Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Hipertexto Comunica ção  na Web -BIB 02021 31/08/2011 http://cw2011-2.blogspot.com/
definição  <ul><li>O hipertexto é um formato textual “composto por diferentes blocos de informação interconectadas. Essas ...
definição  <ul><li>O hipertexto é um formato textual “composto por diferentes blocos de informação interconectadas.  Essas...
definição  <ul><li>O hipertexto é um formato textual “composto por diferentes blocos de informação interconectadas.  Essas...
definição  <ul><li>O hipertexto é um formato textual “composto por diferentes blocos de informação interconectadas. Essas ...
precurssores  <ul><li>Vanevar Bush  </li></ul><ul><li>1945 – Memex – As we may think </li></ul><ul><li>(vídeo - http://www...
lexias
lexias
estruturas hipertextuais Linear Arborescente  Em rede Rizomático
Seis princípios do hipertexto (Lévy, 1995) <ul><li>1. Princípio de metamorfose </li></ul><ul><li>2. Princípio de heterogen...
<ul><li>1.   Princípio de metamorfose :  a rede hipertextual encontra-se em constante construção e renegociação. Sua exten...
<ul><li>2. Princípio de heterogeneidade :  os nós de uma rede hipertextual são heterogêneos; podem ser compostos de imagen...
<ul><li>3. Princípio de multiplicidade e de encaixe das escalas:   o hipertexto é fractal, ou seja, qualquer nó ou conexão...
<ul><li>4. Princípio de exterioridade:   a rede não possui unidade orgânica, nem motor interno. Seu crescimento e diminuiç...
<ul><li>5. Princípio de topologia :  no hipertexto, tudo funciona por proximidade e vizinhança. O curso dos acontecimentos...
<ul><li>6.  Princípio de mobilidade dos centros:   a rede possui não um, mas diversos centros, que são perpetuamente móvei...
leitura multilinear discussões sobre autoria papel do leitor (ativo) Vídeo Interativo http://www.youtube.com/watch?v=Ed-km...
texto fragmentado <ul><li>LINK </li></ul>Paratexto faz uma apresentação do texto principal; estabelece a negociação (trans...
hipertexto colaborativo <ul><li>wikipedia </li></ul><ul><li>Blogs (de mais de um autor, blogroll) </li></ul><ul><li>seção ...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Aula 31 agosto

949 views

Published on

Disciplina Comunicação na Web

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Aula 31 agosto

  1. 1. Hipertexto Comunica ção na Web -BIB 02021 31/08/2011 http://cw2011-2.blogspot.com/
  2. 2. definição <ul><li>O hipertexto é um formato textual “composto por diferentes blocos de informação interconectadas. Essas informações são amarradas por meio de elos associativos, ok links. Os links permitem que o usuário avance em sua leitura na ordem que desejar”. (LEÃO, 2001, p. 15) </li></ul><ul><li>( ver vídeo - http://www.youtube.com/watch?v=iphEbL4KS2o ) </li></ul><ul><li>Hipertexto = hipermídia </li></ul>
  3. 3. definição <ul><li>O hipertexto é um formato textual “composto por diferentes blocos de informação interconectadas. Essas informações são amarradas por meio de elos associativos, ok links. Os links permitem que o usuário avance em sua leitura na ordem que desejar. (LEÃO, 2001, p. 15) </li></ul><ul><li>Blocos de textos = lexias </li></ul><ul><li>Textos = informação multimídia </li></ul>
  4. 4. definição <ul><li>O hipertexto é um formato textual “composto por diferentes blocos de informação interconectadas. Essas informações são amarradas por meio de elos associativos, os links. Os links permitem que o usuário avance em sua leitura na ordem que desejar. (LEÃO, 2001, p. 15) </li></ul>
  5. 5. definição <ul><li>O hipertexto é um formato textual “composto por diferentes blocos de informação interconectadas. Essas informações são amarradas por meio de elos associativos, ok links. Os links permitem que o usuário avance em sua leitura na ordem que desejar. (LEÃO, 2001, p. 15) </li></ul><ul><li>leitura não linear ou multilinear </li></ul>
  6. 6. precurssores <ul><li>Vanevar Bush </li></ul><ul><li>1945 – Memex – As we may think </li></ul><ul><li>(vídeo - http://www.youtube.com/watch?v=uj6ADC8ezxk) </li></ul><ul><li>Douglas Engelbart </li></ul><ul><li>Expandir potencial congnitivo dos “trabalhadores do conhecimento”, processador de texto e mouse. </li></ul><ul><li>Quando do seu projeto no Stanford Research Institute perde o financiamento que recebia da ARPA, membros de sua equipe vão para a Xerox </li></ul><ul><li>Ted Nelson </li></ul><ul><li>Cria termo hipertexto, projeto Xanadu, anos 60 </li></ul><ul><li>(vídeo- http://www.youtube.com/watch?v=DRu62yAk3PQ) </li></ul>
  7. 7. lexias
  8. 8. lexias
  9. 9. estruturas hipertextuais Linear Arborescente Em rede Rizomático
  10. 10. Seis princípios do hipertexto (Lévy, 1995) <ul><li>1. Princípio de metamorfose </li></ul><ul><li>2. Princípio de heterogeneidade </li></ul><ul><li>3. Princípio de multiplicidade e de encaixe das escalas </li></ul><ul><li>4. Princípio de exterioridade </li></ul><ul><li>5. Princípio de topologia </li></ul><ul><li>6. Princípio de mobilidade dos centros </li></ul>
  11. 11. <ul><li>1. Princípio de metamorfose : a rede hipertextual encontra-se em constante construção e renegociação. Sua extensão, composição e desenho estão sempre em mutação, conforme o trabalho dos atores envolvidos, sejam eles humanos, palavras, sons, imagens, etc. </li></ul>
  12. 12. <ul><li>2. Princípio de heterogeneidade : os nós de uma rede hipertextual são heterogêneos; podem ser compostos de imagens, sons, palavras, etc. E o processo sociotécnico colocará em jogo pessoas, grupos, artefatos, com todos os tipos de associações que pudermos imaginar entre eles. </li></ul>
  13. 13. <ul><li>3. Princípio de multiplicidade e de encaixe das escalas: o hipertexto é fractal, ou seja, qualquer nó ou conexão, quando acessado, pode revelar-se como sendo composto por toda uma rede de nós e conexões, e assim, indefinidamente. </li></ul>
  14. 14. <ul><li>4. Princípio de exterioridade: a rede não possui unidade orgânica, nem motor interno. Seu crescimento e diminuição, composição e recomposição dependem de um exterior indeterminado, como adição de novos elementos, conexões com outras redes, etc. </li></ul>
  15. 15. <ul><li>5. Princípio de topologia : no hipertexto, tudo funciona por proximidade e vizinhança. O curso dos acontecimentos é uma questão de topologia, de caminhos. A rede não está no espaço, ela é o espaço. </li></ul>
  16. 16. <ul><li>6. Princípio de mobilidade dos centros: a rede possui não um, mas diversos centros, que são perpetuamente móveis, saltando de um nó a outro, trazendo ao redor de si uma ramificação infinita de pequenas raízes, rizomas, perfazendo mapas e desenhando adiante outras paisagens” (Lévy, 1993, p. 25-26). </li></ul>
  17. 17. leitura multilinear discussões sobre autoria papel do leitor (ativo) Vídeo Interativo http://www.youtube.com/watch?v=Ed-kmSqhl08
  18. 18. texto fragmentado <ul><li>LINK </li></ul>Paratexto faz uma apresentação do texto principal; estabelece a negociação (transação) entre leitor e texto; realiza a transição entre o mundo do leitor e o mundo do texto; está situado nas fronteiras do texto, estabelecendo-lhe os limites. o link como paratexto
  19. 19. hipertexto colaborativo <ul><li>wikipedia </li></ul><ul><li>Blogs (de mais de um autor, blogroll) </li></ul><ul><li>seção de comentários </li></ul><ul><li>Twitter (interconexões) </li></ul><ul><li>TV digital </li></ul><ul><li>(ver vídeo 2) </li></ul>

×