Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Upcoming SlideShare
Glosario nº 4
Next
Download to read offline and view in fullscreen.

0

Share

Download to read offline

Caderno de domingo e2

Download to read offline

Matéria sobre Protagonismo infantil tem
de ser alicerçado em valores

Related Books

Free with a 30 day trial from Scribd

See all

Related Audiobooks

Free with a 30 day trial from Scribd

See all
  • Be the first to like this

Caderno de domingo e2

  1. 1. SOROCABA • DOMINGO • 12 DE JULHO DE 2015 caderno de domingoE2 Telma Silverio telma.silverio@jcruzeiro.com.br A cesso à internet, na casa da esteticista Viviane Or- tolani Santos e do super- visor de vendas Ives de Oliveira Santos, somente depois de terminar as tarefas escolares. A condição imposta pelos pais não é questionada pelos filhos Gustavo, 11 anos, e Larissa, de 8. Ambos têm perfil nas redes sociais e o acesso é permitido; no entanto, sob o olhar atento dos pais que de- têm inclusive as senhas de aces- so. Viviane explica que os filhos utilizam bastante a internet para pesquisas, e que a escola, nesse sentido, tem um portal educacional que estimula a interatividade. “Tem vários aplicativos que eles in- teragem. Principalmente a Larissa que começou a usar a internet com 6 anos. Ela usa um chamado Ami- gos para Sempre.” É importante que os filhos te- nham acesso à internet desde que seja um uso consciente, ressalta a esteticista. “Devemos ensiná-los que, do mesmo jeito que têm coisas ruins nas ruas, temos também na internet. Por isso que ficamos o tempo todo ao lado deles”, destaca Viviane. Vigilância sutil Para a promotora de vendas Adriana de Fátima Antunes Coe- lho, a liberdade do filho deve ser uma “liberdade vigiada”, mas sem que veja dessa forma. Mãe de Jú- lia, 13 anos, ela conta que desde os 10 anos a filha possui perfil nas redes sociais. Seu marido, o meta- lúrgico Fábio Luis Travela Coelho, não aprovou e acabou cedendo, mas instalou o Ccleaner Free. “Funciona para a limpeza de PC, mas eu consigo ver as páginas vi- sitadas.” Adriana explica que na época, ainda em alta o Orkut, a entrada da filha no mundo virtual era uma questão de tempo. “Era ine- vitável. Todas as amiguinhas têm.” Mesmo achando chato, o casal costuma acessar as conver- sas. E para adicionar alguém so- mente com a aprovação dos pais. “Explico que existem muitos fa- kes (perfis falsos) de pessoas que colocam nomes e fotos que não são delas, então ela não adiciona sem me consultar antes.” A mãe afirma que a filha tem conheci- mento desse risco, pois teve de excluir um fake de seu perfil. Há cerca de um ano, a Júlia também troca mensagens pelo whatsApp, mas somente algumas amigas e fa- miliares têm o número do celular. “Já aconteceu de uma amiga que- rer passar o número para outra, mas não deixei“, afirma a mãe. Adriana Antunes destaca a im- portância dos pais ficarem aten- tos, pois as crianças são influencia- das com bastante facilidade. “São inocentes. Não há malícia. Às vezes podem ser levadas a adicionar um perfil por acreditarem que é do cantor preferido.” Ela explica que a filha segue vários artistas. Entre eles, Luan Santana, Michel Teló, Katy Perry e Lucas Lucco. “Adoles- cente muda toda semana de artis- ta preferido.” A promotora de ven- das cita o nome de Kéfera Buch- mann, uma blogueira que faz su- cesso no YouTube e virou febre en- tre os jovens. “Ainda bem que con- versamos muito com a Júlia. Ela é esperta e qualquer coisa esquisita sai fora, exclui. Mesmo de pa- lavrões ela não gosta.” SOROCABA • DOMINGO • 12 DE JULHO DE 20152 Os filhos de Ives e Viviane, Gustavo, 11 anos, e Larissa, de 8 anos, têm perfil nas redes sociais, mas os pais detêm as senhas de acesso Fábio Luis e Adriana de Fátima costumam checar as páginas da internet acessadas pela filha Júlia, 13 anos ALDO V. SILVA LUIZ SETTI A pedagoga Fabiula Lombardi Silva admite que a fi- lha Maria Isabe- lla, 9 anos, é bastante co- nectada e lida com a in- ternet melhor que ela e o marido, o funcionário pú- blico Admilson Silva. Ela (filha) baixa aplicativos de joguinhos infantis. “Me surpreendo muito com a sua infantilidade, pois co- nheço meninas da sua idade que já estão pen- sando em ‘outras’ coisas”, ressalta. Fabiula revela que Maria Isabella possui perfil no Facebook e con- versa com suas amigui- nhas, com a avó e até com suas próprias amigas. O casal não apenas possui a senha como supervisio- na as conversas e posta- gens. Em breve promete presenteá-la com um aparelho celular. Isso ine- vitavelmente levará ao whatsApp, pois a menina já usa o aplicativo da mãe vez ou outra, revela Fa- biula. Para a pedagoga, a principal dica é ser amiga dos filhos. “Sempre alertar quanto aos perigos de se falar com estranhos. Não somente na internet, mas em qualquer circunstân- cia”, orienta ela. Fabiula lembra que a internet é uma ferramenta para a defesa de uma causa, co- mo a dos animais, exem- plifica. “Maria Isabella usa as redes sociais tam- bém para fazer campa- nhas em relação aos ani- mais.” Fabiula afirma que em casa há diálogos cons- tantes, inclusive estimu- lando o uso das redes so- ciais como fontes de pes- quisa. Quanto ao marido, afirma, é mais preocupa- do em relação ao assun- to. “Antes queria proibir, mas isso foi quase impos- sível.” Nada às escondidas Na casa da coordena- dora Fernanda Peixe, an- tes de ser aprovada a cri- ação do perfil da filha Giovanna, 11 anos, hou- ve muitas discussões, pois o marido, o gestor operacional Eugênio Ro- cha, era contrário. Entre os combinados, inclusive para sua segurança, a fi- lha precisa seguir algu- mas regras: computador ou tablet sempre na sala ou em algum lugar de passagem de todos, mas nunca no quarto; não postar nenhuma foto no Face sem a aprovação dos pais; e não incluir em hipótese alguma perfil de desconhecidos. Fernanda afirma que o casal con- versa de forma bastante clara sobre os riscos da internet e das redes. “Fa- lamos também tudo de bom que pode acontecer caso ela siga o que fala- mos”, considera. As conversas são to- das conferidas, e Giovan- na atende sem reclamar, pois tem consciência dos prejuízos caso não cum- pra as regras. “Não fez, não tem! E hoje em dia is- so é muito sério para eles.” Fernanda explica que no colégio onde as filhas estudam o aparelho deve permanecer na mochila, não sendo permitido usá-lo nem mesmo no pátio. Recentemente, a mais nova voltou para casa sem o celular, pois teve o aparelho ‘confis- cado’ após usá-lo fora do horário escolar. A mãe descreve o nervosismo e o desconforto que a filha causou a todos em casa. “Ela chorou a noite intei- ra. Não comeu, não to- mou banho, enfim.. tu- do pela falta do tal do ce- lular. Olha a dependên- cia dos nossos filhos”, ressalta. Administrar o tempo Hoje podemos ter aces- so a tudo, de forma mui- to rápida e de pratica- mente qualquer lugar, ob- serva Renata Mendes. “A questão em aberto é a re- lação com o natural e o humano que têm se perdi- do a cada dia”, lamenta. Divorciada e mãe de Gio- vana, de 8 anos, Renata conta que em sua casa as duas estão sempre conec- tadas em notebook, tablet e celular. Por outro lado, ela optou por não assistir aos canais abertos e utili- zado o monitor da tevê pa- ra acessar a internet, as- sistir filmes e jogar com a filha, além de conferir as atividades da página do colégio em que a menina estuda. Para Renata, a administração do tempo e o contato direto com as pessoas passa a ser o maior desafio da humani- dade. “E, realmente, o fundamental é usar essa vantagem no tempo que economizamos com essas ferramentas para valori- zarmos o contato direto”, conclui. (T.S.) Maria Isabella tem perfil no Face, mas os pais Admilson e Fabiula supervisionam as conversas e postagens Giovanna (de listrado) e Giulia estão sempre conectadas, no computador, no tablet ou no celular, mas sob a supervisão da mãe, Fernanda FÁBIO ROGÉRIO EMÍDIO MARQUES Monitoramento dos adultos é essencial, pois crianças e adolescentes são influenciados com facilidade Pais ensinam filhos a usar a internet de forma consciente Fundamental é impor regras e alertar para os prejuízos

Matéria sobre Protagonismo infantil tem de ser alicerçado em valores

Views

Total views

292

On Slideshare

0

From embeds

0

Number of embeds

88

Actions

Downloads

1

Shares

0

Comments

0

Likes

0

×