Coesão e coerência

4,519 views

Published on

Coesão e coerência

  1. 1. compreensão e produção textuaisCoesão e coerência textuais Manoel Neves
  2. 2. COERÊNCIA conceito organização macroestrutural sentido organização dos assuntos no textoÉ o fator responsável pela produção de sentido de um texto para os usuários. Por isso mesmo, éconsiderada um princípio de interpretabilidade relacionado à inteligibilidade do texto numadada situação comunicativa. Para se alcançar a coerência, vários fatores devem ser observados.
  3. 3. VARIAÇÃO LINGUÍSTICA fatores de coerência O tipo de linguagem a ser utilizada pelo candidato está associado à situação comunicativa. discutindo variação linguísticaEMPREGADOR: O que justifica seu interesse em querer fazer parte de nossa equipe defuncionários?CANDIDATO: O lance, meu, é o seguinte: trabalhar aqui é o canal, porque aqui a grana é maisalta que nas outras paradas por aí.
  4. 4. ADEQUAÇÃO AO GÊNERO TEXTUAL fatores de coerênciaCada gênero textual apresenta singularidades estruturais q devem ser respeitadas pelo candidato. discutindo gênero textualOntem, aconteceu um roubo, em uma loja de joias, em uma capital da região sudeste. Muitasjoias foram roubadas e, por isso, Carlos Alberto lamenta. A polícia não tem pistas dos ladrões,mas dizem que não vai ficar assim. Dona Henriqueta espera que os bandidos sejam encontradoslogo. gênero textual notícia Qual é a loja? Qual é a capital da região sudeste? Quando ocorreu o assalto? Qual é a relevância do assunto? Quem são Carlos Alberto e Dona Henriqueta? Por que o interesse em achar os bandidos?
  5. 5. GRAU DE INFORMATIVIDADE fatores de coerência Explicitação das informações [conhecimento prévio] compartilhadas com o leitor. discutindo informatividade Carlos não assistiu à novela mexicana, porque seu pai estava em reunião.Aparentemente, essa frase é incoerente. Qual é a relação entre alguém não assistir a uma novelae outra pessoa estar em reunião? Mas, se se sabe que a antena da TV está mal sintonizada e que só o pai de Carlos pode consertá-la, a frase se torna coerente. Por uma operação inferencial – usar de algum conhecimento prévio não explicitado no texto – entende-se o texto. veja que:  Seu celular está tocando! O celular!  O volume do rádio está muito alto. O rádio está muito alto. Tudo bem. = Abaixe, por favor, para eu atender o telefone e ouvir bem a pessoa com quem vou conversar.  Tudo bem, vou abaixar o volume.
  6. 6. VEROSSIMILHANÇA fatores de coerência Todo texto, exceto o fantástico, deve ser coerente com o mundo real. discutindo verossimilhançaNão só o estado da Bahia, mas também Minas Gerais, avistou uma nau portuguesa. O estado de Minas Gerais é banhado pelo mar
  7. 7. NÃO-CONTRADIÇÃO fatores de coerênciaAs ideias expostas não podem se contradizer [interna]; o texto não pode ir contra o real [externa]. discutindo contradiçãoA vida deve ser preservada em qualquer situação, apesar de hoje as pessoas não valorizarem-na. A violência está crescendo tanto que as pessoas matam até por um real. A morte só terialógica em caso de estupro ou pessoas sofrendo por motivo de doença. [aluno de 2º. grau]Não se pode defender, em um texto, incondicionalmente, a vida, e, posteriormente, ser a favor, por exemplo, do aborto – mesmo em caso de estupro – ou da eutanásia.
  8. 8. PROGRESSÃO TEMÁTICA fatores de coerência A cada parágrafo uma informação deve ser apresentada e desenvolvida. discutindo progressão temáticaO desemprego no país é cada vez maior, principalmente nas grandes cidades. Osdesempregados ficam, às vezes, anos sem conseguirem emprego. Mesmo estudando, aspessoas não estão conseguindo um espaço no mercado de trabalho. Muitos, então, partem paraa criminalidade como única alternativa para suprir suas carências, e seguir esse caminho trazoutros problemas para a nação. [aluno de 2º. grau] As frases 01, 02 e 03 apresentam exatamente a mesma informação.Cada quadrinho q compõe a tirinha apresenta uma informação nova. Isso é progressão temática!
  9. 9. COESÃO conceito organização microestrutural [frases]A coesão é a manifestação linguística [e superficial] da coerência. Por meio de vários recursos dalíngua, como: conjunções, advérbios, pronomes, preposições e repetição vocabular, frases e,consequentemente, as ideias do texto, são relacionadas para se formar um todo significativo. Acoesão, porém, não é só gramatical e sintática, mas também semântica, porque pode ocorrer deos mecanismos de ligação se darem numa relação entre os significados de elementos nasuperfície do texto.
  10. 10. LEXICAL tipos de coesãoO texto se articula por intermédio de palavras que se aproximam pelo sentido [campo semântico]. WOLKSWAGEN: A fantasia que todo carro gostaria de usarSe você liga o seu carro e só ouve o bum-bum-burumbumbum do motor, troque por umVolkswagen. A linha Volkswagen é perfeita para quem quer fazer bonito na avenida. Tecnologia?Nota 10. Conforto? Nota 10. Dirigibilidade, design? É 10. Número de concessionárias espalhadaspelo país? Seja qual for a categoria, a Volkswagen é sempre campeã. fantasia bum-bum burumbumbum fazer bonito... nota 10 categoria é campeã
  11. 11. LEXICAL tipos de coesãoO texto se articula por intermédio de palavras que se aproximam pelo sentido [campo semântico]. SKAP, Zeca Baleiro quando você pinta tinta nessa tela cinza quando você passa doce dessa fruta passa quando você entra mãe-benta amor aos pedaços quando você chega nega fulô, boneca de piche flor de azeviche ......................................................................................................... quando você diz o que ninguém diz quando você quer o que ninguém quis quando você ousa lousa pra que eu possa ser giz quando você arde alardeia minha teia cheia de ardis quando você faz a minha carne triste quase feliz pinta tinta cinza tela
  12. 12. REFERENCIAL tipos de coesão Substantivos, pronomes, advérbios retomam termos [normalmente] antepostos.Nem todas as amigas de Juçara saíram do GV Shopping. Duas permaneceram na Praça deAlimentação.Vimos o carro de Nilson se aproximando. Minutos depois, o veículo estava rodeado de alunos.Aline queria isto: graduar-se em Economia e conseguir um emprego.O técnico Emerson Leão saiu vaiado do estádio depois que o time que dirigia em 2009 levouuma goleada de 10 a 0. Por isso é que se fala que sua reputação está ameaçada.Trabalhadores rurais do nordeste estão se recusando a aceitar empregos com carteira detrabalho assinada. Eles temem perder benefícios sociais pagos pelos patrões.Prestar muita atenção nas aulas e fazer os exercícios; isso é uma das formas de aprovação novestibular.Tem havido rumores de que o governo estadual estuda medidas severas para contornar a crise.Na verdade, o pacote fiscal a ser editado nos próximos dias apenas aumentará seu déficit.Uma catástrofe ameaça uma das últimas colônias de gorilas da África. Uma epidemia de Ebolajá matou mais de 300 desses grandes macacos no santuário de Lossi, no noroeste do Congo.
  13. 13. REFERENCIAL tipos de coesão Substantivos, pronomes, advérbios retomam termos [normalmente] antepostos.Nem todas as amigas de Juçara saíram do GV Shopping. Duas permaneceram na Praça de duas = as amigas de JuçaraAlimentação.Vimos o carro de Nilson se aproximando. Minutosde Nilson veículo estava rodeado de alunos. veículo = carro depois, oAline queria isto: graduar-se = graduar-se emconseguir um emprego. isto em Economia e economia e conseguir...O técnico Emerson Leão saiu vaiado do estádio depois que o time que dirigia em 2009 levou sua= do técnico Emerson Leãouma goleada de 10 a 0. Por isso é que se fala que sua reputação está ameaçada.Trabalhadores rurais do nordeste estão se recusando a aceitar empregos com carteira de eles = trabalhadores rurais do nordestetrabalho assinada. Eles temem perder benefícios sociais pagos pelos patrões.Prestar muita atenção nas isso= prestar muita atenção nas aulas... das formas de aprovação no aulas e fazer os exercícios; isso é umavestibular.Tem havido rumores de que o governo estadual estuda medidas severas para contornar a crise. o pacote fiscal = medidas severas ... criseNa verdade, o pacote fiscal a ser editado nos próximos dias apenas aumentará seu déficit.Uma catástrofe ameaça uma das últimas colônias de gorilas da África. Uma epidemia de Ebola relação entre hipônimo e hiperônimojá matou mais de 300 desses grandes macacos no santuário de Lossi, no noroeste do Congo.
  14. 14. SEQUENCIAL tipos de coesãoConjunções coord. e subord., além de ligarem estruturas, estabelecem relações lógico-semânticas.As mulheres devem continuar a luta pela igualdade dos sexos, isto é, devem continuardisputando com os homens os diversos espaços sociais.Pedro saiu. Ele fechou a porta.Se Pedro saísse, fecharia a porta.Quando Pedro saiu, ele fechou a porta.Como Pedro saiu, ele fechou a porta.O reitor não compareceu à manifestação. Com toda a certeza, estava tentando esquivar-se dascríticas.Muitos de nossos alunos estão desenvolvendo pesquisas no exterior. Por exemplo, Mariana estána França e Marcelo, na Alemanha.
  15. 15. SEQUENCIAL tipos de coesãoConjunções coord. e subord., além de ligarem estruturas, estabelecem relações lógico-semânticas.As mulheres devem continuar a luta pela igualdade dos sexos, isto é, devem continuar explicaçãodisputando com os homens os diversos espaços sociais.Pedro saiu. Ele fechou a porta. soma, sequênciaSe Pedro saísse, fecharia a porta. condiçãoQuando Pedro saiu, ele fechou a porta. tempoComo Pedro saiu, ele fechou a porta. causaO reitor não compareceu à manifestação. Com toda a certeza, estava tentando esquivar-se das modalizaçãocríticas.Muitos de nossos alunos estão desenvolvendo pesquisas no exterior. Por exemplo, Mariana está exemplificaçãona França e Marcelo, na Alemanha.
  16. 16. INSTRUÇÃOLíngua Portuguesa, UFMG-1999 Leia o texto.
  17. 17. FILHO DA FARINHA Língua Portuguesa, UFMG-1999Diz a Bíblia: o homem nasceu do barro. Aqui, há bebês nascendo da farinha. Pílulaanticoncepcional falsificada. Num país onde falta alimento e há crianças demais, o uso dafarinha em cápsulas é sem dúvida um contrassenso. Gilka estava grávida. O namorado sechamava Nunes e era padeiro. Gilka não queria o aborto. Nunes tinha um plano. “Quandonascer, jogo no forno da padaria.” O bebê veio ao mundo. Parecia uma mistura de Bebeto comRonaldinho. Nunes desistiu do infanticídio: "Dou um voto de confiança no moleque”. É precisoconfiar menos na pílula e mais no ser humano. SOUZA, Voltaire de. Filho da farinha. Folha de S. Paulo, São Paulo, 3 jul.1998. Folha Ilustrada, p. 2.
  18. 18. QUESTÃO 01 Língua Portuguesa, UFMG-1999A partir dessa leitura, REDIJA um texto, justificando o título do conto, com base no jogo de ideiasem torno do qual se estrutura a narrativa.
  19. 19. SOLUÇÃO COMENTADA Língua Portuguesa, UFMG-1999 lendo o título01) farinha/barro – pó [nascer do barro/nascer da farinha = nascer do pó]: Bíblia: “Tu és pó…”; 02) farinha/pílula anticoncepcional falsificada: nascer da farinha X pílula de não-nascer; 03) farinha/alimento X fome; 04) farinha/pão – padeiro: nascer da farinha = nascer do padeiro; 05) nascer X não ser abortado; 06) nascer do padeiro e da farinha, feito o pão X morrer assado, como o pão; 07) ser como o pão, mistura de farinha/ser mistura de Bebeto com Ronaldinho.
  20. 20. SOLUÇÃO COMENTADA Língua Portuguesa, UFMG-1999 estruturando a paragrafação O texto deveria justificar o título do conto em função das relações entre: a) farinha e barro [pó];b) farinha/pílula anticoncepcional falsificada; c) farinha e alimento [sem o qual não se sobrevive]; d) farinha e pão/padeiro, que acarretam a equivalência entre nascer do barro, nascer da farinha e nascer do padeiro; nasce-se porque a pílula anticoncepcional é falsificada;e) ser filho d farinha é ser resultado da farinha da pílula e, ao mesmo tempo, é ser filho d padeiro.
  21. 21. INSTRUÇÃOLíngua Portuguesa, UFMG-1999 Considere esta passagem.
  22. 22. FILHO DA FARINHA Língua Portuguesa, UFMG-1999Gilka estava grávida. O namorado se chamava Nunes e era padeiro. Gilka não queria o aborto.Nunes tinha um plano. “Quando nascer, jogo no forno da padaria.”
  23. 23. QUESTÃO 02 Língua Portuguesa, UFMG-1999a) REDIJA um texto, explicando as relações linguísticas que articulam as frases, nessa passagem,e possibilitam atribuir sentido à sequência.b) REESCREVA essa passagem, articulando as frases por meio do uso de outros recursossintáticos.
  24. 24. SOLUÇÃO COMENTADA Língua Portuguesa, UFMG-1999 a coesão lexicalO trecho em destaque foi construído a partir da seleção de palavras que apresentamproximidade semântica [coesão lexical], ou seja, ao invés de usar articuladores e explicitar asrelações de sentido entre as orações, o locutor escolheu palavras semanticamente próximas[campo semântico] para articular seu texto, como se pode ver em: “grávida”, “namorado”,“aborto”, “plano” e “nascer” e ainda em: “padeiro”, “forno” e “padaria”.
  25. 25. SOLUÇÃO COMENTADA Língua Portuguesa, UFMG-1999 possíveis reescritasGilka estava grávida de um namorado que se chamava Nunes e era padeiro. como ele queriaque ela provocasse um aborto, mas ela não aceitou essa ideia, ele planejou matar a criança,jogando-a no formo da padaria.Gilka estava grávida de padeiro chamado Nunes, que não desejava o filho e pretendia que elaabortasse. Como ela se recusou a fazer isso, ela planejou jogar a criança no forno da padaria,para matá-la, assim que nascesse.Gilka engravidou de seu namorado, um padeiro chamado Nunes. Ela queria ter a criança, masele, não. Por isso, ele planejou matar o filho logo que nascesse, jogando-o no forno da padaria.
  26. 26. INSTRUÇÃO Língua Portuguesa, UFMG-1999A teoria gramatical tradicional classifica o vocábulo e como conjunção coordenativa aditiva. Asconjunções coordenativas aditivas, que são o e e o nem, “servem para ligar simplesmente doistermos ou duas orações de idêntica função”. CUNHA, Celso. Gramática da língua portuguesa. 5. ed. Rio de Janeiro: FENAME, 1979. p. 534.Por esse aspecto, considera-se que as conjunções aditivas se distinguem das demais conjunçõescoordenativas, que, além de ligar termos ou orações, imprimem algum significado à relação quese estabelece.Analise a relação que a conjunção e estabelece entre as orações, em cada um dos seguintesperíodos:
  27. 27. TEXTO Língua Portuguesa, UFMG-1999 Ele pegou o copo e tomou um gole de água.Ele deixou a janela aberta e o ladrão entrou na casa. Ele é competente e está desempregado.
  28. 28. QUESTÃO 03 Língua Portuguesa, UFMG-1999Com base nas informações dadas e na análise feita, REDIJA um texto, discutindo o ponto devista da teoria gramatical tradicional.Para fundamentar sua resposta, utilize como argumento a função do e nesses períodos ou emoutros que você queira construir.
  29. 29. SOLUÇÃO COMENTADA Língua Portuguesa, UFMG-1999 discutindo a gramática tradicionalVeja que a concepção de língua como um objeto estanque, expressa em servem para ligarsimplesmente, é insuficiente para que se possam compreender os fenômenos linguísticos comque lidamos no dia-a-dia.Nas frases anteriores, percebe-se que o “e” pode assumir outros valores que não os“canonizados” pela gramática tradicional.Na primeira frase, a conjunção funciona como um sequenciador [temporal], indicando queprimeiro ele pegou o copo, depois tomou um gole de água.Já no segundo enunciado, a mesma conjunção acaba por assumir um valor consecutivo,sugerindo que alguém deixou a janela aberta, por isso o ladrão entrou em casa.No terceiro contexto frasal, percebe-se que o conectivo “e” tem valor adversativo: ou seja, ele écompetente, mas está desempregado.
  30. 30. QUESTÃO 04 Língua Portuguesa, UFMG-2010Como é difícil reconstituir os acontecimentos! Lembrar o ano em que tudo começou já exigeesforço. Distribuir os fatos pelos meses não consigo. Mas ordenar os sentimentos é para mimtotalmente impossível.REDIJA um texto, explicando o funcionamento do conector destacado nesse trecho do conto“Helga”, do livro Antes do baile verde, de Lygia Fagundes Telles.
  31. 31. SOLUÇÃO COMENTADA Língua Portuguesa, UFMG-2010O articulador em destaque, normalmente de valor adversativo, encerra uma cadeia gradativa,desempenhando papel enfático. Percebe-se que o locutor estabelece uma sequência de fatosmarcados, de um modo geral, pela impossibilidade de concretização: a reconstituição dosacontecimentos é difícil; a lembrança exige esforço; a distribuição dos fatos não é alcançada e aordenação dos sentimentos é totalmente impossível. Importante notar que essa impossibilidadefinal, reforçada pelo uso do advérbio “totalmente”, é justamente a introduzida pelo conectivo“mas”.
  32. 32. TEXTO Língua Portuguesa, UFV-2006Dad Squarizi, em sua coluna do Estado de Minas do dia 15 de maio de 2005, ilustra umaincoerência textual no cartaz publicitário do Ministério da Saúde. Segundo a autora, “O cartazdo Ministério da Saúde trocou as bolas.” Leia o cartaz abaixo e responda às questões:
  33. 33. QUESTÃO 05 Língua Portuguesa, UFV-200601. Identifique e explique a incoerência existente no cartaz do Ministério da Saúde.02. Reescreva o texto do cartaz, de modo a torná-lo coerente.
  34. 34. SOLUÇÃO COMENTADA Língua Portuguesa, UFV-200601. O Ministério da Saúde tinha a intenção de orientar as pessoas a apagarem a ideia de fumar,apagarem o cigarro, mas na frase “Apague essa ideia: é proibido fumar”, a expressão “é proibidofumar” funciona como um aposto de “ideia”. Nesse sentido, tem-se a impressão de que oconselho do Ministério da Saúde é para que as pessoas apaguem a ideia de que é proibidofumar; a propaganda funciona, não intencionalmente, claro, como um incentivo ao fumo.02. Cigarro: apague essa ideia.

×