Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Revisional de Linguagens para o ENEM-2016: Literatura e Artes

12,298 views

Published on

Literatura no ENEM, Artes no ENEM, Barroco, Romantismo, Intertextualidade, Modernismo, Realismo, Funções da Linguagem, Figuras de Linguagem, Vanguardas europeias, Pop art, Ironia, Ambiguidade, Polissemia, Impressionismo, Nova literatura marginal das periferias, Modernismo: segunda geração, Modernismo: terceira geração, Modernismo: primeira geração, Modernismo: quarta geração, Hiperrealismo, Salinha de redação, Salinha de redação em BH, Salinha de redação em Belo Horizonte

Published in: Education
  • Be the first to comment

Revisional de Linguagens para o ENEM-2016: Literatura e Artes

  1. 1. revisional prevê Literatura & Artes para o ENEM-2016 Manoel Neves
  2. 2. KUSH, Vladimir. Disponível em: h9p://www.mdig.com.br/?itemid=3373. Acesso em: 23 ago. 2015.
  3. 3. QUESTÃO 01 revisional prevê para o ENEM-2016 A obra de Vladimir Kush, pintor russo contemporâneo, guarda relação com as vanguardas do início do século XX, notadamente com o Surrealismo. O procedimento estéPco uPlizado para arPcular os elementos presentes na imagem em análise também aparece no fragmento transcrito em: a) Bananeiras/ O sol/ O cansaço da ilusão/ Igrejas/ O ouro da serra de pedra/ A decadência. [ANDRADE, O. São José del Rey.] b) À dolorosa luz das lâmpadas elétricas da fábrica/ Tenho febre e escrevo./ Escrevo rangendo os dentes... [CAMPOS, Á. Ode triunfal.] c) A nebulosidade ameaçadora/ Tolda o éter, mancha a gleba, agride os rios/ E urde amplas teias de carvões sombrios/ No ar que álacre e radiante, há instantes, fora. [ANJOS, A. A noite.]. d) Berr... bum, bumbum, bum.../ Ssi... bum, papapa bum, bumm/ Zazzaau... Dum, bum, bumbumbum/ Prä, prä, prä... râ, äh-äh, aa.../ Haho!... [KASSAK, L. A batalha] e) Chove pastéis em Vila Isabel […]. Dizia-se a princípio que era chuva de pedra. Logo se notou que as pedras se desmanchavam no chão, espalhando um recheio mole e odorante – um acontecimento estranho às leis da meteorologia. [MACHADO, Aníbal. João Ternura]
  4. 4. SOLUÇÃO COMENTADA revisional prevê para o ENEM-2016 A imagem em análise trabalha com o conceito de analogia [escada = tronco; copa da árvore = nuvem]. Tal procedimento, ppico do surrealismo, aparece no fragmento transcrito na alternaPva “e” [chuva de pastel]. Nas demais alternaPvas, há diálogo com outras vanguardas, a saber: a) cubismo; b) futurismo; c) expressionismo; d) dadaísmo. conteúdos abordados na questão vanguardas europeias
  5. 5. O Delei lançou o Assis no lado direito da intermediária deles. Com a bola dominada, o Assis entrou na área sozinho e logo chutou no canto direito, a meia altura. O Raul ficou no meio do caminho, sem saber se ia no Assis ou se ficava esperando o chute. Não fez nem uma coisa nem outra, e tomou o gol. A torcida do Flamengo estava gritando é campeão é campeão é campeão e eu eu eu Fluminense se fudeu e parou de gritar. Foi lá pelos quarenta e cinco minutos e alguma coisa do segundo tempo. A torcida do Fluminense começou a gritar é campeão é campeão é campeão e eu eu eu o Flamengo se fudeu. Eu fiquei muito feliz. SANT’ANNA, André. A vida é assim. In.: O Brasil é bom. São Paulo: Companhia das Letras, 2014.
  6. 6. QUESTÃO 02 revisional prevê para o ENEM-2016 André Sant’Anna é um dos principais expoentes da literatura brasileira produzida depois dos anos 1990. Sua obra insere-se na vertente do hiperrealismo e caracteriza-se pela apropriação irônica dos discursos do senso comum produzidos pelos grupos sociais que habitam os grandes centros urbanos. Quanto à arPculação do discurso no fragmento do conto transcrito, percebe-se claramente que: a) O locutor apropria-se criPcamente dos discursos meta{sicos que circulam na sociedade brasileira no final dos anos 1990. b) As vozes que constroem o texto em análise manifestam-se, principalmente, por meio do discurso indireto livre, com fusão das perspecPvas do narrador e da personagem. c) O padrão linguísPco adotado é o formal, culto, o que se constata por meio do uso de expressões como “intermediária” e “chutou logo no canto direito”. d) Apesar da presença de verbos discendi, não há marcas gráficas nem conjunções que indiquem a mudança de locutores ao longo da narraPva. e) A narraPva é altamente impessoal, o que se nota por meio do distanciamento do narrador em relação ao objeto do seu relato.
  7. 7. SOLUÇÃO COMENTADA revisional prevê para o ENEM-2016 No fragmento do conto de André Sant’Anna, o enunciador apresenta, em sequência, sem marcadores linguísPcos de transição discursiva, o relato de uma parPda de futebol e a reação da torcida. A inovação na técnica narraPva, a preferência pelo conto e o retrato cru do coPdiano das cidades grandes são alguns dos traços mais relevantes da narraPva produzida no Brasil depois dos anos 1960. Assinale-se, pois, a alternaPva “d”. conteúdos abordados na questão modernismo: quarta geração, narraBva contemporânea [hiperrealismo], gênero épico
  8. 8. Minha terra tem palmeiras, Onde canta o Sabiá; As aves, que aqui gorjeiam, Não gorjeiam como lá. Nosso céu tem mais estrelas, Nossas várzeas têm mais flores, Nossos bosques têm mais vida, Nossa vida mais amores. [...] Minha terra tem primores, Que tais não encontro eu cá; Em cismar — sozinho, à noite — Mais prazer eu encontro lá; Minha terra tem palmeiras Onde canta o Sabiá. Minha terra tem primores, Que tais não encontro eu cá; Em cismar — sozinho, à noite — Mais prazer eu encontro lá; Minha terra tem palmeiras Onde canta o Sabiá. Não permita Deus que eu morra, Sem que eu volte para lá; Sem que desfrute os primores Que não encontro por cá; Sem qu’inda aviste as palmeiras Onde canta o Sabiá. DIAS, G. Canção do exílio. Disponível em: h9p://pt.wikipedia.org/wiki/Canção_do_Ex%C3%ADlio.
  9. 9. Minha terra tem Datena, Bolsonaro e Sheherazade, Que me causam muita pena, Mas nenhuma piedade. Nossa fauna é bem sorPda: Tem padrecos sem pudores, ProsPtutas reprimidas, Liberais conservadores. Ao ouvir o reverendo, Especulo me mudar, Tem neguinho defendendo Ditadura militar. Minha terra tem pastores Que dão medo de escutar. Ao ouvir o reverendo, Especulo me mudar. O paPfe faz a cena E virou parlamentar. Que me mandem pra Gomorra, Pra Crimeia ou Bagdá! Deus me livre dos pastores, Que eu não sou Ali Babá! Aos acólitos da ARENA: Vade retro – sarava! SANTIAGO, Emmanuel. Canção do exilem-me. In.: Facebook. 25 mar. 2014.
  10. 10. QUESTÃO 03 revisional prevê para o ENEM-2016 Observando as relações que a “Canção do exilem-me” estabelece com a “Canção do exílio”, de Gonçalves Dias, nota-se que o poema de Emmanuel SanPago: a) consPtui uma paráfrase, pois apropria-se de vários elementos temáPcos e formais do texto de Gonçalves Dias. b) é claramente um pasPche, na medida em que arPcula-se como uma cópia da perspecPva ideológica do texto do poeta românPco. c) é um meme, pois, além de apresentar todas as caracterísPcas de um “viral”, foi publicado nas redes sociais e possui caráter eminentemente irônico. d) é uma bricolagem, porque apresenta elementos linguísPcas que reproduzem a mesma estrutura gramaPcal da “Canção do exílio”, de Gonçalves Dias. e) trata-se de uma paródia, pois os dois textos tratam do mesmo tema, ainda que a abordagem de SanPago adote uma linha ideológica diferente do texto de Dias.
  11. 11. SOLUÇÃO COMENTADA revisional prevê para o ENEM-2016 A linha argumentaPva presente no poema de Emmanuel SanPago é claramente irônica, críPca, ácida. Nesse senPdo, é fácil perceber que o enunciador presente no texto arPcula um discurso contrário a ascensão do pensamento conservador verificada depois de 2013. Por isso, deve-se assinalar a alternaPva “e”. conteúdos abordados na questão intertextualidade
  12. 12. Disponível em: h9p://portaldoprofessor.mec.gov.br. Acesso em: 04 mai. 2014.
  13. 13. QUESTÃO 04 revisional prevê para o ENEM-2016 A ironia consiste em afirmar o contrário daquilo que se pensa. Tal recurso decorre sempre de um marcador linguísPco claramente expresso. Na charge em análise, o efeito irônico origina-se do um recurso empregado na construção textual, que é: a) o humor, porque tanto o texto verbal quanto o não verbal permitem ao leitor entrever que a charge é altamente engraçada. b) a ambiguidade, que permite ao leitor entender muito claramente dois senPdos para uma mesma expressão. c) o zoomorfismo, na medida em que, ao apresentar uma personagem tal qual um animal assado, visa-se a criPcar um comportamento selvagem. d) o zeugma, porque há um referente implícito fora do texto que acaba funcionando como componente capaz de gerar efeito de humor. e) o aforismo, pois o texto leva o leitor a reflePr acerca da sua condição existencial e do grau de evolução da sociedade em que vive.
  14. 14. SOLUÇÃO COMENTADA revisional prevê para o ENEM-2016 No texto em análise, a expressão Este ano, vou começar com o pé direito pode ser entendida de duas formas, a saber: a) vou começar comendo o pé direito [denotação]; b) vou começar bem [conotação]. Deve-se, pois, assinalar a alternaPva “b”. conteúdos abordados na questão ambiguidade, polissemia, ironia
  15. 15. Filho meu, guarda as minhas palavras, e esconde dentro de P os meus mandamentos. Guarda os meus mandamentos e vive; e a minha lei, como a menina dos teus olhos. Ata aos teus dedos, escreve-os na tábua do teu coração. Disponível em: h9p://portaldoprofessor.mec.gov.br. Acesso em: 04 mai. 2014.
  16. 16. QUESTÃO 05 revisional prevê para o ENEM-2016 Pela análise do texto, percebe-se a presença marcante de uma determinada função da linguagem, por intermédio da qual o locutor: a) imprime ao texto as marcas de sua aPtude pessoal, seus senPmentos. b) transmite informações objePvas sobre o tema de que trata o texto. c) busca persuadir o receptor do texto a adotar um certo comportamento. d) procura explicar a própria linguagem que uPliza para construir o texto. e) objePva verificar ou fortalecer a eficiência da mensagem veiculada.
  17. 17. SOLUÇÃO COMENTADA revisional prevê para o ENEM-2016 O grande volume de verbos no imperaPvo [guarda, ata, esconde, vive, escreve] indica que o texto em análise arPcula um discurso injunPvo, instrucional. Por isso, deve-se assinalar a alternaPva “c”. conteúdos abordados na questão funções da linguagem
  18. 18. MONET, Claude. Impressão do nascer do sol. Art authority, 2013. AplicaPvo
  19. 19. QUESTÃO 06 revisional prevê para o ENEM-2016 Impressão do nascer do sol é a obra que deu origem ao Impressionismo na pintura. Um dos traços mais marcantes dessa estéPca presente na imagem é: a) o uso da cor preta, que confere detalhes bem definidos aos objetos representados. b) a repePção de um mesmo moPvo temáPco, com vistas a demonstrar os efeitos produzidos pela luz no objeto. c) a presença de sombras coloridas e luminosas, que demonstram, de certa forma, o reflexo da luz do sol na paisagem. d) a representação das angúsPas do sujeito, o que se manifesta principalmente no uso de cores sombrias e noturnas. e) a niPdez e o realismo que acabam por conferir um realismo hiperbólico às cenas representadas.
  20. 20. SOLUÇÃO COMENTADA revisional prevê para o ENEM-2016 Na pintura em análise, nota-se claramente a presença de sombras coloridas – um dos traços inovadores da pintura impressionista. Assinale-se, portanto, a letra “c”. conteúdos abordados na questão impressionismo
  21. 21. Carregado de mim ando no mundo, E o grande peso embarga-me as passadas, Que como ando por vias desusadas, Faço o peso crescer, e vou-me ao fundo. O remédio será seguir o imundo Caminho, onde dos mais vejo as pisadas, Que as bestas andam juntas mais ornadas, Do que anda só o engenho mais profundo. Não é fácil viver entre os insanos, Erra, quem presumir, que sabe tudo, Se o atalho não soube dos seus danos. O prudente varão há de ser mudo, Que é melhor neste mundo o mar de enganos Ser louco cos demais, que ser sisudo. MATOS, Gregório de. Carregado de mim ando no mundo. Disponível em: h9p://pt.wikisource.org/wiki/ Carregado_de_mim_ando_no_mundo. Acesso em: 21 mai. 2014.
  22. 22. QUESTÃO 07 revisional prevê para o ENEM-2016 Gregório de Matos é o maior nome da poesia barroca escrita em língua portuguesa. Sua obra contempla tanto temas religiosos, como temas mundanos. Sua poesia vai da sáPra mais chula ao mais fino rebuscamento lírico. O soneto transcrito acima: a) filia-se à tradição meta{sica da poesia brasileira inaugurada no QuinhenPsmo. b) possui fortes traços naPvistas, o que se nota mormente por meio do uso do padrão formal da língua. c) arPcula-se por intermédio da críPca contundente às ações moralmente condenáveis praPcadas por aqueles a que o sujeito poéPco se opõe. d) apresenta tanto traços medievais quanto renascenPstas, o que confirma seu caráter barroco. e) é ppica da chamada vertente brasileira da poesia de Gregório de Matos.
  23. 23. SOLUÇÃO COMENTADA revisional prevê para o ENEM-2016 O sujeito poéPco arPcula seu discurso com o objePvo de criPcar o “desconcerto do mundo” [a crença segundo a qual o mundo encontra-se errado], tema que aparece tanto na poesia de Shakespeare quanto na de Camões. Trata-se de uma peça de caráter filosófico. Marque-se, pois, a letra “a”. conteúdos abordados na questão barroco
  24. 24. HAMILTON, Richard. O que exatamente torna os lares de hoje tão diferentes, tão atraentes?, 1956.
  25. 25. QUESTÃO 08 revisional prevê para o ENEM-2016 “O que torna os lares de hoje tão diferentes, tão atraentes?”, do inglês Richard Hamilton, é considerada precursora do movimento de arte contemporânea denominado Pop Art. Na obra em questão, observa-se: a) uma exaltação exacerbada, ilimitada e absurda do objeto, cujo objePvo é anular sua realidade intrínseca. b) síntese de formas que visa à construção de uma estéPca primiPva e nacional. c) uPlização de objetos do coPdiano, que tornam a obra de abrangência regional. d) encenação da crise da arte no século XX e a massificação da cultura capitalista. e) uma performance que tem por objePvo quesPonar os limites entre o que pode e não pode ser considerado arte.
  26. 26. SOLUÇÃO COMENTADA revisional prevê para o ENEM-2016 A obra em análise, pioneira do movimento inPtulado Pop Art, arPcula-se por meio de uma colagem de elementos do mundo do consumo [sofá, televisão, aspirador de pó, entre outros] aos quais se juntam os corpus objePficados seminus de um homem e de uma mulher. Na medida em que se arPcula a parPr de uma colagem de elementos que não são propriamente do mundo da arte, a Pop Art aproxima-se do Dadaísmo. Nesse senPdo, a elevação de elementos da cultura pop ao status de arte visa a quesPonar quais os limites entre o que pode ou não ser considerado arte. Por isso, deve-se assinalar a alternaPva “d”. conteúdos abordados na questão arte contemporânea [pop art]
  27. 27. MALFATTI, Anita. A estudante. Disponível em: h9p://www.wikiart.org. Acesso em: 31 dez. 2015.
  28. 28. QUESTÃO 09 revisional prevê para o ENEM-2016 Anita Malfa† foi uma das principais representantes do modernismo brasileiro. O quadro acima, de 1916, possui traços esPlísPcos que o aproximam: a) do primiPvismo cubista, na medida em que se valorizam elementos pictóricos nacionais. b) do ready made, posto que seu objePvo é quesPonar os limites da arte dentro do contexto das vanguardas europeias. c) da ideia segundo a qual a obscuridade do ser deve ser transportada para o plano da expressão. d) do irracionalismo dadaísta, que, inspirado pela crise representada pela Primeira Guerra, relaPviza conceitos de Belo e de Arte. e) da arte fluxus, que quer fundir aspectos biográficos da autora às experiências arpsPcas e estéPcas.
  29. 29. SOLUÇÃO COMENTADA revisional prevê para o ENEM-2016 A obra A estudante é claramente expressionista, pois apresenta uma personagem com um semblante bastante triste. Posto que um dos principais traços da referida vanguarda europeia consiste na revelação da obscuridade do ser, deve-se assinalar a alternaPva “c”. conteúdos abordados na questão vanguardas europeias
  30. 30. Pisou com firmeza no chão gretado, puxou a faca de ponta, esgaravatou as unhas sujas. Tirou do aió um pedaço de fumo, picou-o, fez um cigarro com palha de milho, acendeu-o ao binga, pôs-se a fumar regalado. – Fabiano, você é um homem, exclamou em voz alta. Conteve-se, notou que os meninos estavam perto, com certeza iam admirar-se ouvindo-o falar só. [...] Olhou em torno, com receio de que, fora os meninos, alguém Pvesse percebido a frase imprudente. Corrigiu-a, murmurando: – Você é um bicho, Fabiano. [...] Agora Fabiano era vaqueiro, e ninguém o Praria dali. Aparecera como um bicho, entocara-se como um bicho, mas criara raízes, estava plantado. Olhou as quipás, os mandacarus e os xiquexiques. Era mais forte que tudo isso, era como as caPngueiras e as baraúnas. Ele, sinha Vitória, os dois filhos e a cachorra Baleia estavam agarrados à terra. [...] Fabiano, uma coisa da fazenda, um traste, seria despedido quando menos esperasse. RAMOS, Graciliano. Vidas secas. Rio de Janeiro: Record, 2001.
  31. 31. QUESTÃO 10 revisional prevê para o ENEM-2016 No fragmento acima, percebe-se que o locutor: a) centra seu discurso na denúncia do modo como o meio {sico altera o comportamento da personagem, levando-a a se deslocar no espaço. b) do ready made, posto que seu objePvo é quesPonar os limites da arte dentro do contexto das vanguardas europeias. c) por meio de uma gradação — de homem a bicho, de bicho a coisa resistente e de coisa resistente a traste —, evidencia a desumanização, manifesta no zoomorfismo e na reificação, a que o sistema capitalista submete as pessoas. d) arPcula seu discurso a parPr de apropriação de estruturas frasais ppicas do discurso coloquial, o que confirma sua filiação à fase heroica do modernismo. e) destaca, por intermédio do zoomorfismo, a desumanização a que se encontra submePda o protagonista Fabiano.
  32. 32. SOLUÇÃO COMENTADA revisional prevê para o ENEM-2016 No fragmento de Vidas secas, nota-se a presença de uma gradação por intermédio da qual se evidencia a desumanização a que o sistema capitalista submete o ser humano. Deve-se, pois, marcar a alternaPva “c”. conteúdos abordados na questão modernismo: segunda geração
  33. 33. Catar feijão se limita com escrever; Jogam-se os grãos na água do alguidar E as palavras na folha de papel; E depois, joga-se fora o que boiar. Certo, toda palavra boiará no papel, Água congelada, por chumbo seu verbo: Pois para catar esse feijão, soprar nele, E jogar fora o leve e oco, palha e eco. MELO NETO, João Cabral. Catar feijão. Disponível em: h9p://www.jornaldepoesia.jor.br. Acesso em: 02 jan. 2016. Ora, nesse catar feijão entra um risco: O de que entre os grãos pesados entre Um grão qualquer, pedra ou indigesto, Um grão imasPgável, de quebrar dente Certo não, quando ao catar palavras: A pedra dá à frase seu grão mais vivo: Obstrui a leitura fluviante flutual, Açula a atenção, isca-a com o risco.
  34. 34. QUESTÃO 11 revisional prevê para o ENEM-2016 “Catar feijão” é um dos poemas mais relevantes da lírica de João Cabral de Melo Neto. No texto em questão: a) percebe-se a explanação de uma teoria metalinguísPca, por intermédio da qual o locutor defende que a poesia deve pautar-se pela musicalidade e pelo encantamento manifesto em imagens líricas. b) defende-se a construção de uma poesia substanPva, dura, cerebral, cujo objePvo não é a fruição pura e simples, mas uma compreensão críPca do real. c) evidencia-se a construção de uma poesia engajada que se põe em defesa dos povos oprimidos, cuja vida dura deve ser denunciada pelo poeta. d) o discurso arPcula-se por intermédio de oposições semânPcas que visam a traduzir a poesia cabralina — divida entre a espiritualidade transcendente e a materialidade mineral. e) nota-se predileção por um vocabulário vago, impreciso, subjePvo, que traduz as inquietações espirituais do sujeito poéPco.
  35. 35. SOLUÇÃO COMENTADA revisional prevê para o ENEM-2016 No poema “Catar feijão”, o caráter metalinguísPco aparece anunciado logo no primeiro verso [Catar feijão se limita com escrever]. Ao longo do texto, o sujeito poéPco defende a ideia segundo a qual a poesia deve priorizar o substanPvo [jogar fora o leve e oco] e eliminar os resquícios de sonoridade [jogar fora… palha e eco e obstrui a leitura flutuante fluvial]. Ao final do texto, o enunciador evidencia uma teoria que deixa claro que a poesia deve fazer pensar [a pedra dá à frase seu grão mais vivo... açula a atenção, isca-a com o risco]. Marque-se, pois, a letra “b”. conteúdos abordados na questão modernismo: terceira geração
  36. 36. – Alô, mô, sou eu! – Fernando, o ônibus tá sendo assaltado… – O quê? Fala mais alto! – Tão assaltando o ôni… Puf. – Alô! – Tu tu tu tu… SACOLINHA. 85 letras e um disparo. Disponível em: h9p://sacolaliteraria.blogspot.com.br. Acesso em: 05 jan. 2016.
  37. 37. QUESTÃO 12 revisional prevê para o ENEM-2016 No texto de Sacolinha, no que diz respeito à predominância dos gêneros literários, a) percebe-se niPdamente um caráter lírico, na medida em que uma cena prosaica é apresentada por meio de uma voz poéPca altamente emoPva. b) nota-se a presença do gênero dramáPco, o que se percebe pela mudança de cenário e pelas rubricas. c) poesia, drama e tragédia compõem a peça literária na qual predomina o caráter amoroso. d) vislumbra-se a fusão do épico e do dramáPco, pois a narraPva em questão arPcula-se por meio de um eixo naraPvo com desfecho trágico. e) trata-se de um texto que, por meio de um flash, captura um instante da realidade social para fazer uma reflexão de cunho niilista.
  38. 38. SOLUÇÃO COMENTADA revisional prevê para o ENEM-2016 O conto de Sacolinha aproxima-se do texto teatral tanto pelo pelo grande volume de diálogos quanto pelo final trágico [há, no decorrer do conto, um assassinato]. Sacolinha, pseudônimo de Ademiro Alves, é um dos principais nomes da Nova Literatura Marginal das Periferias [junto com Ferréz e o poeta Sérgio Vaz], cujo objePvo é trazer para o texto literário a interpretação que os excluídos fazem dos mecanismos de exclusão social. Deve-se, pois, assinalar a alternaPva “d”. conteúdos abordados na questão modernismo: quarta geração, a nova literatura marginal das periferias
  39. 39. Você está sentado numa cadeira. Você está sentado nesta cadeira já faz bastante tempo. Você fica sentado nesta cadeira durante muito tempo, diariamente. Você não conseguiria ficar parado em pé por tanto tempo; logo você ficaria cansado, com dor nas pernas. Também não conseguiria permanecer tanto tempo assim deitado na cama, de cara para o teto; essa posição se tornaria cada vez mais incômoda com o passar do tempo, até fazê-lo virar-se para um lado – por exemplo, para o lado esquerdo; mas depois de alguns minutos de bem-estar, seu corpo seria dominado pouco a pouco por uma sensação de desconforto que gradualmente se transformaria numa ideia, de início vaga, depois mais níPda, mais e mais, até cristalizar-se nas palavras: “Esta posição é a menos confortável que há”, e essas palavras em pouco tempo levariam a estas: “A posição mais confortável de todas seria ficar virado para a direita”. A ideia aos poucos se tornaria mais forte, até sobrepujar a inércia natural do corpo, e nesse momento você se viraria para o lado direito. Imediatamente uma sensação deliciosa de prazer lhe invadiria o corpo, como se cada célula sua fosse uma boca a proclamar: “Essa é verdadeiramente a mais confortável de todas as posições”. A nova sensação, porém, não perduraria por muito tempo; logo você seria obrigado a trocar de posição mais uma vez, e todo o ciclo recomeçaria. BRITTO, Paulo. Paraísos arBficiais; contos. São Paulo: Companhia das Letras, 2004.
  40. 40. QUESTÃO 13 revisional prevê para o ENEM-2016 No fragmento transcrito acima, extraído do conto “Os paraísos arBficiais”: a) a presença dos elementos da narraPva permite afirmar que se trata de um texto de ficção que se caracteriza primordialmente pela presença de peripécias, cujo objePvo é manter o leitor interessado na história apresentada. b) traz-se o leitor para dentro da narraPva por intermédio do pronome “você” em uma tentaPva de exorcizar os problemas do dia a dia e fazer com que ele veja a arte como um elemento capaz de permiPr uma vivência críPca da realidade. c) discute-se o poder de a literatura representar situações que estão no limite entre o ficcional e o real, posto que permite a imediata idenPficação entre o leitor e o escritor, o que se nota pela inserção do leitor na narraPva. d) apresentam-se tanto elementos do gênero épico, como narrador, personagem, espaço, tempo, quanto do gênero dramáPco, na medida em que uma personagem inerte está inserida em um cenário sem nada fazer, o que aproxima o texto de Bri9o do Teatro do Absurdo. e) dialoga com o gênero teatral, o que se pode constatar pela presença de diálogos.
  41. 41. SOLUÇÃO COMENTADA revisional prevê para o ENEM-2016 O texto em análise é uma narraPva que apresenta uma situação bastante incomum: a personagem está sentada em uma cadeira em um determinado local e nada acontece! Inacreditavelmente, depois da apresentação dessa cena inicial [no pórPco do texto], o discurso narraPvo constrói-se apenas a parPr do levantamento de hipóteses. Ou seja, nada acontece! A presença de uma personagem isolada, incomunicável e despersonalizada aproxima a narraPva de Bri9o do teatro [de vanguarda] do absurdo, cujo expoente mais conhecido é Samuel Becke9. Marque-se, pois, a letra “d”. conteúdos abordados na questão modernismo: quarta geração, gênero épico, gênero dramáBco
  42. 42. – E você ainda não sabe do melhor episódio da noite? […] Pois saiba que ouvi nada menos que uma declaração de amor. […] – Mas quem foi o paPfe? disse ele impaciente. – Mau, se vamos assim, não digo nada. Quem foi? Quer saber quem foi? Há de ouvir sossegado. Foi o Rubião. […] – Parece que te amofinaste mais do que o caso merecia. Comparar os olhos de uma moça às estrelas, e as estrelas aos olhos, afinal de contas é coisa que até se pode fazer à vista de todos, em família, e em prosa ou verso para o público. A culpa é de quem tem olhos bonitos. Demais, apesar do que me contas, sabes que ele é ainda matuto… – Então o diabo também é matuto, porque ele pareceu-me nada menos que o diabo. E pedir-me que a certa hora olhasse para o Cruzeiro, a fim de que as nossas almas se encontrassem? Mas, CrisPano, como queres tu que lhe fale a primeira vez que ele cá vier? Não tenho cara para tanto; olha, o melhor de tudo é acabar com as relações. […] – Mas, meu amor, eu devo-lhe muito dinheiro. ASSIS, Machado de. Quincas Borba. São Paulo: ÁPca, 2001.
  43. 43. QUESTÃO 14 revisional prevê para o ENEM-2016 No fragmento acima, extraído do romance Quincas Borba, de Machado de Assis, percebe-se a presença a) da observação social do comportamento das classes baixas. b) da descrição detalhada de cenários, objetos e ambientes. c) do comportamento marcado pelo arrivismo social. d) da defesa da independência mental dos brasileiros. e) do amor vencendo os interesses econômicos.
  44. 44. SOLUÇÃO COMENTADA revisional prevê para o ENEM-2016 No fragmento em análise, a personagem masculina, CrisPano Padilha, pauta seu comportamento pelo interesse financeiro: é por isso que pouco se importa com o fato de Rubião haver flertado com sua mulher. Tal comportamento é denominado arrivismo social. Deve-se, pois, assinalar a alternaPva “c”. conteúdos abordados na questão Realismo
  45. 45. Veio uns ômi di saia preta cheiu di caixinha e pó branco qui eles dissserum qui chamava açucri Aí eles falarum e nós fechamo a cara depois eles arripiPrum e nós fechamu o corpo Aí eles insisPrum e nós comumu eles CACASO. Papo de índio. In. HOLLANDA, Heloísa Buarque de. 26 poetas hoje. 2.ed. Rio de Janeiro: Aeroplano, 1998.
  46. 46. QUESTÃO 15 revisional prevê para o ENEM-2016 Cacaso foi um dos grandes nomes da chamada Poesia Marginal dos anos 1970. Em “Papo de índio”, percebem-se aspectos técnicos e temáPcos que dialogam com outras escolas literárias, dentre as quais: a) o naPvismo ufanista que atravessa a produção literária brasileira desde o século XVI até o século XX. b) o nacionalismo ingênuo, que aparece em momentos tão disPntos quanto RomanPsmo, Parnasianismo e Modernismo. c) o gosto pela paródia, ppica dos árcades mineiros que se insurgiram contra o pacto colonial em pleno século XVIII. d) a releitura críPca do antepassado histórico-cultural, perspecPva adotada pelo primeiro momento da poesia moderna. e) a oralidade ppica da literatura do final do século XIX, que, na verdade, ecoava ideais da arte clássica renascenPsta.
  47. 47. SOLUÇÃO COMENTADA revisional prevê para o ENEM-2016 O poema de Chacal dialoga explicitamente com a Antropofagia oswaldiana da primeira geração do modernismo brasileiro. Isso pode ser percebido, por exemplo, no coloquialismo, na revisão críPca do passado histórico-cultural e na críPca veemente à colonização. Marque-se, pois, a alternaPva “d”. conteúdos abordados na questão Modernismo: primeira geração, Modernismo: quarta geração
  48. 48. SIGA-ME NAS REDES SOCIAIS!!! h[p://www.slideshare.net/ma.no.el.ne.ves h[ps://www.facebook.com/nevesmanoel h[ps://www.instagram.com/manoelnevesmn/ h[ps://www.youtube.com/user/TheManoelNeves h[ps://twi[er.com/Manoel_Neves
  49. 49. Conhece meu livro de redação para o ENEM? Vendas: www.manoelneves.com

×