter Anti- matter
  63. 63. Por exemplo, Se você fosse capaz de deixar cair uma certa quantidade de matéria e de antimatéria num campo gravitacional, Acreditamos que eles acelerariam precisamente na mesma taxa. Matter Anti- matter
  64. 64. Assim como para antipartículas fundamentais, Anti-átomos inteiros também são possíveis. De fato, os seres humanos já construíram um deles:
  65. 65. Assim como para antipartículas fundamentais, Anti-átomos inteiros também são possíveis. De fato, os seres humanos já construíram um deles: ANTI-HIDROGÊNIO
  66. 66. Velho e bom HIDROGÊNIO. É o átomo mais simples que conhecemos. Consiste de 1 próton e 1 elétron.
  67. 67. Vamos desenhar um átomo de hidrogênio como um elétron orbitando seu núcleo, um próton .
  68. 68. Vamos desenhar um átomo de hidrogênio como um elétron orbitando seu núcleo, um próton . Hidrogênio (H)
  69. 69. Vamos desenhar um átomo de hidrogênio como um elétron orbitando seu núcleo, um próton . MAS LEMBRE-SE—esta NÃO é uma descrição precisa! (Numa escala apropriada nosso elétron estaria a 1 quilômetro do próton). Hidrogênio (H)
  70. 70. Agora vamos desenhar um átomo de anti-hidrogênio como um pósitron orbitando seu núcleo, um antipróton . (Vale o mesmo aviso!!!) Hidrogênio (H) Vamos desenhar um átomo de hidrogênio como um elétron orbitando seu núcleo, um próton . MAS LEMBRE-SE—esta NÃO é uma descrição precisa! (Numa escala apropriada nosso elétron estaria a 1 quilômetro do próton).
  71. 71. Hidrogênio (H) Agora vamos desenhar um átomo de anti-hidrogênio como um pósitron orbitando seu núcleo, um antipróton . (Vale o mesmo aviso!!!) - Vamos desenhar um átomo de hidrogênio como um elétron orbitando seu núcleo, um próton . MAS LEMBRE-SE—esta NÃO é uma descrição precisa! (Numa escala apropriada nosso elétron estaria a 1 quilômetro do próton). Anti-Hidrogênio (H)
  72. 72. No CERN em 1995, foram construídos os primeiros átomos de ANTI-HIDROGÊNIO. Desde a produção inicial em 1995 de apenas poucos átomos em 3 semanas, uns poucos milhões foram produzidos pelo mundo afora nos anos seguintes. Apesar de parecer impressionante, lembre-se que são necessários aproximadamente 600,000,000,000,000,000,000,000 átomos para compor um único grama de anti-hidrogênio. http://press.web.cern.ch/press/PressReleases/Releases1996/PR01.96EAntiHydrogen.html Antihydrogen Atoms Made At Cern http://cool-antihydrogen.web.cern.ch/cool-antihydrogen/
  73. 73. Até onde podemos trabalhar com isso? Podemos construir outros anti-átomos? Por exemplo anti-carbono, anti-nitrogênio, anti-oxigênio?
  74. 74. Até onde podemos trabalhar com isso? Podemos construir outros anti-átomos? Por exemplo anti-carbono, anti-nitrogênio, anti-oxigênio? ? E que tal uma nova anti-tabela periódica?
  75. 75. Até onde podemos trabalhar com isso? Podemos construir outros anti-átomos? Por exemplo anti-carbono, anti-nitrogênio, anti-oxigênio? ? E que tal uma nova anti-tabela periódica?
  76. 76. Até onde podemos trabalhar com isso? Podemos construir outros anti-átomos? Por exemplo anti-carbono, anti-nitrogênio, anti-oxigênio? ? E que tal uma nova anti-tabela periódica?
  77. 77. Até onde podemos trabalhar com isso? Podemos construir outros anti-átomos? Por exemplo anti-carbono, anti-nitrogênio, anti-oxigênio? ? E que tal uma nova anti-tabela periódica?
  78. 78. FALANDO TEORICAMENTE, COMBINAÇÕES DE PÓSITRONS, ANTIPRÓTONS E ANTINEUTRONS PODERIAM GERAR ANTI-VERSÕES DE TODOS OS ELEMENTOS NA TABELA PERIÓDICA.
  79. 79. Podemos também prever que a QUÍMICA DA ANTIMATÉRIA será idêntica a boa e velha QUÍMICA DA MATÉRIA
  80. 80. Apesar de isso poder aborrecer seu professor de Química, basicamente ela estuda o que acontece quando conjuneto de átomos aparecem juntos.
  81. 81. Apesar de isso poder aborrecer seu professor de Química, basicamente ela estuda o que acontece quando conjuneto de átomos aparecem juntos. Quando 2 átomos de hidrogênio se aproximam, seus núcleos se repelem (por quê?). Esta repulsão acontece porque o elétron num átomo atrai o próton no outro átomo.
  82. 82. Apesar de isso poder aborrecer seu professor de Química, basicamente ela estuda o que acontece quando conjuneto de átomos aparecem juntos. Quando 2 átomos de hidrogênio se aproximam, seus núcleos se repelem (por quê?). Esta repulsão acontece porque o elétron num átomo atrai o próton no outro átomo. A melhor configuração possível é quando os átomos estão ligados . Então temos uma molécula de hidrogênio.
  83. 83. COMO EXERCÍCIO, PODEMOS REFAZER A FORMAÇÃO DA MOLÉCULA DE HIDROGÊNIO, APENAS AGORA USANDO ÁTOMOS DE ANTI-HIDROGÊNIO . EXISTIRIA ALGUMA DIFERENÇA DO PONTO DE VISTA DAS FORÇAS DE ATRAÇÃO E REPULSÃO? ENTÃO UMA MOLÉCULA DE ANTI-HIDROGÊNIO SERIA FORMADA?
  84. 84. COMO EXERCÍCIO, PODEMOS REFAZER A FORMAÇÃO DA MOLÉCULA DE HIDROGÊNIO, APENAS AGORA USANDO ÁTOMOS DE ANTI-HIDROGÊNIO . EXISTIRIA ALGUMA DIFERENÇA DO PONTO DE VISTA DAS FORÇAS DE ATRAÇÃO E REPULSÃO? ENTÃO UMA MOLÉCULA DE ANTI-HIDROGÊNIO SERIA FORMADA? (Em relação às forças de atração e repulsão, existe uma completa simetria entre os dois casos. Então uma molécula de anti-hidrogênio SERIA formada.)
  85. 85. Podemos seguir adiante?
  86. 86. Podemos seguir adiante? Se moléculas de anti-hidrogênio são uma possibilidade teórica, E A química da antimatéria é idêntica à da matéria…
  87. 87. Podemos seguir adiante? Se moléculas de anti-hidrogênio são uma possibilidade teórica, E A química da antimatéria é idêntica à da matéria… Então que tal moléculas CADA VEZ MAIORES?
  88. 88. Podemos seguir adiante? Se moléculas de anti-hidrogênio são uma possibilidade teórica, E A química da antimatéria é idêntica à da matéria… Então que tal moléculas CADA VEZ MAIORES? COMO UM PEQUENO EXPERIMENTO MENTAL, SIGA NESTA LINHA DE PENSAMENTO ATÉ VOCẼ DESISTIR… ATÉ ONDE VOCÊ PODE CHEGAR?
  89. 89. E que tal falarmos de um Anti-Você? Como seu Anti-Você se pareceria?
  90. 90. E que tal falarmos de um Anti-Você? Como seu Anti-Você se pareceria? Se começarmos com você
  91. 91. E que tal falarmos de um Anti-Você? Como seu Anti-Você se pareceria? Se começarmos com você Insert your photo here
  92. 92. E que tal falarmos de um Anti-Você? Como seu Anti-Você se pareceria? Se começarmos com você e revertermos as cargas de todas as partículas que formam você (em outras palavras mudar seus elétrons para pósitrons, seus prótons para antiprótons, e seus neutrons para antineutrons), As forças resultantes seriam as mesmas. Insert your photo here
  93. 93. E que tal falarmos de um Anti-Você? Como seu Anti-Você se pareceria? Se começarmos com você e revertermos as cargas de todas as partículas que formam você (em outras palavras mudar seus elétrons para pósitrons, seus prótons para antiprótons, e seus neutrons para antineutrons), As forças resultantes seriam as mesmas. Estas forças é que dão a você sua estrutura—e portanto, sua aparência. Insert your photo here
  94. 94. Então, o Anti-Você se pareceria exatamente como Você. Insert your photo here AGAIN
  95. 95. Então, o Anti-Você se pareceria exatamente como Você. Porém, se Você e seu Anti-Você se encontrassem... Insert your photo here AGAIN
  96. 96. Então, o Anti-Você se pareceria exatamente como Você. Porém, se Você e seu Anti-Você se encontrassem... Insert your photo here AGAIN O que aconteceria, afinal ?!?!?!
  97. 97. Nota Final: Algumas vezes você perceberá o anti-objeto desenhado como Uma imagem espelhada em negativo do objeto original. Por exemplo: Material adaptado do módulo de ensino do CERN BANANA ANTI-BANANA

×