Exercícios sobre regência e crase

3,114 views

Published on

  • Be the first to comment

Exercícios sobre regência e crase

  1. 1. teoria gramaticalRegência e crase: exercícios Manoel Neves
  2. 2. QUESTÃO 01 coesão e coerência (FCChagas-2011) Está adequado o emprego de ambos os elementos sublinhados na frase:A obsolescência e o anacronismo, atributos nos quais os americanos manifestam todo seudesprezo, passaram a se enfeixar com a expressão dez de setembro.O estado de psicose, ao qual imergiram tantos americanos, levou à adoção de medidas desegurança em cuja radicalidade muitos recriminam.A sensação de que o 11/9 foi um prólogo de algo ao qual ninguém se arrisca a pronunciar é umindício do pasmo no qual foram tomados tantos americanos.Não é à descrença, sentimento com que nos sentimos invadidos depois de uma tragédia, é naesperança que queremos nos apegar.Fatos como os de 11/9, com que ninguém espera se deparar, são também lições terríveis, decujo significado não se deve esquecer.
  3. 3. SOLUÇÃO COMENTADA exercícios sobre coesão e coerênciaA única opção que apresenta emprego correto dos articuladores é a letra "e". Observada alíngua formal, teremos em "a", atributos pelos quais os americanos manifestam; em "b", do qualimergiram tantos americanos e cuja radicalidade muitos recriminam; em "c", um prólogo dealgo sobre o qual ninguém se arrisca a pronunciar e do pasmo de que foram tomados; e, em "d",sentimento pelo qual nos sentimos invadidos.
  4. 4. QUESTÃO 02 coesão e coerência(FCChagas-2010) Uma nova e correta redação da frase do Barão de Itararé [Restaure-se amoralidade, ou então nos locupletemos todos!], citada no texto, que preserva o sentidooriginal é:Nos locupletemos todos, quando se restaurar a moralidade.Locupletemo-nos todos, a menos que se restaure a moralidade.Venhamos a nos locupletar, conquanto se restaura a moralidade.Que todos locupletemo-nos, ou então restaure-se a moralidade.Quando todos nos locupletamos, escusado é restaurar a moralidade.
  5. 5. SOLUÇÃO COMENTADA exercícios sobre coesão e coerênciaConsiderando-se os padrões de correção gramatical e a proximidade semântica, a frase quemantém-se próxima da original é a que está transcrita na alternativa “b”.
  6. 6. QUESTÃO 03 coesão e coerência (FCChagas-2008) Está clara, correta e coerente a redação da seguinte frase:A obra do velho não se costuma perdurar porque as pessoas em geral rejeitam o que perfaz osentido de toda a sua vida.De acordo com Sartre, nos defendemos pela acumulação de bens dos outros que julgamosconstituir nossa ameaça.Para os adultos, a criança proporciona um investimento, ao passo que para com os velhoscostuma ocorrer o contrário.Caso não se rendam às mentiras e à persuasão de quem os cuida, há o risco de submeterem osvelhos à violência.É penoso reconhecer que, uma vez abandonados num asilo, muitos velhos ainda creem tratar-sede uma morada provisória.
  7. 7. SOLUÇÃO COMENTADA exercícios sobre coesão e coerênciaA alternativa que não apresenta erro é a letra “e”. Problemas das outras alternativas: a) opronome se não é pedido pela forma verbal costuma; b) ambiguidade em de bens dos outrosque julgamos constituir nossa ameaça e pronome nos “começando” frase; c) pontuação; d) overbo cuidar pede objeto indireto.
  8. 8. QUESTÃO 03 coesão e coerência (FCChagas-2009) É preciso corrigir, por falha estrutural, a redação da frase:Nenhuma das virtudes está imune aos defeitos que representam os excessos com que podemser exercidas.Os excessos da prática de uma virtude podem constituir o mesmo defeito do qual, por princípio,se desejaria combater.O autor considerou uma sutileza filosófica o que expressa o texto citado, no qual também acusaum jogo de palavras.Montaigne não vê senão excesso na reação supostamente virtuosa da mãe de Pausânias, ou nado ditador Postúmio.A alegoria do arqueiro demonstra, de modo prático e objetivo, que a virtude não deve serbuscada nos extremos.
  9. 9. SOLUÇÃO COMENTADA exercícios sobre coesão e coerênciaNa frase transcrita na alternativa “b”, há erro, pois quem deseja combater, deseja combateralgo. Na língua culta, teríamos: podem constituir o mesmo defeito que, por princípio, se desejariacombater.
  10. 10. QUESTÃO 04 coesão e coerência(FCChagas-2008) Estradas de ferro foram construídas em regiões propícias ...... malária e ......outras doenças tropicais, fato que levou ...... morte grande número de trabalhadores.As lacunas da frase acima estão corretamente preenchidas, respectivamente, por:à-a-àa-à-àa-a-aa-à-aà-à-à
  11. 11. SOLUÇÃO COMENTADA exercícios sobre coesão e coerênciaO que é propício, é propício a algo ou a alguma coisa; não existe crase diante de pronome; leva-se algo a alguma coisa. Marque-se, pois, a alternativa “a”.
  12. 12. QUESTÃO 05 coesão e coerência(FGV) ... seis horas da manhã, já estávamos ... esperar o trem que nos levaria ... cidadezinha,de onde iríamos, ... cavalo, ... fazenda do Sr. Juca.Assinale a alternativa que preencha, pela ordem, corretamente, as lacunas.As, à, a, à, àÀs, a, à, à, àAs, a, à, a, àÀs, a, à, a, àAs, à, à, a, a
  13. 13. SOLUÇÃO COMENTADA exercícios sobre coesão e coerênciaSempre há crase diante de numeral indicando horas. Portanto, grafe-se Às seis horas da manhã.O primeiro a da frase é uma preposição. O segundo a deve receber crase, pois quem leva, leva aalgum lugar. O terceiro a não recebe acento grave, porque não se usa crase diante de palavramasculina. O quarto e último a recebe acento, porque introduz um adjunto adverbial de lugarintroduzido por a e, ao mesmo tempo, completa um verbo dinâmico, que exige a preposição a.Assinala-se, pois, a letra “d”.
  14. 14. QUESTÃO 06 coesão e coerência (FCChagas-2006) Está correto o emprego de ambos os elementos sublinhados na frase:Os sonhos de cujos nos queremos alimentar não satisfazem os desejos com que a eles nosmoveram.As expressões de Elio Gaspari, a qual se refere o autor do texto, é cidadãos descartáveis, e aludeàs criaturas desesperadas cujo o rumo é inteiramente incerto.Os objetivos de que se propõem os neoliberais não coincidem com as necessidades por cujas semovem os cidadãos descartáveis.As miragens a que nos prendemos, ao longo da vida, são projeções de anseios cujo destino nãoé a satisfação conclusiva.A força do nosso trabalho, de que não relutamos em vender, dificilmente será paga pelo valorem que nos satisfaremos.
  15. 15. SOLUÇÃO COMENTADA exercícios sobre coesão e coerênciaA alternativa que apresenta emprego correto dos pronomes é a letra “d”. Atentando ao padrãoculto, formal, teríamos Os sonhos de que/ com que nos queremos alimentar e os desejos que nosmoveram [a]; As expressões de Elio Gaspari, às quais se refere o autor do texto e cujo rumo [b];Os objetivos a que se propõem e as necessidades por que se movem [c] e A força de nossotrabalho, que não relutamos em vender e pelo valor com que nos satisfaremos.
  16. 16. QUESTÃO 07 coesão e coerência(FCChagas-2010) Muitos consumidores não se mostram atentos ... necessidade desustentabilidade do ecossistema e não chegam ... boicotar empresas poluentes; outros sequeixam da falta de tempo para se dedicarem ... alguma causa que defenda o meio ambiente.As lacunas da frase acima estão corretamente preenchidas, respectivamente, por:à, a, aà, a, àà, à, aa, a, àa, à, à
  17. 17. SOLUÇÃO COMENTADA exercícios sobre coesão e coerênciaQuem está atento, está atento a alguma coisa = crase. Quem chega, chega a algo = sem crase[não se usa crase diante de verbo]. Quem se dedica, se dedica a alguma coisa = sem crase [nãose usa crase diante de pronome indefinido]. Marque-se, pois, a alternativa “a”.
  18. 18. QUESTÃO 08 coesão e coerência(FCChagas-2010) Carr menciona a dificuldade que muitos de nós, depois de anos de exposiçãoà internet, agora experimentam diante de textos mais longos e elaborados: sensações deimpaciência e de sonolência...Considere as afirmativas seguintes:I. A concordância verbal estaria inteiramente respeitada, com o verbo experimentar flexionadona primeira pessoa do plural, experimentamos.II. A presença do sinal de crase é facultativa, pois internet é palavra originária do inglês,adaptada ao nosso idioma.III. O segmento introduzido pelos dois pontos explica a dificuldade decorrente da acentuadaexposição à internet.Estão corretas:I, somente.II, somente.I e III, somente.II e III, somente.I, II e III.
  19. 19. SOLUÇÃO COMENTADA exercícios sobre coesão e coerênciaA afirmativa I é correta, pois quando o sujeito é formado por pronome interrogativo ouindefinido mais pronome pessoal, o verbo pode concordar com o primeiro ou com o segundopronome. A afirmativa II é incorreta, pois não existe, na regra de uso da crase menção algumaao fato de que palavras de origem estrangeiras não recebam o acento grave, indicador da crase.A afirmativa III é correta, pois o sujeito de experimenta é a dificuldade. Assinale-se, pois, aalternativa “c”.
  20. 20. QUESTÃO 09 coesão e coerência (FCChagas-2009) Está plenamente adequado o emprego do elemento sublinhado na frase:O relatório para cujo o autor do texto chama a atenção está no livro Viventes das Alagoas.Trata-se de um relatório de prestígio, para o qual concorreram o talento do escritor e ahonestidade do homem.Ao final do período aonde Graciliano ocupou o cargo de prefeito, compôs um primorosorelatório.Às vezes o estilo de um simples documento, ao qual nos deparamos, torno-o absolutamenteenigmático para nós.Sempre haverá quem sinta prazer em produzir uma linguagem da qual é preciso um grandeesforço para penetrar.
  21. 21. SOLUÇÃO COMENTADA exercícios sobre coesão e coerênciaA opção correta é alternativa “b”, pois o que concorre, concorre para algo.
  22. 22. QUESTÃO 10 coesão e coerência(FCChagas-2009) A ciência produz resultados passo ... passo, como se fosse um quebra-cabeça... ser devidamente montado, para chegar-se ... confirmação de uma hipótese qualquer. Aslacunas da frase acima estão corretamente preenchidas, respectivamente, por:à, à, aa, a, àa, à, àà, à, àa, a, a
  23. 23. SOLUÇÃO COMENTADA exercícios sobre coesão e coerênciaResolução: passo a passo [não se usa crase diante de expressões formadas por substantivosrepetidos], quebra cabeça a ser devidamente montado [não se usa crase diante de verbo] echegar-se à confirmação [quem chega, chega a alguma coisa/algum lugar]. Assinale-se aalternativa “b”.

×